revela§£o 195

Download Revela§£o 195

Post on 29-Mar-2016

264 views

Category:

Documents

11 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal-laboratório do curso de Comunicação Social da Universidade de Uberaba (Uniube)

TRANSCRIPT

  • RevelaArquivo gerado por Andr Azevedo em 14 de fevereiro de 2002

  • Jornal-laboratrio do curso de Comunicao Social, produzido e editado pelos alunos de Jornalismo e Publicidade & Propaganda da Universidade de Uberaba

    As opinies emitidas em artigos assinados so de inteira responsabilidade de seus autores.

    Edio: Alunos do curso de Comunicao Social Superviso de Edio: Alzira Borges Projeto Grfico: Andr Azevedo (andre.azevedo@uniube.br) Diretor do Curso de Comunicao Social:Edvaldo Pereira Lima (edpl@uol.com.br) Coordenadora da habilitao em Jornalismo: Alzira Borges da Silva (alzira.silva@uniube.br) Coordenadora da habilitao em Publicidade e Propagan-da: rika Galvo Hinkle Professores Orientadores: Norah Shallyamar Gamboa Vela (norah.vela@uniube.br), Vicente Higino de Moura (vicente.moura@uniube.br) e Edmundo Herclito(heraclit@triang.com.br) Tcnica do Laboratrio de Fotografia: Neuza das Graas da Silva Distribuio: Assessoria de Imprensa Reitor: Marcelo Palmrio Ombudsman da Universidadede Uberaba: Newton Mamede (ombudsman@uniube.br) Jornalista e Assessor de Imprensa: Ricardo Aidar Impresso: Jornal da ManhInternet: http://www.revelacaoonline.uniube.br

    2 14 a 24 de fevereiro de 2002

    O ttulo acima no uma metfora, noest empregado em sentido figurado nempotico. Entendida a universidade como umespao onde o estudante passa um bom per-odo de sua vida, para adquirir e produzir co-nhecimentos cientficos que o habilitem a umexerccio profissional de qualificao supe-rior e para formar seu intelecto, sua consci-ncia e sua personalidade, evidente que essetempo e esse espao constituem uma faseconsidervel de sua vida.

    Vida em seu sentido prprio, literal. Vidaque acontece. Vida no sentido de crescimen-to, de formao, de transformaes fsicas eintelectuais. Vida no sentido de ao, de atu-ao, de atividade. Vida que pulsa e agita,vida que cria e promove. Vida real.

    Como j o afirmamos noutra parte, a uni-versidade local de ebulio e deefervescncia cultural em sentido pleno, sobos aspectos cientfico, artstico, social, pol-tico, histrico. A universidade transformadora da sociedade, promotora dodesenvolvimento. Centro por excelncia deestudo, ela , por isso mesmo, foco do saber,habitat da cincia. Os grandes avanos cien-tficos e tecnolgicos tm seu bero na uni-versidade. Avanos que incentivam e promo-vem o progresso e aprimoram a civilizao.

    No universo dos constituintes da vida dohomem, a universidade detm inegvel par-ticipao e importncia. Promovendo o en-sino e a pesquisa, e estendendo seus resulta-dos sociedade, ela simplesmente age naconstruo e no desenvolvimento dessa mes-

    ma sociedade. Ento, a universidade umcentro vital, espao de vida e de evoluo.

    E o estudante universitrio o centro e arazo da universidade, o protagonista davida universitria. Nesse espao de vida, ele ator e agente. Tudo o que nela acontece,todos os eventos que ela promove tm comoalvo o estudante. Tanto o estudante-aluno,quanto o estudante j graduado, mas quecontinua estudioso, em constante busca dosaber. Da ser a universidade o j citado cen-tro de estudos por excelncia.

    Elemento desse universo, nossa Univer-sidade de Uberaba no fica para trs e man-tm-se fiel a sua misso e a sua conscinciauniversitria. E em constante crescimento,porque ela sabe que no perfeita, e, por isso,no pode parar. O estudante que aqui chegavai encontrar um verdadeiro ambiente univer-sitrio, uma agitao de juventude e de entu-siasmo, uma efervescncia de cursos e de es-tudos, uma vida dinmica. Vida da qual elefaz parte e qual no deve fugir. Vida da qualele deve participar ativamente para formar suaconscincia universitria. Conscincia queconduz seriedade e responsabilidade.

    Vida universitria supe estudo persis-tente e participao social e humana. Estudoe participao que promovem a educaointegral, a formao plena da pessoa. Cientedisso, o estudante universitrio estar apto aviver coerentemente na universidade.

    Newton Lus Mamede Ombudsman daUniversidade de Uberaba

    Vida universitriaNewton Lus Mamede

    E se somos Severinosiguais em tudo na vida,morremos de morte igual,mesma morte severina:

    Joo Cabral de Melo Neto

    Rosana ArantesAluna do 4 ano de Servio Social

    Como bem disse o poeta, somos todosSeverinos. No entanto, nos esquecemos dosoutros tantos Severinos. Proclamamos aosquatro ventos a diversidade, o acesso aosmais variados bens do mundo atual, e esca-moteamos a excluso e a vida severina degrande parte do globo terrestre vale lem-brar que nosso pas um dos lderes em n-dices de concentrao de renda e desigual-dade social.

    Acreditamos que o enfrentamento dosproblemas que matam de velhice antes dostrinta, de fome um pouco por dia, de fra-queza e de doena em qualquer idade pas-sa necessariamente pelo desenvolvimentodo senso crtico e pelo reconhecimento dos

    nossos direitos civis, sociais e polticos.A organizao da Atitude Cidad! visa

    contribuir para que os alunos calouros eveteranos e demais colaboradores refli-tam sobre estes graves problemas sociais.A Atitude Cidad! um ensejo para mani-festarmos o conhecimento das necessidadese demandas da sociedade. uma ao pon-tual e mais uma aproximao da Universi-dade com a comunidade.

    No entanto, a formao de profissionaiscompromissados com uma sociedade maisjusta s pode ocorrer com a conscincia deque somos todos severinos e os problemasno so dos outros, mas nossos.

    Esperamos que a Atitude Cidad! seja umasemente plantada em solo frtil e que, ao ger-minar, desenvolva o compromisso social e pos-sibilite aes concretas junto comunidade.

    Somos todosSeverinos

    Alunos da Universidade de Uberaba j participaramde diversos programas sociais, como o Universidade Soldria

    arquivo Revelao

    Grupo de teatro de 1998 mostra sua irreverncia e criatividade

    arquivo Revelao

  • 33

    Andr Azevedo1 perodo de Jornalismo

    A Universidade de Uberaba, com oapoio de representantes de Diretrios Aca-dmicos, prepararou uma srie de ativida-des para a recepo de aproximadamente8.000 calouros e veteranos no Campus. Fo-ram montados trs Postos de Informao,sob a coordenao do curso de Turismo,para esclarecer as dvidas mais comuns eorientar os novatos. Os postos esto locali-zados na entrada principal, nos arredores daBiblioteca Central e prximo ao ponto denibus. Alm disso, estudantes com a ca-miseta Atitude Cidadestaro circulando peloCampus, acolhendo oscalouros e prestandoinformaes bsicas.

    Os horrios de aulados veteranos e as Agendas 2002 sero dis-tribudos pela Diretoria de Servios Aca-dmicos (DSA) na quadra coberta, duranteos trs turnos, at o dia 19 de fevereiro. De-pois dessa data, os materiais podero serretirados no Multiatendimento, localizadono Bloco I (veja mapa nas pginas centrais).

    O primeiro contato do calouro com adireo, assistentes pedaggicos e profes-sores ser feito nas atividades de acolhimen-to programadas pelas coordenaes de cada

    curso. Esse encontro ser feito nos blocosdestinados s aulas dos primeiros perodos(veja tabela). Os horrios dos calouros se-ro entregues pelas assistentes pedaggicas.

    Atitude CidadO trote proibido dentro do Campus

    desde 1997. Em contrapartida, a Universi-dade tem incentivado a calourada solidria,promovendo atitudes que despertem a sen-sibilidade dos alunos frente s necessida-des sociais. Os cursos de Servio Social eTerapia Ocupacional organizaram um pro-grama de integrao com a comunidade,cujo ponto de partida ser realizado nesta

    calourada. Uma parceriacom o Hemocentro pre-tende estimular a doaode sangue. Sero distri-budos cartazes e folhe-tos, esclarecendo dvi-

    das e convidando os alunos a participar.A Associao dos Voluntrios de Comba-

    te ao Cncer de Uberaba est promovendouma campanha de doao de roupas e alimen-tos no perecveis. Um caminho estaciona-do prximo entrada principal estar rece-bendo os donativos. Essas campanhas so oprimeiro passo para o projeto Atitude Cidad,uma proposta que supere o assistencialismo einvista na responsabilidade social que garan-ta plena cidadania s comunidades carentes.

    Campus prepara-separa receber 8.000estudantes

    Campanhas de donativos e incentivo participao social do o tom da calourada

    Os horrios de aula dosveteranos sero distribudosna quadra coberta

    14 a 24 de fevereiro de 2002

    Andr Azevedo

    Lungas Neto, aluno de Comunicao Social, participa da campanha Atitude Cidad

    CursoCursoCursoCursoCurso BlocoBlocoBlocoBlocoBloco SalaSalaSalaSalaSalaAdministrao Q Q06Biomedicina (multiperidico) H H119Biomedicina (noturno) S S203Cincias Aeronuticas F 2F 01Com.Social - Jornalismo A 2A05Com. Social Publicidade e Prop. A 2A05Direito C 2C01Educao Fsica X X14Enfermagem S S315Medicina S S311Engenharia da Computao B 2B05Farmcia (nultiperidico) A 2A17Farmcia (noturno) A 2A15

    Fisioterapia (multiperidico) D 2D56Fisioterapia (noturno) A 2A03Fonoaudiologia N 2N10Veterinria G 2G01Nutrio N 2N23Odontologia (multiperidico) A 2A06Odontologia (vespertino) A 2A06Odontologia (noturno) D 2D02IFE C 2C01Psicologia Q 2Q10Terapia Ocupacional S S103Servio Social N N09Proc Dados e Sist. Informao X 2X01Turismo N N16

    Veja onde sero realizadas as aulas inaugurais

  • 4 14 a 24 de fevereiro de 2002

    A Semana Cultural da calourada 2002,coordenada pelo Plano de Ateno ao Es-tudante e pelo Conservatrio Estadual deMsica Renato Frateschi, ser realizadade 14 a 22 de fevereiro. As atraes mu-sicais acontecero partir do dia 18, emfrente cantina, nos horrios de interva-lo das aulas. Professores e alunos do Con-servatrio vo apresentar peas musicaisde diversos estilos e pocas.

    Ars NovaTodos os calouros e veteranos que to-

    cam violo, cantam, encenam peas de te-atro ou declamam poesia esto convida-dos a participar das atividades. Para isso,basta procurar o PAE, localizado no blo-co B, sala 23. As insc