Revista Crescendo Juntos [32 Edio]

Download Revista Crescendo Juntos [32 Edio]

Post on 26-Jul-2016

214 views

Category:

Documents

1 download

DESCRIPTION

Revista Crescendo Juntos [32 Edio]

TRANSCRIPT

  • Uma publicao do Setor de Comunicao do Centro Educacional da Fundao Salvador Arena Tiragem: 2.500 exemplares

    Alunos reprteres e fotgrafos:Caio RentscherErika Brassel OrellanaEverton Martins de SousaFellipe SenaGabriel GradinGiovanna GalindoIngrid TrindadeKarina MotodaLucas YamauchiThais de Godoy Rabelo

    Colaborao (reportagem e fotografia):Fbio SouzaFernanda Hitomi HyodoHelena Cristina SantosLaura Stocco Felicio Wendel Oliveira

    EXPEDIENTEProjeto Grfico: Comunicao - CEFSADiagramao: Wendel OliveiraVerso on-line: Fernanda HyodoFotos: Arquivos do CEFSARedao e Reviso: Srgio MartinsResponsveis: Luiz Henrique Pion Vieira e Helena Cristina

    CENTRO EDUCACIONAL DAFUNDAO SALVADOR ARENA

    Estrada dos Alvarengas, 4.001 Bairro Alvarenga CEP 09850-550So Bernardo do Campo - SP Tel.: (11) 4359-6565www.cefsa.org.brwww.fundacaosalvadorarena.org.br

    Chegamos ao ms de dezembro e estamos prestes a concluir mais uma jornada: o ano de 2015! Porm, an-tes de iniciarmos os preparativos para as comemoraes e para a chegada de um novo ano, extremamente importante que faamos uma avaliao de tudo o que aconteceu ao longo desse perodo que ora se encerra.Se isso verdade no campo pessoal, torna-se ainda mais significativo para instituies de ensino. Para o Colgio Termomecanica e a Faculdade de Tecnologia Termomecanica, unidades educacionais do CEFSA, 2015 foi um perodo extremamente proveitoso, repleto de eventos, realizaes e conquistas, tanto para os profissionais de ensino como para os alunos e familiares. Esta edio da Crescendo Juntos traz uma pequena amostra de tudo o que aconteceu nesse perodo, contemplando os fatos que mais se destacaram neste segundo semestre: a visita do escritor Jlio Emlio Braz a uma de nossas bibliotecas; o megaespetculo Branca de Neve e os Sete Anes, que abrilhantou o palco do Teatro Eng. Salvador Arena, emocionando mais de 18.000 pessoas das mais diversas idades; os shows musicais da Banda Som da Casa, que encantou alunos, funcionrios e familiares; as palestras sobre os mais diferentes temas, dirigidas a alunos do Colgio e da Faculdade; o Torneio de Robtica, que conquistou os alunos do Ensino Fundamental, e muito mais.Vale a pena tomarmos conhecimento de tudo o que de melhor aconteceu em nosso Centro Educacional neste ano. Afinal, para que tenhamos um 2016 com mais realizaes e sucesso, precisamos ter o mximo de informaes sobre este ano que se finda. Essa a proposta de nossa revista.

    Boa leitura.

    EDITORIALColaborao: Srgio Martins

    2 Crescendo Juntos

  • DICAS CULTURAIS

    A Noiva CadverAluna: Giovanna MombelliCurso/turma: 2 Srie do EM - VespertinoDireo: Tim BurtonGnero: animaoSinopse: a animao narra a histria de Victor, um rapaz franzino e um tanto tmido, que s vs-peras de seu casamento decide ensaiar seus votos matrimoniais em uma floresta afastada; acaba, acidentalmente, casando-se com Emily, a noiva cadver. Victor conhece ento o mundo dos mortos e precisa decidir-se entre sua verdadeira noiva, Victoria, ou Emily.

    Exposio Frida Kahlo - Conexes entre mulheres surrealistas no MxicoAluno: Everton Martins de Sousa Curso/turma: PG 5Instituto Tomie OhtakeEndereo: R. Corops, 88 - Pinheiros, So Paulo - SP, 05426-010Telefone: (11) 2245-1900 Horrio de funcionamento: de tera a domingo, das 11h s 20hPreo: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) e s teras-feiras a entrada franca.Sinopse: a exposio da pintora surrealista Frida Kahlo, que est no Instituto Tomie Ohtake, mostra diversas obras da artista, nas quais ela retrata seus sofrimentos, paixes, emoes e temores. O acervo conta com diversas pinturas de todos os tamanhos da famosa pintora mexicana, exibindo tambm obras de outras pintoras surrealistas daquele pas, que retratam igualmente suas crticas, desejos e sentimentos nas suas obras. Alm dessas atraes, a exposio apresenta amostras das roupas tpicas usadas por Frida, bem como fotos, jornais e diversos itens da histria da pintora.Um passeio cultural muito interessante para ir com amigos nas horas livres! Recomendo!

    ExtraordinrioAluna: Fernanda Letcia da Silva Santos Curso/turma: 9 Ano C EF IIAutora: R. J. PalacioGnero: infanto-juvenilSinopse: O livro conta a histria de um garoto que sofre de uma doena rara, que deixa sua face distorcida. O enredo mostra as dificuldades e desafios do menino para se socializar com os colegas da sala de aula. O mais interessante que a autora foca em vrios aspectos, principalmente na vida dos parentes mais prximos, quando se deparam com algo diferente como essa sndrome. O desfecho da histria, no entanto, acaba por ser encorajador e revigorante.

    FILME

    LOCAL

    LIVRO

    3Crescendo Juntos

  • 4 Crescendo Juntos

    A prtica de esportes tem ocupado cada vez mais espao nas pautas pedaggicas, quando o assunto o desenvolvimento fsico e intelectual dos alunos. Isso porque, alm de contribuir para a melhoria da sa-de das crianas, trazendo inmeros benefcios j conhecidos pela prtica de atividades fsicas, o esporte na es-cola auxilia tambm no desenvolvi-mento individual e social do aluno. Em grupo ou individualmente, cada modalidade esportiva desenvolve no aluno valores distintos: praticando esportes em grupo, como vlei, bas-quete e futebol, as crianas aperfei-oam o esprito de unio, de respon-sabilidade para com as expectativas dos outros, alm de criar a percep-o do valor individual de cada inte-grante para o bom entrosamento da equipe. J nos esportes individuais, como tnis de mesa, natao e atle-tismo, os alunos desenvolvem valo-res como a independncia, a discipli-na, o foco e a percepo da fora do prprio empenho. No Colgio Termomecanica, os es-portes sempre tiveram destaque na formao dos alunos. Alm de ofe-recer aulas no contraturno de vlei, basquete, futsal, futebol de campo, tnis de mesa e atletismo, o colgio disponibiliza aos alunos toda a infra-estrutura necessria para incentiv--los a treinar com afinco: o comple-xo esportivo em suas dependncias conta com quatro quadras de espor-tes, duas cobertas e duas ao ar livre, campo de futebol com dimenses

    Esportes & Escola Colaborao: Fernanda Hitomi Hyodo

    oficiais, alm de duas piscinas, sen-do uma delas semiolmpica. Neste ano, sob a orientao dos professores Wilson Rescigno, Mar-celo Felix, Edneia Bassoli, Gustavo Scarite e Jos de Paulo Lara, nos-sos alunos trouxeram para casa um total de 10 medalhas, sendo 6 de ouro, 2 de prata e 2 de bronze, con-quistadas no Campeonato Circuito Escolar e no Torneio da Federao Paulista de Volleyball.Apesar dos excelentes resultados, as medalhas so apenas uma parte da conquista. Os alunos que partici-pam das equipes esportivas treinam arduamente, aps o horrio de aula,

    durante todo o ano letivo. Alm dos trabalhos escolares e das provas, eles se dedicam tambm ao time e aos treinos, tornando-se campees no dia a dia, na dedicao constan-te nas quadras e nas salas de aula.No existe uma frmula certa para alcanar grandes resultados nos es-portes, mas, com toda a certeza, o Colgio Termomecanica possui os melhores ingredientes: uma boa infraestrutura, alunos dedicados e grandes profissionais.Parabns a todos os alunos e pro-fessores, por toda a dedicao e empenho neste ano repleto de conquistas!

    MODALIDADE

    VEJA A CLASSIFICAO DE NOSSAS EQUIPES:CAMPEONATO CIRCUITO ESCOLAR

    Confira as fotos do campeonato em: www.cefsa.org.br/esportes2015

    FEDERAO PAULISTA DE VOLLEYBALL

    MODALIDADE

    Basquete sub 12 masculino

    Sub 14 feminino

    Basquete sub 14 masculino

    Sub 15 masculino

    Basquete sub 17 masculino

    Futebol Society sub 12 masculino

    Futsal sub 14 masculino

    Tnis de mesa

    Vlei sub 12 feminino

    Vlei sub 17 feminino

    Vlei sub 17 masculino

    CLASSIFICAO

    CLASSIFICAO

    3 lugar (Srie Ouro)

    3 lugar (Srie Ouro)

    Campeo (Srie Ouro)

    Campeo (Srie Prata)

    Vice-Campeo (Srie Prata)

    Campeo (Srie Ouro)

    Vice-Campeo (Srie Ouro)

    4 lugar na classificao geral

    Campeo (Srie Prata)

    Campeo (Srie Ouro)

    Campeo (Srie Ouro)

  • Jlio Emlio BrazVisita Nossa Biblioteca

    Colaborao: Laura Stocco Felicio

    Livro: Pretinha eu?de Jlio Emlio Braz

    Uma biblioteca no pode ser feita s de livros. Sua alma constituda por gente: os profissionais que nela trabalham, os consulentes (ou seja, aqueles que consultam no CEFSA so os alunos, professores e funcionrios) e, por que no? os autores dos livros. Por isso, nossas bibliotecas esto sempre recebendo escritores, como foi o caso do autor Jlio Emlio Braz que, no dia 16 de setembro, visitou a Biblioteca do Ensino Fundamental II para conversar com os alunos dos 6os anos a respeito do livro Pretinha, eu?.

    Em entrevista Crescendo Juntos, Jlio destacou a importncia do contato do au-tor com o leitor: Eu gosto desse conta-to, sem sombra de dvidas! O que me chama ateno o seguinte: apesar do sculo XXI, das tecnologias avanadas, o autor ainda tem um certo fascnio sobre as pessoas (...) Como o autor ainda exer-ce esse fascnio no pblico, esse fascnio pode ser utilizado como uma maneira de incentivar a leitura.Nesse sentido, a biblioteca, inserida no meio educacional, tem o papel funda-mental de mediar esse contato como for-ma no apenas de auxiliar no processo de ensino-aprendizagem, mas de estabelecer um eixo cultural que conecta os leitores a discusses externas ao ambiente escolar. A apropriao do saber se torna, dessa ma-neira, estritamente vinculada ao estmulo do senso crtico. Um exemplo disso foi a atividade planeja-da pela coordenao pedaggica do CEFSA em parceria com a biblioteca, colocando a questo do preconceito racial como pauta da discusso, contedo vinculado ao plane-jamento de Lngua Portuguesa e aos temas transversais (Parmetros Curriculares Nacio-nais). Em conversa com os alunos, o autor de Pretinha, eu? revelou os motivos que o fizeram escrever o livro e destacou: Eu falei com eles que uma coisa triste que esse livro no novo; ele tem mais de 20 anos e o preconceito ainda um assunto atual. Segundo ele, h um recrudescimen-to do preconceito racial e religioso, alm do

    crescimento da intolerncia.Ao final da conversa, Jlio ressal-tou que a leitura uma forma de adquirir autoestima e estabelecer conquistas; o contato do autor com os alunos seria uma alterna-tiva para transformar a educao no Brasil. A verdadeira revoluo se faz pela educao!, finaliza.Com certeza, aps esse contato com o autor, os alunos tiveram uma viso bem mais ampla e aprofundada do livro que leram e das ideias nele contidas.

    5Crescendo Juntos

    Jlio Emlio Brazem um bate-papo com os alunos do CEFSA

  • Mais de 18 mil espectadores assis-tiram ao espetculo musical Bran-ca de Neve e os Sete Anes no Teatro Engenheiro Salvador Arena, durante o ms de setembro. Foram 30 sesses gratuitas apresentadas a um pblico formado por alunos e colaboradores do Centro Educa-cional da Fundao Salvador Are-na, da empresa Termomecanica So Paulo S. A., participantes de entidades sem fins lucrativos par-ceiras da Fundao Salvador Arena e estudantes da rede municipal de ensino da cidade de So Bernardo do Campo. A iniciativa, que faz parte de um projeto da FSA visan-do promoo do acesso cul-tura e educao de qualidade na regio, integrou as comemoraes do centenrio de nascimento do Engenheiro Salvador Arena.Branca de Neve um dos contos de fadas mais conhecidos no mun-do todo. A maioria das crianas - e adultos tambm - j leu, ouviu fa-lar ou assistiu singela histria da bela e inocente princesa que per-seguida pela cruel e invejosa rai-nha. Mistrio, magia e encanto so os elementos bsicos do conto. E quando essa histria encenada por um elenco de primeira apoiado

    Texto: Fbio SouzaEntrevistas: Karina Motoda e Giovanna Galindo

    pelos mais modernos recursos au-diovisuais, ela se torna ainda mais emocionante. Foi por isso que a crianada que assistiu a esse espe-tculo se envolveu completamen-te, assim como muitos idosos que chegaram a chorar de emoo, ao ver uma pea de teatro to bem montada pela primeira vez. Branca de Neve foi, sem dvida, uma das mais espetaculares apre-sentaes j vistas no Teatro En-genheiro Salvador Arena. Tudo foi

    grandioso: o cenrio, o figurino, as msicas, os efeitos especiais (inclu-sive com neve e bolhas de sabo), enfim, uma superproduo que certamente ficar na memria das crianas, jovens e adultos que na plateia se entusiasmaram com o antigo, mas inesquecvel conto de fadas.Reinaldo Nunes, educador do Corpo de Patrulheiros Mirins da cidade de Santo Andr, acompanhou um gru-po de mais de 200 crianas durante o

    Eu no imaginava que fosse me divertir tanto. Deu vontade

    de subir no palco e voltar outras vezes.

    6 Crescendo Juntos

  • espetculo e, ao final, fez o seguin-te relato: Vi meus alunos vibrarem na plateia e no tem sensao me-lhor que essa, principalmente por-que a gente sabe que nem todos tm esse tipo de oportunidade e podem passar a vida sem ir ao te-atro.A aposentada Terezinha Buzo, atendida pela Casa dos Velhinhos Dona Adelaide, de So Bernardo do Campo, conta como foi a ex-perincia de assistir a uma pea de teatro pela primeira vez, aos 75 anos. Eu no imaginava que fosse me divertir tanto. Deu vontade de subir no palco e de voltar outras vezes. Fico muito agradecida pela oportunidade oferecida a mim e aos meus colegas, disse logo aps assistir a uma das sesses da pea.A atriz Vanessa Ruiz, que interpre-tou a protagonista da histria, a personagem Branca de Neve, fala da importncia do incentivo ao teatro, principalmente no perodo escolar: Esse tipo de iniciativa aju-da a contar os desafios do teatro.

    Os interessados na rea precisam saber que a vida de um artista no s no palco, que precisa de muito estudo e dedicao. Quando soli-citada a falar sobre os desafios de apresentar uma pea infantil, Va-nessa respondeu que as crianas entram na histria desde o incio e isso tambm ajuda a dar ainda mais vida ao personagem. Os adul-tos precisam ser conquistados aos poucos, mas tambm se rendem fico. O teatro isso: uma troca entre o elenco e a plateia.O espetculo Branca de Neve en-trou para a histria da Fundao Salvador Arena, que procura pro-mover atividades culturais sema-nalmente para o pblico atendido pelo Centro Educacional e/ou para a comunidade local. uma opor-tunidade para os alunos, que tm uma formao mais completa, j que proporciona inmeras ativida-des extracurriculares, e para a co-munidade local, que tem acesso cultura de qualidade e no precisa pagar nada por isso.

    7Crescendo Juntos

    Cenas do espetculo teatral Branca de Neve e os Sete Anos, no Teatro

    Eng. Salvador Arena

  • Para os historiadores, 1915 no representa nenhum marco histrico relevante. Nesse ano, o mundo, es-pecialmente a Europa, experimen-tava os mais tenebrosos horrores da I Guerra Mundial; Albert Einstein publicava sua teoria da relatividade geral, e no Brasil, sob o governo de Venceslau Brs, era sancionado o primeiro Cdigo Civil.

    Mas, para ns, um fato aparente-mente banal adquire uma importn-cia histrica imensa: o nascimento de um menino na Lbia, na poca, colnia italiana, no dia 12 de janeiro. Seu nome: Salvador Arena. Acom-panhando seus pais, que emigram para o Brasil, esse menino cresce, forma-se engenheiro, inicia sua prpria empresa e se transforma num dos maiores empreendedores da histria econmica de nosso pas.

    8 Crescendo Juntos

    Colaborao: Ingrid Trindade Mendes, Caio Hernandes Rentschler, Gabriel Gradin Maciel da Silva e Helena Cristina

  • por essa razo que este ano de 2015 adquire uma importncia toda especial na histria da Funda-o Salvadora Arena: nosso patro-no completaria 100 anos de idade. Apesar da sua ausncia e da sau-dade que ele deixou, no podemos deixar de comemorar essa data, pois o legado deixado por ele, a cada ano que passa, gera mais e mais frutos para nossa sociedade.Foi com esse objetivo, portanto, que a Fundao Salvador Arena preparou vrias aes que foram desenvolvidas no decorrer deste perodo para homenagear seu ines-quecvel fundador. Para isso, pde contar com toda a equipe de fun-cionrios que realizaram as tarefas com muito carinho e dedicao. Dentre os eventos realizados, des-tacamos a releitura de algumas fo-tos marcantes de Salvador Arena, feitas por alunos do Ensino Mdio do Colgio Termomecanica e dis-ponibilizadas na agenda escolar e no Manual de Orientao do Col-gio e da FTT. Alm disso, foi criado um selo comemorativo, utilizado durante o ano todo nas papelarias da instituio. Obviamente, no poderiam fal-tar as relquias, aqueles objetos que tinham um significado muito especial para nosso patrono. Por isso, foi montada uma exposio de fotos, medalhas e pertences do fundador, no CDMR e, poste-riormente, no show room da Ter-momecanica. E j que falamos em objetos pessoais, seria imperativo recriar um dos locais onde ele per-maneceu a maior parte do tempo: foi ento apresentada uma rplica do seu escritrio no foyer do Teatro Eng. Salvador Arena.

    O campo virtual tambm no foi deixado de lado: para isso, foi criada uma exposio da linha do tempo, contando a histria de Sal-vador Arena, com fotografias digi-tais em tablets, no CEFSA e nos es-paos culturais da Termomecanica. Paralelamente a isso foi publicada uma edio especial da Revista Crescendo Juntos, com matrias interessantes sobre seus sonhos, paixes, legado e amizade. E, finalmente, no poderamos deixar de citar a apresentao do espetculo Branca de Neve e os Sete Anes, que em sua estreia pde contar com clientes, parcei-ros e fornecedores importantes da Fundao Salvador Arena e da Termomecanica e mais 30 sesses destinadas a alunos, funcionrios, convidados e alunos de escolas pblicas.

    O Engenheiro Salvador Arena dei-xou-nos um legado fantstico, representado pela Fundao Sal-vador Arena, no s por sua obra, mas principalmente pelos valores e virtudes por ele preconizados, que esto sendo transmitidos ao longo do tempo a milhares de crianas, adolescentes e jovens. Nada mais justo, portanto, que faamos homenagens, tantas quantas forem necessrias, para reverenciar sua memria e seus inestimveis ensinamentos.

    Evento centenrio: apresentao do espetculo Branca de Neve

    Releitura do escritrio do Engenheiro Salvador Arena

    Crescendo Juntos - edio especial

    Engenheiro Salvador Arena

    9Crescendo Juntos

  • A banda Som da Casa continua firme na sua misso de desenvol-ver o talento dos alunos que se inscrevem para atuar como m-sicos e despertar naqueles que assistem aos espetculos a sensi-bilidade e o gosto musical.No ms de outubro, nossa pres-tigiosa banda apresentou no Te-atro Engenheiro Salvador Arena os shows O Circo Musical e O Grande Circo Mstico, com a participao especial do Coro Infantil do CEFSA e de artistas circenses convidados, o que en-riqueceu ainda mais o evento. O resultado de todo esse empenho foi o pblico aplaudindo a apre-sentao em p.O Grande Circo Mstico foi ins-pirado na trilha sonora de um fa-moso lbum musical que fez mui-to sucesso na dcada de 1980, com msicas compostas por Chi-co Buarque de Hollanda e Edu Lobo, interpretadas por grandes nomes da MPB como Gal Costa, Gilberto Gil, Simone, Tim Maia, Jane Duboc e Zizi Possi, totalizan-do 11 composies. O curioso que essas canes foram feitas sob encomenda pelo Grupo de Ballet Guara para um espetculo inspirado pelo poema surrealista de Jorge de Lima, O Grande Cir-co Mstico, escrito em 1938, e publicado no livro A Tnica In-constil.J para o show O Circo Musical, a escolha do repertrio foi pensa-da para agradar as crianas, mas o espetculo tambm agradou os adultos, pois foram includas al-gumas msicas mais antigas que certamente os levaram a fazer uma viagem no tempo.

    10 Crescendo Juntos

    Alunos da Banda Som da Casa em apresentao no palco do Teatro

    Eng. Salvador Arena

  • A Banda Som da Casa foi formada em 2008 com o intuito de integrar no Ncleo de Msica alunos com formao instrumental popular, como bateria, contrabaixo e gui-tarra eltrica, alm de possibilitar a performance solo dos cantores, e desde ento tem se apresentado anualmente no Teatro Eng. Sal-vador Arena, sempre com shows bem organizados e do inteiro agra-do popular.O grupo de msica do CEFSA formado por alunos do Colgio Termomecanica e da Faculdade de Tecnologia Termomecanca, e faz parte de umas das atividades ex-tracurriculares oferecidas pela ins-tituio, que tem como um de seus objetivos oferecer a mais completa formao cultural aos estudantes. A professora da banda, Aline Fon-seca, assim se expressou sobre os ltimos espetculos: As apresen-taes do Circo Musical foram repletas de alegria; deu para sentir do palco a interao das crianas; foi muito emocionante. J O Gran-de Circo Mstico foi um espetculo de magia, encanto, interpretao e boa msica. Parabns aos talento-sos alunos pelo empenho e dedi-cao.Para o aluno Kevin da 2 Srie do Ensino Mdio, pianista e tecladis-ta da banda, a banda tem uma grande importncia para todos os integrantes, principalmente por participar de uma fase muito marcante em nossas vidas, o en-sino mdio. Com a banda ns ti-vemos contato com vrios estilos musicais, e com uma diversidade de aprendizados em cada msica, ajudando na construo de nosso carter e como pessoas tambm.

    Alm disso, para os alunos, a ban-da uma forma de descansar du-rante a semana, fazendo algo de que ns gostamos. A importncia para a escola que a banda faz parte da formao cultural e musi-cal dos alunos; estes, quando assis-tem s apresentaes, podem ser influenciados e formarem diferen-tes vises sobre a msica

    Banda Som da Casa - Matutino:Fbio Fernandes Cunha

    Ian Poli TavaresIsabela Mariano Rosa

    Isabella CarvalhoKevin Kirsten Lucas

    Leonardo FerriLuiz Guilherme Oliveira

    Sabrina Ferreira

    Banda Som da Casa - Vespertino:Arthur StivanelloBeatriz Rogatto

    Joo Marcos AyresJoo Victor CanutoKevin Kirsten Lucas

    Leonardo FerriWalace Gomes

    *Charanga:

    Carla Petravicius Daniel Lossa Altmann

    Eduardo TatsumiGabriel de Freitas

    Isaac RibeiroJonatas Joo da Silva

    Kamilla BodiLeonardo Moraes

    Letcia BenettiRodrigo Cndido

    Walace Gomes

    Companhia Circo do Asfalto:Fran e Douglas

    Direo Musical:

    Aline Fonseca Esposito

    *Charanga uma banda composta apenas por msicos de instrumentos de

    sopro (madeiras e metais) que geralmen-te tocam msicas festivas e populares,

    frequentemente marchando.

    Colaborao:Karina Motodae Giovanna Galindo

    11Crescendo Juntos

  • Colaborao: Helena Cristina

    H muito tempo que psiclogos, professores e estudiosos da educao vm pesquisando sobre a importncia do videogame no processo educacional de crianas e jovens. Os jogos de com-putador deixaram de ser simples entretenimento e passaram tambm a servir como ferramenta pedaggica, amplamente uti-lizada nas mais conceituadas instituies de ensino do mundo.

    12 Crescendo Juntos

    Pensando nisso, o CEFSA promo-veu, no ltimo dia 29 de outubro, um evento muito especial para os alunos do Ensino Fundamental II, o Areninha em Debate, com o ob-jetivo de desenvolver o tema Uni-verso dos Games, escolhido pela equipe pedaggica especialmente para trazer aos alunos um assunto bem conhecido por eles, em um formato ldico e interativo.Para criar um clima mais envol-vente, a Orquestra Filarmnica do CEFSA recebeu os alunos no Teatro Engenheiro Salvador Arena com a trilha sonora dos jogos Super Ma-

    rio Bros e Mortal Kombat, que sur-preendeu a plateia.Em seguida, os alunos participa-ram de uma mesa-redonda com profissionais da rea de games: Gustavo Nogueira de Paula (da rea de educao); Luiz Carlos Souza Silva (do mercado de traba-lho); Fred Vasconcelos (diretor de uma empresa criadora de games) e Andrea Jotta (psicloga e pes-quisadora da rea).Logo aps a mesa-redonda, foi apresentada uma palestra sobre o tema Como o game no virar um problema, ministrada pela psic-loga Andrea Jotta, que, alm de sua formao acadmica, estuda e pesquisa sobre o que vem acon-tecendo com o ser humano, as mdias tradicionais e a sociedade frente s ferramentas tecnolgicas contemporneas, como a inter-net, sites de relacionamento, re-des sociais, comunicadores instan-tneos, Twitter, games, Facebook,

    entre outros.

    Ao final do evento e para encerr--lo com chave de ouro, os alunos do 9 Ano participaram da oficina Criao de APP, na qual pude-ram entender quais so as etapas de criao de um aplicativo, desde o projeto, passando pela idealizao e chegando programao, tudo com conhecimentos prticos, o que permitiu que os alunos aprendessem a desenvolver o seu prprio aplicati-vo e ao final da oficina o apresentas-sem aos colegas.Segundo a professora Gisleine Dias, coordenadora do Ensino Fundamen-tal II, muito importante promover esse tipo de evento aos alunos dessa faixa etria, pois, acreditamos que um momento de interagirem com novas tecnologias, viabilizando uma viso holstica sobre o assunto.O evento Areninha em Debate agradou em cheio os alunos que dele participaram e mostrou com absoluta clareza que criar e desen-volver videogame no brincadeira!

    Alunos da Orquestra do CEFSA

    Palestrantes em apresentao aos alunos Instrutora da Oficina de Criao de APP

  • Conhecimento, uma simples pa-lavra, mas cujo significado nos remete s maiores conquistas cientficas, tecnolgicas, sociais e econmicas da humanidade. gra-as ao conhecimento que os povos superam suas limitaes, evoluem e alcanam novos estgios de pro-gresso. E foi justamente em nome do conhecimento que o Colgio Termomecanica promoveu, no dia 27 de agosto, o Arena em Debate, evento focado na atuao dos pro-fissionais da rea de Matemtica na sociedade contempornea.

    Com o intuito de estimular o co-nhecimento e o senso crtico dos alunos sobre a importncia do co-nhecimento nas suas mais diversas reas, o evento reuniu um con-junto de palestras ministradas por

    renomados profissionais, cada qual especializado em um dos diferentes segmentos da matem-tica.As palestras deram des-taque aos seguintes temas: a presena da Matemtica no merca-do financeiro, a atuao de um cientista no Brasil atual, o desenvolvimento econmico internacional visto pelo ngulo da Ma-temtica, a Astronomia e suas bases fsicas e mate-mticas para o estudo do universo e, por ltimo, uma conscientizao sobre os deveres e requisitos para a formao de um profissional capacitado e tico, tanto no meio profissional quanto no social, para a construo de uma sociedade mais digna e justa.Para encerrar o evento, foi apresentada a pea Einstein, Arte e Cincia no Palco, monlogo denso de representao do pensamento e dos fa-tos histricos que marcaram a vida do famoso cientista, transmitindo plateia as etapas e a evoluo do processo de desenvolvimento de suas principais teorias e descobertas no campo da Fsica. As palestras e eventos apresentados no Arena em Debate constituram-se em mais um esforo do Colgio Termomecanica no sentido de desenvol-ver os conhecimentos, habilidades e competncias de seus alunos, tendo em vista a construo de um futuro melhor para todos.

    Reinaldo Domingos em palestra sobre

    educao financeira para os alunos do CEFSA

    13Crescendo Juntos

  • O rob j faz parte da nossa realidade h bastante tempo. Ele est presente nas fbri-cas, executando servios de alta periculosi-dade aos humanos; nos ambientes inspitos ou inseguros, como no fundo do mar ou na cratera de um vulco e at na medicina. Sendo assim, o estudo da robtica, cincia que alia os conceitos de informtica, me-cnica e eletrnica, na escola de extrema importncia no mundo atual. Ciente disso, o Colgio Termomecanica incluiu essa disci-plina em seu currculo h bastante tempo, tendo em vista que esse conhecimento con-tribui significativamente para a plena forma-o de seus alunos.

    Colaborao: Fbio Souza

    14 Crescendo Juntos

  • Uma das formas de estimular ainda mais a participao dos alunos nes-sa matria foi a criao do Torneio de Robtica, que neste ano che-gou sua quarta edio. Mais de 500 alunos do Ensino Fundamental marcaram presena neste evento, o IV Torneio de Robtica do Col-gio Termomecanica, realizado no ltimo dia 29 de setembro. Eles programaram robs para executar tarefas relacionadas ao tema do torneio deste ano: a sala de aula do futuro. As propostas de tecnologias em sala de aula foram discutidas pelos estudantes desde o incio do ano e apresentadas durante a dis-puta.A instituio premiou o melhor trabalho terico e as trs melho-res equipes do torneio. A equipe do estudante Vincius Ramirez, do 7 Ano B, foi a primeira colocada na competio. A gente aprende a trabalhar em equipe e a ser mais competitivo, mas com conscincia de que o melhor resultado sem-pre a experincia que a gente ad-quire neste tipo de competio, afirma Ramirez. Alm do Vincius, a Isabella de Amaral Nunes, a Caroli-ni Martins da Silva, a Lvia Lima dos Santos, a Julia Palcio Morilha e a Mariana Santos Flauzino fizeram parte da equipe.No Colgio Termomecanica, a dis-ciplina de Robtica oferecida aos estudantes do Ensino Fundamental I e II. Durante as aulas, o quadro-

    -negro substitudo por uma mesa de parafusos, baterias, engrena-gens, fios, sensores, chips e um amontoado de peas para que os alunos possam desenvolver os ro-bs e planejar suas tarefas. De acordo com Cristina Favaron Tugas, Diretora Pedaggica do Co-lgio Termomecanica, a disciplina ajuda a despertar o interesse por temas como cincia e tecnologia. Alm de ajudar a desenvolver o ra-ciocnio lgico, um jeito divertido de colocar em prtica os conceitos de outras disciplinas como Matem-tica, Fsica e Informtica, explica. Cssia Lyra, do 9 Ano, gostou tanto das aulas que comeou a fazer oficinas extras de robtica. Pelo segundo ano consecutivo, ela atuou como tutora das equipes do Torneio de Robtica do CTM. um jeito divertido de estudar. A gente desenvolve habilidades que podem nos ajudar muito no dia a dia, e no s nas aulas de ro-btica, explica. Atualmente, a aluna treina por mais de uma hora, quatro ve-zes por semana, para competi-es nacionais e internacionais.

    15Crescendo Juntos

    Alunos do CEFSAno Torneio de Robtica

    Medalhas e prmios foram distribuidos para os melhores competidores

  • O Encontro, que neste ano contou com diversos eventos para os estudantes, ini-ciou as atividades com a Feira de Carreiras, que abriu as portas da instituio para empresas renomadas nas reas de tecnologia, metalurgia, automao, au-tomobilstica e alimentcia. O evento reuniu stands de empresas lderes de merca-do como SAP, IBM, Deloitte e Bridgestone, que sempre oferecem oportunidade a talentos em suas organizaes. Os estudantes puderam dialogar e obter mais in-formaes sobre essas companhias, desenvolvendo networking e ampliando suas perspectivas de mercado.A noite de abertura foi marcada pela notvel palestra do professor Jos Luiz Tejon, que desenvolveu o tema A Grande Virada - Regras de Ouro da Superao. Em sua palestra, foram abordadas questes que levaram os espectadores a refletir so-bre a vida, suas atuais condies e enxergar novos horizontes por trs das nuvens das adversidades. Durante o evento, Tejon relatou sua histria de vida e de que forma foi capaz de superar as dificuldades que apareceram no seu caminho.

    INOVAO, AUTOCONHECIMENTO E CARREIRAColaborao: Everton Martins Sousa

    Trazendo o mundo profissional para dentro do mbito acadmico, a Faculdade de Tecnologia Termomecanica fez valer a palavra inovao na ltima verso do Encontro Tecnolgico, que teve abertura no dia 20 de outubro de 2015.

    16 Crescendo Juntos

    Profissionais de empresas reconheci-das do mercado fizeram uma mara-tona de palestras, abordando temas

    contemporneos e relacionados com as reas de formao da FTT

    Alunos no Foyer do Teatro que recebeu mais um edio do Encontro Tecnolgico

  • Em entrevista para a Crescendo Juntos, o Sr. Tejon comentou so-bre a situao atual do pas, a realidade a ser enfrentada pelo jovem e os momentos de deci-so que todos passam durante a vida. Acompanhe este bate-papo.

    Crescendo juntos: O senhor foi algum que passou por muitas mudanas ao longo de sua vida, principalmente no que diz respeito carreira. Hoje em dia, nos depa-ramos com muitos jovens que sen-tem receio de mudar, seja de curso, de profisso, de rea. Qual a sua opinio sobre tomar uma atitude de mudana dentro deste contexto?

    Tejon: No existe um tempo limite para a mudana. Ela constan-te, permanente e a todo instante. Nossa sociedade muito veloz devido cincia e tecnologia; as mudanas brotam com a informa-o e ns no temos tempo para ficar pensando na mudana. O jo-vem precisa saber o que ele no , qual no a sua vocao, e deve descobrir qual a sua vocao, seu dom. Assim, ele conseguir ser fe-liz e extrair a melhor qualidade de dentro de si mesmo. O jovem hoje tem condies de experimentar v-rios caminhos, e faz-lo ao mesmo tempo. Assim, ele poder descobrir o que ele no e focar no seu dom.

    Crescendo juntos: O senhor tem uma histria de vida que por si s motiva cada pessoa a se autoanali-sar e olhar com uma nova perspec-tiva para as situaes complexas do dia a dia. Para o jovem que est se inserindo hoje neste mercado conturbado pela recesso, como conseguir ter um olhar sensvel s oportunidades que este cenrio atual pode oferecer, buscando ver um lado positivo na situao atual?

    Tejon: O jovem precisa aprender a olhar; olhar o que admirvel, vir-tuoso, o que til. Deve aprender com pessoas que tenham o que ensinar. Se o jovem gastar o tem-po prestando ateno em coisas inteis, ele estar jogando tempo fora. O melhor aprendizado que o jovem poder desenvolver em sua vida se dar olhando para pessoas admirveis, e sempre haver estas

    pessoas: a chamada canalizao do olhar. E a respeito da crise, isto antigo, sempre teve e sempre ter. As crises so timas. Elas nos foram a buscar caminhos novos, novos processos, novos sistemas. As crises so sempre bem-vindas. O primeiro passo para enfrentar a crise no tem-la. necessrio entender que a crise uma opor-tunidade muito grande e atravs dela que a sociedade muda. Ns vivemos uma crise de confiana na liderana, no ponto de vista de go-verno; com certeza, vamos apren-der a atrair melhores brasileiros para esta rea e a votar melhor. Se no for assim, no evolumos. As crises so benficas, elas nos fa-zem evoluir e caminhar. Sem crise, ainda estaramos na caverna.

    Alm da prpria experincia, o palestrante citou diversos exemplos de personalidades que enfrentaram seus prprios obstculos e atingiram um pa-tamar de sucesso deixando, em muitos casos, legados que se per-petuam at a atualidade, como, por exemplo, o nosso patrono, Engenheiro Salvador Arena.Durante os dias seguintes do En-contro Tecnolgico, houve uma maratona de palestras nos per-odos da manh e da noite, que abordaram os mais diversos temas, todos atuais e relacionados com as reas de formao da FTT. To-das as palestras foram ministradas por profissionais de empresas reco-nhecidas no mercado. Entre elas, podemos destacar a Wickbold, que ofereceu uma explanao a respeito de pes especiais; a montadora Scania, que discorreu sobre a linha automotiva pesada, e a EMC, trazendo um contedo muito importante sobre as novida-des no universo da tecnologia, um mercado que est crescendo cada vez mais no Brasil. Houve tambm palestras sobre Qualidade com re-presentantes da Volkswagem e de compliance, um dos temas mais comentados no que diz respeito gesto na atualidade. Repetindo a tradio das verses anteriores, o Encontro Tecnolgico da FTT de 2015 foi um sucesso e certamente representou um im-pacto dos mais positivos na carrei-ra de nossos alunos.

    17Crescendo Juntos

    Alunos no Foyer do Teatro que recebeu mais um edio do Encontro Tecnolgico Jos Luiz Tejon em palestra para os alunos

  • 18 Crescendo Juntos

    Uma faculdade uma instituio cujos membros precisam estar em constante interao e em perfeita sintonia com tudo o que de relevante ocorre dentro e fora dela, tendo em vista sua evolu-o e adaptao s mudanas que acontecem em sua rea acadmica.

    E isso s pode ser obtido por meio de uma avalia-o permanente. Por isso, foi criada, em 2004, a Lei que determina que toda instituio de ensino supe-rior deve ter uma Comisso Prpria de Avaliao, mais conhecida pela sigla CPA, composta por membros de diferentes setores da faculdade tendo como principal propsito a regulamentao do seu processo interno de avaliao. Essa comisso deve ser constituda por representantes de diferentes setores da faculdade que ocupem os seguintes cargos: coordenador, coordena-dor adjunto, professores (dois representantes), alunos (dois representantes), representantes para os diferen-tes turnos, coordenadores de rea e um representante civil.

    Para que atinja seus amplos objetivos, a CPA tem que abranger diferentes campos de atuao, denomina-dos dimenses, as quais devem estar relacionadas ao planejamento e avaliao institucional por meio de documentos (como o Plano de Desenvolvimento Ins-titucional, entre outros). Desse modo, ela consegue contemplar o desenvolvimento institucional, as polti-cas acadmicas, as polticas de gesto e infraestrutu-ra, adquirindo um carter formativo que visa estimular uma participao ativa de todos os seus integrantes de modo a serem obtidas melhorias contnuas para a equipe e para a instituio como um todo.

    Por meio das newsletters, a CPA interage com os alu-nos encaminhando suas demandas e sugestes aos setores responsveis, atuando como uma conexo en-tre os diversos campos da instituio, de modo que essas solicitaes sejam ou no atendidas, dependen-do do nvel de convenincia de sua aplicao e da possibilidade de sua viabilizao. Para que os alunos tenham acesso a essas informaes, a FTT disponibili-za para consulta o Relatrio de Autoavaliao, na rea restrita do aluno e na Biblioteca, o qual informa sobre as diferentes reas de atuao da faculdade e sobre a prpria CPA.

    importante destacar que a comisso dispe de au-tonomia em relao direo, visando assim o res-peito liberdade de expresso, pensamento e crtica, por meio da qual os alunos, professores e o corpo tcnico-administrativo podem sugerir medidas para a melhoria constante, bem como responder a pesqui-sas para o levantamento de informaes e coleta de dados acerca da instituio. Esses dados so includos em relatrios gerados a cada dois anos, e so um dos componentes de maior peso na avaliao peridica de nossa faculdade feita pelo MEC, Ministrio de Edu-cao.

    A CPA , portanto, um elemento indispensvel para que a Faculdade de Tecnologia Termomecanica tenha plena capacidade de promover melhorias constantes e corrigir eventuais falhas, permitindo assim o melhor atendimento aos seus alunos e demais funcionrios.

    Colaborao: Erika Brassel Orellana e Alessandra Noronha

  • Colaborao: Thais de Godoy Rabelo

    empresa, pois passam a impresso de insegurana, falta de objetivos e de no conclurem um ciclo dentro da empresa.O candidato deve ter objetivos e determinao e escolher processos seletivos em que realmente tenha interesse de participar; nem sempre o maior nmero de processos sele-tivos est relacionado com maiores chances. O candidato deve identi-ficar-se com os valores da empresa e, durante o processo de seleo, avaliar o ambiente, os gestores com quem ir trabalhar e confirmar se realmente tem interesse na vaga qual est concorrendo. funda-mental ter domnio do ingls e ca-pacidade de liderana para partici-par de programas de trainee.A palestra das representantes da Danone foi, com certeza, de muita valia para os alunos que a assisti-ram, pois forneceu dicas impor-tantes a todos eles com relao ao seu futuro profissional, condio essencial para a realizao pessoal de cada um deles.

    No dia 28 de setembro, a Facul-dade de Tecnologia Termomecani-ca teve a honra de receber Karen Itabashi e Beatriz Goulart, da em-presa Danone, para a realizao da palestra Empreenda a sua Carreira na Danone, direcionada aos alu-nos de Tecnologia em Alimentos. Karen responsvel pela rea de Desenvolvimento Organizacional da Danone guas, e Beatriz ana-lista plena em Comunicao e em-ployer branding na Danone.A palestra esclareceu alguns mitos e verdades sobre carreira profis-sional e tambm forneceu dicas importantes de como trilhar uma trajetria de sucesso. Segundo as palestrantes, para ser bem-sucedi-do numa carreira importante que o profissional tenha bem definido qual o seu objetivo profissional e, atravs do autoconhecimento, descubra a sua paixo e faa dela a sua profisso, que ele sempre bus-que explorar e desenvolver os seus talentos. So competncias essenciais para um bom profissional a comunica-o, liderana, inovao e exce-lncia na execuo, bem como a busca por conhecimentos e expe-

    rincias extracurriculares. Escolhas extraordinrias fazem de ns pes-soas extraordinrias, e so respon-sveis pelo crculo virtuoso que nos leva a alavancar nosso potencial atravs de valores como crena, potencial, ao e resultados.Para uma carreira de sucesso no obrigatria a participao em um programa de trainee; , sem dvida, uma boa oportunidade de acelerar a carreira, porm pode-se tambm iniciar a carreira de outras formas. O intercmbio no uma condio indispensvel para tra-balhar em uma grande empresa, contudo uma experincia impor-tante para assimilar um idioma e vivenciar outras culturas. Tambm mito que pessoas extrovertidas tm mais chances de serem bem--sucedidas, pois existem vrios per-fis de candidatos que se adequam a vrias funes e carreiras. Entretanto, segundo as palestran-tes, verdade que pessoas inde-cisas possuem menos chances de serem aprovadas em processos seletivos, pois demostram falta de foco e desorientao. E tambm que so mal vistos os profissionais que mudam constantemente de

    Profissionais da Danone Conversam sobre Carreira

    19Crescendo Juntos

    As palestrantes Karen e Beatriz em um bate-papo com o alunos