RESUMO - uece.br ?· em serviço, e mediante supervisão docente-assistencial, e tem como objetivo formar…

Download RESUMO - uece.br ?· em serviço, e mediante supervisão docente-assistencial, e tem como objetivo formar…

Post on 22-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

IV Seminrio CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questo Social

29 a 31 de maio de 2013 Fortaleza CE UECE Itaperi

382

OS IMPACTOS DA PRECARIZAO DO TRABALHO NA ATIVIDAD E DOCENTE

DOS PRECEPTORES DA RESIDNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SADE DA

FAMLIA E COMUNIDADE

Ana Paula Silveira de Morais Vasconcelos1

RESUMO

Este artigo busca construir evidncias acerca das repercusses que os processos de flexibilizao tm provocado nas relaes de trabalho no mbito do servio pblico. Apresentamos como objeto da pesquisa a experincia dos Preceptores do Programa de Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidade de Fortaleza e sua atividade docente. Estando estes inseridos no cenrio atual de desmonte dos direitos da classe trabalhadora no passam ilesos aos impactos que esse processo gera e seus rebatimentos sobre sua atividade docente.

Palavras-chave: Docncia. Formao profissional. Precarizao do trabalho.

1 JUSTIFICATIVA

Esse artigo nasce da vontade de trazer para o cenrio acadmico e

profissional a discusso acerca da precarizao da atividade docente vivenciada

pelos preceptores do Programa de Residncia Multiprofissional em Sade da

Famlia e Comunidade da Cidade de Fortaleza, sendo esta um produto da

flexibilizao das relaes de trabalho e suas inflexes no servio pblico brasileiro.

A experincia vivenciada pela autora enquanto membro docente do citado

programa e o processo de precarizao a inquietaram de forma a querer estudar e

sistematizar todo o percurso de precarizao que perpassa sua atividade, bem como

seus rebatimentos na mesma [...] o conhecimento terico o conhecimento do

objeto de sua estrutura e dinmica tal como ele em si mesmo, na sua

1 Assistente Social, Mestranda em Servio Social, Trabalho e Questo Social MASS/UECE. Preceptora de Categoria do Programa de Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidade de Fortaleza (Sistema Municipal de Sade Escola/Secretaria Municipal de Sade de Fortaleza).

IV Seminrio CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questo Social

29 a 31 de maio de 2013 Fortaleza CE UECE Itaperi

383

existncia real e efetiva, independentemente dos desejos, das aspiraes e das

representaes o pesquisador (NETTO, 2011).

O ingresso da autora no Mestrado Acadmico de Servio Social, Trabalho e

Questo Social, que se constitui como um espao muito importante para o

desenvolvimento deste estudo, pois essa temtica abordada de forma transversal

no projeto de pesquisa e atravs da disciplina Trabalho e Sociabilidade que tambm

torna-se um condicionante profcuo para o desenvolvimento e aprofundamento da

pesquisa sobre essa questo.

Uma das perguntas que o trabalho buscar responder quais os impactos

que essa precarizao tem na atividade docente, seja na sua ao e nos seus

resultados junto aos discentes.

2 CONTEXTUALIZANDO O CENRIO DE PRTICA A SER PESQU ISADO

A Residncia Multiprofissional foi regulamentada a partir da Lei 11.129/2005,

uma modalidade de ensino de ps-graduao lato sensu, voltada para educao

em servio, e mediante superviso docente-assistencial, e tem como objetivo formar

profissionais para atuar no Sistema nico de Sade, a mesma dever ser

desenvolvida em regime de dedicao exclusiva, tendo a carga horria de 60hs

semanais.

Em se tratando de residncia o processo de ensino-aprendizagem acontece

durante a jornada de trabalho do profissional em formao, no caso o residente.

Diferentemente de outros modelos de especializaes, neste o aprendiz tem a

possibilidade de exercer o que est aprendendo, bem como, suscitar a necessidade

de novos conhecimentos tericos a partir do que lhe demandado do seu contato

com a comunidade.

Esse modelo de formao deve se contrapor ao modelo curativo,

biologicista, e mdico-centrado. A formao dever contemplar uma pedagogia

histrico-crtica, utilizando a metodologia da problematizao de Paulo Freire,

inserindo-se nos servios de sade e na comunidade, desempenhando uma atuao

crtica e comprometida (VASCONCELOS, 2012).

IV Seminrio CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questo Social

29 a 31 de maio de 2013 Fortaleza CE UECE Itaperi

384

As Residncias Multiprofissionais, consolidando o espao da educao

permanente, garante uma aprendizagem significativa que promove e produz

sentidos, e sugere que a transformao das prticas profissionais esteja baseada na

reflexo crtica sobre as prticas reais (BRASIL, 2004).

Em consonncia com a Poltica de Educao Permanente que apresenta-se como uma proposta de ao estratgica capaz de contribuir para a transformao dos processos formativos, das prticas pedaggicas e de sade para a organizao dos servios, empreendendo um trabalho articulado entre o sistema de sade, em suas vrias esfera de gesto, e as instituies formadoras (BRASIL, 2004).

Embora as Residncias Multiprofissionais tenham sido regulamentadas

somente em 2005, esse modelo de formao iniciou no Cear no comeo dos anos

2000, tendo como pioneiro o Municpio de Sobral, que trouxe a proposta de formar

profissionais para a Estratgia Sade da Famlia, dentro do seu prprio contexto.

Logo na segunda turma, em 2001, inovou, abrindo vagas para profissionais que

naquela poca no tinham seu espao profissional regulamentado dentro do ento

Programa de Sade da Famlia.

O corpo docente da Residncia composto por Preceptor de Territrio ou

Tutor e Preceptor de Categoria ou especialidade. Em consonncia com o Projeto da

Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e Comunidade de Fortaleza que

diz:

Tomando como base a ideia da necessidade de construo de novas formas de enfrentamento das situaes e/ou problemas complexos existentes na vida dos territrios, emerge da a necessidade de abordagem interdisciplinar, portanto, a construo de um novo campo de saber comum a todas as categorias. Delimitando assim, muito claramente o objetivo e o produto da formao de uma residncia multiprofissional (BRASIL, 2004).

O processo de formao das residncias multiprofissionais no campo da

sade da famlia seguem dois eixos fundamentais, que so: construo de

conhecimento de campo e ncleo de saberes e prticas profissionais articulando o

que Ceccim e Feuerwerker (2004) chamaram de quadriltero da formao para a

rea da sade: ensino, pesquisa, servio, gesto do SUS e controle social. Este

modo de operar a formao 'inter-categorias' visa formao coletiva inserida no

mesmo 'campo' de trabalho sem deixar de priorizar e respeitar os 'ncleos'

especficos de saberes de cada profisso (MINISTRIO DA SADE, 2006).

IV Seminrio CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questo Social

29 a 31 de maio de 2013 Fortaleza CE UECE Itaperi

385

Segundo Campos (2000), O ncleo demarcaria a identidade de uma rea de

saber e de prtica profissional; e o campo, um espao de limites imprecisos onde

cada disciplina e profisso buscariam em outras o apoio para cumprir suas tarefas

tericas e prticas.

A principal metodologia utilizada pelos preceptores no processo de formao

dos seus alunos o da tenda invertida.

De acordo com essa proposta, se nos modelos tradicionais de residncia o aluno vai ao encontro do seu mestre (preceptor) nos centros de excelncia de determinada especialidade, a Tenda do Mestre, em um modelo de Residncia em Sade da Famlia o espao que possibilita essa relao educativa a Tenda do Aluno. Assim, no modelo denominado de Tenda Invertida um grupo de preceptores acompanha as unidades de sade, tentando transformar esse espao originalmente de assistncia, em local tambm de construo de saberes e prticas. (ANDRADE, 2004).

Para Vasconcelos (2009), no possvel enfrentar a realidade fora dela

mesma, fora do seu movimento. A proposta das residncias multiprofissionais vem

justamente a esse encontro de alinhamento entre o mundo das pessoas, onde elas

vivem e se reproduzem socialmente e a formao de profissionais da sade que

atuaram junto ao processo de sade desses mesmos sujeitos.

Segundo Sucupira et al (2004), Os preceptores so educadores, no sentido

Freireano, que tm como misso construir junto com os residentes uma nova prtica

clnica, que com base nos conhecimentos tecnolgicos de cada rea possa

responder aos problemas de sade por meio de uma ao integral que considere os

diferentes determinantes do processo sade.

O Programa de Residncia Multiprofissional em Sade da Famlia e

Comunidade PRMSFC, do Municpio de Fortaleza iniciou em 2009. Essa primeira

turma contava com 66 residentes de onze categorias profissionais da sade e um

corpo docente composto por vinte e cinco profissionais que ingressaram atravs de

uma seleo pblica, que era composta de duas fases.

A turma seguinte sofre uma reduo drstica de financiamento por parte do

Ministrio da Sade e de 66 passou-se a ter somente 14 residentes, permanecendo

seis, das onze categorias existentes, bem como nessa nova modalidade no haveria

mais repasse para o pagamento de preceptores passando essa obrigao para o

municpio que, mesmo assim, aderiu ao programa. Houve um novo processo de

IV Seminrio CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questo Social

29 a 31 de maio de 2013 Fortaleza CE UECE Itaperi

386

seleo pblica para preceptores e pela reduo do nmero de residentes o nmero

de docentes tambm reduziu para oito, esse ltimo certamente contou com trs

etapas.

O Municpio de Fortaleza assume o compromisso de arcar financeiramente

com o corpo docente, e embora no conte mais com recursos do Ministrio da

Sade mantem o formato precrio de vinculo com seus trabalhadores. Mesmo sendo

realizada uma seleo pblica criteriosa, a gesto municipal mantem o formato de

precarizao negando ao seu corpo docente todo e qualquer vinculo ou direito

trabalhista decorrente. Antunes (2002, p. 52) diz que a atual tendncia dos

mercados de trabalho reduzir o nmero de trabalhadores centrais e empregar

cada vez mais uma fora de trabalho que entra facilmente e seja demitida sem

custos.

Para alm dessa instabilidade algo mais perverso estava posto, o

descumprimento de data para pagamento dos preceptores e os constantes atrasos,

o que fez com que todos os meses fosse necessrio uma verdadeira jornada de

reunies, mobilizaes, audincias e paralizao das atividades pedaggicas, uma

vez que tornava-se invivel a continuidade das atividades no territrio sem a

garantia das condies mnimas para o trabalho dos preceptores, bem como foi

causa de muito pedidos de desligamento de docentes que pressionados pelas

questes objetivas de sobrevivncia optaram por outro trabalho, bem como tambm

percebemos um sentimento de apatia e desmobilizao, uma quase sensao de

no tem jeito.

Corroborando com um enfraquecimento do grupo e de seus laos o que

Sennett (2011, p. 25) endossa quando diz que: Esses laos fracos se concretizam

no trabalho de equipe, em que a equipe passa de tarefa em tarefa e muda de

pessoal no caminho. Durante esses quatros anos do programa muitos preceptores

solicitaram seus desligamentos da atividade docente por conta do desgaste

causando pela precarizao qual eram submetidos.

A atuao do preceptor junto aos residentes fundamental para que o

programa acontea dentro de suas premissas, que educao em servio, mediada

pela prtica docente-assistencial, fomentando o aprofundamento tcnico-cientfico,

criando um ambiente favorvel para o ensino, contribuindo com a organizao do

processo de trabalho dos residentes, bem como fortalecendo os processos de

IV Seminrio CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questo Social

29 a 31 de maio de 2013 Fortaleza CE UECE Itaperi

387

trabalho dos demais profissionais das unidades bsicas que so locus de

aprendizado.

Paulo Freire diz no seu livro Pedagogia da Autonomia que no h docncia

sem discncia, em muitos momentos de crise, que no foram pouco que o

PRMSFC passou tivemos que afirmar que impossvel haver discncia sem

docncia.

necessrio ressaltar as implicaes e os prejuzos que esse processo de

trabalho precarizado tem na qualidade da formao dos residentes que em virtude

das constantes paralizaes e desligamentos de preceptores tem sua formao

fragmentada.

3 CONSIDERAES FINAIS

Muitos so os desafios. A prpria prtica da docncia em servio um

desafio para o preceptor que se prope a construir uma docncia articulada com o

fazer profissional e contextualizada num cenrio de prtica do SUS.

A precarizao a qual esto expostos os vulnerabiliza de tal maneira que

inclusive a mobilizao e articulao para melhores condies de trabalho so

realizada de formas muito sutis para que no paream rebelies. Essa subordinao

vem de encontro aos que Antunes (2005, p. 17) vai chamar de:

uma nova morfologia do trabalho: alm dos assalariados urbanos e rurais que compreendem o operariado industrial, rural e de servios, a sociedade capitalista moderna vem ampliando enormemente o contingente de homens e mulheres terceirizados, subcontratados, part-time, que exercem trabalhos temporrios, entre tantas outras formas assemelhadas de informalizao do trabalho, que proliferam em todas as partes do mundo (ANTUNES, 2005, p. 17).

A proposta que essa discusso crie asas e reverbere para que muitos

possam conhecer essa realidade que produto de um modelo de sociedade que

no valoriza a educao tratando-a como mercadoria.

O modelo de formao atravs de Programas de Residncias deveras

inovador, pela sua capacidade de formar profissionais para atuar num campo

especfico do SUS dentro dele mesmo. O residente ele aprende fazendo e faz

IV Seminrio CETROS Neodesenvolvimentismo, Trabalho e Questo Social

29 a 31 de maio de 2013 Fortaleza CE UECE Itaperi

388

aprendendo, pois a sua prxis completa de significados e o preceptor o grande

articulador desses dois campos, conhecimento e prtica que em muitos modelos de

aprendizagem ficam apartados.

No entanto para que a residncia tenha a possibilidade de desenvolver sua

capacidade total fundamental a garantia de profissionais qualificados exercendo a

docncia e que se tenha um corpo docente permanente e que atuar nesse programa

possa ser uma carreira.

4 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

ANDRADE, Luiz Odorico Monteiro. et. al. Estratgia de Sade da Famlia em Sobral : oito anos construindo um modelo de ateno integral sade. In: SOBRAL, Escola de Sade da Famlia Visconde de Sabia. 10 anos de Sade da Famlia. Sobral: Revista Sanare Revista de Polticas Pblicas, 2004. ANTUNES, Ricardo. Adeus ao Trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do...

Recommended

View more >