resumos histologia

Download Resumos histologia

Post on 26-Jun-2015

283 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Junes celulares Pontos de contacto entre clulas de um tecido. Dependendo da sua estrutura, desempenham as seguintes funes: Ligam as clulas mecanicamente entre si; Ajudam a formar uma barreira de permeabilidade; Fornecem um mecanismo de comunicao intercelular; formam canais que permitem a passagem de ies e molculas entre clulas.

Juno de adesoLigaes com intuito de no permitir a passagem de substncias atravs dos espaos intercelulares; consistem em cadeias de protenas transmembranares que fundem as superfcies externas de membranas plasmticas adjacentes; abundantes entre clulas dos tecidos epiteliais que revestem o estmago, intestino e bexiga.

DesmossomaJunes de Ancoragem; estrutura em forma de disco (placa) com glicoprotenas transmembranares que se estendem para o espao intercelulares e ligam as clulas entre si; os filamentos intermedirios conferem estabilidade s clulas e tecido; so comuns na epiderme e no msculo cardaco.

Juno de hiatoConstituda por pequenos canais proteicos que possibilita um meio de comunicao intercelular, permitindo a passagem de ies e pequenas molculas entre as clulas; so estruturas importantes na coordenao das clulas do msculo liso e cardaco. CARACTERIZAO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DOS TECIDOS Os grupos de clulas diferenciadas no sentido de executarem determinadas tarefas designam-se por tecidos.

A especializao funcional que as clulas de cada tecido apresentam tem correspondncia na sua especializao estrutural. Quanto FUNO que cada tecido desempenha no animal destacam-se quatro tipos principais de tecidos:

Tecidos epiteliais grupos de clulas especializadas no revestimento de superfcies internas e externas dos animais; separam geralmente os meios internos dos externos podendo sofrer diferenciao para elaborar secrees. Tecidos conjuntivos grupos de clulas especializadas na formao de estruturas de suporte ao organismo. Tecidos musculares - efectores das respostas a estmulos quer do meio interno quer do meio externo, especializadas para a contraco. Tecidos nervosos - clulas que coordenam as respostas aos estmulos, especializadas na conduo de impulsos nervosos.

Principais caractersticas dos quatro tipos de tecidos:

Tecidos EpiteliaisCaracterizao: Formados por clulas geralmente polidricas justapostas, formando camadas celulares continuas, sem elementos vasculares e sem substncia intercelular. Tendncia em apresentarem polaridade morfofuncional (p.e. clulas que revestem o intestino que, no lado do lmen, apresentam inmeras microvilosidades). A maioria apresenta, na superfcie de contacto com os tecidos adjacentes, uma estrutura rica em protenas e polissacardeos lmina basal. Nutrio: Por difuso a partir dos tecidos conjuntivos adjacentes (ausncia de vasos sanguneos). Funo: Proteco mecnica e trmica (epiderme) e qumica (estmgo); Recepo de estmulos sensoriais (epiderme); Absoro (epitlio do intestino); Excreo (epitlio dos tbulos renais). Origem: Pode originar-se dos 3 folhetos embrionrios: Ectoderme: epitelios de revestimento externos (epiderme, boca, fossas nasais, nus) Endoderme: epitelio de revestimento interno (tubo digestivo, rvore respiratrio, fgado, pncreas) Mesoderme: endotlio (vasos sanguneos e linfticos) e mesotelio (revestimento de serosas)

Classificao: A classificao feita com base em vrios critrios: Funo desempenhada, Nmero de camadas de clulas, Forma das clulas e as especializaes apicais, quer fisiolgicas quer morfolgicas. Com base na sua funo : Epitlios de revestimento e de proteco - protegem a superfcie exterior do corpo; forram cavidades internas. Epitlios glandulares (secretores) segregam fluidos de composio diferente do plasma sanguneo ou do lquido intercelular . Epitlios sensoriais (neuroepitlios) clulas especializadas sensveis a diferentes estmulos

Classificao dos Epitlios de Revestimento

Epitlios de Revestimento Estratificados

Classificao das Glndulas

Classificao das Glndulas Endcrinas de acordo com o arranjo das clulas epiteliais:

Classificao das Glndulas Excrinas

Epitlios sensoriais ou neuroepitlios

So constitudos por clulas especializadas na recepo de estmulos - receptores e clulas com funo de revestimento. Os receptores tm a capacidade de transformar estmulos em alteraes do potencial de membrana, o que vai induzir um potencial de aco nas fibras nervosas aferentes e propagao do sinal.

Existem diferentes tipos de receptores:

Receptores de presso formados por terminaes nervosas envolvidas por camadas concntricas de tecido conjuntivo

Receptores olfactivos

Receptores Visuais

Receptores Auditivos

Tecidos ConjuntivosCaracterizao: Morfologicamente so caracterizados por possuirem diversos tipos de clulas separadas por abundante material intercelular segregado por elas. As clulas mais abundantes so: fibroblastos, macrfagos, plasmcitos, mastcitos, clulas adiposas e clulas mesenquimatosas indiferenciadas. O material intercelular consiste em substncia amorfa glicoprotenas e fibras. Funes: Sustentao, Preenchimento, Defesa, Nutrio.

Tipos de clulas do tecido conjuntivoFibroblastos: so as clulas mais abundantes no tecido conjuntivo e principais responsveis pela produo de material intercelular e fibras. So clulas grandes, planas, com forma alongada e com algumas expanses citoplasmticas, que se estendem para fora da clula; apresentam ncleo ovulado e grande desenvolvimento do RER, envolvido na produo de protenas. Macrfagos: com funo de defesa do organismo. So clulas com morfologia variada, podendo apresentar-se fixas - histicito - ou mveis, movendo-se por emisso de pseudpodos; apresentam propriedades fagocitrias - so clulas capazes de digerir elementos estranhos ao organismo e restos celulares.

Tipos de clulas do tecido conjuntivo

Plasmcitos: com funo de produo de anticorpos. So mveis e encontramse geralmente no tecido conjuntivo laxo ou reticular em pequeno nmero e quase sempre agrupados em redor dos vasos sanguneos. Mastcitos: com funo produzir heparina (anticoagulante) e histamina (envolvida em reaces alrgicas e inflamatrias). Adipcitos: com funo de reserva de gordura. Clulas mesenquimatosas indiferenciadas: tm a capacidade de se transformarem em qualquer dos outros tipos celulares.

Tipos de fibras do tecido conjuntivoFibras de colagnio - so de cor brancas resistentes traco e, quando aquecidas, transformam-se em gelatina. So constitudas por fibrilhas de colagnio. Fibras de reticulina (ou fibras reticuladas) - tendem a formar retculos e so mais finas que as de colagnio; so muitos abundantes e encontram-se em todos os tipos de tecido conjuntivo. Quimicamente so constitudas por colagnio. Fibras de elastina (ou fibras elsticas) - so de cor amarelo plido e predominam na parede dos principais vasos sanguneos. Tm grande elasticidade e so constitudas por fibrilhas de elastina.

Classificao dos Tecidos Conjuntivos

Tecidos Conjuntivos propriamente ditos

Tecido conjuntivo laxo Distribuio quantitativa semelhante dos trs de componentes; Tecido conjuntivo de maior distribuio no organismo preenche espaos entre as clulas musculares, encontra-se nas mucosas, na pele, em torno de vasos sanguneos. Tecido conjuntivo denso - Muito rico em fibras de colagnio Denso regular fibras com orientao definida (tendes e ligamentos); Denso no regular fibras sem orientao definida (derme),

Tecido CartilagneoCaracterizao: No possui vasos, nem sanguneos nem linfticos, nem fibras nervosas. Estrutura: A superfcie intercelular - matriz cartilaginosa segregada pelos condroblastos (ricos em RER e C. Golgi). Quando so totalmente envoltos por matriz, passam a ser chamados de condrcitos, que ficam responsveis pela manuteno da matriz. Matriz cartilaginosa: Principal constituinte macromolecular proteoglicana Presena de protenas e glicoprotenas reforada por fibrilas de colagnio do tipo II Grande quantidade de lquido intersticial, facilitando a difuso de oxignio e nutrientes a partir de capilares situados fora da cartilagem .

Funes: Constitui uma etapa da formao do tecido sseo; Serve de tecido de sustentao (ex. nariz e orelhas); Recobre superfcies articulares permitindo um melhor deslizamento entre elas (ex. ligaes esternocostais).

O tipo e a abundncia das fibras existentes na substncia intercelular conferem s cartilagens propriedades especficas: A. Cartilagem hialina

Apresenta matriz homognea ao microscpio ptico mas rica em fibrilas de colagnio. a cartilagem mais abundante; no adulto encontra-se nas paredes das fossas nasais, traqueia e brnquios e a recobrir as superfcies articulares. B. Cartilagem fibrosa Apresenta condrcitos mais comprimidos do que os da cartilagem hialina e matriz muito rica em fibras de colagnio. Encontra-se nos discos intervertebrais, nos pontos em que os tendes e ligamentos se inserem nos ossos. C. Cartilagem elstica

Apresenta condrcitos semelhantes aos da cartilagem hialina e fibras de colagnio e muitas fibras elsticas. Localizada no nariz, nas orelhas, na trompa de eustquio e na epiglote.

Tecido sseoCaracterizao: constitudo por clulas e material intercelular calcificado matriz ssea. As clulas so de 3 tipos: osteoblastos, ostecitos e osteoclastos. Osteoblastos so responsveis pela sntese da parte orgnica da matriz ssea, ficam includos no osso passando a chamar-se ostecitos. Ostecitos - so fusiformes com prolongamentos citoplasmticos; encontram-se em cavidades denominadas osteoplastos; so responsveis pela manuteno e mineralizao da matriz. Osteoclastos - so clulas volumosas (cerca de dez vez maiores que os osteoblastos), de forma arredondada, e podem ter 5 a 20 ncleos; so as clulas responsveis pela reabsoro do tecido sseo; (tm funo antagnica aos osteoblastos); Funo: Suporte e proteco Tem um papel importante na regulao do clcio e do fsforo no meio interno.

Tecidos conjuntivos com pro