revista ensantidade ed 18

Download Revista ENSantidade ed 18

Post on 27-Jul-2015

72 views

Category:

Spiritual

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1. Pag. 12Ano V - n18 - Outubro/Novembro/Dezembro 2014VIVNCIA DAS PRIORIDADES DO ANO 2014EXPEDIENTE:REVISTA ENSANTIDADEColegiado da Regio Gois CentroCasais Responsveis:Regional: Dbora e Marquinhodeboralemosmaia@gmail.com.Setor gua BoaMaristela e Telminomariste_m@hotmail.comSetor AnpolisHolianda e Jos Eloyczeloy@yahoo.com.Setor A GoiniaJanana e Rigonatto / rigonatto@faeg.org.brSetor B GoiniaVera e Luiz AntnioSetor UruauLcia e Nivaldomlmso31@hotmail.comEquipe de ComunicaoLu e NelsonEq. 1A - Goinialuenelson@gmail.comGislana e Jos GabrielEq. 13B - Goiniagislanacanedo@hotmail.comVera Lcia e IvoEq. 4 - Anpolissscotivera@yahoo.com.brAndria e EarleEq. 3 - gua Boaearlefrancisco@uol.com.brMarcia e GirlanEq.1 - Uruaumarciaegirlan.ens.pv@hotmail.comEditorao:Reviso final:Jornalista Responsvel: Catherine MoraesTiragem: 1.000 exemplares com imensa alegria quefinalizamos o ano com a certezade que pela intercesso de NossaSenhora alcanamos graasaceitando e vivenciando o quefoi proposto pelo Movimento dasENS, como prioridades para oano de 2014: a Escuta e aMeditao diria da Palavra deDeus e a participao anual noRetiro Espiritual.D e u s a t r a v s d a S a g r a d aEscritura nos transmite suaP a l a v r a . P a l a v r a q u e n o salimenta a alma e nos aproximaDele permitindo-nos conhec-Lo, direciona nosso caminhar,transforma nossas vidas, nosdesperta o desejo de dialogarcom Ele e ouvir Dele o que Elequer de ns.Na Meditao podemos estar ass com Deus, sentir-lhe, falar-lhe,ouvi-lo, perguntar-lhe o quenossa mente no conseguecompreender, obter as respostasque o corao deseja ouvir,sentir o amor Dele penetrandoe m n o s s o s e r , t u d o n asimplicidade do ato de silenciar.A participao no Retiro Anualp a r a o c a s a l q u e v i v ei n t e n s ame n t e a E s c u t a d aPalavra e a Meditao no souma exigncia ou uma regra aser cumprida. uma necessidade de estar a sscom Deus, num momento, numt e m p o e n u m l u g a r p a r arefletirmos sobre nossa vida emDeus e Deus em nossa vida, ondepodemos silenciar, orar, ouvir oque Deus tem a nos falar,elaborar novos passos a seremtrilhados na caminhada emd i r e o a o c r e s c i m e n t oe s p i r i t u a l e n a b u s c a d aSantidade do Casal.E s t a m o s c e r t o s d e q u e ochamado a Ousar o Evangelhonos estimula ao crescimento emc a s a l , f a m l i a , e q u i p e esociedade. A vivncia do tema doano Acolher e cuidar doshomens, tambm nos fez refletircom intensidade nossas atitudesem relao ao prximo.Atendemos exortao doS a c e r d o t e C o n s e l h e i r oEspiritual, do Casal Ligao e doCasal Responsvel de Equipep a r a v i v e n c i a r m o si n t e n s a m e n t e e c o ma u t e n t i c i d a d e t o d a s e s t a sprioridades que testemunhamosPOR VANDA DO SANDRO - Equipe 9B Goinia, Nossa Senhora Rosa Mstica 2. Pag. 02 Pag. 03Queridos Equipistas!Durante este ano tivemos ao p o r t u n i d a d e d e O u s a r oEvangelho, buscando acolher ecuidar do outro!Para iniciarmos a caminhada,primeiramente, tivemos de olharnosso interior, para reconhecernossas capacidades e limitaes.A p s o e x e r c c i o d eautoconhecimento, fizemosoutro, o de nos reconhecermoscomo filhos(as) amados domesmo Pai, que acolhe, cuida eensina a lio. Cheios desseamor, partimos em busca dooutro, para curar suas feridas,abrigar, amar e dar conformesuas necessidades (captulos 1 e2)!Mais adiante, refletimos sobrenossa escolha, viver o evangelhoa dois para depois expandir famlia (captulos 3, 4 e 5).Nestes captulos, vimos que noh p r o b l e m a e m t e r m o sp r o b l e m a s , o v e r d a d e i r oproblema existe quando no hDeus! Pois somente Ele, capazde restaurar e transformar guaem vinho da melhor qualidade.Nos captulos 6, 7 e 8, fomosimpelidos a refletir que serequipista, em nossa casa e noseio das ENS, pode ser fcil,entretanto nossa misso iralm! Devemos avanar (igrejaem sada), conforme nos pede oPapa Francisco. Buscar o outro,que talvez, no conhea o amorde Cristo, e que a forma maisperfeita de acolher, usar demisericrdia.Ser catlico, estar de acordocom o todo, portanto, nopodemos ser coniventes comexcluses, cabe-nos, o cuidadocom a nossa famlia, com a nossacomunidade e com o mundo!Devemos ser sementes do bem econstrutores da paz.P a r a p o s s i b i l i t a r n o s s ocrescimento durante este ano, omovimento props algumasmedidas concretas: presena noretiro e nfase na Escuta daPalavra! Certamente, quemseguiu esta dinmica, pdechegar ao balano e dizer: OSenhor fez em mim, na minhafamlia e na minha comunidadem a r a v i l h a s ! L o u v e m o s eagradeamos, pois Ele, querealiza em ns, o nosso querer e onosso fazer, segundo Vossamisericrdia (Fil. 2,13).Desejamos a todos um Natalverdadeiro, em que o maiorpresente, seja o nascimento deJ e s u s , n o s v o s s o s l a r e s ecoraes!Desejamos tambm, um feliz2015, com a esperana deestarmos cada dia mais prximosda santificao! Que tenhamosd i s p o s i o p a r a O u s a r oevangelho, discernir os sinaisdos tempos (tema de 2015) epartir para a ao no mundo!EXPANSO DO MOVIMENTO DAS ENSPOR GISLANA E GABRIEL - Equipe 7 Setor BTodo movimento que prima pelasua permanncia necessita dee x p a n s o, e x p a n s o e s t fundamentada na qualidade deseus componentes e no naquantidade. Esta tem sido agrande preocupao que asEquipes de Nossa Senhora vemh tempos trabalhando, crescerd e f o r m a e q u i l i b r a d a ,conquistando casais que seidentifiquem e se apaixonempelo movimento.Para tanto necessrio umaestrutura bem definida para aapresentao do movimento aosc a s a i s a s p i r a n t e s a e s t eapostolado. Esta preocupao deexpanso j vem desde 1958,quando casais da equipe 5 de SoPaulo, criaram os crculosfamiliares como meio de levar oscasais que ainda no estivessem"maduros" para as equipes, areceberem durante 12 a 18meses uma formao que osc o l o c a r i a em c o n d i o d ea s p i r a r a um c r i s t i a n i smoa d u l t o. N a s c i a a a , h o j e ,e x p e r i n c i a c o m u n i t r i a ,p r e c e d i d a p o r o u t ro s d o i snomes, as pr-equipes e aCaminhada. de fundamental importnciaque a experincia comunitriaseja bem conduzida, comeandoc o m a e s c o l h a d o c a s a lorientador e do sacerdote, queestejam comprometidos com amisso, iniciando a a catequesedo movimento. Para tanto,tambm necessrio que omovimento seja composto decasais preparados para o SIM,para a doao ao movimento ec o n s e q u e n t eme n t e p a r a aformao de novos equipistasc o m p r o m e t i d o s .As Experincias Comunitrias,q u a n d o b e m c o n d u z i d a s ,contribuem para que a expansodo movimento das ENS se faade forma sustentada, continua esem inchao. Sua metodologiapossibilita um entendimentoamplo de vivncia comunitria ecatequtica, levando os casaisparticipantes a identificarem ouno com os compromissos que avivncia equipista ir exigir aolongo da caminhada.Esta expanso tambm contacom a grande participao dosConselheiros Espirituais (SCE),que possibilitam e apoiam adivulgao do movimento emsuas parquias, indicam eassistem casais para a iniciaoda Experincia Comunitria.S e m e s t a c o l a b o r a o , omovimento pode estar fadado apatinar, por vezes, chegando aof i n a l d a E x p e r i n c i aComunitria sem sucesso, comnmero insuficiente de casaisp a r a a c o n s t i t u i o econtinuidade da equipe.Para os casais equipista quetenham alguma indicao para om o v i m e n t o o u c a s a i s q u edesejam informaes, contamoscom casais estrategicamentedistribudos em nossa regio,c a p a c i t a d o s a l e v a r a sinformaes necessrias para aformao de novas equipes, soeles:Goinia - Setor A: Janaina e Rigonatto.(62). 9255-2178 / 9135-7765"Se a unio com Cristo para vocs o essencial, e se as ENS lhes parece o meio providencial paraalcan-lo, ento eu lhes digo que as Equipes devem ocupar um lugar essencial nas suas vidas."(Pe. Caffarel ).PEDIDOS DE ORAO:PEDIMOS ORAES PARA OS SCE/ AET DO SETOR ANPOLISPe. Luiz Lemos | Pe. Roberto Csar | Pe. ThiagoFrei Jos Domingos | Ir. Nina | Ir. Solange | Ir. Maria4 ltimos lugarespara Terra Santacom o Pe CledimarMoreira, reserve jo seu!Informaes e reservas: 62. 3092-Mrcia e Junior - Equipe 4A Nairene e Ccero - Equipe 2 - Uruau 3. 62 3233 3710Rua Santa Luzia, N 593 - Campinas - Goinia - GOvegatextil@hotmail.comCALENDRIOLuciane e Eroni - Equipe 1AARTIGO:POR MARIA ELENA E JLIO CSAR - Equipe 02 Nossa Senhora do Perptuo Socorro - Setor AnpolisTempo suficiente para o casal sepreparar e programar paraatender ao CONVITE.Alm de todos os momentos davida em Equipe e/ou Movimentoq u e e s t o i n s e r i d o s n ocalendrio/convite, a ReunioFormal uma Celebrao e comotal o Celebrante (SCE ou AE)est l presente e aguardando osCONVIDADOS.O Movimento no se importa,alis se alegra, com os casais quev o s f e s t a s , c e r im n i a s ,p a s s e i o s o u o u t r a scomemoraes...O Movimentose no importa que vamos para ofutebol e participar da resenha(sem excessos), pescaria, aosnossos happy hour...O Movimento como um todo seentristece e chora quandoalguns casais no atendem seuCHAMADO/CONVITE e quandoatendem o fazem como a ltimaopo.Cuidemos para no corrermos orisco de sermos dispensados doBANQUETE!Em Outubro foram escolhidos osnovos Casais Responsveis dasO CHAMADO...Tendo ouvido isso, um dos que estavam junto mesa disse a Jesus: Feliz quem come o po no Reino de Deus! Elerespondeu: Algum deu um grande banquete e convidou muitas pessoas. Na hora do banquete, mandou seu servo dizeraos convidados: Vinde! Tudo est pronto. Mas todos, um a um, comearam a dar desculpas. O primeiro disse: Compreium campo e preciso ir v-lo. Peo que me desculpes. Um outro explicou: Comprei cinco juntas de bois e vou experiment-las.Peo que me desculpes. Um terceiro justificou: Acabo de me casar e, por isso, no posso ir.O servo voltou e contou tudo a seu senhor. Ento o dono da casa ficou irritado e disse ao servo: Sai depressa pelas praase ruas da cidade. Traze para c os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos. E quando o servo comunicou: Senhor, o quemandaste fazer fo