revista gravura

Click here to load reader

Post on 26-Mar-2016

254 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A revista tem como tema a gravura, técnicas e artístas do cenário nacional e internacional. Foi produzinda na disciplina de Gráfica III pelo grupo formado por Gabriel Chieppe Kroeff, Giuliano Kenzo, Michael France R. Canal e Samuelly Ribeiro.

TRANSCRIPT

  • GRAVURA

    REMBRANDTConhea algumas

    das obras do homem que revolucionou a histria da arte

    R$ 9,90Gravura Ano 1, N 1 - Novembro 2011

    GRANDES ARTISTASAqueles quefizeram e que fazema gravura se destacar

    DESTAQUEBrasileiros e estrangeiros

    que se destacam com sua originalidade

    RUBEM GRILLOSaiba mais sobre umdos maiores gravadores da atualidade

  • 3EDITORIALNDICE

    Editorial 4Grandes Artistas 5Perfil 6Exposies 9Tcnicas 10Entrevista 12Mdias 16Biografia 18Artigo 22Obras atuais 23Nacional 24Mundo 25Cursos 26

    Rembrandt - Desenhando na Janela, gravura

  • A revista Gravura inicia sua jornada com esta edio que vem cheia de novidades sobre o mundo da gravura, esta uma revista especializa-da, e que se compromete com o leitor que interessado no assunto, e quer estar sempre atento ao que acontece nessa rea.

    Pretendemos, com esse nmero, abrir as portas para a Gravura no mercado, e poder tornar a revista reconheci-da entre um determinado pblico. O leitor encontrar nesta edio, temas de contedo primrio para quem conhece e quem quer conhecer tudo sobre gravura, como alguns dos principais artistas que j existiram, entre eles Rembrandt.

    Nossa revista sempre ter em seu contedo, perfis, sobre artistas re-conhecidos ou artistas da atualidade, at mesmo os que esto come-ando a ganhar destaque, pois nosso objetivo tambm poder ajudar os artistas a crescerem e ganhar o seu merecido reconhecimento, e claro, um destaque em nossa revista.

    Acreditamos que nosso trabalho possa atualizar as pessoas que esto por fora, e inform-las sempre sobre o que est acontecendo, divul-gando, por exemplo, exposies, seminrios e convenes sobre os artistas nacionais e internacionais.

    Para mostrar que chegamos para ficar, temos como destaque nesta edio, uma entrevista exclusiva com o artista brasileiro Rubem Grillo, contando tudo sobre sua vida e carreira como artista.

    Esperamos agradar a todos, e que os leitores possam sentir-se satisfei-tos com o contedo apresentado.

    Michael France R. Canal

    Editor e diretor de redao

    EDITORIALEDITORIAL

  • 5randes ArtistasG

    Albrecht Drer viveu entre 1471 e 1528 e foi a figura central da renascena alem. Estudou com o seu pai, um ourives hngaro que emigrou para a Alemanha, e em 1486 comeou a pintar. Tornou-se aprendiz do pintor Michael Wolgumut com quem iniciou os seus trabalhos de gravura em madeira e cobre. Drer

    inspirou-se nos trabalhos dos pintores dos dois maiores centros artsticos europeus (Itlia e Holanda), mas sendo muito mais inovador. Suas jornadas permitiram-lhe fundir as tradies gticas do Norte com a utilizao da perspectiva dos italianos. Comea aqui o seu interesse pela matemtica afirmando que a nova arte dever basear-se na cincia, em particular na matemtica, como a mais exata, lgica e impressionantemente construtiva das cincias. Mas no foi s a teoria da proporo que influenciou o seus trabalhos artsticos, tambm a sua mestria em perspectiva conquistada atravs do estudo da geometria foi de grande importncia. Durante dez anos aps 1496, Drer passou de um artista relativamente desconhecido para algum com uma ampla reputao como artista e como matemtico. Continuou interessado em aprender com os italianos, mas desta vez no no domnio das artes, mas sim no domnio da matemtica. Visi-tou Luca Pacioli, Jacopo de Barbari e achou que deveria aprofundar ainda mais o seu conhecimento matemtico.

    Andrea Mantegna nasceu em 1431 na cidade de Vicenza. Foi pintor e gravador do Renascimento na Itlia. Foi o primeiro grande artista da Itlia setentrional. Embora sua obra como pintor seja magnfica, Mantegna no foi menor como gravador, embora, por no ter assinado seus trabalhos (com exceo de um nico em 1472), esta parte de sua obra seja mais historicamente obscura. O que nos chegou foi que comeou a gra-var suas placas em Roma, sob influncia de Baccio Baldini e Sandro Botticelli. Mas parece que j em Pdua teria trabalhado sob a tutela de um famoso ourives chamado Niccol. As principais seriam Triunfos Romanos, Bacanais, Hercules e Antaeus, Deuses Marinhos, Judite com a cabea de Holofenes, Deposio da cruz, Ressurreio e Madona da gruta. Sua tcnica caracterizada pelas formas fortemente marcadas e as sombras oblquas e formais. As gravuras eram executadas em fo-lhas de cobre e as edies eram tiradas em duas formas, suave, com presso manual, e usando prensa, onde a tinta mais forte. Andrea Mantegna, Madonna of Humility, 1506

    Conhea duas grandes influncias do mundo da gravura

    Albrecht Drer, Os quatro cavaleiros do apocalipse

    EDITORIALGRANDES ARTISTAS

    por Gabriel Kroeff

  • rancisco Jos de GoyaF

    Asta su Abuelo, gravura, 1797/1799

    por Giulliano Kenzo

  • 7Francisco Jos de Goya y Lucien-tes foi um pintor e gravador es-panhol nascido em Fuendetodos, Saragoa, um dos grandes mes-tres da pintura espanhola e da gravura mundial do sculos XIX e do sculo XX. Filho do mestre decorador Jos de Goya e de Gracia Lucientes, co-meou os estudos em Saragoa, ensinado pelo pintor Jos Luzn, instrudo em Npoles, professor na Academia de Desenho de Sa-ragoa. Ainda jovem conseguiu uma bolsa na Real Academia de San Fernando em Madri, onde se tornou pupilo do pintor da corte espanhola Francisco Bayeu. Foi para Itlia continuar os estudos (1770), pelos seus prprios meios, regressando no ano seguinte a Saragoa, onde foi encarregado de pintar os afrescos convencio-nais da capela de Nuestra Seora del Pilar, em Saragoa. Este gran-de trabalho foi executado em es-paos durante os dez anos seguin-tes, at que se incompatibilizou com a Junta da Baslica de Nossa Senhora do Pilar. Casou-se (1773) com a irm de Francisco Bayeu e, chamado pelo seu cunhado, passou a morar na cidade de Madri (1775). Indicado pelo cunhado, foi encarregado de pintar a primeira srie de car-tes, de um lote que acabaria em 60 pinturas (1792), para a Real

    Fbrica de Tapearias de Santa Brbara, um trabalho dirigido pelo artista alemo Anton Raphael Men-gs, um dos expoentes do neoclas-sicismo e diretor artstico da corte espanhola, com o ttulo de Primei-ro Pintor da Cmara. Tornou-se membro da Real Academia de So Fernando de Madrid, sendo ad-mitido com um quadro intitulado Cristo na Cruz, no ano de 1780. Foi ento nomeado pintor da cor-te (1786) por Carlos III, nomeao confirmada por Carlos IV. Pintou O prado de So Isidro (1787). A partir da dcada seguinte passou a de-monstrar suas inclinaes realistas (1792) derivando principalmente para o erotismo da imagem. Viajando pela Andaluzia (1792), adoeceu gravemente, s se resta-belecendo no ano seguinte, toda-via, ficou surdo. Nomeado primei-ro pintor da corte (1799) atingiu

    o auge do prestgio, e ficou no cargo at quando o trono foi ocupado (1808) por Jos Bona-parte. Depois de completar sua coleo mais clebre, Os desastres da guerra (1810-1814), na qual o artista rememora as atrocidades das invases napolenicas na Es-panha, ento voltou mais uma vez ao cargo na corte (1814) com Fernando VII, mas a restaurao do absolutismo levou-o a isolar- se na Quinta del Sordo. Produziu a coleo de gravuras Tauromaquia (1816) mostrando as faanhas e heris clebres da Plaza de Toros e depois realizou o ltimo dos seus conjuntos de gravuras e o de mais difcil abor-dagem, Os Disparates de 1819. Em 1824 mudou-se para Bor-dus, na Frana, onde morreu de-pois de quatro anos. Tambm fi-caram conhecidos os trabalhos Conde de Floridablanca (1783), os quadros oficiais do novo rei, Car-los IV, e rainha, Maria Lusa (1789), Os Caprichos (1797-1799), obra em qua-tinta com 80 gravuras e dada ao rei em troca de uma pen-so para o filho Francisco Xavier, ento com 15 anos, O Manic-mio (1799), o seu famoso retrato da famlia real espanhola (1800-1801) e terminando nos retratos, do marqus de San Adrin (1804) e de Bartil Sureda (1806), entre outros tantos trabalhos.

    Os Disparates, gravura, 1819

    Conhecido como Goya, o Turbu-lento e muitas vezes chamado de o Shakespeare do pincel. Pintou de retratos a demnios, de paisa-gens a cenas obscenas, e hoje considerado um dos grandes gra-vador de toda a Histria.

    EDITORIALPERFIL

  • 9Exposio Mestres da GravuraEsto expostas no Centro Cultural Correios, no Rio de Janeiro, 171 gra-vuras de 82 gravadores estrangeiros, do sculo XV ao XVIII, pertencen-tes a Coleo da Biblioteca Nacional.A exposio est dividida por ordem cronolgica de nascimento dos gravadores e por colees, so elas, alem, holandesa, italiana, fran-cesa, flamenga, inglesa, espanhola e portuguesa. Destacando gran-des artistas como Giovanni Battista Piranesi (Itlia) e Francisco Jos de Goya y Lucientes (Espanha), entre outros.A mostra est muito bem organizada, h lupas para que se possa ver detalhes das gravuras, mesmo daquelas que so bem pequenas; h explicaes das tcnicas, como a gravura buril; h msica ambiente, tudo contribuindo para que o pblico aproveite a exposio. As gra-vuras so originais, 27 gravuras foram restauradas para mostra e as 171 peas passaram por processo de limpeza.Curadoria de Fernanda Terra.

    Informaes:Exposio Mestres da Gravura na Coleo da Biblioteca NacionalPerodo: de 28 de julho a 18 de setembro de 2011 ter. a dom. das 12h s 19h Entrada FrancaLocal: Centro Cultural CorreiosEndereo: Rua Visconde de Itabora, 20 Centro do Rio de Janeiro-RJ

    ESTURIO - xilogravuras entre a Serra e o Mar

    A exposio compreende a produo do artista plstico Fabrcio Lopez durante a realizao do projeto Esturio - xilogravuras entre a

    Serra e o Mar, com apoio do Programa de Ao Cultural da Secretaria de Estado da Cultura.

    partir de percursos nuticos com caiaque pelos rios do esturio da baixada santista, os registros em desenho, foto e vdeo