reuniµes medinicas

Download Reuniµes Medinicas

Post on 26-Jun-2015

2.687 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees

2. Objetivos Oferecer condies para oexerccio da mediunidade,de forma saudvel e segura,em perfeita harmonia com aCodificao Esprita e comasobrasespritassuplementares deinquestionvelvalordoutrinrio. Prestar auxlio moral edoutrinrio aos Espritosque sofrem ou que fazemsofrer.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 3. Objetivos AmpararEspritosemprocesso de reencarnao. Contribuirpara odesenvolvimento dacincia esprita atravs deestudosedificantesrelacionados mediunidade, em geral, eaoprocessodeintercmbio medinico emparticular.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 4. Conceito Atividade privativa, na qual se realiza assistncia aos espritos necessitados (encarnados ou desencarnados), constituda de pessoas, trabalhadores de uma casa esprita, que tenham conhecimento da doutrina, que possuam conduta moral equivalente com o trabalho a ser realizado e que estejam sintonizadas num mesmo objetivo.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 5. Allan Kardec LM, cap. XXIX Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 6. Allan Kardec LM, cap. XXIX Reunies Frvolas Composta por pessoascom interesses fteis epessoais. Participao exclusivade espritos levianos ebrincalhes. Espritos elevados nocomparecem aatividades dessanatureza.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 7. Allan Kardec LM, cap. XXIXReunies Experimentais Tem por principal objetivo a produo de fenmenos fsicos. Na poca de Kardec, onde esses fenmenos eram mais comuns, se utilizavam desse tipo de reunio para realizao de estudos sobre a doutrina dos espritos. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 8. Allan Kardec LM, cap. XXIX Reunies Experimentais Reunies srias, dirigidaspor pessoas devidamentepreparadas produziamfenmenos dematerializao. Hoje, no comum arealizao de reuniesdessa natureza nos moldesde antigamente, pormainda se realizam na formade doao fludica,irradiao mental,magnetizao da gua. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 9. Allan Kardec LM, cap. XXIX Reunies Instrutivas So reunies srias, que tem por objetivo principal aorientao dos encarnados e desencanados arespeito dos mais diversos assuntos nos campos dacincia, filosofia e moralidade. So dirigidas no plano espiritual por espritosesclarecidos, que em algumas vezes se comunicampara orientar e esclarecer a respeito do trabalho a serrealizado. necessrio ter cautela a respeito de algunsensinamentos transmitidos nas reunies, mesmo queesses utilizem uma linguagem imponente. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 10. Caractersticas das Reunies Srias A influncia moral dos participantes garantemou no o carter de seriedade de um reunio. Cogitam exclusivamente de coisas teis. Nuncacomo passatempo ou diverso. A reunio privativa e com nmero limitado departicipantes. Deve haver um esforo do grupo participante dareunio para que a harmonia seja imperativa nogrupo. necessrio ter a ideia do ser coletivo,feixe na atividade a ser realizada.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 11. Benefcio das reunies medinicas Desenvolvimento medinico Conquistar amigos espirituais, consolidando bases de cooperao; Prtica da caridade desinteressada quando auxilia aos desencarnados; Cooperao com encarnados e desencarnados de reconforto e esclarecimento Aprendizado com as mensagens de elevado teor e com o exemplo dos Espritos em sofrimento Auto educao e renovao de sentimentos Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 12. Benefcio das reunies medinicas Possibilidade de serem esclarecidos, reconfortados, estimulados a vencerem suas prprias imperfeies Auxlio no esforo de vencerem as telas da ignorncia e do sofrimento Possibilidade de auxiliarem os encarnados pelo exemplo (negativo) Amparo e esclarecimentos (superiores)Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 13. Caractersticas dos Participantes das Reunies Estudar muito e sempre trabalhar pela prpria iluminao; Evangelizar-se primeiramente antes de realizar qualquer trabalho doutrinrio no campo medinico; Ter assiduidade, pontualidade nas reunies e fidelidade a Jesus e Kardec.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 14. Caractersticas das Reunies Srias Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 15. Organizao e funcionamento das reunies medinicas PRIVACIDADEA reunio medinica deve ser privativa, tendo asportas chaveadas para se evitar a entrada departicipantes atrasados ou de pessoas estranhasao trabalho.A reunio deve ser realizada com a mesma equipe,previamente definida. Por ser privativa, vedada aparticipao de enfermos ou pessoas interessadasem receber benefcios durante a manifestao deEspritos; este no o local nem o momento paraesse tipo de atendimento. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 16. Nos grupos pequenos h melhor sintoniavibratria e harmonia de pensamentos. Uma reunio medinica em que seja livre a entrada de pblico, invariavelmente terpessoas movidas por curiosidade, semnenhum preparo para to grave atividade.crculosntimos, depoucaspessoas, somaisfavorveis.Livro dos Mdiuns, 332Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 17. Organizao e funcionamento das reunies medinicasREGULARIDADEA reunio ser sempre realizada nos dias e horrios pr-estabelecidos, com periodicidade definida pela Direo da Casa Esprita.Devem ser disciplinadas com relao aoshorrios de incio e fim. A Equipe espiritualno se atrasa.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 18. Organizao e funcionamento das reunies medinicasHORRIO - DURAO - FREQUENCIAO tempo total de uma reunio medinica no pode ser superior a 2 horas. Deste total, 60 minutos, no mximo, devem ser de manifestaes medinicas.O tempo restante ser utilizado para as outras etapas da reunio.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 19. Organizao e funcionamento das reunies medinicas LOCAL No Centro Esprita:ambiente maisestvel que favoreceo recolhimento,concentrao einstalao deequipamentos pelosEspritos.MOBILIRIO: mesa, SALA: se possvel,cadeiras, armrio.arejado, amplo,isolado, livre de MATERIAIS: livros pararudos e de trnsitoestudo, evangelho, lpis,de pessoas. papel, gravadorMaterial desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 20. Organizao e funcionamento das reunies medinicasAMBIENTEA iluminao deve ser graduada para permitir umamelhor concentrao dos participantes.Um vasilhame com gua para fluidificao, deveser mantido afastado da mesa para evitarincidentes.Sobre a mesa devem constar apenas lpis, papel,livros e um gravador para registrar a reunio. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 21. Organizao e funcionamentodas reunies medinicasPARTICIPANTES DA REUNIOO nmero de participantes depende dobom senso do dirigente e, tambm,da capacidade fsica do ambiente,no excedendo a 25 pessoas.Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 22. Organizao e funcionamento das reunies medinicasPARTICIPANTES DA REUNIO() os componentes da reunio, [...] nunca excedero o nmero de quatorze. Andr LuizDesobsesso, cap.20 e 73. prudente no exceder o limite de dez a doze pessoas [...]. Lon Denis. No Invisvel, primeira parte, cap.9.Diz Kardec...quanto maior o nmero dos participantes, tanto mais difcil sero preenchimento das condies exigidas. (L.M. Cap. XXIX, item 332.)Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 23. Organizao e funcionamentodas reunies medinicas PARTICIPANTES DA REUNIOConhea as principais atividades da CasaEsprita,frequentando as palestras evanglico-doutrinrias;Deve ter sido previamente preparado para a execuo datarefa e seja conhecedor das finalidades da reunio medinica;Realizar o Evangelho no Lar, a ss quando a famlia noaceita esta prtica , ou em companhia de familiares e afins;Utilizar o servio de atendimento espiritual e de passe da CasaEsprita sempre que se sentir desarmonizado; 24. Organizao e funcionamentodas reunies medinicas Harmonia e amizade entre osmembros da equipe; Interesse em aprenderservindo, sem personalismo; Cooperao recproca emotivao permanente; Compromisso individual ecoletivo com o estudo, aorao, a caridade e a autoiluminao progressiva; Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 25. Organizao e funcionamentodas reunies medinicas Conduta moral sadia Conhecimento doutrinrio; Ter equilbrio fsico e mental; No participar de reuniomedinica em outra CasaEsprita; Integrar-se nos diversostrabalhos da casa; Confiana; Disciplina; Pontualidade e perserverana. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 26. Organizao e funcionamento das reunies medinicas RENOVAO DOS INTEGRANTESA renovao frequente da equipe compromete ou pelo menos demora os resultados. desejvel [...] que ao menos um ncleo de antigos membros permanea compacto e constitua invarivel maioria. Lon Denis, No Invisvel, primeira parte, cap. 9Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 27. Organizao e funcionamentodas reunies medinicasASSIDUIDADE E PONTUALIDADE Necessrio que o participante da equipe medinica sejam assduos e pontuais. No caso de falta de assiduidade eimpontualidade de alguns participantes da reunio, deve ser investigada as causas que esto produzindo estas ocorrncias, com lucidez e esprito de fraternidade. Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees 28. 28Material desenvolvido pelo Departamento de Orientao Medinica (DOM) da Feees