Revista Minha Cidade 2

Download Revista Minha Cidade 2

Post on 28-Mar-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

DESCRIPTION

2 Edio da Revista Minha Cidade

TRANSCRIPT

  • 2009 - Minha Cidade - 1

  • 2 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 3

  • 4 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 5

  • 6 - Minha Cidade - 2009

    Capa

    AnpolisMilhes em investimentos

    11 In Blog Lio

    33 Turismo

    20 Sade

    19 Mercado Ativo

    26 Esporte

    44 ONG+Ao

    43 Atitude Sustentvel

    58 Crnica

    57 Gastronomia

    65 Cultura

    64 Humor

    Poltica

    08Marconi Perillo O senador do povo

    Grupo Vitti

    36Cidadania Aes e prticas sociais, educativas e cultural

    12

    ResponsabilidadeSocial

    50Drogas como manter o jovem longe delas

    Foto: Claudiomir J. Gonalves

  • 2009 - Minha Cidade - 7

  • 8 - Minha Cidade - 2009

    PSDB no teme nenhum tipo de comparao com outros governos. A afir-

    mao foi feita pelo senador Mar-coni Perillo (PSDB), antes de se reunir com moradores do Balne-rio Meia Ponte. A reunio foi a 17 realizada por Marconi com lderes comunitrios de Goinia e do entorno de Goinia. Durante os encontros o senador colhe su-gestes para sua atuao no Senado

    e encaminha as reivindicaes dos moradores que envolvem rgos do Estado ou da Unio. Marconi afirmou que o PSDB tem nmeros que superam os das outras admi-nistraes. Indagado a respeito da mensagem que o partido pretende levar em 2010, o senador disse que a questo central ser apresentar uma proposta para o futuro. Marconi explicou que o eixo do debate que ser apresentado no ano que vem

    a implantao de uma ampla rede de cincia e tecnologia, alm da qualifi-cao dos servios pblicos.

    Em relao unidade da base aliada, Marconi diz torcer para que ela acontea, embora considere na-tural que alguns partidos entrem e outros saiam da composio polti-ca. O tucano diz que dar sequncia s reunies que realiza em Goinia e no interior do Estado, visando colher subsdios para o mandato.

    O

    PSDB no teme comparar governos

    8 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 9

    Politica

    Marconi agradeceu o traba-lho de mobilizao dos lderes comunitrios. Destacou a im-portncia do Balnerio Meia Ponte, um dos bairros mais antigos da regio noroeste de Goinia, antes de responder s perguntas formuladas pelos moradores. Segundo ele, o Balnerio hoje um dos bairros mais consolidados da capital. Marconi explicou mais uma vez que ao longo de sua vida pblica sempre promoveu reunies comunitrias para ouvir diretamente a populao. O senador prometeu encaminhar ofcios aos rgos pblicos do governo estadual em atendimento s reivindicaes da populao. Eu no gosto de ficar em gabinetes cuidando de assuntos burocrticos, disse o ex-governador, ao enfatizar que se todos os polticos brasileiros ouvissem diretamente a populao, teramos um Pas certa-mente muito melhor.

    Em oito anos de governo, Mar-coni diz ter realizado 650 edies do Programa Governo Itinerante, pelo qual o Estado disponibilizava acesso aos servios pblicos po-pulao em Goinia e no interior. Ao falar de Segurana Pblica,

    Marconi props um choque de gesto, como forma de combater a criminalidade, sem se esquecer da questo social que implica criar condies de oportunidade para os jovens. Na maioria dos casos em que os jovens caem na crimi-nalidade, isso ocorre por falta de oportunidades, argumentou.

    Ao falar de transporte p-blico, Marconi defendeu que o Eixo-Anhanguera continue sob controle do Estado e seja mantido o subsdio da passagem. Ainda em relao ao transporte, Marconi disse que construir um ou dois viadutos no resolve o problema. Ele defendeu mudanas estru-turais, como a implantao do metr de superfcie.

    O Senador respondeFotos: Walter Alves

    (Da esq. p/dir.) Pr. Joo Batista, Paulo da Farmcia, Empresrio Ronaldo Luiz Barbosa, Senador Marconi Perillo, Antnio 21, Pres. Assoc. Moradores do St. Balnerio.

    Marconi discutiu com a comunidade vrias demandas sociais apontadas pelos mo-radores. O morador Antnio Silva sugeriu ao Senador, co-brar do governo investimen-tos em Segurana Pblica. A funcionria pblica Denise Branquinho, reclamou do estado de conservao do Colgio Estadual Amlia Hermano Teixeira. Dezenas de proprietrios de estabeleci-mentos comerciais do bairro participaram do encontro. O representante que falou em nomes deles, Ronaldo Barbo-sa, que reside no setor h 40 anos, disse que a reunio foi um dos grandes momentos da histria do Balnerio Meia Ponte, visto que no toda hora que a popula-o tem a oportunidade de debater diretamente com um Senador da Repblica. Fernando, que estuda no Colgio Estadual do Balne-rio Meia Ponte, indagou o senador a respeito de proje-tos para que jovens egressos da rede pblica de ensino cursem o ensino superior.

    PSDB no teme comparar governos

    Enquanto isso...

    2009 - Minha Cidade - 9

  • 10 - Minha Cidade - 2009

    sempre muito bom e prazeroso ver um projeto aviltar-se, evoluir e frutificar produzindo resultados integralmente vitoriosos. Por isso, com muita luta e determinao, porm, com imensa alegria que apresentamos a 2 edio da Revista Minha Cidade. O lanamento da primeira edio foi um pouco conturbado com algumas dificuldades como costumam ser os comeos, contudo, tiramos valiosas lies desses tropeos e aqui estamos. Nesta edio temos artigo especial sobre sustentabilidade, no qual, objetivamos dar nossa contribuio ao meio ambiente e nada melhor que coloc-lo em debate. Para isso, o articulista nos apresenta diferentes pontos de vista mostrando os fatos, e ainda, incentivando-nos a sustentabilidade. uma aposta no efeito multiplicador das boas idias. Na rea de economia temos matria especial sobre o momento ps-crise, e ainda, algumas homenagens dedicadas a grandes personalidades. Em relao a projetos sociais a ONG Mais Ao mostra o incio de um projeto cultural que mudar a vida do povo goiano. De forma peculiar aborda-mos assuntos relacionados sade e segurana pblica, e outros ligados a responsabilidade social. Colocamos o turismo do Estado de Gois em pauta, alis, com novidades! Como na 1 edio contamos agora com um time de novos colaboradores que como os outros fizeram a edio 01 ser um sucesso e torcemos para que essa siga o mesmo caminho.

    O resultado que 2009 acaba como um ano transformador para a Re-vista Minha Cidade, que deu novos e importantes passos. O ano novo est logo ali! Tomara que voc tambm faa dele um ano transformador.

    Agora, deleite-se com a leitura e aguarde a prxima edio.

    EditorialExpediente

    Revista Minha CidadeO melhor do seu municpio est aqui

    Diretor AdministrativoGustavo Oliveira

    gustavodiretor@gmail.com

    Editora GeralDiva Ribeiro de Morais

    Jornalista Responsvel Mtb GO 2198 diva.morais@gmail.com

    Design e DiagramaoGustavo Nascimento

    gustavomorc@gmail.com

    Representante ComercialAmancio B. V. Junior(0xx62) 8134-3946

    FotografiasFernando Leite

    Para anunciar(0xx62) - 3931-0055(0xx62) - 8497-9716

    revistaminhacidade@gmail.com

    AbrangnciaGois/ Tocantins

    Distrito Federal/ Mato Grosso

    Periodicidade: MensalTiragem: Cinco mil exemplares

    Distribuio dirigida

    ImpressoClone Grfica e Editora

    (0xx62) 3252-1952 / 3242-0761

    Colaboradores desta edioBatista Custdio Jornalista

    Antonio Meneghello - AmbientalistaLeandro Sena Pres. da ONG+Ao

    Willian Schwartz GastrnomoUlisses Aesse- JornalistaFlvia Avelar Jornalista

    Endereo para correspondnciaRevista Minha Cidade

    Av. C44, Lt. 08, Novo HorizonteCEP.: 74.365-560 - Goinia GO

    Matrias assinadas refletem a opinio de seus autores. E, somente podero ser reproduzidas mediante crdito, exceto

    aquelas cuja proibio estiveremexpressamente declarada.

    Equipe Revista Minha Cidade

    Diva RibeiroJornalista responsvelMtb. 2198 - GO

    Gustavo NascimentoDesign e Diagramao

    Gustavo Oliveira Diretor Administrativo

    Camila MendesSecretria

    Jnior Amancio Rep. Comercial

    www.revistaminhacidade.com.br

  • 2009 - Minha Cidade - 11

    Dezembro pode ser o ms para Iris Rezende. A espera que Henrique Meirelles resolva assumir de vez a candidatura ao governo de Gois em 2010. Assim tiraria o fardo de Iris ter que disputar com Marconi Perillo as eleies do ano que vem. Com as chances de perder a disputa. Uma segunda derrota liquidaria a vida poltica do ex-governador e hoje prefeito de Goinia.

    In BLOG lIO

    Por Ulisses Aesse

    O governador Alcides Rodrigues faz uma boa administrao (sem pirotecnias), responsvel, tem os ps no cho (no promete mais do que pode fazer), mas tem um grande defeito: no gosta de investir em pu-blicidade e divulgar as boas aes de seu governo. Luiza Erundina, quando deixou a prefeitura de So Paulo, assumiu que errou em no divulgar seu governo.

    Efeito Erundina

    Dos deputados federais goianos, Sandes Jnior (PP) o que menos aparece no noticirio poltico. Parece que Sandes se desencantou com a vida poltica. H tempo vem demonstrando isso.

    A poltica em Gois vem sendo feita por grupos amigos. Parece no haver oposio.

    Parte do PSDB ainda permanece no governo de Alcides (PP); o PT aliadssimo de Iris

    Rezende (do PMDB); o PC do B est onde est o poder. Pelo que parece, a nica

    oposio mesmo o PSDB. Mas oposio a quem?!!

    Estranho o fato do senador Demstenes Torres, segundo todas as pesquisas divulgadas at agora, estar empatado tecnicamente com a sena-dora Lcia Vnia. At porque Demstenes tem tido ateno privilegiada na mdia nacional. Em tempo: a anlise de alguns veteranos em poltica que Demstenes faz campanha na-cional e Lcia Vnia, em Gois. E os votos que vo decidir a eleio para senador so os dos goianos e no os do resto do Brasil.

    O super jornalista Rosenwal Ferreira faz sucesso na Rdio Sucesso. Do meio-dia primeira hora da tarde. Com ele, J Almeida, Tony Martins, Carlos Antnio Elias, Tucano das Neves e um mundo de gente boa, formadoras de opinio.

    Ultimamente as decises do STF tm surpreendido o Brasil. Elas tm sido mais polticas do que de mrito jurdico. Alis, est passando da hora de criarem um tribunal ou instncia superior ao Supremo Tribunal Federal. Ou, ento, se descontamina o STF.

    Marconi Perillo acredita que o Twitter hoje um instrumento eficiente

    para estreitar os laos com seus eleitores e com os prprios goianos.

    Para o senador, o poltico precisa ter um canal rpido de comunica-

    o (tanto para ouvir, quando para explicar suas aes, seus proje-

    tos, suas ideias) a fim de realizar uma gesto que no destoe do que

    pensa o cidado. O Twitter, para ele, cumpre essa funo.

  • 12 - Minha Cidade - 2009

    A populao anapolina vem conferindo diversas benfeitorias na cidade: asfalto, saneamento bsico e assinatura de planos para o funcionalismo pblico

    U

    Em Anpolis o desenvolvimento no para

    ma grande festa foi realiza-da na cidade de Anpolis, durante a inaugurao dos

    78,435 mil m de asfalto no Bairro So Joo. O evento reuniu cente-nas de moradores, alm do prefeito Antnio Gomide, da superinten-dente regional de negcios da Caixa Econmica Federal (CEF), Marise Fernandes, vereadores e secretrios municipais.

    O Secretrio Municipal de De-senvolvimento Urbano Sustentvel, Clodoveu Reis, afirmou que a pa-vimentao era uma reivindicao antiga da populao e que tambm foram construdas galerias de guas

    pluviais e meios-fios. Estamos nos empenhando para que o asfalto seja uma realidade para todos os bairros. J fizemos um mapeamento da cidade e sabemos quais so as prioridades, ressaltou. Clodoveu Reis acrescentou que na execuo desse trabalho foi pavimentado um trecho que liga o Bairro So Joo ao Residencial Geovanni Braga, facili-tando o acesso BR-060, ao Distrito Agroindustrial de Anpolis (Daia) e tambm Universidade Estadual de Gois (UEG). O Bairro So Joo era um dos setores que tinha mais problemas de falta de infraestrutu-ra. Com o asfalto vamos oferecer condies de trafegabilidade aos moradores e tambm valorizao da rea, relatou.

    O prefeito Antnio Gomide informou que foram gastos em toda a pavimentao R$ 5.632.212,73 oriundos de uma parceria entre o Governo Federal, atravs da CEF e a Prefeitura de Anpolis. Vamos

    continuar em busca de recursos para que obras como essa possam garantir qualidade de vida para os moradores de nossa cidade, disse.

    Mais investimentosEm outubro foi a vez dos mo-

    radores dos residenciais Geovanni Braga e Arco-ris receberem o asfal-to. Parte da pavimentao do Parque So Joo tambm foi inaugurada na data, somando mais de 32 mil m de vias nos trs setores. A Companhia Municipal de Trnsito e Transportes (CMTT), tambm efetuou a sinali-zao nas ruas. Nesses locais foram gastos R$ 2.663.434,49 em toda a pavimentao.

    Evento marca entrega de asfalto no bairro So Joo

    Fotos: Ascom. Prefeitura de Anpolis

    Saneamento Desde que me mudei tenho

    comprado gua pra beber, pois, a gua que tinha aqui no dava pra consumir, agora, teremos gua tratada. como a realizao de um sonho. Essas foram as palavras de Luiz Yadoni, morador do Setor Sul 3 Etapa h cinco anos, durante o incio das obras de construo da rede de gua tratada no local. Jos Reinaldo, morador da regio h seis anos tambm comentou a situao di-zendo que o momento de comemo-rao. Estamos muito felizes e gratos ao prefeito por essa realizao.

    12 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 13

    Anapolis

    Em Anpolis o desenvolvimento no para

    Autoridades polticas e populao conferem as obras da Saneago

    Os depoimentos dos moradores so de alvio, pois, h vrios anos eles reivindicam o benefcio que est sen-do levado graas a dois convnios, na ordem de aproximadamente R$ 4,5 milhes para execuo de diversas obras de saneamento em 15 setores da cidade. Os recursos so do Governo Federal, atravs do Programa de Acelerao do Cresci-mento (PAC), e contrapartida do Estado e do Municpio.

    AmpliaoConforme roteiro de execuo

    da empresa conveniada, ser feita a ampliao do sistema de abaste-cimento de gua nas vilas Mariana e Rica, nos bairros Vivian Parque,

    Tesouro, Santo Antnio, Arco Verde 2 etapa, Arco-ris, nos residenciais das Rosas, Shangril, Flamboyant, Buritis, Ana Carolina e Dom Felipe, no Setor Sul 3 Etapa e no Jardim Europa. O servio totalizado em R$ 2.943.165,04 compreende a criao de uma estao elevatria de gua tratada, execuo de redes domiciliares e de distribuio de gua, alm da reforma e melhorias de alguns sistemas de abastecimento nesses locais.

    No valor de aproximadamente R$ 1,5 milho, outro convnio foi firmado para a realizao de servios como o tapa-buracos, cuja execu-o ficar a cargo da Prefeitura e a verba ser destinada pela Saneago.

    Segundo o presidente da Saneago, as obras tero incio imediato e tem como objetivo oferecer melhores condies de habitao nas reas beneficiadas. Nicomedes Borges disse ainda, que com o trabalho ser possvel oferecer mais qualidade de vida populao e tambm colabo-rar com a recuperao e conservao dos mananciais e bacias hidrogrfi-cas. O presidente da estatal ressaltou que desde o incio de 2009, foram investidos cerca de R$ 10 milhes na melhoria do abastecimento de gua na cidade, beneficiando cerca de 60 mil pessoas. As reclamaes dimi-nuram consideravelmente, porque melhorou a vazo. Agora so produ-zidos 120 litros de gua por segun-do, evitando problemas em poca de estiagem, garantiu. Sobre o fato de a Prefeitura assumir a realizao do servio de tapa-buracos, Nicomedes Borges destacou que essa medida ir acelerar as obras, garantindo mais comodidade populao. O Mu-nicpio executa o servio com mais rapidez e a Saneago ir repor a massa asfltica, assegurou.

    UniversalizaoAs obras nesses 15 setores iro

    se estender at o prximo ano, e so os primeiros passos do projeto de universalizao que ir garantir gua tratada a toda a cidade, res-saltou o prefeito Antnio Gomide. No incio de dezembro assinare-mos um convnio de R$ 62 mi-lhes para essa universalizao que ir cobrir 100% do municpio, afirmou. Antnio Gomide falou da parceria com o governo estadual, atravs da Saneago, e tambm com a Unio que ter participao com o financiamento por meio da Caixa Econmica Federal,

    2009 - Minha Cidade - 13

  • 14 - Minha Cidade - 2009

    guel, parabeni-zou a atual ad-ministrao pela elaborao do plano e garantiu a agilidade no debate do pro-jeto, junto ao

    Legislativo, dentro dos prazos regi-mentais para que a nova Lei vigore o mais rpido possvel. Faremos um debate democrtico e gil para garantir esses benefcios o quanto antes, disse. O projeto j foi en-viado s comisses de mrito para que em breve possa ser colocado em votao no plenrio. A presidente do Sindicato dos Professores da Rede Municipal de Ensino, Jocile-ne das Neves, ressaltou que desde o incio da elaborao do plano, a entidade participou amplamente das discusses, a exemplo das outras categorias e que houve um consen-so atendendo todas as partes. An-polis sai na frente com um projeto desse nvel. Esse plano representa um salto de qualidade na educao municipal, assegurou.

    Para o prefeito Antnio Gomide esse um momento histrico no municpio, que responde aos anseios de quase duas dcadas dos servidores e, tambm um compromisso da atual administrao com a classe. Desde o nosso primeiro dia de go-verno, falamos da nossa prioridade

    em elaborar esse pla-no e hoje cumprimos essa misso. Anpolis a primeira cidade goiana a fazer o plano de carreira para os servidores, logo no

    Trabalhadores na rea de saneamento: mquinas no param

    no projeto de universalizao da gua. Estamos todos juntos traba-lhando pela cidade de Anpolis, com muito planejamento e dedicao, frisou. O deputado federal Rubens Otoni tambm destacou essa ao conjunta e disse que Anpolis vive um novo momento. A Prefeitura tem agido de forma correta, bus-cando parcerias para solucionar os problemas, concluiu.

    Plano de Cargos para funcio-nalismo pblico

    Atendendo reivindicao dos servidores pblicos municipais de todas as categorias, o prefeito Antnio Gomide entregou no ms de novembro o Plano de Cargos, Salrios e Vencimentos Cmara Municipal. O ato aconteceu no ple-nrio do Legislativo e contou com a presena de 13 dos 15 vereadores, da presidente do Sindicato dos Profes-sores da Rede Municipal de Ensino, Jocilene das Neves, dos servidores do municpio e da imprensa.

    Na oportunidade, o presidente da Cmara Municipal, Srio Mi-

    Momento da assinatura do Plano de Cargos, Salrios e Vencimentos

    primeiro ano de gesto e estamos muito felizes com o cumprimento de mais essa etapa do nosso traba-lho, destacou.

    ReposioDe acordo com Antnio Go-

    mide, o Plano de Cargos, Salrios e Vencimentos foi dividido em Magistrio, Sade e Administra-o Direta, Fundaes e Autar-quias a fim de atender todos os 5.565 servidores efetivos, con-forme suas categorias. O prefeito afirmou que no haver reduo salarial e nem perda dos direitos adquiridos ao longo da carreira, mas sim uma reposio. Essas correes geraro um impacto de aproximadamente R$ 2 milhes mensais na folha de pagamento. So reposies salariais justas que deveriam ter sido feitas h anos, e que agora sero aplicadas corretamente, explicou. Dos 5.565 servidores efetivos, 2.892 so da administrao direta de fundaes e autarquias, 1.718 so professores e 995 so da sade. Os acrscimos sero gradativos e de acordo com os cargos e atribui-es dos funcionrios. Para um maior esclarecimento, Antnio Gomide usou como exemplo a administrao direta, as fundaes e autarquias que, segundo ele, dos 2.892 colaboradores, 506 tero aumento de 1 a 10%, 1.862 de 11 a 30%, e 524 acima de 30%. O prefeito tambm anunciou que o salrio base que antes era de R$ 394,79 passar para R$ 520,00, um valor acima do salrio mnimo que atualmente de R$ 465,00. Ne-nhum servidor pblico do munic-pio receber menos de R$ 520,00, assegurou Antnio Gomide.

    Anapolis

    14 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 15

  • 16 - Minha Cidade - 2009

    Melhorias para os trabalhadores da construo

    A indstria da construo passa por um bom momento, e isto benfico para todos. Dessa forma, contribuimos para melhorar o nosso quadro social, gerando empregos, renda e tributos. As aes do segmento no se limitam ao que lhe obrigao. Ultrapassamos as fronteiras do trabalho nos canteiros e investimos na qualidade de vida do colaborador e de sua famlia. As construtoras goianas contratam formalmente com registro em carteira, for-necimento de vale transporte, alimentao de qualidade, uniformes, Equipamentos de Proteo Individual (EPIs), assistncia mdica e odontolgica e lazer. Por meio de parceria com o Senai oferecemos vrios cursos, incluindo alfabetizao e capacita-o profissional e tambm desenvolvemos projetos de incluso digital.

    Atualmente, o trabalhador que ingressa no setor da construo tem todas as pos-sibilidades de aprimorar suas habilidades, expandir seus conhecimentos, contri-buindo para seu crescimento profissional. Reforando nossa contribuio social, o SINDUSCON- GO participa do Comit Permanente Regional (CPR), comisso tripartite que engloba representantes da empresas, dos trabalhadores e da Superin-tendncia Regional do Trabalho e Empre-go (SRTE), visando o estudo das Normas Regulamentadoras (NRs), voltadas para a sade e segurana do trabalhador.

    Constantemente, realizamos no Sin-dicato palestras e seminrios sobre sade e segurana no trabalho, visitas tcnicas s obras para falar sobre qualidade e ino-vao tecnolgica. Desejamos avanar e contribuir mais com o desenvolvimento de nossa cidade, contando sempre com o apoio da populao e da administrao pblica, que muito tem colaborado para o xito de nossas aes.

    D trabalho, mas com a unio de esforos dos governos federal, estadual e municipal e da iniciativa privada podemos melhorar o transporte pblico. Em recente viagem Europa, em que praticamente s me locomovi por transporte pblico (me-tr, trens urbanos e nibus), observei que o trnsito em Goinia tem soluo. Sabemos quantas vidas perdidas. Acidentes todos os dias, muito prejuzo material e humano. Temos que nos organizar, planejar e co-mear a investir na soluo.

    De imediato d para se fazer muito. Como exemplo, possivel a criao dos corredores preferenciais para os nibus (Av .T-9, Av. T-7, Av .85, Av. Mutiro etc.), proibindo-se o estacionamento ao longo dessas avenidas; informatizando a rede semafrica, (criando as ondas verdes ao longo destes eixos); priorizando os

    O trnsito de Goinia tem soluonibus que cumpririam o trajeto das viagens em menor tempo; disponi-bilizando informaes nas linhas e pontos de nibus, sobre seus trajetos e horrios.

    Todos esses investimentos, in-clusive o projeto do metr, podero ser feitos com o que gasto hoje, em subsdios ao Eixo Anhanguera (R$ 6 milhes/ms ou R$ 72 milhes/ano), que beneficia s uma parte da populao. Precisamos de melhoria no sistema virio, investimentos em novas vias, viadutos, eliminao de cruzamentos e concluso das obras do anel virio. Finalizar as Margi-nais Botafogo e Cascavel. Investir em campanhas educativas na TV informando e orientando em como proceder corretamente nas vias.

    Eng Roberto Elias de L. Fernandes

    Foto: Silvio Simes

    Em pouco mais de dois anos representando o empresariado do setor frente da presidncia do Sindicato da Indstria da Construo no Estado de Gois (SINDUSCON-GO), o engenheiro Roberto Elias de Lima Fernandes tem apresentado alternativas para a soluo de alguns problemas que afligem a populao goianiense, como o trnsito na Capital. Muitas dessas sugestes, endereadas s autoridades pblicas, foram acatadas ao longo desse perodo, provando que com dilogo democrtico entre atores sociais, todos ganham. A comunidade tem convivido com um Sindicato aberto e participativo, onde a transparncia a marca registrada de sua gesto. Acompanhem nesta pgina dois artigos opinativos assinados pelo presidente do SINDUSCON-GO e veiculados na mdia. Na pgina seguinte, conhea um pouco sobre a histria do Sindicato e algumas de suas aes de destaque.

    16 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 17

    SINDUSCON

    Algumas aes institucionais

    Fundada em 1948, o Sindicato da Indstria da Construo no Estado de Gois um dos cinco primeiros sindicatos patronais em solo goiano. Desde ento, o SINDUSCON vem participando ativa e decisivamente do desenvol-vimento estadual, destacando-se por iniciativas e acompanhamento das aes pertinentes ao setor da construo. Um mercado que tem evoludo progressivamente, e que nos ltimos anos destacou-se por sua caractersticas de dinamismo, viso empreendedora das empresas construtoras e de seus gestores. Nessa trajetria, adquiriu nvel crescente de exigncia que demanda um aprimoramento

    Sinnimo de trabalhoconstante e inin-terrupto, garan-tido pelo Siste-ma de Gesto da Qualidade, certi-ficado conforme a NBR ISO 9001, em maio de 2009.Representante le-gtimo da cate-goria econmica da construo, o S I N D U S C O N GO, dedica-se a promover a atividade em seus vrios segmentos: constru-o civil , construo pesada, de rede eltrica e de telefonia,

    montagens e estrutura, represen-tando atualmente 3.259 empresas, entre filiadas e associadas.

    Foto: Silvio Simes

    Sede do SINDUSCON-GO

    Banco de EmpregosO Sindicato mantm o Banco

    de Empregos da construo e os servios de captao e seleo de talentos, triagem de currculos, avaliao psicolgica indivi-dualizada, treinamentos e cursos, visando a formao de profissionais qualificados em seu quadro de colaboradores de maneira hbil e econmica.

    CooperconA cooperativa da Construo Civil do Estado de Gois uma unidade comercial, criada com total apoio do SINDUSCON-

    GO. Realiza a compra de insumos, equipamentos e servios no mercado nacional e internacional utilizando o potencial de compra conjunta de seus cooperados.

    Programa de Qualificao Profissional Aes integradas com o SENAI,

    universidades e entidades do setor da construo para a promoo de cursos, palestras e eventos tcnicos, inclusive os realizados nos canteiros de obras. Visando a formao, capacitao, qualifica-o e aperfeioamento profissional.

    SeconciO Servio Social da

    Indstria da Constru-o, Seconci-GO, foi fundado em 1991 para prestar atendimento mdico e odontolgico de qualidade, gratuitos aos colaboradores do setor da construo e seus dependentes, registrando-se uma mdia de 2 mil atendimentos por ms.

    Sede da Seconci

    2009 - Minha Cidade - 17

  • 18 - Minha Cidade - 2009

    Homenagem

    CA voz do povo

    om uma excelente impos-tao de voz e irrepreensvel dico, fala diretamente aos

    seus ouvintes numa linguagem que o coloca totalmente prximo deles. Assim, fornece prontamente a infor-mao primorosa, oferece servios de utilidade pblica e de interesse coleti-vo de maneira incessante do jeito que o povo gosta. O Secretrio de Comu-nicao do Governo, deputado licen-ciado Tlio Isac Carneiro (PSDB), um autodidata comunicador, nascido

    em Goiatuba, Gois no ano de 1963. Tlio iniciou a carreira profissional como office-boy na Rdio Goiatuba, conseguindo xito paulatinamente.

    Devido seu afinco, o tempo se encarregou de lev-lo a ser um dos mais prestigiados locutores do Estado de Gois. O comunicador atuou nas Rdios Caraj, Imprensa e So Fran-cisco na cidade de Anpolis, como diretor de equipe de Esportes e narrador esportivo. Militou tambm nessa rea na antiga Rdio K, hoje

    730 AM, nas Rdios Anhan-guera, Jornal, Brasil Central e Difusora, to-das em Goinia. Tulio Isac est licenciado desde abril de 2008, como secretrio extraordirio do Governo do Estado, quando assumiu a Agncia Goiana de Comunicao (Agecom).

    SolidariedadeO secretrio, que tambm

    radialista e deputado estadual iniciou a carreira poltica devido solicitao do senador Marconi Perillo. E foi eleito vereador com 7 mil votos no ano de 2003. filiado ao PSDB Partido da Social Democracia Brasileira, e durante toda sua trajetria seus projetos foram voltados princi-palmente para o bem estar da comunidade.

    Devido a uma adolescncia carente, o deputado por Goinia no mede esforos para concreti-zar milhares de sonhos e atenuar a angstia dos menos favorecidos. Enquanto conversava com Minha Cidade, o radialista citou uma frase que fecha esta especial homenagem, Nada de homens que produzem homens que agem como mqui-nas, nem to pouco, homens que fazem mquinas que agem como homens, conclui.

    Tulio Isac

    Na TV Brasil Central, Tlio Isac apresenta um dos maiores programas de auditrio da televiso do Centro-Oeste, denomina-do Cidade Esperana, que est completando 11 anos de muita aceitao do povo goianiense. Mais de 100 mil pessoas j tiveram sonhos realizados nesse programa, que de cursos de informtica at cirurgias de alto custo foram beneficiadas e tiveram seus pro-blemas solucionados.

    Cidade Esperana

    Apresentao durante o programa Cidade Esperana na TBC

    Fotos: divulgao

    18 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 19

    Homenagem

    CA voz do povo

    om uma excelente impos-tao de voz e irrepreensvel dico, fala diretamente aos

    seus ouvintes numa linguagem que o coloca totalmente prximo deles. Assim, fornece prontamente a infor-mao primorosa, oferece servios de utilidade pblica e de interesse coleti-vo de maneira incessante do jeito que o povo gosta. O Secretrio de Comu-nicao do Governo, deputado licen-ciado Tlio Isac Carneiro (PSDB), um autodidata comunicador, nascido

    em Goiatuba, Gois no ano de 1963. Tlio iniciou a carreira profissional como office-boy na Rdio Goiatuba, conseguindo xito paulatinamente.

    Devido seu afinco, o tempo se encarregou de lev-lo a ser um dos mais prestigiados locutores do Estado de Gois. O comunicador atuou nas Rdios Caraj, Imprensa e So Fran-cisco na cidade de Anpolis, como diretor de equipe de Esportes e narrador esportivo. Militou tambm nessa rea na antiga Rdio K, hoje

    730 AM, nas Rdios Anhan-guera, Jornal, Brasil Central e Difusora, to-das em Goinia. Tulio Isac est licenciado desde abril de 2008, como secretrio extraordirio do Governo do Estado, quando assumiu a Agncia Goiana de Comunicao (Agecom).

    SolidariedadeO secretrio, que tambm

    radialista e deputado estadual iniciou a carreira poltica devido solicitao do senador Marconi Perillo. E foi eleito vereador com 7 mil votos no ano de 2003. filiado ao PSDB Partido da Social Democracia Brasileira, e durante toda sua trajetria seus projetos foram voltados princi-palmente para o bem estar da comunidade.

    Devido a uma adolescncia carente, o deputado por Goinia no mede esforos para concreti-zar milhares de sonhos e atenuar a angstia dos menos favorecidos. Enquanto conversava com Minha Cidade, o radialista citou uma frase que fecha esta especial homenagem, Nada de homens que produzem homens que agem como mqui-nas, nem to pouco, homens que fazem mquinas que agem como homens, conclui.

    Tulio Isac

    Na TV Brasil Central, Tlio Isac apresenta um dos maiores programas de auditrio da televiso do Centro-Oeste, denomina-do Cidade Esperana, que est completando 11 anos de muita aceitao do povo goianiense. Mais de 100 mil pessoas j tiveram sonhos realizados nesse programa, que de cursos de informtica at cirurgias de alto custo foram beneficiadas e tiveram seus pro-blemas solucionados.

    Cidade Esperana

    Apresentao durante o programa Cidade Esperana na TBC

    Fotos: divulgao

    M

    Mercado ativo

    esmo tendo extraordin-rias condies, desde po-sio geogrfica ao avano

    da tecnologia, Gois sentiu os reflexos da crise financeira internacional. Para o presidente da Federao das Inds-trias de Gois (FIEG), Paulo Afonso Ferreira, o Estado apresenta resultados positivos no cenrio atual. Alm da aparncia de que o pior j passou, h tambm ampliao das expectativas para os prximos meses. A crise foi real, mas tivemos evolues consis-tente. Cresceram as vendas, ofertas de emprego e salrio, e isso tem garantido avano comparativamente ao ano anterior, disse o presidente.

    Uma pesquisa de indicadores industriais realizada pela FIEG, no segundo semestre 2009, confirmou o bom momento do setor industrial em Gois, que de forma gradual e positiva verificou-se uma reverso do quadro instalado ao final de 2008, no auge da crise. Na pesquisa foi registrado grande influncia do setor alimentcio,

    Gois aps a crisealcooleiro, de couros e seus derivados. Dentre os setores estudados pela FIEG, mveis e indstrias diversas apresentaram performance favorvel em relao ao ano passado, e com crescimento de 59,28% na compara-o dos sete primeiros meses de 2009, com igual perodo do ano anterior. Negativamente, verificou-se que as vendas das indstrias extrativas caram 41,87% em relao a 2008.

    EmpregoDe forma vagarosa, porm, con-

    sistente teve-se resultado positivo para o emprego industrial com crescimento de 0,92% nesses ltimos meses. Se-gundo a FIEG, Os resultados positi-vos do ano ainda no foram suficientes para reverter defasagem na compa-rao com 2008. Alguns segmentos apresentaram crescimento em relao ao ano passado, porm a predominn-cia de retrao moderada. Assim, de forma positiva, destacou-se a me-talrgica bsica com um avano de

    7,44% e, de forma contrria o setor de confeco apresentou retrao em seu contingente de mo de obra da ordem de 26,40%. Paulo Afonso ressalta, Para o momento, h de se manter o otimismo e o empreende-dorismo at mesmo porque a base produtiva local difere da de outros estados, conclui.

    Exportaes / ImportaesNos ltimos meses destacaram-

    se na pauta exportadora de Gois, produtos oriundos da soja (gros e leo), e tambm carnes bovinas e de frango, o ferronibio, acar e amianto. Nesse perodo, Gois aparece na 11 posio no ranking dos Estados exportadores brasileiros, atrs de Esprito Santo e frente de Mato Grosso do Sul. Os principais compradores dos produtos goianos foram China, Holanda, Rssia, Tai-lndia e Ir. Entre os produtos im-portados destacaram-se os autom-veis, partes e peas para automveis, anti-soros e produtos imunolgicos, insu-mos para medica-mentos, mquinas e equipamentos. Os locais de ori-gens das importa-es goianas foram Coria do Sul, Es-tados Unidos, Sua, Japo e Tailndia.

    O saldo da balana comercial goiana em setembro foi de US$ 45.762 milhes, sendo -17,82% menor que o do mesmo perodo de 2008. As exportaes somaram US$ 310.231 milhes, queda de -18,81% em relao ao ms anterior e queda de -11,68% em com-parao a setembro/2008. As vendas corresponderam a 2,24% das exportaes brasileiras. Os principais destinos foram: China, Holanda, Rssia, Tailndia e Ir. As importaes somaram US$ 264.469 milhes, sendo -1,76% menores em relao ao ms anterior, e 10,53% menor comparando-se a setembro/2008. As compras internacionais goianas corresponderam a 2,11% de todo o volume importado pelo Brasil.

    Saldo

    Paulo AfonsoPresidente da FIEG

    2009 - Minha Cidade - 19

  • 20 - Minha Cidade - 2009

    No comeo um choque principalmente quando a pessoa sabe que tem de tomar vrias injees de insulina por dia, e ainda ter de mudar/tro-car radicalmente os alimentos que outrora fazia parte de seu cardpio. A razo para tudo isso realmente preocupante: o diabetes. Uma das cinco maiores causas de morte no mundo, segundo a Federao Internacional de Diabetes, que estima, daqui a 20 anos, cerca de 380 milhes de pessoas ao redor do globo enfrentaro a doena, que no toa, uma das mais estudadas nos meios cientficos. A maneira de encarar e tratar o diabetes depende muito da estrutura, personalidade e disciplina de cada indivduo e para no entrar em desespero especialistas recomendam buscar um equilbrio no tratamento com exerccios, ali-mentao adequada e medicao para manter os nveis de glicose no sangue dentro da normalidade. O diabetes uma doena crnica que aparece quando o organismo no produz insulina suficiente ou no consegue us-la adequadamente para suprir suas necessidades. O motivo a alta taxa de glicemia encontrada no corpo. Entretanto, saber controlar a taxa de glicemia um grande estmulo para o gerenciamento fsico e mental do organismo, at porque, portadores de diabete podem ter uma qualida-de de sade altamente satisfatria.

    Muita gente pensa que o diabetes uma doen-a simples, um pro-bleminha banal de acar alto no san-gue. Infelizmente no bem assim. Segundo especia-listas, o diabetes uma disfuno que se no tratada e bem controlada acaba produ-zindo com o correr do tempo, leses graves e potencialmente fatais como infarto do miocrdio, derra-me cerebral, cegueira, impotncia sexual, nefropatia, lcera nas pernas e at amputaes de membros. Por outro lado, quando bem tratado e bem controlado todas essas compli-caes crnicas podem ser evitadas e o paciente diabtico pode ter uma vida perfeitamente normal.

    Para a Federao, a doena um dos problemas mais graves de sade pblica, pois responde por 40% das mortes por doenas cardiovas-culares, sendo a primeira causa de morte no mundo. No Brasil, ele atinge cerca de 10% das pessoas entre 30 e 69 anos, mas, apenas metade delas sabe que so portado-ras do distrbio. Em recente nota publicada pela Sociedade Brasileira do Diabetes (SDB), h em todo o planeta s nesse ano 285 milhes de pessoas com diabetes. Em 2030, caso essa progresso continue, sero 435 milhes de pessoas. Com esses

    Diagnstico/ TratamentoA Sociedade Brasileira de Dia-

    betes diz que o diagnstico feito por meio de avaliao dos nveis de glicose no exame de sangue e pelo exame de urina, chamado glicosria. O tratamento do paciente com dia-betes envolve pelos menos quatro as-pectos importantes e a alimentao ponto fundamental do tratamento. O objetivo auxiliar o indivduo a fazer mudanas em seus hbitos alimentares. A composio da dieta deve incluir 50 a 60% de carboidra-tos, 30% de gorduras e 10 a 15% de protenas. Os carboidratos devem ser preferencialmente complexos e ingeridos em 5 a 6 pores por dia. As gorduras devem incluir no mximo 10% de gorduras saturadas,

    dados real e verdadeira a impor-tncia que essa doena tem hoje em dia, tanto do ponto de vista social, cientfico e econmico.

    Diabetes

  • 2009 - Minha Cidade - 21

    Saudedos carboidratos. Mas, recomenda-se no exagerar na quantidade de frutas numa mesma refeio, lem-brando que elas tambm possuem um tipo de acar (frutose). E ainda, praticar exerccios fsicos, 30 minu-tos por dia, essencial para evitar a obesidade e melhorar a circulao dos vasos sanguneos.

    Cuidado com alimentos light. Eles podem conter acar. O ali-mento diet o alimento modificado em que um ingrediente substitudo por outro. Por exemplo, o acar pelo

    adoante (indicado para o diabtico). J o light o alimento que contm uma porcentagem menor de um ingrediente (por exemplo: gordura, acar) e nem sempre indicado para o diabtico. Refrigerante light contm acar. Evite o sal de cozinha e outros alimentos como: caldos de carne e frango em tabletes, sopas de pacote, maionese, molhos prontos, embutidos, queijo parmeso e fritu-ras no geral, pois, eles contm sdio que podem elevar a presso arterial.(Sociedade Brasileira do Diabetes (SDB)

    o que significa que devem ser evitadas carnes gordas,

    embutidos, frituras, laticnios integrais, molhos e cremes ricos

    em gorduras e alimentos refogados ou temperados com excesso de leo. As protenas devem corresponder a 0,8 a 1,0 g/kg de peso ideal por dia, o que corresponde em geral a 2 pores de carne/dia. Alm disso, a alimentao deve ser rica em fibras, vitaminas e sais minerais, o que ob-tido pelo consumo de 2 a 4 pores de frutas, 3 a 5 pores de hortalias e dando preferncia a alimentos integrais. O uso habitual de bebidas alcolicas no recomendvel. preciso tambm desenvolver a pr-tica regular de atividade fsica nem que seja apenas uma caminhada de 30 a 40 minutos. A orientao para o incio da prtica deve incluir uma avaliao mdica, no sentido de avaliar a presena de neuropatias ou de alteraes cardio-circulatrias que possam contra-indicar a ati-vidade fsica ou provocar riscos adicionais ao paciente.

    Preveno/ RecomendaoManter o peso normal praticar

    atividade fsica, no fumar, controlar a presso arterial e evitar medica-mentos que potencialmente possam agredir o pncreas (cortisona, diur-ticos tiazdicos), um timo comeo para quem se preocupa em manter o diabetes bem longe, j que est cientificamente comprovado que a doena reduz a expectativa de vida do paciente em at 7 anos. Alm disso, especialistas recomendam comer alimentos ricos em fibras: verduras e legumes (crus e cozidos) e frutas (com casca ou bagao), pois o contedo de fibras nos alimentos diminui a velocidade de absoro

    O diagnstico deve ser realizado em pacientes que apresentam os sintomas e sinais clssicos da doena como urinar muitas vezes de dia e noite, impotncia sexual, obesidade, sede excessiva, fome constante, cansao permanente, cicatrizao lenta de ferimentos e furnculos frequentes, formigamento ou ardor nas extremidades das mos ou dos ps, perda ou ganho de peso, infeces e cicatrizao difcil e infeces de pele, gengiva ou couro cabeludo entre outras, e ainda, presso arterial elevada.

    Diabetes Mellitus tipo I (palavra de origem latina que quer dizer mel ou adocicado): Causado pela destruio da clula beta do pncreas, em geral por decorrncia de doena auto-imune levando a deficincia absoluta de insulina. Aparece na maioria das vezes, antes dos 30 anos.

    Diabetes Mellitus tipo II: Provocado por um grau de resistncia ao da insulina associado a uma relativa deficincia de sua secre-o. O mais comum, que acomete mais de 90% dos diabticos est tambm associado aos maus hbitos de vida como a obesidade e o sedentarismo. Geralmente aparece em quem est acima dos 30 anos e evolui sem dar sinais de sua presena.

    Diabetes Gestacional: temporrio e ocorre no perodo da ges-tao, causado pelos hormnios da gravidez que aumentam a glicose no sangue e diminuem a ao da insulina.

    Diabetes Mody: A diabetes tipo MODY (Maturity-Onset Dia-betes of the Young) um subtipo da diabetes Mellitus caracterizado por manifestao precoce, em geral abaixo dos 25 anos de idade.

    Tipos de DiabetesFotos: Divulgao

    Sintomas

  • 22 - Minha Cidade - 2009

    A arte de comunicar

  • 2009 - Minha Cidade - 23

    Homenagem

    O

    A arte de comunicar

    secretrio de Comuni-cao da Prefeitura de Goinia, Lvio Luciano,

    ao longo de sua trajetria tem se destacado pela serenidade, compe-tncia incontestvel e capacidade nica de se comunicar. H dois anos e meio frente da SECOM, o tambm radialista, engenheiro e funcionrio pblico revela que trabalhar com o prefeito Iris Re-zende um desafio acompanhado de muita satisfao. uma honra que dignifica qualquer pessoa, pelo volume de aes que so empreen-didas em todas as reas, conta.

    Aes mais bsicas como na rea de infraestrutura, passando por aes na rea da educao, sa-de, aes sociais e meio ambiente, chegando a aes modernas como a instituio do programa Coleta Seletiva, que chega com o desafio

    de mudar a cultura do povo goia-no. O Programa d um banho de inculcamento desde a criana at o mais idoso, disse o secretrio. Segundo Lvio, algumas pessoas tem a conscincia de que a coleta feita apenas em cidades moder-nas, mas esclarece: Goinia a primeira capital brasileira a realizar a coleta seletiva em toda cidade, atingindo mais de 300 bairros. O Ttulo que Goinia possui de ser a cidade brasileira com me-lhor qualidade de vida do pas, uma prova do timo trabalho dessa administrao. Esse ttulo o reconhecimento do trabalho desempenhado pelo prefeito Iris Rezende, assinala Luciano.

    Atuante poltico desde 1992, o secretrio conta que iniciou sua carreira poltica na Rdio Uni-versal, atualmente Rdio Alian-

    a. Foi ainda, diretor geral da Organ i z a o das Volunt-rias de (OVG), de 1993-1994 e audi tor da Receita Esta-dual, alm de deputado pelo terceiro mandato. Como hobby, Lvio Luciano diz que gosta de ir ao cinema, igreja e passear com a famlia. No dispensa o futebol e uma boa leitura. O li-vro de cabeceira do radialista a obra evanglica Uma vida com propsito, do autor Rick War-ren. Esta Revista se engrandece em poder falar de to respeitado cidado que trabalha sempre pautado pela tica, compromisso e respeito ao prximo.

    Lvio Luciano

  • 24 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 25

  • 26 - Minha Cidade - 2009

    Pequeno campeogosto pela velocidade nasceu quando ele tinha apenas 5 anos, quando

    ganhou de presente um kart do padrinho e piloto Edson do Val-le. O pequeno campeo goiano da categoria Mirim, 9 anos, Joo Pedro Custdio (Dirio da Manh/DM TV/ Centro-Oeste Comunicao), h tempos vem mostrando o quanto determi-nado e dedicado ao que faz.

    Tmido, porm disciplinado e decidido, Joo Pedro coleciona mais de 70 trofus em apenas trs anos, desde sua primeira corrida. O pai Geovane Gonalves, um grande admirador e estimulador do filho. Apoiamos o Joo Pedro em tudo o que ele faz e, quando percebemos a vontade dele de competir, procuramos um trei-

    nador imediatamente. Encon-tramos o Miguel, um excelente profissional, o qual j trouxe benefcios impares carreira do Joo Pedro, diz Geovane, refe-rindo-se ao preparador de pilotos Miguel Oliveira, que cuidou da carreira de grandes campees do kartismo brasileiro.

    Enquanto Minha Cidade vi-sitava a casa de Joo Pedro, ficou claro o imenso cuidado com a alimentao do pequeno piloto, (j que o esporte exige uma boa preparao fsica). Joo Pedro no gosta de guloseimas, e opta sempre por frutas e alimentos saudveis. Na escola o rendimento de Joo Pedro 100%, e como toda crian-a, quando sobra um tempinho, no dispensa o vdeo game e a companhia dos amigos.

    O

    26 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 27

    Esporte

    Pequeno campeoKart uma variante

    de automobilismo. Mui-tas vezes so dirigidos por diverso como um hobby, sem necessariamente ser profissional. Normalmen-te reconhecido como a porta de entrada para outras formas de automo-bilismo, geralmente mais caros e mais complicados. So mundialmente co-nhecidos por moldarem pilotos de destaque em categorias internacionais, como Ayrton Senna, Alain Prost, Michael Schuma-cher e muitos outros.

    KartTtulos

    Em 2007, ano que iniciou sua carreira profissional, Joo Pedro es-treou conquistando o campeonato mineiro.

    Com melhor rendimento aps experincia adquirida, Joo Pedro leva a copa Codasur em seu segundo ano (2008)

    Na maior competio do Pas, Joo Pedro correu bem e ficou em segundo lugar no ano de 2008

    2009 foi o grande ano do piloto goiano que conquistou o Sul-Brasileiro de Kart no primeiro semestre, competio nacional

    No embalo das mais de 100 largadas completadas, o garoto se sagrou campeo goiano em 2009, com timos desempenhos na competio.

    Aps prova complicada que valia o ttulo de Centro- Oeste, Joo Pedro se garantiu na competio nacional e levou o vice do Distrito Federal.

    Para coroar o ano de muito trabalho, Joo Pedro conquistou a Copa Centro Oeste de Kart, com regularidade durante o ano.

    2009 - Minha Cidade - 27

  • 28 - Minha Cidade - 2009

    Servidor pblico em pauta

    esforo do homem em busca da valorizao de seu trabalho, da conquista

    de seus direitos e da defesa de seus interesses so elementos comuns no associativismo. Segundo his-toriadores esse esforo ficou mais evidente na Idade Mdia, quando surgiram as corporaes medievais na Itlia e depois se estenderam por toda a Europa. Nesse intuito, no ano de 1992, nascia no Estado de Gois a Federao das Entidades Sindicais dos Servidores Pblicos Municipais FESSPUMG, cuja finalidade principal garantir e ampliar os direitos de todos os ser-vidores pblicos.

    H 11 anos a FESSPUMG tem como presidente Mauro Zica Junior, que traz consigo a vasta experincia e o esprito batalhador de um autntico servidor pblico, o qual atua tambm como procu-

    rador II da Prefeitura Municipal de Goinia. Segundo Mauro Zica, a Federao congrega atualmente 113 sindicatos, o que equivale a 90% dos sindicatos existentes em Gois. E a todos, a FESSPUMG oferece apoio com estrutura e logstica para a con-solidao de suas filiadas e assessoria tcnica, e principalmente jurdica para de forma administrativa ou judicial resolver os problemas das entidades filiadas, como por exem-plo, registros nos cartrios civis, no Ministrio do Trabalho e nos Tribunais Superiores.

    Com essas prioridades a Fede-rao tem conseguido o reconheci-mento do Ministrio Pblico, prova disso, a conquista do estabeleci-mento da data base para reajuste do salrio do servidor pblico. O presidente diz que os desafios da Federao so muitos e a luta para venc-los diria. O desejo de

    melhores condies de trabalho almejado e partilhado por todos. Como sindicalista me sinto realiza-do em poder contribuir para a defesa e a conquista dos direitos da classe, conta o presidente, que em mais de 10 anos frente da Federao tem participado de diversos encontros e reunies com representantes de entidades nacionais e lideranas polticas.(foto abaixo).

    A FESSPUMG tambm pre-ocupada com a formao de seus dirigentes, por isso, promove anu-almente alguns seminrios de for-mao poltica e sindical e participa ainda, de seminrios nacionais e internacionais. Nos ltimos anos muitos sindicalistas goianos ligados a FESSPUMG, participaram de eventos nacionais e internacionais de interesse da categoria. Outros, participaram de eventos recentes reservados exclusivamente aos lde-res latino-americanos, na Venezuela, Repblica Dominicana, Cuba, Co-lmbia e Mxico.

    ProjetosAt o ano de 2011, quando ven-

    ce o mandato como presidente da FESSPUMG, segundo Mauro Zica, a Federao pretende implantar cer-ca de 87 novos sindicatos nas cidades do interior de Gois. A Federao das Entidades Sindicais dos Servidores Pblicos Municipais de Gois, possui sede prpria na capital goiana, e filiada a Confederao dos Servidores pblicos do Brasil. Ministro do Trabalho Carlos Lupi e Mauro Zica

    Durante evento em Braslia, Senador Cristovam Buarque(PDT), troca ideias com Mauro Zica

    O

    Fotos: arquivo pessoal

  • 2009 - Minha Cidade - 29

    fesspumg

    Por uma causa nobreomprometido pelo seu idealismo, tendo sua vida sindical marcada

    pela combatividade, compa-nheirismo, independncia e pelo seu posicionamento intransigen-te em defesa de sua categoria, ou seja, os Servidores Pblicos Municipais no Estado de Gois, o presidente da Federao das

    Entidades Sindicais dos Servidores Pblicos Municipais FESSPU-MG, e procurador II da Prefeitura Municipal de Goinia, Mauro Zica Junior, tem se mostrado um dos maiores e mais influentes sindica-listas da histria de Gois. Goiano de Itabera, o presidente, h tempos vem se destacando pelo esprito pblico e pelas batalhas constantes em favor dos direitos dos servidores pblicos municipais.

    Prova disso, so as constantes participaes da categoria em even-tos que objetivam fortalecer e apoiar a classe dos servidores pblicos. Importante lembrar que os funcio-nrios e a diretoria da FESSPUMG reuniram-se com presidentes e fun-cionrios de Sindicatos Filiados, e participaram da 6 Marcha da Classe Trabalhadora, realizada em Braslia, no incio do ms de novembro. A iniciativa tinha como propsito o pedido de reduo da jornada de trabalho para 40 horas semanais.

    PerfilEntre mltiplas funes,

    Mauro Zica atua tambm como advogado, vice-pre-sidente do Sindicato dos Servidores Pblicos Muni-cipais de Goinia - SINDI-

    GOINIA; Secretrio Execu-tivo do Sistema Confederativo de Representao Sindical dos Servidores Pblicos do Brasil - SICOSERV; diretor Financeiro da Unio Internacional de Ser-vidores Pblicos, - UIS (Central Mundial de Representao dos Servidores Pblicos, com sede em Bruxelas (Blgica); Secre-trio Executivo para o Cone Sul dos Servidores Municipais da Central Latino Americana de Trabalhadores no Servio Pblicos - CLATSEP; membro da Delegao Oficial Brasileira de Representao dos Trabalha-dores na Reunio Anual da Or-ganizao Mundial do Trabalho, - OIT, em Genebra na Sua.

    casado com a engenheira agrcola Sandra Zica e, pai de Mauro Neto, acadmico de Direito e empresrio, e de Ana Tereza Zica, estudante de me-dicina. O presidente tambm Conselheiro do Atltico Clube Goianiense, tendo ocupado no ano de 2007, ano em que o Atltico foi campeo Goiano, o cargo de diretor financeiro e a partir de 2009 o cargo de diretor de marketing. Zica ainda, fan-tico torcedor do Atltico.

    C

  • 30 - Minha Cidade - 2009

    C

    graer

    Segurana que vem do alto

    ontrole emocional, prepa-rao fsica e capacidade de lidar com situaes

    adversas so caractersticas im-prescindveis num oficial da Pol-cia. Apesar dos riscos, a profisso atrai milhares de pessoas. Muitos dedicam a vida inteira a servir a sociedade, outros idealizam apenas conquistar status dentro do unifor-me. Mas, apenas fantasiam, pois, a profisso requer esprito pblico e intensa abnegao, sacrificando o que h de egostico nos desejos e tendncias prprias a favor de um indivduo, causa ou ideia. Assim a vida de milhares de homens e uma minoria de corajosas mu-lheres que buscam servir ao pas, numa nica misso: preservar a ordem pblica e proteger a vida.

    Nessa misso, h no Estado de Gois o Grupo de Radiopatrulha Area da Polcia Militar (GRAer), que trabalha integrada ao Corpo de Bombeiros e a Polcia Civil. O GRAer comandado pelo piloto e tenente-coronel da PM, Mauro Douglas Ribeiro. A Unidade ope-racional especializada da PM res-ponsvel pelo radiopatrulhamento areo com emprego de helicpteros em apoio aos diversos segmentos e atividades desenvolvidas pela PM em todo o Estado. Segundo o co-mandante Mauro Douglas o aten-

    dimento de ocorrncias policiais, o socorro e as aes de defesa civil esto sendo reforados com a recente aquisio de trs helicpteros para as polcias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, totalizando oito ae-ronaves. Um investimento de cerca de 15 milhes, feito pelo Estado de Gois. O trabalho do GRAer representa agilidade e flexibilidade, sendo altamente eficaz no desempe-nho das operaes de carter tanto preventivo, quanto repressivo, essas aeronaves reforaro nosso traba-lho, enfatiza o coronel.

    O Graer atua interligado no apoio ao policiamento ostensivo em geral, policiamento de trnsito urbano, rodovirio, ambiental, operaes de choque e de bombei-ros militares e ainda na defesa civil. Para o subcomandante Milton Antonio Ananias, os criminosos e consequentemente os crimes esto cada dia mais evoludos e sofisti-cados em suas atuaes delituosas.

    Diante da realidade s nos resta buscar a modernizao tecnolgica dos equipamentos e o constante aperfeioamento dos agentes no

    intuito de dar respostas efeti-vas e rpidas sociedade, adianta Ananias.

    O tripulante Balta-zar Esteves de Oliveira, 47, atua na profisso h

    26 anos. Em sua trajet-ria, atuou no exrcito do Rio de Janeiro e tambm fez cursos de aes tticas na SWAT (Unidade de Armas e Tticas Especiais), na Flrida - EUA. Para Esteves ser policial um sacerdcio. Aquele que no tm vocao/aptido para a carreira, jamais deve se aventurar to somente procura de um em-prego, pois, o ofcio expe a riscos duplos de acidente e fatalidades, alerta o agente. Dentro de quatro anos, Esteves estar aposentado. Feliz, ele comenta, Gosto do que fao e se fosse preciso faria tudo igual, e seria PM outra vez.

    Ainda de acordo com o coman-dante Mauro Douglas, o atendi-mento feito por um helicptero corresponde ao trabalho de 35 viaturas, levando em conta que o alcance maior e o atendimento mais gil. O contato da populao com o GRAer pode ser realizado por meio do 190 (Copom) ou di-reto na base do grupo em Goinia pelo fone 3201- 1696.

    Subcomandante Milton Ananias (esq.), com integrantes do GraerComandante Douglas

    Fotos: Alessandro Di Carlo

  • 2009 - Minha Cidade - 31

    A histria do Restaurante Bei-ra Mar se iniciou h 5 anos, e vem se consolidando como um dos mais frequentados Restaurantes da capital goiana.

    Diariamente o buf oferece um cardpio diferenciado onde o cliente pode se deliciar com mais de 80 variedades de pratos quen-tes e frios, churrascos em mais de 100 cortes de carnes. Entre os pratos uma grande opo de fru-tos do mar, destacando-se o bob de camaro. Na quarta-feira e aos sbados servida feijoada carioca,

    as quintas, um sushiman prepara iguarias japonesas na hora.

    A razo do grande sucesso da Casa est ligada desde o primei-ro momento paixo da famlia Garrote pela culinria. Ronimar, diretor administrativo do Restauran-te passou vrios anos nos Estados Unidos envolvido com a arte gas-tronmica, retornando Goinia um verdadeiro Chef. Atualmente, o restaurante recebe centenas de pessoas diariamente. E em breve o Restaurante Beira Mar ter uma grande novidade. Aguarde !Ronimar Garrote diretor administrativo do Restaurante Beira Mar

    Nossa Histria

  • 32 - Minha Cidade - 2009

    O

    Henrique Tibrcio o novo presidente da OAB

    advogado goiano tem um novo representante para dirigir a OAB - GO nos

    prximos trs anos. Eleito no ms de novembro para a Ordem dos Advogados do Brasil, seo Gois (OAB-GO), Henrique Tibrcio foi escolhido pela maioria com 40,69% dos votos vlidos. Henrique o presidente mais jovem, eleito para comandar a OAB-GO, porm, com toda jovialidade da idade possui a experincia de quem j vivenciou desafios na Ordem como secretrio geral e vice-presidente. Advogado por vocao, milita no movimento classista h nove anos. Durante a campanha, Henrique Tibrcio abriu mo da companhia da famlia para se dedicar causa da advocacia e visitou as 38 subsees, receben-do o apoio indito dos 38 presi-dentes de subseo e mais centenas de apoios tambm declarados de advogados, presidentes de entidades e dos colegas de Ordem.

    Nesse tempo, Henrique no se cansou de dizer que ser presidente da OAB-GO requer dedicao. Em entrevista a Minha Cidade, o presidente reforou: Estou pronto para defender os interesses dos advogados, as prerrogativas, fortalecer o exerccio profissional e tornar a profisso menos penosa com aes da Ordem para reduzir os custos dos escritrios. Quero convidar todos os advogados(as) goianos para conhecer a Ordem

    de perto, interagir e trocar infor-maes. Queremos a participao efetiva de todos os advogados(as), afinal, o interesse maior da ad-vocacia, da instituio, enfatizou o presidente. Henrique se mostrou estar preparado, (embora todos os candidatos sejam brilhantes profissionais), bem articulado e pronto para fazer a diferena com

    OAB

    sua competncia, cultura e expe-rincias bem dosadas.

    Para o presidente, as gestes do movimento OAB Forte frente da OAB-GO dotaram a seccional da advocacia em Gois de uma ampla estrutura fsica e de servios. Agora chegou a vez do grande investimen-to no profissional, sem esquecer os demais benefcios.

    Henrique Tibrcio tem 41 anos de idade, casado, pai de dois filhos e advogado desde 1993. militante classista desde 2001, j tendo exercido a Secreta-ria Geral e a Vice-presidncia da OAB-GO. Na Escola Superior da Advocacia (ESA-GO) profe-riu inmeras palestras, tanto em Goinia como nas subsees com enfoque tambm voltado para os advogados e advogadas em incio de carreira, visando sua insero no mercado de trabalho.

    O presidente faz parte de uma famlia com total dedicao advocacia. Seu pai, Walquires Tibrcio, atua na rea desde o incio da dcada de 1970. Sua esposa, Vanessa Tibrcio, advoga desde o incio da dcada de 1990. Seu Irmo, Fernando Tibrcio Pea, atualmente advogando em Braslia, atuou em Gois por mais

    de 15 anos. Henrique se destaca na compreenso das necessidades di-rias do advogado goiano. Elaborou e coordenou a campanha em prol da valorizao dos honorrios de su-cumbncia, que vai beneficiar todos os advogados brasileiros.

    Perfil do presidente

    Foto: Ascom OAB

    Presidente da OAB-Gois Henrique Tibrcio

  • 2009 - Minha Cidade - 33

    Turismo

    primeira etapa para a libe-rao de R$ 236 milhes pelo Banco Interameri-

    cano de Desenvolvimento (BID) j foi cumprida. Uma misso do BID esteve em Gois, no ms de novembro para avaliar as regies tursticas do Estado. O dinheiro ser investido em 22 dos 49 muni-cpios indutores do turismo goiano, sob administrao do Programa de Desenvolvimento do Turismo Na-cional Gois (Produtor Nacional Gois), vinculado Agncia Goiana de Turismo (Gois Turismo).

    Os projetos tem prazo total de execuo de quatro anos. Os integrantes da misso do BID chegaram capital goiana com o objetivo de aprovar os Planos de Desenvolvimento Integrado do

    Turismo Sustentvel (PDITS). O grupo de avaliaes dos planos formado, tambm, por membros do Ministrio do Turismo, Gois Turismo, Fundao Getlio Vargas (FGV), secretrios e deputados estaduais. H quase duas dcadas sendo gestado, a primeira vez que o Prodetur Nacional Gois consolida investimentos.

    O objetivo do programa a melhoria na qualidade de vida da populao residente nas reas de sua atuao. Especificamente, ele intenciona o aumento das receitas provenientes das atividades tursticas e a capacitao gerencial para os 22 municpios, que sero beneficiados com obras de infraestrutura como saneamento bsico, pavimentao asfltica, iluminao pblica e sinali-zao turstica. Apesar de a economia se concentrar mais nos setores agro-pecurio e industrial, o turismo vem assumindo um papel crescente.

    O Estado, que j foi tipicamente emissivo de turistas, recebe hoje cerca de 3,4% do turismo domstico nacional e registrou um aumento de 50% no turismo receptivo entre 2001 e 2006, conforme dados do Ministrio do Turismo. Alm disso, houve um aumento muito significa-tivo no nmero de empreendimen-tos tursticos formais entre 2003 e 2005, cerca de 300%. Destes, mais de 23% esto regularizados no Mi-

    nistrio do Turismo. Em 2007, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econmica Aplicada (Ipea), Gois possua 24.291 empregos formais na atividade. Esse nmero corresponde a 39% do total de empregos formais da Regio Centro-Oeste e 3% de empregos formais na atividade tu-rstica no Brasil.

    A frente da Agncia Estadual de Turismo - Gois Turismo, Sebastio Augusto Barbosa Neto tem trabalhado juntamente com as entidades parceiras, para o for-talecimento e desenvolvimento dos municpios tursticos goia-nos, na diversificao da oferta de novos produtos tursticos e na divulgao de Gois nos mercados nacional e internacio-nal. Criada em 1999, a Agncia Estadual de Turismo Gois Turismo tem por finalidade pla-nejar, coordenar e fomentar as aes do turismo, objetivando a sua expanso e a divulgao do potencial turstico do Estado.

    Antes de assumir a Gois Tu-rismo, foi vereador (1989/1991) e deputado estadual por Gois (1991/1994). Foi deputado fede-ral nos mandatos de l995/1999, 1999/2003 e 2003/2007. Na Cmara Federal, ocupou de 2001 a 2003 os cargos de segun-do vice-presidente e corregedor. Candidatou-se ao Governo do Estado de Gois, em 2006, pela coligao Gois na Frente. (Gois Turismo)

    Gois Turismo

    A

    Foto: Ascom Gois Turismo

    Barbosa Neto - Presidente da Gois Turismo

    Henrique Tibrcio o novo presidente da OAB

    Presidente da OAB-Gois Henrique Tibrcio

  • 34 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 35

  • 36 - Minha Cidade - 2009

    A convite do empresrio Jos Vitti, diretor presidente do Grupo Vitti, pool de empresas formado por Goiasfiller Minerao Ltda., Goiascal Minerao e Calcrio Ltda., e ZV Agropecuria e Participaes Ltda., a Revista Minha Cidade esteve na cidade de Palmeiras de Gois, para conhecer um projeto de responsabilidade social que tem transformado a vida da comunidade local

    om terra frtil e grande potencial agroindustrial a pacata e acolhedora cidade

    de 22 mil habitantes localizada na Regio do Vale do Rio dos Bois, tem experimentado nos ltimos anos um acelerado desenvolvi-mento econmico, despontando como um dos 15 municpios mais competitivos do Estado. Segundo Jos Vitti, empresas importantes como o Frigorfico Minerva e a Pif Paf Alimentos, se estabeleceram no municpio graas ao esforo po-ltico empreendido pelo Senador Marconi Perillo. Diversificando as atividades econmicas, oferecendo perspectivas de trabalho para os moradores e ao mesmo tempo, a necessidade de maior capacitao profissional dos trabalhadores.

    Apesar de a cidade contar com uma unidade da Universidade Es-tadual de Gois (UEG), inaugura-da pelo ento governador Marconi Perillo, Jos Antnio Vitti, vis-lumbrou a necessidade de tornar realidade um sonho antigo de seu pai, criando o Instituto Jos Vitti,

    objetivando capacitar pessoas para o mercado de trabalho, oferecen-do-lhes alternativas de renda. Dia-riamente, a sede do Instituto est repleta de pessoas a procura dos cursos oferecidos pela organizao no-governamental, mantida pelo Grupo Vitti, e os resultados so impressionantes. Jos Vitti observa que o local tornou-se um espao referncia, nico na cidade em que

    Grupo Vitti, transfor mando vidas

    crianas, adolescentes e pessoas da melhor idade compartilham idias, conhecimentos e vivncias. gra-tificante ver a alegria e a satisfao das pessoas em terem a oportu-nidade de participar de cursos de computao, de cabeleireiro, artesanato, garom, fabricao de biscuit, tapetes, serigrafia, croch, violo, dana, e ainda, ingls para crianas, entre outros.

    Na entrega de certificados: auditrio lotado

    C

    Curso de fabricao de tapete

  • 2009 - Minha Cidade - 37

    Instituto Jose VittI

    Grupo Vitti, transfor mando vidasO Grupo Vitti tambm

    apoia outros projetos atravs do Instituto Jos Vitti. Entre eles, o programa de Rdio Gente que Ajuda Gente, idealizado pelo ra-dialista e vereador Vando Vitor, e apresentado na Rdio Palmeiras (88,9 FM), de segunda a sbado, das 10h s 11h. No programa, a comunidade se sensibiliza com histrias de vida de pessoas menos favorecidas e ajuda seus semelhantes a realizarem seus sonhos. Vando Vitor destaca que com a parceria foi possvel retomar o programa, parado h 3 anos, vez que o Instituto Jos Vitti arca com o espao na rdio e ainda oferece toda a logstica de transporte e armazenamento dos objetos doados.

    Outro projeto apoiado a Campanha Juventude Sem l-cool, desenvolvida pelos Agentes

    Juventude sem lcoolde Proteo Voluntrios do Juizado da Infncia e Juventude de Goinia, visando conscientizar os jovens a respeito dos malefcios causados pelo lcool, cigarro e drogas ilcitas. O projeto que est em sua 7 edio foi lanado no ltimo dia 05 pelo Juiz da Infncia e Juventude de Goinia, Maurcio Porfrio Rosa, e contou com a participao de 250 agentes de proteo distribuindo panfletos informativos. Na ocasio, Jos Vitti que Agente de Proteo Voluntrio h 10 anos, destacou a importncia do apoio dos empres-rios a campanhas dessa magnitude. Segundo o empresrio importante sensibilizar a comunidade quanto aos efeitos devastadores do uso de lcool, e sua contribuio direta na incidncia de atos infracionais por adolescentes, e como principal fomentador e gerador de violncia em mbito familiar.

    Fotos: Grupo Vitti

    Jos Vitti em entrevista no lanamento da campanha Juventude Sem lcoolRadialista Vando Vitor e Jos Antnio Vitti

    2009 - Minha Cidade - 37

  • 38 - Minha Cidade - 2009

    Homenagem

    HGarganta de ouro

    alguns anos Edson Rodri-gues considerado o prin-cipal narrador esportivo do

    Centro Oeste brasileiro. Talento nato que ocupa diariamente o microfone da Rdio 730 AM, de Goinia (GO). Mineiro da cidade de Araguari (MG), sua voz j foi ouvida nas cidades de Araguari, Uberlndia, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Anpolis e Distrito Federal. Edson passou pela Rdio Anhanguera, Rdio Clube, Rdio Jornal, Difusora, Brasil Central e atu-almente na Rdio 730, AM, outrora Rdio K do Brasil. Casado com a professora aposentada e bacharela em Direito, Leila Ribeiro da Silva, aos 66 anos de histria ele divide seu tempo entre o trabalho, a famlia e a chcara, lugar de descanso prximo a Goinia. Criado numa famlia humilde, o pe-

    rito locutor contou a Minha Cidadeque o gosto pela locuo aconteceu quase por acaso e que o timbre de voz foi apreciado desde o primeiro contato com o microfone. Prova disso, que em sua trajetria pro-fissional, conquistou diversos ttulos como narrador, sendo que no ano de 1960, recebeu o 1 Diploma de Eficincia Desportiva como melhor locutor. Edson Rodrigues foi uma das 16 personalidades mais importantes da histria de Araguari, eleitas para receber o Trofu Gazeta do Tringulo Mineiro. Em um cantinho reserva-do na sala de seu nobre apto, esto expostos mais de 30 diplomas de melhor locutor esportivo.

    O Homenageado diz, que se sente realizado pelo trabalho que desempe-nha. Sou muito feliz com o trabalho

    que escolhi, e o fao diariamen-te com muito amor. Edson Rodrigues mi-lita na crnica esportiva h mais de 45 anos ininterruptos, tendo mostra-do seu talento em trs copas do mundo: Em 1970, no Mxico; 1990, na Itlia; e 1998, na Frana.

    tica, criatividade e profissio-nalismo fazem parte do cotidiano desse mineiro de corao goiano, que com estilo prprio sem dvida um ser humano notvel, o qual faz jus a essa homenagem. Um fenmeno com de voz de ouro do rdio esportivo brasileiro.

    Edson Rodrigues

  • 2009 - Minha Cidade - 39

    Garganta de ouro

  • 40 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 41

  • 42 - Minha Cidade - 2009

    Homenagem

    DTradio e modernidade

    esde o ano de 1986, Lu-ciano de Castro Carneiro destina seus conhecimentos

    ao aprimoramento na rea de hotela-ria na cidade de Goinia. Nascido na capital, Luciano iniciou no segmento de hotelaria ao adquirir o Hotel Ita-jub em 1986. Desde ento, focaliza seu trabalho no turismo de negcios, principalmente do interior. Formado em Administrao, o empresrio sempre defendeu a categoria buscan-do investimentos para a rede hoteleira da regio centro-oeste e foi dessa forma que ingressou na Associao Brasileira da Indstria de Hotis-Gois (ABIH-GO), em 1987. Logo, tornou-se presidente da entidade de 1996 a 2004. Atualmente, o empre-srio faz parte da ABIH nacional, como diretor da regio centro-oeste e,

    trabalha com afinco na divulgao da regio, suas riquezas, seu patrimnio histrico e cidades tursticas.

    Preocupado em oferecer bom atendimento, Luciano sempre acom-panhou as novidades da rea. O empresrio da rede hoteleira tambm precisa fazer turismo, viajar e interagir com outros investidores, e aprender a fidelizar o cliente que vem de fora do estado e at do pas, aconselha o empresrio. Em 1996, Luciano inau-gurou um novo empreendimento: o Hotel Rio Vermelho. Com excelente localizao situa-se a 3 Km da Ro-doviria, 6 Km do Aeroporto e a 6 quadras do Centro de Convenes, bem no centro da capital goiana. Em mais de duas dcadas, Luciano j hospedou personalidades do mundo artstico e empresarial, como o ator

    Ded Santana, integrante dos Trapalhes, a cantora Ma-r i a A lc inda e, tambm o ex-presidente da ABIH na-cional, Eraldo Alves da Cruz. Para 2010, o empresrio pretende ampliar o nmero de apartamentos em seus hotis, e assim oferecer mais comodi-dade aos seus clientes. Paralelamente ao trabalho e a famlia, Castro tem como hobby jogar peteca, prova disso que em uma de suas salas h vrios trofus de campeo de peteca, ao lado de outros trofus de melhor hoteleiro do ano.

    Luciano de Castro

  • 2009 - Minha Cidade - 43

    Educar para preservar

    A

    ATITUDE SUSTENTAVEL

    Antonio Meneghello

    humanidade se encontra em um momento de de-finio histrica. A dis-

    paridade entre as naes e o agra-vamento da pobreza, da fome, das doenas e do analfabetismo, com deteriorao contnua do ecossiste-ma, do qual, depende nosso bem-estar, leva todos ns a refletir sobre a responsabilidade com a preservao do meio ambiente. Muito se fala do Protocolo de Kyoto, instrumento internacional e da Conferncia das Naes Unidas sobre o Meio Am-biente e Desenvolvimento a ECO-92, que resultou em uma srie de convenes, acordos e protocolos, mas, que at agora em nossa modes-ta avaliao, no levou a nenhum resultado prtico para estabilizar ou reverter esse quadro.

    Por essas razes o que ns Rota-rianos membros da instituio cen-tenria, Rotary Internacional, te-mos realizados ou estamos levando a cabo, no que se refere preservao do meio ambiente e principalmen-

    te dos recursos hdricos, to importantes para a huma-nidade? Em 1 de julho de 1990 tomou

    posse nessa ins-tituio, Paulo Veriato Correia da Costa, o ter-ceiro e ltimo

    presidente brasileiro em assumir esse cargo. Em seu mandato, Paulo lanou um programa e um grande desafio a todos os rotarianos do mundo, Pre-serve o Planeta Terra. Esse tema foi e ainda , uma de nossas principais bandeiras. Cerca de 1.500 projetos foram desenvolvidos ou esto em andamento no mundo afora. Certa vez, questionado como poderia solucionar esse problema, Paulo respondeu: So imensas, difceis, caras e extremamente desafiantes as solues tcnico-polticas para en-frentar esses problemas. No entanto, o Rotary pode cooperar oficialmente com meios bsicos, motivando os 1.200.000 mil rotarianos, acionando-os e direcionando-os em duas aes bsicas: conscientizao ambiental e educao ambiental. A mdio e longo prazos ambas sero sem dvida muito oportunas e efetivas.

    Sendo o Rotary a maior organi-zao no governamental sem fins lucrativos, dedicada prestao de servio no mundo, renovamos o propsito de dedicar comuni-dade onde atuamos a orientar e participar ativamente em prol da racionalizao do uso dos recursos naturais e preservao do meio am-biente. Por essas razes, eis alguns exemplos prticos da nossa regio: a maioria dos prefeitos dos grandes centros, vem se organizando para instalar a coleta seletiva de lixo em seu municpio, mas se no houver uma conscientizao e boa vontade

    da populao em colaborar, essa brilhante iniciativa no se tornar realidade. Em cidades do interior do Estado de Gois, alguns prefeitos tentam colaborar com a preservao do meio ambiente principalmente em rios que passam prximos de suas comunidades, mas, isso s ser possvel se houver uma parceria administrativa das prefeituras com a colaborao da populao, pois as guas dos rios que passam por uma cidade continuam passando por todas as outras que o margeiam.

    Outro fato relevante com relao aos rios, crregos e riachos so as matas ciliares que no so preser-vadas pelos proprietrios das terras prximas a esses mananciais. Esse outro crime ambiental. Os mora-dores que jogam o lixo no leito dos rios contribuem para a poluio e destruio do mesmo. O desperdcio de gua uma calamidade pblica. Temos que nos conscientizar, pois, as fontes so sempre as mesmas, no entanto, a populao aumenta a cada dia. Enfim, sustentabilidade ambien-tal um assunto que deve ser colo-cado em discusso diuturnamente, e no deveria sair do meio familiar, da roda de amigos, ambiente de trabalho e escolar, ou seja em todas as oportunidades, pois, temos que preservar o Planeta Terra.

    Antonio Meneghello Presidente do Rotary de Goinia 24 de Outubro.

  • 44 - Minha Cidade - 2009

    A ONG Mais Ao mostrou recentemente a grandio-sidade do projeto Circo Itinerante, o qual, a partir de 2010 far parte do meio artstico-cultural de Goinia. Com a passagem do es-petculo teatral Ave Rua, Chapu e Gargalhadas, que o Circo Alm da Lona, trouxe diretamente da cidade de So Paulo, para uma nica apre-

    sentao, e proporcionou ao pblico momentos de alegria, descontrao e fantasia. A iniciativa tem por objetivo celebrar e incentivar as manifestaes artstico-culturais, bem como propiciar momentos de interao entre a sociedade e o mundo da arte circense.

    O Projeto Circo Itinerante est includo nas diversas aes da

    ONG Mais Ao, presidida pelo ex-deputado por Goinia, Leandro Sena. Segundo o presidente, esse mais um projeto que prope levar diverso aliada ao conhecimento, quelas pessoas que no tem opor-tunidade de assistir um espetculo teatral. A ONG est com diversos projetos voltados para arte, cultura e meio ambiente. O projeto Circo Itinerante levar apresentaes diversas, gratuitamente, todos os meses a vrios bairros de Goinia. O Circo Alm da Lona veio para concretizar o incio desses projetos, adiantou Sena.

    Os espetculos sero apresen-tados em locais pblicos, para que pessoas de todas as idades possam ter acesso. O espetculo Ave Rua, Chapu e Gargalhadas, envolve em seu repertrio no somente acrobacias, mas, mostra tambm a poesia e o lirismo do maravilhoso mundo do circo. A ONG mais Ao, juntamente com seus par-ceiros e voluntrios acreditam que o patrimnio histrico e cultural um bem, uma riqueza da humani-dade e que preserv-lo assegurar a identidade de um povo. Como parceiros na execuo do projeto, a ONG conta com o apoio do gover-no e tambm da iniciativa privada e do terceiro setor.

    Circo Alm da LonaO Circo Alm da Lona est

    completando seis anos de trajetria,

    Cultura itinerante

    44 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 45

    Lies de sustentabilidade

    e formado por cinco integrantes: Christian Mathias, Valdir Senho-rinho, Denilson Gomes, Wilson Jnior e Nathalia Simionato. O grupo desenvolve em seu repertrio a linguagem circense manifestada nos nmeros de malabarismos, acro-bacias, pirofagia (performance com fogo), monociclo, pernas de pau, equilbrio e reprises de palhaos. So espetculos incrveis, apresentados em espaos alternativos, gratuita-mente. Fora do picadeiro, entre as praas, os artistas impressionam a todos com cenas de ilusionismo extraordinrio e, como no poderia deixar de existir, o palhao que entra e descontrai a platia com suas gags inusitadas utilizando em seu reper-trio as reprises tradicionais cmicas do universo circense.

    O Circo j passou por diver-sas cidades brasileiras, entre elas: Maranho, Rio Grande do Norte e Cear. Para Christian Mathias, fundador do Circo Alm da Lona, preciso incentivar a cultura em espaos alternativos, tendo assim

    uma maior proximidade com as pessoas. Por serem espetculos em espaos pblicos, conseguimos atrair maior nmero de pessoas e no somente crianas, mas tambm pessoas de todas as idades compa-recem e vibram juntos. Isso o que nos impulsiona, e nos motiva a trabalhar cada vez mais, relata o artista. Christian conclui dizendo ser uma honra mostrar o espetculo aos goianos. Conheci Goinia em 1998, com a apresentao do espe-tculo A Mala dos Mamulengos, e desde ento me apaixonei pela cidade e pelo seu povo.

    A sonoridade harmnica do acordeo, vinda das mos de Na-thalia Simionato, a nica mulher do grupo, completa a magia do es-petculo. No entanto, para chegar a tal resultado foram necessrios muitos anos de estudos, treinos exaustivos e disciplina. Os artistas s visitam a famlia nos festejos de fim de ano e periodicamente os jovens entre 20 e 33 anos, se encontram para ensaiar.

    ONG+ACAO

    Cultura itinerante Entre as apresentaes lies de sustentabilidade sero repassadas ao pblico de forma descontrada. O nmero desempenhado com copos cheios dagua, ao mesmo tempo em que os artistas falam da importncia da preservao da gua para a humanidade. A ideia de falar sobre meio ambiente nasceu aps o fundador do grupo, Christian Mathias, ter visitado a Amaznia. Vi a necessida-de de abordar o assunto e de forma ldica transformar as crianas em multiplicadores da ideia, disse Mathias.

    Populares assistem a apresentao do espetculo Ave, Rua, Chapu e Gargalhadas

    Fotos: Diva Ribeiro

    Leandro Sena(centro) com artistas e populares aps o espetculo

    Foto: Circo Alm da Lona

    Foto: Circo Alm da Lona

    2009 - Minha Cidade - 45

  • 46 - Minha Cidade - 2009

    Noite e Dia

    Casamento do Advogado Eduardo Cardoso Jr. com a estilista Natalia Gouveia

    Trofu Pequi

    Joana Abro e seu filho Marcelo Abro, (Restaurante rabe) recebem o Trofu pequi.

    Dr. Syd de Oliveira(esq), presidente do Gois Esporte Clube

    Jornalista e apresentador Cleber Ferreira com o reprter Cristiano Porfrio, posam com seus Trofus

    Leila Quinto (Voks Cosmticos), Deuselita (Essencial Cosmticos), E Leandro Sena (ONG Mais Ao)

    Cassiano, Critis, Eduardo Jr, Natalia Gouveia, Eduardo e Cleonice.

    Natalia, Leandro Sena e Eduardo Jr.Eduardo Jr., Walfrides Jr. Sena e sua esposa Polyana R. Sena, e Natalia Gouveia

    Gilson Ramos, Maisa Gouveia, Eduardo Jr, Natalia Gouveia e Frederico

    Um a l i n d a e g l a m o u r o s a festa marcou o c a s amento do Advogado Edu-ardo Cardoso Jr. com a estilista Natalia Gouveia. O Mastel Hall, foi o espao es-colhido para a cerimnia que aconteceu no l-timo dia 14 de novembro. Ami-gos e familiares foram pretigiar o casal.

    Numa grande festa realizada no ltimo dia 13 de novembro, acon-teceu a entrega do Trofu Pequi. Considerado o Oscar do Cerrado Goiano, o Trofu foi entregue v-rios profissionais de diversos seg-mentos empresa-rias da sociedade goiana. O prmio uma idealizao do publicitrio Vasco Jos Mota.

    Fotos: Eduardo Jr.

    Fotos: Vasco Jos Mota

    46 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 47

  • 48 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 49

  • 50 - Minha Cidade - 2009

    Drogas, problema nosso de cada dia

    om a finalidade de le-var informaes claras e objetivas desprovidas de

    falsos sentimentos ou sensaciona-lismo, para falar a respeito de um dos maiores males do milnio: as drogas. A ONG Mais Ao vem promovendo palestras e encontros periodicamente em diversos locais com vrios parceiros na luta contra as drogas, pois, as mesmas se encon-tram mais perto do que supomos. A escola, as festas, os amigos e at o lar podem ser a porta de entrada para elas. No importa a idade, sexo, condio social ou econmica. Acabam com a paz, a tranquilidade e a segurana. Destroem a famlia moral, econmica e socialmente.

    As drogas so um inimigo silen-cioso que joga qualquer um em um mundo de doenas, loucura e morte. Quando falamos em drogas estamos pensando nas lcitas e ilcitas, inclu-sive alguns medicamentos. So dro-gas o lcool, tabaco, maconha, coca-na, crack, xtase, as anfetaminas, os barbitricos, os tranquilizantes, os inalantes (inclusive lana-perfume), o LSD, a herona e outros menos conhecidos. Descobrir em tempo o consumo de drogas pode evitar que o jovem caia num abismo do qual talvez nunca possa sair.

    Para o toxicologista, profes-sor universitrio e autor do livro: Drogas-causas, efeitos e preveno, Lus Augusto Perillo, 43, o assunto

    mais srio do que se pensa. Uma interveno na hora certa e de ma-neira adequada dos pais pode evitar que seus filhos se tornem adictos, mas, se acontecer o contrrio, ou seja, uma interveno inoportuna pode empurr-los ainda mais para o problema, esclarece Perillo. Segundo ele, preciso enfrentar o problema, controlar a raiva e ressentimentos, no agredir o filho nem por palavras, nem aes. Nesse caso, o dilogo o melhor caminho demonstrando claramente o senti-mento de amor, afeto, amizade e deixando claro que quer ajudar a sair do problema. Por fim, procurar orientao e ajuda especializada em tratamento de drogas. Perillo conta que, quem se vicia nas drogas alm de tratamento especializado precisa de apoio da famlia e que o usurio de drogas um doente, e no pode ser abandonado, pois, ele s precisa de ajuda e de apoio sincero.

    ParceriaEm parceria com a ONG Mais

    Ao, presidida pelo ex-deputado por Goinia Leandro Sena, o to-xicologista tem levado seus conhe-cimentos e experincias a respeito dos efeitos das drogas a milhares de pessoas. Dessa parceria surgiu a iniciativa de desenvolver algo que pudesse informar e esclarecer de forma geral, os malefcios que as drogas causam ao usurio, a famlia

    e a toda a sociedade. Assim, nasceu o programa: Campanha e seminrios de preveno ao uso e abuso de drogas, lcitas e ilcitas. O programa apre-

    Para o toxiclogo, a de-pendncia qumica extrema-mente grave, e se tornou uma verdadeira pandemia em todo o mundo. De acordo com a Organizao Mundial de Sa-de (OMS), consta no relatrio divulgado pelo escritrio das Naes Unidas (ONU-DC), que 2,6% das pessoas no Bra-sil, entre 12 at 65 anos de idade consumiram maconha

    Dependncia qumica

    Leandro Sena ministra palestra aos alunos do Colgio Externato So Jos

    C

  • 2009 - Minha Cidade - 51

    Responsabilidade social

    Drogas, problema nosso de cada dia

    sentado por etapas: primeiro h uma mobilizao da comunida-de por meio de passeata, em se-guida os organizadores se renem em escolas e locais pblicos para ministrar palestras, a qual dirigida a toda populao sem distino de idade, credo ou posio financeira.

    Segundo Leandro Sena, no programa discutido os aspectos, as causas e efeitos das drogas no organismo. Essas questes tem chamado a ateno dos familiares.

    no ltimo ao. Em relao ao con-sumo de cocana, a situao no foi diferente, pois, ficou em torno de 0,7%, o que corresponde ao nmero aproximado de 870 mil pessoas.

    Embora o consumo de drogas ilcitas como a maconha, o crack, cocana, xtase, haxixe e merla, sejam bastante prejudiciais a sa-de, tanto fsico quanto mental, segundo Perillo, no caso das drogas

    lcitas (tabaco e lcool), a realidade no diferente. Como podemos observar, em toda populao mun-dial cerca de 1,2 bilho de pessoas consomem o tabaco, e desses, 4,5 milhes morrem vtima desse consumo. No Brasil, morre em mdia 13 pessoas por hora em de-corrncia do tabaco. Nesse campo, o fumante passivo uma grande

    preocupao na rea da sade pblica, pois, poder sofrer de inmeras doenas devido exposio aos componentes do cigarro. Entre algumas, desta-ca-se vrios tipos de cnceres e doenas respiratrias graves (enfisema pulmonar, hiperten-so) complicaes cardacas, entre outras consequncias.

    E ainda, so elencadas diversas alternativas como

    forma de lazer e cultura, e oportunidades de emprego, lembra Sena. Durante as viagens pelas cidades do interior do Estado, tambm so ministradas palestras voltadas exclusi-vamente aos professores da Rede Mu-nicipal e Estadual de Educao como forma de habilit-los e prepar-los para tornarem-se multiplicadores des-

    O conceito de droga dado pela Organizao Mundial de Sade (OMS), como sendo uma substncia ou produto no produzido pelo organismo, que tem a propriedade de atuar sobre um ou mais de seus sistemas produzindo alteraes em seu funcionamento, enquanto a toxicomania um estado de in-toxicao peridico ou crnico, prejudicial ao indivduo e so-ciedade, causado pelo consumo repetido de uma droga, em que h incontrolvel desejo ou ne-

    Drogas

    Dependncia qumica

    cessidade de consumi-la e de aumentar a dose, levando a uma dependncia psicolgica e s vezes fsica. O consumo de drogas psicotrpicas no Brasil est atingindo pata-mares jamais vistos em toda nossa histria. Verificamos que a produo, o consumo e a distribuio de substncias entorpecentes se consolida e cresce em grande escala, tornando o controle e o com-bate ao narcotrfico quase que impossvel.

    sas ideias e conceitos. Segundo Leandro Sena, em 2009 foram realizadas palestras e cur-sos em dezenas de escolas e universidades em todo o Estado de Gois, che-gando a atingir cerca de 10 mil pessoas.

    Toxicologista Luis Perillo

    Fotos: Ong+Ao

    2009 - Minha Cidade - 51

  • 52 - Minha Cidade - 2009

    Homenagem

    QA marca do trabalho

    uem v a cidade limpa, com belas praas e uma arborizao aprecivel,

    no imagina que por trs de tanta beleza est o trabalho de 6 mil fun-cionrios que cuidam diariamente desse patrimnio. Luciano Henri-que de Castro, diretor administra-tivo e financeiro da Comurg, sabe disso. Segundo Castro, em quatro anos e meio a Comurg fez 370 praas, e hoje Goinia contabiliza mais 411 delas. A frente da pasta est o diretor presidente Wolney Wagner Siqueira Jnior, o qual, segundo Castro no tem medido esforos para que a cidade fique cada vez mais linda. A Comurg responsvel pela limpeza urbana

    (coleta de lixo, coleta seletiva de reciclveis, varrio e roagem), gerenciamento do aterro sanitrio, manuteno da iluminao pbli-ca e a construo e ajardinamento de praas e ilhas de avenidas, bem como pela arborizao da cidade. Sendo que o servio funciona todos os dias, incluindo sbados, domingos e feriados. O economis-ta e diretor Luciano Henrique diz ainda, que a Comurg desenvolve cerca de 70% do trabalho realizado nos mutires, mtodo de trabalho institudo pelo prefeito Iris Re-zende. Um dos maiores desafios acompanhar o pique do prefeito durante os mutires. Iris Rezende sinnimo de fora e resistncia

    fsica, um gran-de exemplo de administrador, diz Castro.

    Para Lucia-no, o tambm desafiador pro-grama da Coleta Seletiva, mexe com a cultura de todo um povo. A populao precisa se conscientizar e habituar-se diariamente com esse programa. um trabalho belssimo dessa ad-ministrao, que alm de manter a cidade limpa, proporciona dignidade a todos, conclui. Minha Cidade registra aqui, o reconhecimento pelo incessante e admirvel trabalho.

    Luciano Henrique

    Camisetas universitrias personalizadas(62) 3202-3075 / 8512-0690

  • 2009 - Minha Cidade - 53

    A marca do trabalho

  • 54 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 55

  • 56 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 57

    Cozinhando com Chef willian

    Ceia de Natal

    IngredientesPreparo

    Rabanada

    significado da Ceia, para muitos est ligada ltima ceia de Jesus Cristo. J na literatura a principal refeio da noite de Natal tem origem nos antigos costumes europeus quando as pessoas deixa-

    vam as portas de suas casas abertas para receber os viajantes e peregrinos. Juntos, familiares e visitantes confraternizavam a data com uma farta mesa de comidas especiais.

    A tradio, espalhada pelos quatro cantos da terra, foi se adaptando a cada regio e recebendo vrias particularidades e costumes locais. Um prato tpico de ceia de natal a rabanada, muito apreciada no mundo todo e simples de preparar e de agradar.

    Desejo a todos um Feliz Natal e que 2010 seja um ano prspero e de muita paz e amor, so os votos do Chef Willian e sua equipe.

    12 fatias de po francs 02 xcaras de ch de leite 02 colheres de sopa de acar 01 pauzinho de canela 01 pedao de casca de limo 03 ovos Acar misturado com canela 1/2 xcara de ch de leo01 pitada de sal

    Ferva o leite por alguns minutos com o acar, o pauzinho de canela e a casca de limo at que o lquido tenha adquirido sabor. Coloque as fatias de po numa vasilha rasa e

    coe o leite sobre o po. Bata os ovos com uma pitada de sal. Retire as fatias de po do leite

    cuidadosamente, passe no ovo batido e frite de ambos os lados no leo quente at que dourem os dois lados. Sirva quente, salpicado com acar e canela.

    O A Rabanada nasceu da sobra de pes. Na Frana, ela chamada de Pain perdu, na terrinha o doce conhecido como fatia de mulher parida. Conta a histria que a mulher rica que dava luz, era alimentada com o pedao do que chamamos de rabanada para aumentar o leite. Esse nome tambm conhecido no nordeste do Brasil pelo mesmo motivo, mas, como fatia parida. Alm de serem chamadas de fatias douradas.

    Curiosidade

    Willian Schwartz

  • 58 - Minha Cidade - 2009

    Q

    Cronica

    QueRia Flvia Avelar

    58 - Minha Cidade - Outubro de 2009

    ueria escrever algo bem engraado para fazer aquela senhora doente

    que encontrei na praa do meu bair-ro, rir at sentir dor na barriga. Eu podia ter a capacidade de esmiuar as lembranas dela e resgatar de l, alguma coisa que a tenha feito bastante feliz para eu inventar algo parecido. Queria que ela lesse minhas palavras, que eu propositalmente deixaria jogadas perto dela, e assim que ela pegasse o papel e comeasse a rir espantada. Que suas gargalhadas fossem ouvidas por todos os curiosos que passassem e perguntassem uns para os outros: do que essa mulher ri? Sem cabelos, magra de dar d e to plida, porm, com um riso alto e satisfeito de impressionar. E que

    ento ela respondesse para si mesma: Em 54 anos nunca tinha lido frases to divertidas!

    E que ao chegar em casa con-tasse para sua nora hostil que estava muito feliz, e que ela (a nora), lesse aquele texto que ela(sogra), achou num banco da pracinha, pois a faria menos amarga. E a nora, depois de ler surpreendesse o marido dizendo a ele que leu algo to legal que a fez rir demasiadamente, e aquelas risadas frouxas despertaram nela vontades de cuidar com carinho da sogra enferma e fazer daquela casa infeliz, um lar acolhedor. E o marido, contente com a atitude da esposa lesse e ficasse to satisfeito que ao chegar ao trabalho mostrasse o texto para seu chefe mal-humorado para que ele tambm fosse contagiado por aquelas palavras.

    E o chefe, por sua vez, lesse en-tusiasmado para sua mulher irritada

    e cheia de cobranas que inicial-mente no iria entender, alm, de ficar mais brava ainda. No

    entanto, ao perceber a leitura do marido comeasse a gargalhar e relembrar junto com ele o quanto eram felizes. E a partir daquele mo-mento seria bom se eles revivessem os tempos em que um amavam loucamente o outro. Que minhas escritas motivassem a mulher (do ex-chefe mal-humorado), que tem um pai alcolatra, a visit-lo... E ao v-la depois de muito tempo, ouvisse da boca da filha amada as tais frases en-

    graadas. E ele, de forma inesperada a abraasse com fora e agradecesse por ela ter ido ao seu encontro, e ter levado a esperana nas falas felizes. A filha agora, contava com a certe-za que seu corao estava aliviado e sem ressentimentos, e poderia ajud-lo a se libertar do vcio. E o pai, depois de ouvir a histria olhas-se para a cachaa e dissesse: h, mardita voc at que gostosinha e me consola, mas o bem-estar que eu procuro DEFINITIVAMENTE no est em voc, adeus!

    E por causa das linhas que eu que-ria escrever para aquela senhora doen-te e triste que encontrei na pracinha do meu bairro, tudo no mundo ficaria melhor, todos tornariam mais amveis e tolerantes. E que essas palavras se espalhassem por todos os cantos do mundo: hospitais, presdios, escolas, asilos, casas, ruas... Que pudessem voar pelos pases em guerra, chegar aos ouvidos dos grandes chefes de Estado, que alcanassem os regimes fundamentalistas, atravessassem todas as fronteiras sem pretenso alguma, a no ser de trazer paz e vida digna para a humanidade. Que todas as coisas fossem conquistadas em favor do bem coletivo e que o ego-smo e a maldade fossem aniquilados. Assim, que tivessem contato com as palavras engraadas que eu queria escrever para aquela senhora doente e triste que encontrei na praa do meu bairro... Ah, como eu queria!

  • 2009 - Minha Cidade - 59

    Diretor GeraL: Gilmar Martins

    O CFC A La Paz um centro de Educao de Trnsito, credenciado pelo DETRAN e AMT para que voc obtenha os melhores resultados nos cursos oferecidos nessa rea. Aqui voc encontra a melhor equipe de profissionais especializados na rea de trnsito.

    Venha participar dos cursos especializados como mopp, transporte escolar, transporte coletivo de passageiros, transporte para condutores de veculos de emergncia, dentre outros, como reciclagem para empresas.

    O CFC A La Paz possui uma moderna estrutura e est a servio da so-ciedade para contribuir com a reduo no nmero de acidentes de trnsito por meio de uma educao preventiva, segura e consciente.

    Venha voc tambm para o CFC A La Paz.

    Informaes: Fone/Fax (0xx62)3233-3482 E-mail: cfclapaz@ig.com.br

  • 60 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 61

  • 62 - Minha Cidade - 2009

    Homenagem

    CO difusor

    om a vida inteira dedi-cada a comunicao o radialista, cronista espor-

    tivo, jornalista e torcedor do atlti-co Manoel Jos de Oliveira, possui uma trajetria brilhante. Durante sua carreira profissional atuou nas rdios Difusora, Clube e Rdio Jornal em Goinia, Rdio Caraj, em Anpolis, no ano de 1966. Logo mais, trabalhou nos jornais: Cinco de Maro, Folha de Gois e como correspondente do Dirio da Manh. Em 1968, estagiou por um ano no jornal Folha de Gois, por exigncia sindical para inscrio no registro de jornalista.

    Na televiso, atuou na Record por cerca de 8 anos e l contribuiu

    para a formao de vrios estagi-rios. Nascido em 31 de julho de 1940, Manoel de Oliveira natu-ral de Pires do Rio - Gois. Alm de outras funes, Manoel atuou tambm na poltica. Em 1986 foi eleito deputado por Goinia, sen-do o primeiro deputado mais bem votado na capital e o segundo em todo o estado de Gois, naquele ano. Experiente, o radialista fala dos desafios e conquistas da pro-fisso. No incio era muito difcil. A aparelhagem com a qual traba-lhvamos era precria, mas, com o avano da tecnologia tudo mu-dou, conta Oliveira. Desde 1997, o comunicador dedica seu talento a Televiso Brasil Central, onde apresenta programas jornalsti-

    cos/esportivos. Nesses progra-mas o jornalista conta com uma equipe formada por quarenta profissionais. Como conse-lho aos novos profissionais, o radialista comenta que a vida en-sina muita coisa que a faculdade jamais ensinar. O comunicador tem de ser criativo, espontneo e com muito talento para impro-visar, conclui. Pela trajetria de lutas e conquistas, pelo talento e simplicidade, Minha Cidade parabeniza esse cone da comuni-cao goiana.

    Manoel de Oliveira

  • 2009 - Minha Cidade - 63

  • 64 - Minha Cidade - 2009

    hUMOR

    divulgao

    64 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 65

    Cultura

    LIVROS Filmes

    NO-FICO

    Nunca Antes na Histria Deste PasMarcelo Tas [6 | 3] PANDA BOOKS

    Mais Voc - 10 AnosAna Maria Braga [3 | 4] GLOBO

    Chico Buarque Histrias de CanesWagner Homem [8 | 7] LEYA BRASIL

    Lua Nova G u i a O f i c i a l I l u s t r a d o d o Fi l m e M a r k Cotta Vaz [5 | 2] INTRNSECA

    FICO

    AmanhecerStephenie Meyer [4 | 23] INTRNSECA

    A CabanaWilliam Young [2 | 65] SEXTANTE

    CrepsculoStephenie Meyer [6 | 79#] INTRNSECA

    Dirios do Vampiro 1 - O DespertarL.J. Smith [10 | 13] RECORD

    Dirios do Vampiro 2 - O ConfrontoL.J. Smith [7 | 4] RECORD

    E n t r e a t o s ( D o c u m e n -trio)O l o n g a r e g i s t r a o c o t i d i a n o d e Lu l a n o s t r i nt a d i a s q u e a n -t e c e d e r a m a s e l e i e s d e 2 0 0 2 para presidente da Repblica.

    DRAMA2012 U m a s r i e d e d e s a s t r e s n a t u r a i s

    a s s o l a a p o p u l a o n o a n o d e

    2 0 1 2 , q u e i n d i c a o f i m d o m u n d o

    no calendrio maia

    ROMANCELua Nova A p s t e r m i n a r s e u n a m o r o c o m

    um vampiro, jovem se consola com

    a m i g o , s e m i m a g i n a r q u e c o r r e

    perigo

    AVENTURABesouro C a p o e i r i s t a n e g r o p r e c i s a l u t a r

    c o n t r a p r e c o n c e i t o n a B a h i a d o

    incio do sculo

    Fenaiuc 2009

    A Fe n a i u c 2 0 0 9 a c o n t e c e r e n t re o s d i a s 1 8 e 2 4 d e d e z e m -

    bro de 2009, no Centro de Convenes de Goinia.

    C o m 1 4 0 e x p o s i t o r e s a f e i r a a p r e s e n t a r a M o d a G o i a n a

    com seus melhores descontos.

    2009 - Minha Cidade - 65

  • 66 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 67

  • 68 - Minha Cidade - 2009

  • 2009 - Minha Cidade - 69

  • 70 - Minha Cidade - 2009

    dECORACAO

    Marmoraria Empire Stone

    Durante os meses de setembro e outubro, Goinia recebeu a exposio Ambientar 2009, que mostrou am-bientes criados por vrios arquitetos renomados, os quais tiveram a parceria da Marmoraria Empire Stone.

    Algumas dessas belezas esto dispostas nas primei-ras pginas desta edio, e aqui atribumos os devidos crditos a esses excelentes profissionais.

    Oferece os mais diferenciados ser-vios para a construo civil, bancadas para cozinha e lavatrios, peitoris, soleiras, tabeiras, artes em tmulos, jazigos, capelas e outros. Alm disso, trabalha com os mais finos e moder-nos acabamentos. Dispem ainda, de pedras silestone, agrostone e tecnostone e Quartzo(pedras industrializadas).

    A Marmoraria Empire Stone saiu na frente no que diz respeito ao acaba-mento, pois, adotou o sistema pneum-tico (jato de gua e ar), seguindo a nova portaria N 99 de 19/10/2004 do Departamento de Segurana e Sade no Trabalho (DSST), termo

    que altera o anexo N12 da norma regulamentadora NR15. Com isso, eliminou-se o jateamento abrasivo. Com esse sistema a marmoraria faz a sua parte no que se refere ao meio ambiente e proporciona maior quali-dade no acabamento e melhor desempenho no trabalho dos profissionais, garantindo ampla satisfao entre clientes e profissionais envolvidos. Em recente viagem aos EUA, o administrador da Empire Stone, Lo Oliveira,

    Ambientar 2009

    Lo Oliveira, administrador Marmoraria Empire Stone

    1 3

    01 Lavabo (Quarto professora de msica), criado pela designer de in-teriores, Ana Paula N. Gonalves.

    03 Banheiro do casal, por Cilda Oliveira (designer de interiores)

    02 Cozinha projetada pela desig-ner de interiores Maria Fernandes, juntamente com as arquitetas Sandra Camargo e Aline Di Prado.

    Quiosque TEND-TUDO - Flamboyant

    visitou algumas fbricas e obras e descobriu novas tecnologias no trabalho feito com mrmores e gra-nitos. A Marmoraria Empire Stone oferece granitos e mrmores nacionais e importados e, acima de tudo uma empresa sria e competente que busca sempre a total satisfao dos seus clientes fazendo de todos os seus produtos sinnimos de excelncia e credibilidade.

    2

  • 2009 - Minha Cidade - 71

    dECORACAO

    Marmoraria Empire Stone

    Durante os meses de setembro e outubro, Goinia recebeu a exposio Ambientar 2009, que mostrou am-bientes criados por vrios arquitetos renomados, os quais tiveram a parceria da Marmoraria Empire Stone.

    Algumas dessas belezas esto dispostas nas primei-ras pginas desta edio, e aqui atribumos os devidos crditos a esses excelentes profissionais.

    Oferece os mais diferenciados ser-vios para a construo civil, bancadas para cozinha e lavatrios, peitoris, soleiras, tabeiras, artes em tmulos, jazigos, capelas e outros. Alm disso, trabalha com os mais finos e moder-nos acabamentos. Dispem ainda, de pedras silestone, agrostone e tecnostone e Quartzo(pedras industrializadas).

    A Marmoraria Empire Stone saiu na frente no que diz respeito ao acaba-mento, pois, adotou o sistema pneum-tico (jato de gua e ar), seguindo a nova portaria N 99 de 19/10/2004 do Departamento de Segurana e Sade no Trabalho (DSST), termo

    que altera o anexo N12 da norma regulamentadora NR15. Com isso, eliminou-se o jateamento abrasivo. Com esse sistema a marmoraria faz a sua parte no que se refere ao meio ambiente e proporciona maior quali-dade no acabamento e melhor desempenho no trabalho dos profissionais, garantindo ampla satisfao entre clientes e profissionais envolvidos. Em recente viagem aos EUA, o administrador da Empire Stone, Lo Oliveira,

    Ambientar 2009

    Lo Oliveira, administrador Marmoraria Empire Stone

    1 3

    01 Lavabo (Quarto professora de msica), criado pela designer de in-teriores, Ana Paula N. Gonalves.

    03 Banheiro do casal, por Cilda Oliveira (designer de interiores)

    02 Cozinha projetada pela desig-ner de interiores Maria Fernandes, juntamente com as arquitetas Sandra Camargo e Aline Di Prado.

    Quiosque TEND-TUDO - Flamboyant

    visitou algumas fbricas e obras e descobriu novas tecnologias no trabalho feito com mrmores e gra-nitos. A Marmoraria Empire Stone oferece granitos e mrmores nacionais e importados e, acima de tudo uma empresa sria e competente que busca sempre a total satisfao dos seus clientes fazendo de todos os seus produtos sinnimos de excelncia e credibilidade.

    2

  • 72 - Minha Cidade - 2009