“revisitando o ‘design thinking’ com o pensamento crítico brasileiro.”

Download “Revisitando o ‘design thinking’ com o pensamento crítico brasileiro.”

Post on 18-Nov-2014

320 views

Category:

Government & Nonprofit

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

http://igovsp.net/inovaday

TRANSCRIPT

  • 1. A histria inspiradora de Joey, ex-aluno da HEC Montreal e um bom amigo
  • 2. 2010 Um plano de negcios para um projeto social no domnio da permacultura
  • 3. 2011 Uma equipe apaixonada trabalha no desenvolvimento do plano social de negcios
  • 4. Juntos eles vencem um social entreprise cup em outubro de 2011
  • 5. 2012 O projeto no Mali comea mas a guerra civil impede seu avano
  • 6. 2012 Uma OSFIL fundada para iniciar novos projetos
  • 7. L`quipe 2013 Uma nova equipe formada em Montreal destino: Senegal Baback Srre - Senegal
  • 8. Baback Srre: maro 2013
  • 9. Observao, imerso e design participativo
  • 10. Juntos eles cavam! Eles fazem compostagem! Eles semeiam!
  • 11. Juntos eles reaprendem a combinar conhecimentos tcnicos e nativos Instalam bombas para acesso gua Reabilitam os solos
  • 12. A permacultura toma forma
  • 13. Baback Srre: outubro 2013
  • 14. Resultados positivos, mas muitos desafios permanecem como manter a misso social e ambiental e conquistar sustentabilidade financeira?
  • 15. A histria de Joey representativa de uma agenda pedaggica comprometida em desenvolver competncias de gesto a servio da sociedade
  • 16. Jardins sans frontires
  • 17. Jeri orgnica
  • 18. Revisitando o design thinking com o pensamento crtico brasileiro
  • 19. Inovao pedaggica, por uma gesto mais responsvel
  • 20. Inovao pedaggica, por uma gesto mais responsvel I Service- learning II Design- thinking III Freire & Boal IV Tecnologia social
  • 21. I Service-learning
  • 22. Service-learning: no somente aprender atravs da prtica, mas atravs de uma prtica que presta um servio comunidade/sociedade
  • 23. II Design thinking
  • 24. Design thinking: aprender a observar, perguntar, escutar, compreender em profundidade as origens dos problemas antes de propor solues e sobretudo a cri-las coletivamente (cocriao) com criatividade.
  • 25. Instrumental (pouco crtico) Inovao pedaggica, por uma gesto mais responsvel I Service- learning II Design- thinking III Freire & Boal IV Tecnologia social
  • 26. III Freire & Boal
  • 27. http://www.youtube.com/watch?v=2A3HpAUHw40&feature=related
  • 28. O mtodo de Paulo Freire O ato educacional um ato poltico O ato educacional dialgico
  • 29. 1- Investigao temtica Que palavras ou temas fazem sentido para as pessoas locais (seleo de palavras e temas generativos). 2- Problematizao Conexo crtica entre as palavras e temas generativos e o contexto social, regional e nacional. Integrando Paulo Freire
  • 30. Integrando Augusto Boal Wouldnt it be wonderful to see a dance piece where in the first half the dancers danced, and in the second they showed the audience how to dance? http://www.youtube.com/watch?v=2A3HpAUHw40&feature=related
  • 31. Integrando Augusto Boal No seria maravilhoso assistir a uma apresentao de dana onde na primeira metade os danarinos danam e na segunda eles mostram para a audincia como danar?
  • 32. Teatro Frum Transformao da realidade atravs do dilogo e do teatro. Busca coletiva de alternativas para problemas sociais.
  • 33. IV Tecnologia social
  • 34. Por que tecnologia social ? Trata-se de uma alternativa s formas convencionais de se produzir tecnologia. Trata-se de uma massa de conhecimentos produzida na Amrica Latina por pesquisadores, empreendedores sociais e cidados. Carrega uma forte herana terica e poltica.
  • 35. Por que tecnologia social ? Trata-se de uma alternativa s formas convencionais de se produzir tecnologia. Trata-se de uma massa de conhecimentos produzida na Amrica Latina por pesquisadores, empreendedores sociais e cidados. Carrega uma forte herana terica e poltica.
  • 36. Tm produzido srios desequilbrios e rupturas nos pases ditos em desenvolvimento. Requerem muito capital, muitos recursos naturais e em geral levam a um empobrecimento ou diminuio da mo de obra. So desenvolvidas pelas grandes empresas para o benefcio das grandes empresas. Tecnologias convencionais
  • 37. So transferidas dos pases desenvolvidos para os demais. Frequentemente no so adaptadas ao contexto dos mesmos. O benefcio maior dos pases que exportam essas tecnologias. Tecnologias convencionais
  • 38. A revoluo verde (green revolution) significado e implicaes Tecnologias convencionais
  • 39. Exemplo de tecnologia social PAIS (produo agroecolgica integrada e sustentvel)
  • 40. Por que tecnologia social ? Trata-se de uma alternativa s formas convencionais de se produzir tecnologia. Trata-se de uma massa de conhecimentos produzida na Amrica Latina por pesquisadores, empreendedores sociais e cidados. Carrega uma forte herana terica e poltica.
  • 41. Conhecimentos e Prticas Emergentes Uma massa de conhecimentos aplicveis sobre tecnologias sociais tem sido produzida nos ltimos 20 anos. A Rede de Tecnologia Social (RTS), lanada em 2004, integra mais de 800 instituies universidades, ONGs, associaes. 10 mil tecnologias sociais esto documentadas. Publicaes em portugus e espanhol quase que exclusivamente relevncia local uma prioridade.
  • 42. Por que tecnologia social ? Trata-se de uma alternativa s formas convencionais de se produzir tecnologia. Trata-se de uma massa de conhecimentos produzida na Amrica Latina por pesquisadores, empreendedores sociais e cidados. Carrega uma forte herana terica e poltica.
  • 43. 2000 Tecnologias sociais 1970-1980 Tecnologias apropriadas 1924-1927 ndia Gandhi 1990 Declnio e crticas Emergncia de uma viso ps- colonial: vamos repensar a relao entre tecnologia e sociedade. Forte Herana Terica e Poltica
  • 44. Cincia, tecnologia e sociedade Quem produz cincia e tecnologia? Profissionais, experts, especialistas, pesquisadores. As pessoas comuns poderiam voltar a ser produtores de cincia e tecnologia ao invs de serem meras receptoras passivas de produtos tecnolgicos e conhecimento cientfico? Reinveno, reinterpretao, recriao Viso ps-colonial e ps-desenvolvimentista
  • 45. Uma viso de ps-desenvolvimento O conceito de desenvolvimento foi construdo atravs de um conjunto de discursos e prticas promovidos pela Europa e Amrica do Norte e que teve e tem um impacto profundo na forma como a sia, a frica