revista rock meeting #32

Download Revista Rock Meeting #32

Post on 24-Mar-2016

223 views

Category:

Documents

9 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista Rock Meeting #32. Nesta edição: Capa - Nervochaos, O que estou ouvindo?, World Metal, Doomal, Diário de Bordo - Paul McCartney, Metal Open Air, Abril Pró Rock, Warcursed, Desalma, Guns'N'Roses, Mythological Cold Towers. www.rockmeeting.net |@rockmeeting | contato@rockmeeting.net

TRANSCRIPT

  • Piada

    EDITORIAL

    Piada to engraado, no mesmo? Mas sabe quando mais engraado? Quando o foco da brincadeira no voc. Em poucos dias, todos os residentes no Brasil ficaram perplexos em ver pseudo promotores de eventos acabarem com o sonho de muitos fs de um estilo musical. E sabe o que mais lamentvel? Ainda ler nas redes sociais, blogs e sites pessoas que brincam com a condio dos que foram lesados por pessoas sem qualquer compromisso com o prximo, com a vida e com a msica. Este fato, ocorrido em So Lus, foi, se no o maior, absurdo ocorrido em terras brasileiras quando se falado em Metal. Milhares de pessoas enganadas por acreditarem num sonho que se tornou um verdadeiro pesadelo. Parte da equipe desta Revista esteve

    no Metal Open Air e pode conferir de perto o que no foi feito pela organizao do evento. Falta de esclarecimentos era o que matava a todos. Agora se pergunte bem antes de sair tirando piada para quem foi ao evento: voc sabe por quanto tempo aquele seu amigo, colega, conhecido, parente ou vizinho passou para juntar todas as suas economias e ver os shows que foram prometidos? No, n? Portanto, reveja suas atitudes e, ao invs fazer chacota da situao dele, compartilhe sua solidariedade. E sobre a repercusso do vergonhoso evento, volta o questionamento sobre a cena brasileira e suas figuras picas. At quando vamos tapar o sol com a peneira e no enxergar estes lobos em pele de cordeiro? Quem ser que est certo? Quem est errado? Vejamos suas aes e julgue voc mesmo...

  • CONTENTS05 Doomal 10 Gunsnroses12 World Metal 16 Dirio de Bordo - Paul McCartney no Recife24 capa - Nervochaos32 Abril pro rock42 Mythological Cold Towers48 Metal Open air58 Desalma62 Warcursed 68 O que estou ouvindo?

    EXPEDIENTE

    Direo GeralPei Fon

    RevisoYzza Albuquerque

    CapaPei Fon

    EquipeDaniel LimaJonas SutareliLucas MarquesPei FonYzza Albuquerque

    ColaboradoresBreno Airan Joo Marcello CruzRodrigo BuenoThiago Santos (Ilustrao)

    AgradecimentosAlexandre Santos e Lula Mendona - Rdio Rock Freeday

    CONTATOEmail: contato@rockmeeting.netFacebook: Revista Rock MeetingTwitter: @rockmeetingVeja os nossos outros links:www.meadiciona.com/rockmeeting

    Divulgao

  • Por Rodrigo Bueno (Funeral Wedding | requiem@funeralwedding.com)

    Novos Rumos do Doom no Brasil

    Dando continuidade histria do Doom Metal no Brasil que iniciamos na edio anterior, chegamos ao final da dcada de 90 com o nascimento da Lachrimatory. O que no incio a banda fazia um Death/Doom com passagens funeral onde gravaram a demo que hoje est disponvel em seu site, e que na poca foi engavetada por no ter agradado aos integrantes e tambm havia entrado na banda o violoncelista, dando uma roupagem inteiramente nova para as canes. No incio dos 2000, mais precisamente em Curitiba, tivemos o nascimento de uma cena jamais vista em todo territrio brasileiro voltado ao Doom e vertentes. Para qualquer amante dessa sonoridade a cidade oferecia alm da boa msica, um clima perfeito para os dias de depresso, e nessa poca tivemos o surgimento de bandas como My Suffering, Sarx Thanatos, De Profvndis Clamati. Nessa poca tambm acontecia algumas baladas gothic e que sempre era includo no set do DJ algumas sonoridades Doom Metal e a medida que esses eventos iam adquirindo novos adeptos, mais a cena ia crescendo. Por volta de 2006 foi dado incio a um projeto audacioso que visava divulgar tanto a cena Doom do sul do pas (nada de bairrismo, mas por questo de logstica) quanto o estdio AvantGarde, cuja a ideia era mostrar a cara do Doom Metal brasileiro e tendo toda uma produo prpria com um produtor envolvido com a cena. Aps todo o projeto gravado, acabou sendo engavetado pois na poca comearam as gravaes para o dbut da banda Lachrimatory, alm dos servios do prprio estdio. Ao final de 2006, tivemos ,o que pode ter sido um dos ltimos eventos voltados ao Doom Metal naquela regio, chamado Overmetal Obscure Edition com a participao das bandas: Vulkro (SC), Lachrimatory (PR), Dying Embers (PR), Hermetic Vastness (PR), Sarx Thanatos (PR) e Lemuria (PR) encerrando o ano de forma positiva, enchendo de planos para o ano seguinte, mas o que ningum esperava aconteceu. A cena Doom foi morrendo aos poucos e tendo nos dias de hoje uma pequena parte que lutam aos trancos e barrancos para no deixar a chama apagar.

    05

  • A mesma movimentao que ia acontecendo em Curitiba, simultaneamente iam aparecendo bandas em diversas regies do pas. Em So Paulo, tivemos o surgimento de Dying Embrace em 2002 e, em 2003, o Abske Fides. No Cear tivemos, em 2005, o nascimento da Lacryma Sanguine, tendo seu EP lanado em 2008 e sendo distribudo pelo selo norte americano Killzone Records, obtendo uma boa aceitao nacional e internacional. Para 2009, a banda comeou os preparativos para o lanamento de seu dbut, mas parece que uma nuvem negra pairou sobre eles e o projeto acabou estacionado devido a alguns integrantes que deixaram a banda e tambm um problema com o estdio que acarretou todo o impasse. Mas para esse ano, ao que tudo indica, a banda ir lanar o to aguardado dbut pelo selo chileno FunerART. Vindo de Gois temos a In the Shadows que surgiu em 2000, tendo sua demo Nas Sombras lanada em 2002. Em 2010 foi lanado o full-lenght Bleeding Tears contendo as faixas da demo e 2 bnus. Tambm, em Gois, temos o nascimento da Apocalyptichaos, tendo seu som calcado no Doom/Death Metal com a insero de alguns vocais femininos. A faixa, que tem disponvel em seu Reverbnation, me lembrou bastante o Paradise Lost da poca do Gothic, mas com um algo a mais. Agora nos resta esperar pelo dbut que dever chegar no final do ano.

    Novos Rumos

    O ano comea com um projeto idealizado pela vocalista Ellen Maris (Apocalyptichaos) que a Unio Doom Metal Brasil, que visa o fortalecimento do grupo/cena, onde o primeiro passo j foi dado que a coletnea Doomed Serenades, que conta com 10 bandas ativas da cena nacional e tendo seu lanamento previsto para o prximo ms. Segue abaixo a entrevista que fiz com Ellen e que nos d um melhor entendimento sobre a Unio Doom Metal Brasil.

    Como surgiu a idia para a Unio Doom? Aconteceu de forma natural. Tenho uma banda, a Apocalyptichaos. Assim como a maioria das bandas de Doom no Brasil, eu tinha muita vontade de conseguir levar nossa msica aos quatro cantos do pas, mas enfrentvamos bastante dificuldades at mesmo para encontrar shows que coubessem bandas nesse estilo. Era mais fcil conseguir um espao no exterior do que em nosso prprio pas. Em Goinia, onde moro, temos vrios festivais, mas nenhum deles voltado ao Doom. Os produtores ficam temerosos em relao a aceitao do pblico, enfim. Tivemos a sorte

    06

  • de encontrar outra banda de Doom por aqui, a In The Shadows, que passava pelas mesmas dificuldades que ns e, dessa forma, passei a atentar sobre a tal situao no Brasil, para bandas como a minha, como a de meus amigos, que tinham uma bruta qualidade, porm poucas chances de poder mostrar o que sabe, ao vivo, em festivais. O primeiro passo foi pedir colaborao aos produtores de eventos locais, oferecendo apoio e parceria em troca. E a partir de ento, comeamos a tocar dentro do estado, em festivais com o mais variado tipo de pblico e, para nossa surpresa, a aceitao foi muito boa.

    E como voc v esses 4 meses de grupo? Superou todas as expectativas. Eu contava com colaborao, mas sinceramente, achava que fosse acabar tendo que fazer o trampo todo sozinha. Mas no foi assim. A Unio um grupo de pessoas com sangue nos olhos, ansiosas para ver a coisa funcionar, para ver acontecer. A maioria ali tem corrido atrs todos os dias, fazendo divulgao, criando novas ideias, colocando em prtica nossos planos e metas. A verdade essa. Muita gente com vontade se uniu e resolver fazer a vez do Doom Metal acontecer no Brasil.

    A coletnea Doomed Serenades foi o primeiro grande passo da Unio, e existem algumas bandas que devido aos contratempos acabaram ficando de fora dessa primeira edio. Para quando voc acha que sair esse segundo volume? Muitas bandas ficaram de fora mesmo. No incio de tudo, nos preocupamos muito em no deixar as coisas sarem do controle, pois a ideia boa e tem tudo para dar certo. Dessa forma, tivemos o cuidado de antes fortalecer a ideia, depois expandi-la. Lidar com vrias pessoas ao mesmo tempo nunca fcil. Temos por volta de 15 bandas fazendo parte da Unio Doom Metal Brasil hoje. Mais do que isso, no comeo, seria muito complicado. E acredito que foi o mais

    07

  • coerente, pois, conseguimos nos fortalecer em poucos meses e hoje j podemos abrir as portas outras bandas de Doom que queiram fazer parte da Unio. A prxima coletnea est prevista para o ano que vem, com novas bandas. Certamente, com as prximas bandas que entrarem na Unio a partir de agora.

    O que voc acha que ainda falta melhorar no cenrio para encararem o Doom como uma vertente do metal e no um bando de gente chorona? Acho que o primeiro passo foi dado, a partir da Unio. Somos uma vertente do Metal em busca de respeito e reconhecimento pela qualidade de nosso trabalho. Acho que, ao invs de ficar reclamando que no temos espao, que no somos aceitos, que no temos uma cena Doom verdadeira no pas, como j disseram, estamos indo luta e marcando nosso territrio, fortalecendo o estilo a partir do apoio mtuo que tem acontecido entre as bandas do gnero.

    Assim como o Eclipse Doom que realizado em Joinville e um evento voltado totalmente para o estilo. Voc acha que com a Unio vrios eventos desse porte surgiro para colaborar com o crescimento dessa vertente? Acredito que sim. uma das propostas da Unio, o surgimento de eventos por todo o pas a partir da organizao das prprias bandas e apoiadores que esto agregados ao projeto. Penso que desta maneira, muitas bandas que ja chegaram a existir e hoje esto paradas por conta da dificuldade absurda que enfrentavam e ainda enfrentam para se manterem a