revista comuna 62

Download Revista Comuna 62

Post on 21-Jul-2016

217 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Doadores de vida - A páscoa da entrega que transforma as pessoas Palavra do presidente - O grande doador Serviço ao próximo - A Comunidade da Graça acolhe refugiados sírios Entrevista Exclusiva- Francis Chan

TRANSCRIPT

  • 1

  • COMUNIDADE DA GRAA SEDE

    RUA EPONINA, 390 - V. CARRO

    ( 1 1 ) 2090-1800

    UMA IGREJA FAML IA

    V IVENDO O AMOR DE CR ISTO

    ALCANANDO O PRXIMO

    E FORMANDO D ISC PULOS

    ACESSE O PORTAL COMUNA

    WWW.COMUNA.COM.BR

    E A , GOSTOU?

    DOAO E REVOLUO

    Palavras fortes parecem pedir outras ainda mais, no ? Elas quase nunca vm sozinhas nossa mente. Damos o exemplo da do ttulo: tem gente que no consegue pensar em revoluo sem imaginar homens de farda ou ao menos alguns tirozinhos, j reparou? Puro senso comum.

    A maior das transformaes oferecidas ao mundo aconteceu sem disparar uma bala sequer - nem das de borracha! Nasceu da doao. do ato amoroso de Jesus de que falamos, que alterou para sempre a histria, sem exrcito armado, sem violncia e sem imposio.

    Mais bem-aventurado dar do que receber dizia o Mestre. Simples, n? Sim, ensinamentos de gros de mostarda, mas com fora para demolir. Do princpio dos tempos ao ps-modernismo de hoje, quantas altas montanhas se moveram diante deles. A maior revoluo que o mundo j conheceu veio do ato radical da doao da vida de Jesus por amor.

    A igreja em que acreditamos no se omite: trata desse amor dia a dia. Alis, faz disso marca de sua histria e segue optando por no cruzar os braos diante das dores do mundo.

    por isso que a Pscoa da Comunidade tem refugiados srios sendo abrigados em nossas igrejas. Histria do passado? No, testemunho de agora! Tem os relatos de gente transformada pela doao que recebeu de outros - e a gente no est falando de dinheiro. Tem o resultado de um cristianismo espiritualmente vibrante e socialmente engajado.

    Essas e muitas outras novidades so a pauta. Da revista? Tambm! Mas da igreja, principalmente! Ou seja, minha e sua. Pode ser tipo chocolate? Por que no? Pergunte pra um dos milhares de atendidos pela Fundao Comunidade da Graa, pelo Colgio da Comunidade ou nos nossos pequenos grupos. Eles diro, doce!, com certeza! Mas, eles sabem, muito mais que isso: doao! Feliz Pscoa!

    GUSTAVO ROSANEL I E M IGUEL ANTUNESPELA EQUIPE ED ITORIAL

    O QUE VOC ACHOU DOS TEMAS E ASSUNTOS DA REVISTA? DESEJA FAZER ALGUM COMENTRIO? TEM SUGESTES?

    USE A HASHTAG #REVISTACOMUNA OU ENVIE UM EMAIL PARA REVISTA@COMUNA.COM.BR

    Matr ias abenoadas ! Va le a pena le r esse tesouro - Ed i la ine Mac ie l de L ima

    Esta revista uma beno. Atravs dela as pessoas tem acesso a muitas coisas que esto acontecendo e a mdia tradic ional no mostra. Louvo a Deus pela equipe que cuida de cada detalhe para que tenhamos mais esta ferramenta para evangel izar - A lecsandro de Cast ro

    DIREO GERAL : CARLOS ALBERTO DE QUADROS BEZERRA

    CONSELHO GESTOR: CARLOS BEZERRA JR , SRGIO PAVARIN I , OSMAR D IAS , AGUINALDO FERNANDES , VALMIR VENTURA, LA IR DE MATOS , RENATO FOGAA, CZAR ROSANEL I , FERNANDO D IN IZ , GUSTAVO ROSANEL I , RONALDO BEZERRA,

    COORDENAO ED ITORIAL : M IGUEL ANTUNES

    COORDENAO DO PROJETO:GUSTAVO ROSANEL I

    JORNAL ISTA RESPONSVEL : CSAR STAGNO - MTB 58740

    REVISO:MILENA ROSANEL I E MAYRA BONDANA

    COLABORADORES : PAULO ALEXANDRE SARTORI , MAYRA BONDANA, KE I LA S IQUE IRA DE L IMA

    DIREO DE ARTE E PROJETO GRF ICO :SALSA COMUNICAO

    CIRCULAO:NO ESTADO DE SO PAULO: SO PAULO CAPITAL; ARUJ; ATIBAIA; BALSA; BRAGANA; CAMPINAS; CARAGUATATUBA; GUARULHOS; MAU; MOGI DAS CRUZES; REGISTRO; SANTOS; SO BERNARDO DO CAMPO; SOCORRO; SOROCABA; TATU ; TAUBAT; UBATUBA. RIO DE JANEIRO: MACA.MINAS GERAIS: GOVERNADOR VALADARES; SO SEBASTIO DE VARGEM ALEGRE; VISCONDE DO RO BRANCO. PARAN: CURIT IBA; FOZ DO IGUAU; LONDRINA; MARING; PARANAGU; ROLNDIA. PERNAMBUCO: BARREIROS; CARUARU; CATENDE; ITAPISSUMA; JOO PESSOA; RECIFE; STA. MARIA DA BOA VISTA. BAHIA: SALVADOR; VITRIA DA CONQUISTA

    IMPRESSO:BURT I

    D ISTR IBUIO:1 1 . 300 EXEMPLARES

    #62 | ABRIL | 2015

  • CAPA | 18

    DOADORES DE V IDA ENTREVISTA EXCLUS IVAA PSCOA DA ENTREGA QUE TRANSFORMA PESSOAS

    FRANCIS CHAN FALA SOBRE A NECESS IDADE DE UMA IGREJA UNIDA QUE IMPACTA AS C IDADES

    O DOADOR DE V IDA

    06

    UM L DER IMPROVVEL

    UM ENORME VAZ IO

    26

    30

    UMA IDENT IDADE F IRMADA

    08

    CRIANDO PONTES DE TRANSFORMAO

    28

    TRANSFORMADORES DO MUNDO

    12

    AS MARCAS DO AVIVAMENTO RECOMENDO ACONTECEU

    31 32 33

    A GERAO DO QUEST IONAMENTO

    14

  • 6PALAVRA DO PRES IDENTE CARLOS ALBERTO DE QUADROS BEZERRA

    O DOA

    DOR D

    E VIDA

    J IMAGINOU DAR O QUE VOC TEM DE MAIS PREC IOSO SEM ESPERAR NADA EM TROCA?

  • 7mente isso Cristo pensou no momento em que passou to grande dor antes da crucificao. Ele nos deu a sua vida em alegria e obedincia para que pudssemos experimentar tamanha graa e amor, mesmo no merecendo.

    Jesus o grande doador de vida e sua atitude de renncia deve tambm ser a nossa. Fomos includos em sua mor-te, abandonando a nossa natureza egosta, e tambm em sua ressurreio, recebendo uma nova natureza, doadora e sensvel, pois agora Cristo vive em ns (Rm. 6.5). Portan-to, quando nascemos de novo natural termos um esprito inclinado entrega. O verdadeiro doador vive para aquele que por ele morreu e ressuscitou (2 Co. 5.14-15).

    Cristo libertou a humanidade dos seus temores e frustra-es, dos seus males espirituais, fsicos e mentais, para ex-perimentar relacionamentos sadios, atitudes de misericr-dia, hbitos que transbordam compaixo, e um modo de vida cheio de graa.

    A Pscoa a histria da doao de Jesus para toda a huma-nidade. o final da nossa vida egosta e o surgimento da nossa vida de verdadeiros doadores, parecidos com Jesus. Por isso, essa celebrao to importante para ns cristos, a nossa ressurreio em Cristo!

    O verdadeiro cristianismo o da entrega e do servio ao prximo. Compartilhemos as boas-novas do Evangelho com as pessoas atravs da nossa prpria doao, porque esta a nossa vocao: continuarmos o ministrio de Jesus Cristo em ns, servindo e amando as pessoas.

    Feliz Pscoa! Feliz Ressurreio!

    uem estaria disposto a se colocar na linha de tiro por uma pessoa desconhecida? Que tama-nha loucura seria morrer por um criminoso ou corrupto? Onde estaria com a cabea aquele que, diante da fome, ab-dicaria de seu conforto e daria sua prpria vida em favor de outro? Algum fez isso.

    Eu sou o bom pastor; o bom pastor d a vida pelas ove-lhas (...) Assim como o Pai me conhece, e eu conheo o Pai, assim tambm conheo as minhas ovelhas, e elas me conhecem. E estou pronto para morrer por elas. Joo 10.11,13-15 NTLH

    Jesus Cristo veio ao mundo no para oferecer humani-dade uma nova filosofia ou uma melhora na condio hu-mana, mas para trazer vida. Ele disse: Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente. (Jo. 10.10).

    E o que Cristo oferece plenitude, frutos do Esprito Santo, satisfao , o mundo no pode dar. Mas a pergunta que me fao : Por que Jesus haveria de trazer uma vida to mara-vilhosa s pessoas mediante to grande sacrifcio, como foi a Cruz? No seria mais fcil simplesmente dar uma sequ-ncia de regras e leis para que pudssemos ento adquirir e merecer esse privilgio?

    Era necessrio um sacrifcio supremo o do cordeiro que tira o pecado do mundo - para que a humanidade pudesse recuperar seu relacionamento com Deus.

    Jesus sempre foi o Plano A de Deus, sempre foi a primei-ra opo para dar esperana s pessoas. A forma como veio ao mundo como servo e homem simples nos ensina a viver, no em uma pobreza ou simplismo coberto com uma falsa humildade, mas com o corao pronto a compartilhar tudo o que temos, desde nossos dons e talentos, at nossas posses e bens.

    Deus, atravs de Jesus nos ensina que mais feliz quem d do que quem recebe (At. 20.35), e penso que foi exata-

    CARLOS ALBERTO DE QUADROS BEZERRA

    FUNDADOR E PRES IDENTE DA

    COMUNIDADE DA GRAA. MEMBRO DA

    ACADEMIA PAUL ISTA EVANGL ICA DE LETRAS

    E PRELETOR INTERNACIONAL .

    CASADO COM A PRA. SUELY BEZERRA.

    A P S COA O F I N A L DA N O SS A V I DA EG O STA

    E O S U R G I M E N TO DA N O SS A V I DA D E V E R DA D E I R O S

    D OA D O R E S , PA R EC I D O S CO M J E S U S .

  • 8TRANSFORMAO SUELY BEZERRA

    UMA IDENT IDADE F IRMADAREDESCOBRINDO O SEU VALOR COMO UMA MULHER VERDADEIRAMENTE L IVRE

    Muito mais do que diamantes. assim que a B-blia mensura o valor da mulher. Somos preciosas, amadas e valorizadas pelo nosso Senhor. E fomos criadas para um propsito especial: sermos auxi-liadoras. Mas, em nossos dias, este papel tem se perdido, e a nossa identidade tambm. Vivemos com uma falsa sensao de liberdade, longe do plano que Deus tem para ns. Como podemos ser moldadas luz da Palavra e nos tornar, realmente, as mulheres relevantes que fomos criadas para ser?

    Fortes, seguras e independentes. assim que o mundo determina que sejamos. No podemos fraquejar, nem nos submeter. Temos que ser iguais aos homens, lutar pelos mesmos cargos, os mesmos salrios. Afinal, a luta dos anos 70

  • 9SUELY BEZERRA, L DER NAC IONAL DO

    MIN ISTR IO MULHERES INTERCESSORAS .

    CASADA COM O PR . CARLOS ALBERTO BEZERRA

    E AUTORA DE VRIOS L IVROS RELAC IONADOS

    COM A ORAO E A PRT ICA DEVOCIONAL

    nos d esse direito. A verdade que, assim como enganou Eva, o diabo continua querendo enganar a mu-lher. Seu objetivo nos fazer esque-cer de que fomos criadas exatamente como somos por uma razo. Ento, ele coloca em nossa mente a igualda-de dos sexos, a perda da feminilida-de, a concorrncia, a independncia financeira e a busca por uma falsa li-berdade que, na realidade, aprisiona, deprime e traz insegurana.

    A libertao da mulher no comeou nos