revista logweb - ?· comercial: nextel: 11 7714.5380 - id: 15*7583 publicação mensal,...

Download revista Logweb - ?· Comercial: Nextel: 11 7714.5380 - ID: 15*7583 Publicação mensal, especializada…

Post on 27-Jan-2019

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Logweb Logstica

Supply Chain

Transporte Multimodal

Comrcio Exterior

Movimentao

Armazenagem

Automao

Embalagem

| www.logweb.com.br | edio n82 | dezembro | 2008 |referncia em logstica

r e v i s t a

Logstica &Meio Ambiente

& BebidasPARCERIA LOGWEB/FISPAL

pgina 40

pgina 42

Alimentos

Multimodal

pgina 44 A partir da pgina 4

ANLISE SETORIALRepresentantes de diversas entidades analisam o ano de 2008

e traam as perspectivas para o prximo ano.

Editoras Frota&Cia eLogweb promovemseminrio sobretransporte e indstriae o prmioTop do Transporte

ANLISE SETORIAL

S E T O RS E T O RS E T O RS E T O RS E T O R

EMPRESARIALEMPRESARIALEMPRESARIALEMPRESARIALEMPRESARIAL

2 0 02 0 02 0 02 0 02 0 0 99999

Imag

em: S

tock

.xch

ng

2 | edio n82 | dezembro | 2008 |Logweb

3 | edio n82 | dezembro | 2008 | Logweb

R

Redao, Publicidade, Circulao e Administrao:Rua dos Pinheiros, 240 - conj. 12 - 05422-000 - So Paulo - SPFone/Fax: 11 3081.2772Nextel: 11 7714.5379 ID: 15*7582

Redao: Nextel: 11 7714.5381 - ID: 15*7949

Comercial: Nextel: 11 7714.5380 - ID: 15*7583

Publicao mensal, especializada em logstica, da LogWebEditora Ltda. Parte integrante do portal www.logweb.com.br

Editor (MTB/SP 12068)Wanderley Gonelli Gonalvesjornalismo@logweb.com.br

Assistentes de Redao

Carol Gonalvesredacao@logweb.com.br

Andr Salvagnoredacao2@logweb.com.br

Projeto Grfico eDiagramao

Ftima Rosa Pereira

Diretoria ExecutivaValeria Lima

valeria.lima@logweb.com.br

Diretoria ComercialDeivid Roberto Santos

roberto.santos@logweb.com.br

MarketingJos Luz Nammur

jlnammur@logweb.com.br

Fabia Helena Allegrini Pereiramkt@logweb.com.br

Os artigos assinados e os anncios no expressam, necessariamente, a opinio da revista.

Administrao/FinanasLus Cludio R. Ferreira

luis.claudio@logweb.com.br

Representantes Comerciais:Nivaldo Manzano

Cel.: (11) 9701.2077nivaldo@logweb.com.br

Paulo Csar CaraaCel.: (11) 8193.4298

paulocesar@logweb.com.br

Selma Martins HernandesCel. (11) 9676.1162

selma.hernandez@logweb.com.br

editorial

Wanderley G. Gonalves

Logwebwww.logweb.com.br

P O R TA L

A multimdia a servio da logstica

Logwebreferncia em logstica

r e v i s t a

Fique por dentroda logstica

num clicAcesse agora o Portal Logweb e saibao que h de novo no mundo logstico.

Notcias, artigos, agendae eventos do setor.

Cadastre-se para receber nossanewsletter semanal.

Aconteceu na logsticaAcontece no portal Logweb

Anlise Setorial eSetor Empresarial

Representantes de quinze entidades declasse sindicatos, associaes e outras participam desta edio especial, e tambm jtradicional no mercado, da revista Logweb.

Eles fazem um balano do ano de 2008 emsuas respectivas reas e traam previsespara o prximo ano, levando em conta,principalmente, a crise financeira mundial.

interessante notar que, a despeito danuvem negra que se pronuncia no futuro, osrepresentantes das entidades ouvidas mantm,em sua maioria, boas perspectivas para 2009, custa, bvio, de muito trabalho.

Ainda em nossa anlise setorial, um artigode renomado economista tambm traaperspectivas para o prximo ano, tanto emnvel internacional quanto nacional. E, maisuma vez, mantm-se o otimismo.

Tambm a propsito desta nossa AnliseSetorial, lamentamos a no-participao deinmeras outras entidades que, emboraconvidadas, no se manifestaram, provavel-mente por falta de tempo de seus representan-tes ou por ainda no terem um posicionamentodiante da nova situao pela qual passa omercado mundial.

Com relao ao Setor Empresarial, neledestacamos algumas das empresas que integramo nosso setor, abrangendo sua histria, a linhade produtos e at os negcios recm-fechados.

Aproveitamos a ocasio para desejarmosaos nossos leitores um ano novo bastanteproveitoso, em todos os sentidos, lembrandoque, ns, da Logweb, estamos confiantes e

otimistas, sabendo que osmomentos de crise sooportunidades preciosaspara o desenvolvimento denovas idias, posturas e

solues para os problemasque nos afligem.

4 | edio n82 | dezembro | 2008 |Logweb

Anlise Setorial

Artigo

Revendo substantivamente o cenriomacroeconmico brasileiro e globalcompreender a dimenso,a profundidade e a durao dacrise global e de suas repercussessobre o Brasil.

H certeza de que o mundopisa bruscamente no freio devido chamada desalavancagem e notvel reduo do papel docrdito nas economias. Ningummais se interroga se haverrecesso em economias desenvol-vidas e j h um consenso de que oPIB americano de 2009 e de vriospases europeus ser inequivoca-mente negativo. Portanto, nossaleitura a de que a surpresamarginal decrescente do pontode vista de atividade econmicaglobal. Assim, forte a intuio deque cenas de pnico explcito,como a que assistimos algumasvezes nos ltimos meses, nosero mais freqentes. Ou seja,volatilidade excessiva est longede ter acabado, mas os atoreseconmicos globais j reconhece-ram que a inequvoca determinaodas autoridades governamentais dedezenas de pases no sentido de

evitar que a recesso j contratadase transforme em uma depressocomo nos anos 30.

Estamos prevendo um cresci-mento global de 1,8%, contra 3,6%em 2008. razovel supor que omundo crescer durante uns 3 anosabaixo de sua mdia histrica que,por coincidncia, de 3,6%. Para aChina, trabalhamos com 7% decrescimento, sendo uma das maisbaixas projees do mercado hoje.Acreditamos que o preo dascommodities, depois das fortesquedas, se acomodar em nveis dejaneiro de 2007 e trabalhamos como preo mdio do petrleo a US$ 59por barril.

Quanto economia brasileira,apesar de continuarmos insistindona tese de que sua capacidade deresistncia infinitamente superior que exibia no passado de outrascrises, estamos agora trabalhandocom um crescimento de apenas2,5% em 2009 e de 3,5% em 2010. claro que muita gua ainda vairolar e, a despeito da desalavanca-gem do crdito global, pode ser que

restauremos a confiana dosmercados, sobretudo nos EstadosUnidos, agora com um novo governode grande credibilidade. Mas oBrasil no escapar de crescer umpar de anos abaixo de seu potencialque, grosseiramente, gira em tornode 4,5% hoje. Os investimentossentiro um pouco mais (custo docapital mais alto implica em revisoda taxa de retorno dos projetos) doque o consumo das famlias.O mercado de trabalho, mesmodesacelerando bastante na criaolquida de empregos, segurar bema onda do consumo que cair menosem 2009.

Achamos que o governobrasileiro continuar agindo deforma contracclica, reduzindo osupervit primrio para 2,8% do PIB(vindo de 4,3%) e que, apesar disso,os juros iniciaro sua trajetria dequeda no segundo trimestre de 2009quando a inflao projetada 12meses frente estar abaixo dameta de 4,5%. Quanto taxa decmbio, as condies globais definanciamento externo se alteraram

substantivamente com a averso aorisco e, por isso, revisamos para umcmbio mdio de R$ 2,29 em 2009,fechando o ano em R$ 2,20.

Por mais pessimista que possaparecer esse cenrio, ousamos dizerque no tanto. O Brasil estbastante bem posicionado para odia seguinte da crise, mesmo se nosabemos quando ser. Parece-nosque o preo de seus ativos est,neste momento, subestimado.

Octavio Manoel Rodrigues deBarros - Doutoramento pelaUniversidade de Paris X-Nanterre. Foi assessor do Ministrioda Fazenda, economista convidadodo BACEN, Presidente do ConselhoRegional de Economia de So Paulo,visiting-fellow do Centro deDesenvolvimento da OCDE, chefe deoperaes financeiras internacio-nais da CESP e diretor de economiada FEBRABAN. membro doConselho de Economia da FIESP ediretor de pesquisas econmicas doBradesco.

N a ausncia de bola decristal, o economista faz oseu melhor para, pelomenos, acertar a direo e astendncias. Por vezes, as crisesadquirem dimenses to relevantesque fogem ao alcance dos modelosde previso por mais sofisticadosque sejam, sobretudo quando hcrises de confiana. No existemmanuais ou receitas de bolo parasuperar uma crise de confiana quetalvez pudesse ter sido evitadacaso no tivesse ocorrido a quebrada Lehman Brothers no ms desetembro. Contar a histriacontrafactual impossvel e nosresta olhar para frente tentando

5 | edio n82 | dezembro | 2008 | Logweb

S E T O RS E T O RS E T O RS E T O RS E T O R

EMPRESARIALEMPRESARIALEMPRESARIALEMPRESARIALEMPRESARIAL

2 0 02 0 02 0 02 0 02 0 0 99999

TpicoTpicoTpicoTpicoTpicoNo ano de 1979, a Tpicoiniciou suas atividades noramo de confeco de capasde piscinas, utilizando mo-de-obra qualificada ematria-prima de primeiraqualidade. Em 1981,especializou-se em locao evenda de coberturas/galpo,operando no ramo dearmazenagem e coberturasespeciais. Conta comprofissionais do mais altonvel tcnico, sendo capaz dedesenvolver os mais variadosprojetos em estruturasmetlicas ou confeces emlona. Para locao e venda,os vos livres variam entre10, 15, 20, 30 e 40 m,podendo ser acoplados unsaos outros com vedao porsistemas de calhas etapadeiras.

PIRMIDE(LOCAO E VENDAS)Galpes confeccionados comtubos de ferro pintado egalvanizado a fogo, monta-dos por sistema de encaixe efixao. Apresentam colunasa cada 5 m de eixo a eixo,com vo livre na reacentral. O revestimento, emlona de PVC, impermevel,auto extinguvel, com trata-mento antimofo, modelado esoldado por sistema de altafreqncia. As lateraispodem ser translcidas paramaior incidncia de luz.

DUAS GUAS(LOCAO E VENDA)Galpo tipo duas guas, emestrutura de ao treliado egalvanizado a fogo, comacabamento em pe