reviplast 62

Download REVIPLAST 62

Post on 08-Feb-2016

253 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

revista da indústria de plásticos

TRANSCRIPT

  • N 62 Novembro 2012 reviplast 1ndice

    notcias62Novembro

    2012 reviplastrevista da indstria de plsticos

    6,57

  • 2 reviplast N 000 N 62 Novembro 2012/Fev/Mar 2007

    ndice

  • N 62 Novembro 2012 reviplast 3ndice

    ndice

    anunciantes(clique para ver)

    reviplastPropriedade, Direco e Edio:

    Carlos da Silva Campos

    Publicidade: Ilda Ribeiro,

    Cristina Devesa, Luisa Santos

    Registo de Imprensa: 107 267

    notcias

    matrias-primas

    embalagem

    termoformagem

    extruso-sopro

    moldes

    automvel

    injeco

    robs e perifricos

    equipamentos

    mercado

    4

    8

    18

    24

    26

    29

    39

    42

    50

    54

    55

    AGIAGI FANUCAGI PIOVANAGI RAPIDAGI RHODIAAGI WEMOARBURGCENTIMFECOLORSTARDELTAPLSENERMETERFLUIDOTRNICAFOLHADELA REBELOLASERMAQMICRONOMYAPAULO P.& FIGUEIREDOPLASEQUIPPLASTIMARPOOL NETREIMANRIFRACORROBOPLANSALMON & Cia.SEW-EURODRIVESISTRADESTUBLITECNOVAULTRAPOLYMERSVELOXYUDO

    7143852562

    41281851214345376

    1139

    13,555530253

    479

    2255

    27,35204

    12,5519

    Consulte

    a reviplastna internet:

    Para anunciar

    na reviplastclique aqui:

    Edio impressa / digital / on lineImpresso: SIG-Soc. Ind.Grfica Lda.

    Carlos da Silva CamposTodos os direitos reservados.

    Endereo Postal:

    APARTADO 30

    2676-901 ODIVELAS PORTUGAL

    Telefone: 217 921 110

    Fax: 217 921 113

    E-mail: reviplast@revipack.com

  • 4 reviplast N 000 N 62 Novembro 2012/Fev/Mar 2007

    ndice

    notcias

    SEMANA DE MOLDESreuniu mais de 800 participantesA SEMANA DE MOLDES 2012, organizao conjuntada POOL NET (Portuguese Tooling Network), da CEFA-MOL (Associao Nacional da Indstria de Moldes), doCENTIMFE (Centro Tecnolgico da Indstria de Moldes,Ferramentas Especiais e Plsticos), em articulao coma Incubadora de Empresas OPEN, reuniu mais de 800participantes nacionais e estrangeiros, num programacom 65 palestras, workshops e contactos comerciais.O reforo da visibilidade internacional um dos objecti-vos da indstria de moldes, prosseguido atravs damarca colectiva "Engineering & Tooling from Portugal" e

    da presenasistemtica deempresas nacio-nais nas feirasinternacionais dosector. As tendn-cias do mercadomundial e areflexo estratgi-ca estiveram emfoco durante aconferncia "Moldes Portugal 2012", que fez parte doprograma da "Semana de Moldes".Orientada para a apresentao de tecnologias, a Confe-rncia RPD - "Thriving through innovation" ganhoureconhecimento internacional pelos temas e participan-tes. O "Brokerage Event" contribuiu para o reforo daintegrao da indstria de moldes na rede europeia deinovao. Neste contexto, a explorao dos programasde I&D do 7PQ e do HORIZON 2020, na UE, umaoportunidade para as empresas do sector, com efeitosbenficos ao nvel do acesso ao conhecimento, tecno-logia e diversificao das fontes de financiamento.

  • N 62 Novembro 2012 reviplast 5ndice

    notcias

    O projecto PlastCork, lanado em 2010 para investigar opotencial de aplicao de cortia e compsitos decortia na produo de peas para a indstria automvel,chegou ao fim, com concluses positivas e promissorasnas trs reas de investigao: peas de amortecimento(paddings), peas decorativas e isolamento sonoro.

    Cortia vs. EPPO PIEP - Plo de Inovao em Engenharia de Polmerosanalisou as propriedades e caractersticas mecnicas dediversos compsitos de cortia, tomando como refern-cia de comparao peas idnticas em EPP (polipropile-no expandido). Foram produzidos diversos prottipos depaddings, isto , blocos amortecedores de impacto paraintegrao em painis de porta de automveis. A investi-gao incidiu ainda sobre a optimizao da geometria dapea e envolveu uma srie de ensaios de impacto, utili-zando os parmetros (velocidade, massa, geometria doimpactor) definidos na norma interna da PSA (Peugeot eCitron). A avaliao do comportamento ao impacto dospaddings teve como base a anlise da evoluo notempo da fora de reaco, do deslocamento, da veloci-dade, da (des)acelerao do impactor e da energia,assim como, de uma observao e anlise visual dosensaios. Os mesmos ensaios foram realizados compaddings de EPP, para comparao.Atravs desses resultados foi possvel verificar que opadding em cortia com geometria optimizada, apresen-ta uma maior capacidade de dissipao de energia emelhor comportamento em servio que o padding dereferncia (EPP), desde que seja atingida a ruptura econsequente desagregao do material. A comparaodos resultados experimentais com os resultados numri-cos das simulaes permitiu verificar que os modeloscriados permitem uma boa representao do comporta-mento real observado. Isto significa que os modelosnumricos so adequados para a optimizao geomtri-ca em funo do respectivo comportamento em servio.No mbito do projecto foi desenvolvido e optimizado umnovo padding em cortia.

    Decorao interior nicaOs acabamentos decorativos, outrora exclusivo dosautomveis de gama alta, so cada vez mais procura-dos. A utilizao de laminados de cortia uma ideiaantiga, mas nunca obteve sucesso na indstria autom-vel devido fraca resistncia exposio solar. Osinvestigadores do PIEP procuraram solues para esta-bilizar a cor e a aparncia da cortia ao longo do tempode vida til do automvel. Peas-prottipo obtidas comvrias solues de tratamento da cortia foram submeti-das a ensaios de envelhecimento acelerado. Os ensaiose anlise dos resultados permitiram chegar a conclusesno s quanto aos vernizes utilizados mas tambmquanto ao tratamento prvio da cortia. Actuando sobrea estrutura qumica da cortia, possvel melhorar aestabilidade da cr - um parmetro essencial para aaplicao no sector automvel. Esta soluo foi avaliadapelo processo de xenoteste, de acordo com as normasestabelecidas pela indstria automvel (Renault), supor-tando as exigncias mais severas dos testes em causa.A aplicao do verniz poder ter que ser efectuada apsmoldao, porque o verniz no suporta o estiramentoque ocorre na etapa de moldao. Foram ainda explora-das mltiplas vertentes do comportamento dos lamina-dos de cortia no processo de injeco, em que umrecorte de laminado aplicado como inserto na cavidadedo molde. Ao injectar o material plstico pela parteposterior do inserto, este forado a estirar, adaptando--se geometria da cavidade. Foi necessrio estudar eexperimentar diferentes tipos de suporte para o laminadoda cortia para se chegar estirabilidade pretendida.Foram moldadas diversas peas para se aquilatar da sua

    versatilidade em mltiplos tipos de componen-tes, nomeadamente, em pilares, e, painis deporta. A utilizao de substrato de cortiacombinado com plstico no se esgota na

    tecnologia de injeco back-injection, sendopossvel explorar os processos sucedneos de

    injeco-compresso, laminao com termoformageme IMD (in mould decoration, decorao no molde).

    continua

    PlasCorkPIEP apresenta resultados

  • 6 reviplast N 000 N 62 Novembro 2012/Fev/Mar 2007

    ndice

    notciasIsolamento sonoroA cortia reconhecida mundialmente como um dosmelhores materiais para isolamento sonoro, com avantagem, mais relevante que nunca, de se tratar de ummaterial natural e renovvel, susceptvel de melhorar osindicadores de sustentabilidade de qualquer aplicao.A procura de solues de isolamento sonoro no interiordos automveis tem levado aplicao de vrios materi-ais. As propriedades acsticas da cortia justificam aprocura de solues tcnicas que viabilizem a suautilizao em srie no sector. Esse foi um dos trsvectores da investigao desenvolvida pelo PIEP.Durante o perodo do projecto PlasCork foram avaliadase comparadas as caractersticas de isolamento de rudode vrios aglomerados de cortia e de materiais deorigem sinttica habitualmente usados como material deinsonorizao no sector automvel. Foi medida acapacidade de isolamento acstico de acordo com anorma ASTM E 1050-98, que mede a perda de transmis-so acstica, expressa em decibis (dB).A cortia funciona nesta aplicao como uma camadaamortecedora que reduz a transmisso do ruido areo.Os resultados obtidos evidenciam a melhor performancedos materiais naturais no isolamento do rudo areo,mesmo quando utilizados em espessuras mais baixasque os materiais sintticos. Os aglomerados de cortiaapresentam valores de perda de transmisso superioresquando comparados com os materiais sintticos.

    ParceriaO projecto PlasCork, divulgado na REVIPLAST n 52/53,envolveu o PIEP, a Simoldes Plsticos e a Amorim CorkComposites.

    Mircan representaGloucesterA Mircan 1979 S.L. , des-de Abril de 2012, represen-tante da Gloucester Engine-ering para Espanha ePortugal. Com escritriosem Barcelona e Madrid, aMircan 1979 bem conheci-da no mercado ibrico dosequipamentos para a indstria de plsticos. J represen-tou marcas como EDI, Maag e Dynisco.A Gloucester Engineering fabrica linhas de extruso parafilme (soprado e cast), folha/chapa, fabrico de sacos eextruso-revestimento. Para alm da fbrica principal emGoucester, Massachusetts, E.U.A., conta ainda com afbrica de Damman (ndia), da joint venture KabraGloucester Engineering. Entretanto, a Goucester Engine-ering (EUA) e a Dolci Extrusion (Itlia) estabeleceramum acordo de partilha detecnologia de bobinadoras.As duas empresas passa