Resumo Dermatoglifia, somatotipo e qualidades físicas básicas no

Download Resumo Dermatoglifia, somatotipo e qualidades físicas básicas no

Post on 06-Feb-2017

214 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Bastos F. A; Dantas P. S.; Filho J. F. (2006). </p><p>Dermatoglifi a, somatotipo e qualidades fsicas </p><p>bsicas no basquetebol: estudo comparativo </p><p>entre as posies. Motricidade 2 (1): 32-52</p><p>Resumo</p><p>O objetivo geral deste estudo foi comparar entre </p><p>as posies de jogo as caractersticas dermatoglfi cas, </p><p>somatotpicas e as qualidades fsicas: resistncia aer-</p><p>bica, velocidade de deslocamento e salto vertical em </p><p>atletas da Seleo Brasileira de basquetebol masculino, </p><p>categoria juvenil. Este estudo, de cunho descritivo com </p><p>tipologia comparativa, utilizou-se de uma populao </p><p>composta de N=12 atletas convocados para a Seleo </p><p>Brasileira no ano de 2003 Os protocolos utilizados </p><p>para a identifi cao das caractersticas dermatoglfi cas </p><p>e somatotpicas foram respectivamente, Cummins e </p><p>Midlo (1943) e Health &amp; Carter (1990). Para avaliao </p><p>da capacidade aerbica, velocidade de deslocamento </p><p>e salto vertical foi utilizada respectivamente a ergo-</p><p>espirometria, a fotoclula e a plataforma de salto. No </p><p>tratamento estatstico, foi realizado o teste de Shapiro-</p><p>Wilk para verifi car a normalidade dos grupos. Foi </p><p>empregada a ANOVA one way, para comparao das </p><p>mdias dos grupos.No foram verifi cadas diferenas </p><p>signifi cativas entre as posies dos jogadores quanto s </p><p>caractersticas dermatoglfi cas. No somattipo, que foi </p><p>caracterizado como meso-ectomorfi co, no foi veri-</p><p>fi cada diferena signifi cativa. No entanto, tanto nos </p><p>armadores, quanto nos pivs da seleo, o somattipo </p><p>foi classifi cado como sendo mesomorfo balanceado. </p><p>Os pivs obtiveram valores de VO2 max diferentes </p><p>dos armadores e alas. No foram verifi cadas diferenas </p><p>entre as trs posies no salto vertical e na velocidade </p><p>de deslocamento. Conclui-se, que no alto rendimento </p><p>observa-se uma tendncia ao agrupamento de todas as </p><p>caractersticas entre as equipes, indicando que ser um </p><p>atleta de alto rendimento, pressupe homogeneidade </p><p>de caractersticas entre os indivduos.</p><p>Palavras-chave: Dermatoglifi a, somattipo, quali-</p><p>dades fsicas, basquetebol.</p><p>data de submisso: 01-12-2006</p><p>data de aceitao: 28-01-2006</p><p>Dermatoglifi a, somatotipo e qualidades fsicas bsicas no basquetebol: estudo comparativo entre as posiesFabio Ganime Bastos1</p><p>Paulo Silva Dantas2</p><p>Jos Fernandes Filho1,3</p><p>1Universidade Castelo Branco Rio de Janeiro Brasil2Universidade do Rio Grande do Norte Natal Brasil.</p><p>3Departamento de Jogos EEFD UFRJ Rio de Janeiro - Brasil</p><p>32 { Investigao</p><p>miolo12.indd 38 19-02-2006 23:13:57</p></li><li><p>Abstract:</p><p>Dermatoglyphical, somathotypical, and </p><p>basic physical characteristics of the quali-</p><p>ties of High LEVELPerformance athletes </p><p>in Basketball Sport Modality from Brazil</p><p>The aim of this study was to assess dermatoglyphi-</p><p>cal, somathotypical, and physical characteristics (VO2 </p><p>Max, speed of displacement and vertical jump) in male </p><p>Brazilian juvenile National team basketball players. A </p><p>sample of n=12 athletes was studied. The measures that </p><p>were assessed were: the dermatoglyphycal profi le of </p><p>Cummins and Midlo (1943); the somathotype-logical </p><p>profi le of Health &amp; Carter (1990); the VO2 Max trough </p><p>direct spirometry; the speed of displacement appraised </p><p>with photocelltimed run; the Vertical Jump Test with </p><p>a jumping platform. Shapiro-Wilk test was performed </p><p>to verify the normality of groups. The ANOVA one-</p><p>way was used to compare mean values for different </p><p>fi eld positions. No signifi cant differences were found </p><p>in the dermatoglyphical characteristics and in the </p><p>somatotype (generally meso-ectomorphic). However, </p><p>a balanced mesomorphic profi le was observed in the </p><p>guard and in the center players. The centers obtained </p><p>lower values of VO2 Max, compared to guards and </p><p>forwards. Differences were not verifi ed between the </p><p>three positions in the vertical jump and in the dis-</p><p>placement speed. It was concluded that in top-level </p><p>Basketball the physical characteristics that were asses-</p><p>sed tend to be homogenous among the individuals.</p><p>Keywords: Dermathoglyphics, somathotype, physi-</p><p>cal qualities, basketball</p><p>33 { Investigao</p><p>miolo12.indd 39 19-02-2006 23:13:57</p></li><li><p> Introduo</p><p>O basquetebol masculino brasileiro, como esporte de alta qualifi cao, alcanou em sua existncia, inmeras conquistas, inclusive dois campeonatos mundiais, e considerado pela FIBA, rgo maior do esporte no mundo, como a quarta fora no esporte. Fica evidente sua amplitude como prtica esportiva, que vai da informalidade ao alto rendimento, justifi cando a necessidade de se conhecer e se entender melhor a modalidade. Entretanto, percebe-se atualmente no Brasil uma </p><p>perda signifi cativa da popularidade do basquete-bol, certamente em virtude dos ltimos insuces-sos em competies internacionais. Tal fato limita sua prtica a um nmero cada vez mais reduzido de praticantes, difi cultando o surgimento e o desenvolvimento de jovens com potencialidades. Percebe-se, ainda, relativo empirismo na prepara-o fsica dos atletas de basquetebol, fato este, que refl ete na preparao tcnica.Surge, portanto, a necessidade de fundamenta-</p><p>o cientfi ca do empirismo e a prpria idia de confi gurar o perfi l do esporte nacional na qual se pretende intervir, podendo ser esta ao, o dife-rencial entre o sucesso e o fracasso, na programa-o da estratgia de treinamento esportivo.Alguns estudos nas linhas de investigao espor-</p><p>tiva indicam a necessidade da caracterizao dermatoglfi ca, somatotpica, e qualidades fsicas bsicas, demonstrando que os aspectos morfol-gicos e motores no se dissociam, pelo contrrio, esto associados quanto mais variveis indicado-ras da performance forem observadas. Fernandes Filho 13, 12 demonstra atravs de seus </p><p>estudos, a importncia de se conhecer o esporte de forma ampla, atravs da investigao das vari-veis envolvidas na modalidade esportiva. Abramova afi rma que nos ltimos 20 anos </p><p>no Laboratrio da Antropologia, Morfologia e Gentica Desportiva do Instituto de Investiga-es Cientfi cas de Moscou, tm sido analisa-</p><p>das as caractersticas das impresses digitais para selecionar atletas com potencialidades esportivas. Estudos cientfi cos e pesquisas de campo foram feitos com a inteno de identifi car as caracters-ticas dermatoglfi cas e somatotpicos em atletas de alto rendimento de diversas modalidades 14.Entre os anos 70 e 80, apareceram os trabalhos </p><p>de Nikitiuk e de seus alunos, dedicados aos estu-dos das impresses digitais no somente na teo-ria e prtica da seleo esportiva, mas tambm na individualizao da preparao. Os referidos estudiosos concluram que a complexidade dos desenhos indicaria marcas de prognsticos da constituio fsica13.Estudos mais recentes procuram traar o perfi l </p><p>dos atletas de diferentes esportes, na tentativa de qualifi car a seleo de potenciais esportivos. Silva Dantas 34 publicou um estudo de identifi cao dos perfi s, gentico, de aptido fsica e somato-tpico, que caracterizam os atletas masculinos de alto rendimento, participantes do futsal adulto no Brasil; e concluiu neste estudo que os jogadores de futsal, do Brasil, apresentam homogeneidade, nos valores mdios e derivados, nas caractersticas dermatoglfi cas para o tipo de desenho, SQTL, D10; nas caractersticas da aptido fsica: resis-tncia aerbica e anaerbica, fl exibilidade, agili-dade, fora, velocidade, composio corporal; e perfi l somatotpico, endomorfi a, mesomorfi a e ectomorfi a.Este mesmo autor 38 observou em um outro </p><p>estudo mais recente, que ocorreram algumas alteraes das qualidades fsicas bsicas no futsal brasileiro.Outros trabalhos foram publicados recente-</p><p>mente com a inteno de identifi car as caracte-rsticas dermatoglfi cas, somatotpicas e qualida-des fsicas de atletas de alto rendimento de vrias modalidades esportivas como a ginstica artstica feminina, o voleibol masculino adulto, o triatlo, a corrida de orientao, a natao, a esgrima 24, 29, 4, </p><p>34 { Investigao</p><p>miolo12.indd 40 19-02-2006 23:13:57</p></li><li><p>15, 30, 9. Os pilotos de caa da Fora Area Brasileira com patentes de Tenente e Capito 32 e os atle-tas de futebol da seleo brasileira portadores de paralisia cerebral tambm foram estudados31.Todos estes estudos demonstraram que a iden-</p><p>tifi cao do perfi l em modalidades esportivas de alta performance imprescindvel, e que sua uti-lizao sinaliza para a determinao da homoge-neidade entre atletas de uma mesma modalidade, caracterizando ser um instrumento valioso na criao de referncias em diferentes modalidades de alto nvel esportivo.Quanto ao basquetebol, foram poucos os regis-</p><p>tros na literatura nacional acerca de estudos apro-fundados sobre as caractersticas genotpicas e fenotpicas, evidenciando uma j notria carncia de informaes relacionadas a outros aspectos. O perfi l somatotpico do basquetebol brasileiro </p><p>juvenil foi identifi cado em um estudo recente 17. As caractersticas dermatoglfi cas de atletas adul-tos foram identifi cadas na dcada de 90 13, e mais recentemente 10, 11 foram realizados estudos em que foram identifi cadas as caractersticas derma-toglfi cas e somatotpicas dos atletas da Seleo Brasileira adulta de basquetebol masculina. O perfi l dermatoglfi co e somatotpico da Sele-</p><p>o Brasileira de Basquetebol masculina adulta foi identifi cado e observou-se que os pivs apresen-taram a maior proximidade com o que litera-tura nos esportes acclicos, e de alto rendimento, quanto s caractersticas dermatoglfi cas. Neste mesmo estudo, no se observou coincidncia em desenhos dos dedos, nas diversas posies e no total, com exceo dos alas, mas, mesmo assim, de presilhas (L). Os resultados, tanto da mo esquerda, quanto da mo direita, no apontaram para o aumento do nmero de verticilos (W).O objetivo geral deste estudo comparar as </p><p>caractersticas dermatoglfi cas, somatotpicas e qualidades fsicas bsicas: resistncia aerbica, velocidade de deslocamento e salto vertical </p><p>entre as posies de jogo, de atletas brasileiros de basquetebol de alto rendimento, na categoria juvenil.Esta comparao possibilitar uma melhor an-</p><p>lise do atleta e da modalidade, possibilitando com isso nortear a conduta motora com aes diver-sifi cadas na preparao global e especfi ca do atleta, tanto na iniciao esportiva, como no alto rendimento.</p><p>Amostra</p><p>Este estudo de cunho descritivo com tipolo-gia comparativa, que baseado em estudo de status, o qual procura obter informaes acerca de condies existentes, com respeito a vari-veis ou condies numa determinada situao, procurando estabelecer a relao entre estas, que especifi camente para este estudo, ser a existncia ou no de diferenas entre as variveis estudadas dentro dos grupos em foco 40.A amostra deste estudo representada por sua </p><p>populao, que foi composta por N=12 atle-tas convocados pela Confederao Brasileira de Basketball para a Seleo Brasileira da modalidade na categoria juvenil masculino no ano de 2003 para a disputa do Campeonato Sul-Americano.</p><p>Estudo comparativo entre as posies do basquetebol </p><p>Fabio Ganime Bastos, Paulo Silva Dantas, Jos Fernandes Filho</p><p>35 { Investigao</p><p>miolo12.indd 41 19-02-2006 23:13:57</p></li><li><p>Procedimentos</p><p>A avaliao dermatoglfi ca proposta em Cum-mins &amp; Midlo (1943), e descrita em Silva Dantas 35, foi utilizada neste estudo e incluiu a obteno das impresses digitais e posterior processamento. Para tanto, utilizou-se papel prprio e a almofada especial para impresses digitais, Coletor Impress. O mtodo de coleta das impresses digitais assim descrito:Procede-se obteno das Impresses Digitais, </p><p>utilizando-se a almofada para sujar toda a rea das falanges distais, de cada dedo, as falanges tm que ser cobertas com a tinta de lado a lado (valar e ulnar) at as unhas. Em seguida, apia-se a falange, imediatamente (lado da ulna), no papel e rota-se, em seu eixo longitudinal, at o lado lateral (rdio), tendo o cuidado de no borrar a impres-so. Este processo repetido, com cada um dos dedos, comeando com o dedo mnimo (cinco) e terminando com o dedo polegar (um). Aps a obteno das impresses digitais, h o proces-samento preliminar de sua leitura cujo mtodo padro o que se segue: Arco A - desenho sem deltas ausncia de </p><p>trirrdios, ou deltas, e se compe de cristas, que atravessam, transversalmente, a almofada digital.Presilha L - desenho de um delta, - possui um </p><p>delta. Desenhos meio fechados, em que as cris-tas da pele comeam de um extremo do dedo, encurvam-se, distalmente, em relao ao outro, e no se aproximam daquele.Verticilo W - desenhos de dois deltas - con-</p><p>tm dois deltas. Figura fechada. As linhas centrais concentram-se, em torno do ncleo do desenho. Quantidade de linhas (QL) - a quantidade de </p><p>linhas das cristas de pele, dentro do desenho, contada, segundo a linha que liga o delta ao cen-tro do desenho, sem levar-se em considerao a primeira e a ltima linha da crista.Devemos observar aps a coleta de dados: a </p><p>quantidade dos desenhos de tipos diferentes para os 10 (dez) dedos das mos; a somatria da quan-</p><p>tidade total de linhas (SQTL), que a soma da quantidade de linhas nos 10 (dez) dedos das mos; o ndice delta, (D10), que obtido seguindo a soma de deltas de todos os desenhos, onde no arco, A sempre (0), na presilha, L (1) (um delta)e no verticilo, W e S desenho (2), (dois deltas), sendo assim, D10 = L + 2 W, e os tipos de frmulas digitais que indicam a representao nos indivduos de diferentes tipos de desenhos, sendo ao todo nove tipos de frmulas digitais: 10A presena de 10 arcos; 10L - presena de 10 presilhas; 10W presena de 10 verticilos; ALW- presena de arco, presilha e verticilo, em qualquer combinao; AL presena e arcos e presilhas em qualquer combinao; AW presena de arcos e verticilos em qualquer combinao; L=W pre-sena de presilha e verticilo, na mesma propor-o; L&gt;W presena de presilha e verticilo, com a condio de que o nmero de presilhas seja maior que cinco; W&gt;L - presena de presilha e verticilo, com a condio de que o nmero de verticilos seja maior que cinco.Os ndices do somattipo foram obtidos pelo </p><p>mtodo somatotipolgico, de Heath &amp; Carter (1990), que permite um estudo apurado, sobre o tipo fsico de cada modalidade esportiva. O mtodo possui r acima de 0,90, constituindo-se um excelente e seguro mtodo de avaliao clas-sifi cando os indivduos em relao endomor-fi a, mesomorfi a e ectomorfi a 20. Para a obteno destes ndices, foram utilizados os protocolos de medidas de peso corporal, estatura, permetro de brao direito contrado corrigido, perme-tro de perna direita corrigida, dobras cutneas subescapular, triciptal, supra-espinhal e panturri-lha medial e dimetros sseos bi epicndiliano umeral e bi condiliano femural, descritos em Fernandes Filho [12]. O instrumental utilizado foi: Balana mecnica da marca Filizola, compasso de dobras cutneas da marca Lange, Beta Techno-logy Incorporated Cambridge, Maryland; estadi-</p><p>36 { Investigao</p><p>miolo12.indd 42 19-02-2006 23:13:58</p></li><li><p>metro da marca Sanny; fi ta antropomtrica de metal fl exvel da marca Sanny e paqumetro da marca Mitutoyo.Para avaliar a resistncia aerbica, foi utilizada a </p><p>ergoespirometria por apresentar um alto grau de reprodutibilidade em relao ao teste de esforo sem anlise de gases 45.A avaliao ergoespiromtrica, em esteira da </p><p>marca Precor C964i, consistiu no registro de eletrocardiograma de repouso (eletrocar...</p></li></ul>