resumo de gramática.docx

Download Resumo de Gramática.docx

Post on 18-Oct-2015

232 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Gramtica

Tem como finalidade orientar e regular o uso da lngua, estabelecendo um padro de escrita e de fala baseado em diversos critrios, tais como:- Exemplo de bons escritores;- Lgica;- Tradio;- Bom senso.Em se tratando de Gramtica, tem-se como matria-prima um sistema de normas, o qual d estrutura lngua. Tais normas definem a lngua padro, tambm chamada lngua culta ou norma culta. Assim, para falar e escrever corretamente, preciso estudar a Gramtica. Por ser um organismo vivo, a lngua est sempre evoluindo, o que muitas vezes resulta num distanciamento entre o que se usa efetivamente e o que fixam as normas. Isso no justifica, porm, o descaso com a Gramtica. Imprecisa ou no, existe uma norma culta, a qual deve ser conhecida e aplicada por todos.Quem desconhece a norma culta acaba tendo acesso limitado s obras literrias, artigos de jornal, discursos polticos, obras tericas e cientficas, enfim, a todo um patrimnio cultural acumulado durante sculos pela humanidade. Tipos de Gramtica

Gramtica Normativa: aquela que busca a padronizao da lngua, estabelecendo as normas do falar e escrever corretamente. Costuma ser utilizada em sala de aula e em livros didticos. Gramtica Descritiva: Ocupa-se da descrio dos fatos da lngua, com o objetivo de investig-los e no de estabelecer o que certo ou errado. Enfatiza o uso oral da lngua e suas variaes.Gramtica Histrica: Estuda a origem e a evoluo histrica de uma lngua.Gramtica Comparativa: Dedica-se ao estudo comparado de uma famlia de lnguas. O Portugus, por exemplo, faz parte da Gramtica Comparativa das lnguas romnicas.Diviso da Gramtica

Sabe-se que a lngua um sistema trplice: compreende um sistema de formas (mrfico), um sistema de frases (sinttico) e um sistema de sons (fnico). Por essa razo, a Gramtica tradicionalmente divide-se em:

Morfologia: abrange o sistema mrfico.Sintaxe: enfoca o sistema sinttico. Fonologia/Fontica: focaliza o sistema fnico.Semntica: ocupa dos significados dos componentes de uma lngua.Estilstica: estuda os processos de manipulao da linguagem que permitem a quem fala ou escreve sugerir contedos emotivos e intuitivos por meio das palavras.

Morfologia

Em Lingustica, Morfologia o estudo da estrutura, da formao e da classificao das palavras. A peculiaridade da morfologia estudar as palavras olhando para elas isoladamente e no dentro da sua participao na frase ou perodo. A morfologia est agrupada em dez classes, denominadas classes de palavras ou classes gramaticais. So elas: Substantivo, Artigo, Adjetivo, Numeral, Pronome, Verbo, Advrbio, Preposio, Conjuno e Interjeio.

- Estrutura da Palavras;- Classes de Palavras;

Estrutura das Palavras

Estudar a estrutura conhecer os elementos formadores das palavras. Assim, compreendemos melhor o significado de cada uma delas. As palavras podem ser divididas em unidades menores, a que damos o nome de elementos mrficos ou morfemas.Vamos analisar a palavra "cachorrinhas". Nessa palavra observamos facilmente a existncia de quatro elementos. So eles:cachorr - este o elemento base da palavra, ou seja, aquele que contm o significado.inh - indica que a palavra um diminutivoa - indica que a palavra femininas - indica que a palavra se encontra no plural

Morfemas: unidades mnimas de carter significativo. Existem palavras que no comportam diviso em unidades menores, tais como: mar, sol, lua, etc. So elementos mrficos:- Raiz, Radical, Tema: elementos bsicos e significativos- Afixos (Prefixos, Sufixos), Desinncia, Vogal Temtica: elementos modificadores da significao dos primeiros- Vogal de Ligao, Consoante de Ligao: elementos de ligao ou eufnicos.

Raiz: o elemento originrio e irredutvel em que se concentra a significao das palavras, consideradas do ngulo histrico. a raiz que encerra o sentido geral, comum s palavras da mesma famlia etimolgica. Exemplo: Raiz noc [Latim nocere = prejudicar] tem a significao geral de causar dano, e a ela se prendem, pela origem comum, as palavras nocivo, nocividade, inocente, inocentar, incuo, etc.

Uma raiz pode sofrer alteraes: at-o; at-or; at-ivo; a-o; ac-ionar;

Radical:

Observe o seguinte grupo de palavras: livr-o; livr-inho; livr-eiro; livr-eco. Voc reparou que h um elemento comum nesse grupo? Voc reparou que o elemento livr serve de base para o significado? Esse elemento chamado de radical (ou semantema). Elemento bsico e significativo das palavras, consideradas sob o aspecto gramatical e prtico. encontrado atravs do despojo dos elementos secundrios (quando houver) da palavra. Exemplo: cert-o; cert-eza; in-cert-eza.

Afixos: so elementos secundrios (geralmente sem vida autnoma) que se agregam a um radical ou tema para formar palavras derivadas. Sabemos que o acrscimo do morfema "-mente", por exemplo, cria uma nova palavra a partir de "certo": certamente, advrbio de modo. De maneira semelhante, o acrscimo dos morfemas "a-" e "-ar" forma "cert-" cria o verbo acertar. Observe que a- e -ar so morfemas capazes de operar mudana de classe gramatical na palavra a que so anexados. Quando so colocados antes do radical, como acontece com "a-", os afixos recebem o nome de prefixos. Quando, como "-ar", surgem depois do radical, os afixos so chamados de sufixos. Exemplo: in-at-ivo; em-pobr-ecer; inter-nacion-al.

Desinncias: so os elementos terminais indicativos das flexes das palavras. Existem dois tipos:- Desinncias Nominais: indicam as flexes de gnero (masculino e feminino) e de nmero (singular e plural) dos nomes. Exemplos: aluno-o / aluno-s; alun-a / aluna-s. S podemos falar em desinncias nominais de gneros e de nmeros em palavras que admitem tais flexes, como nos exemplos acima. Em palavras como mesa, tribo, telefonema, por exemplo, no temos desinncia nominal de gnero. J em pires, lpis, nibus no temos desinncia nominal de nmero.

- Desinncias Verbais: indicam as flexes de nmero e pessoa e de modo e tempo dos verbos. A desinncia "-o", presente em "am-o", uma desinncia nmero-pessoal, pois indica que o verbo est na primeira pessoa do singular; "-va", de "ama-va", desinncia modo-temporal: caracteriza uma forma verbal do pretrito imperfeito do indicativo, na 1 conjugao.

Vogal Temtica: a vogal que se junta ao radical, preparando-o para receber as desinncias. Nos verbos, distinguem-se trs vogais temticas:- Caracteriza os verbos da 1 conjugao: buscar, buscavas, etc.- Caracteriza os verbos da 2 conjugao: romper, rompemos, etc.- Caracteriza os verbos da 3 conjugao: proibir, proibir, etc.

Tema: o grupo formado pelo radical mais vogal temtica. Nos verbos citados acima, os temas so: busca-, rompe-, proibi-

Vogais e Consoantes de Ligao: As vogais e consoantes de ligao so morfemas que surgem por motivos eufnicos, ou seja, para facilitar ou mesmo possibilitar a pronncia de uma determinada palavra. Exemplos: parisiense (paris= radical, ense=sufixo, vogal de ligao=i); gas--metro, alv-i-negro, tecn-o-cracia, pau-l-ada, cafe-t-eira, cha-l-eira, inset-i-cida, pe-z-inho, pobr-e-to, etc.

Formao das Palavras: existem dois processos bsicos pelos quais se formam as palavras: a Derivao e a Composio. A diferena entre ambos consiste basicamente em que, no processo de derivao, partimos sempre de um nico radical, enquanto no processo de composio sempre haver mais de um radical.

Derivao: o processo pelo qual se obtm uma palavra nova, chamada derivada, a partir de outra j existente, chamada primitiva. Exemplo: Mar (martimo, marinheiro, marujo); terra (enterrar, terreiro, aterrar). Observamos que "mar" e "terra" no se formam de nenhuma outra palavra, mas, ao contrrio, possibilitam a formao de outras, por meio do acrscimo de um sufixo ou prefixo. Logo, mar e terra so palavras primitivas, e as demais, derivadas.

Tipos de Derivao

- Derivao Prefixal ou Prefixao: resulta do acrscimo de prefixo palavra primitiva, que tem o seu significado alterado: crer- descrer; ler- reler; capaz- incapaz.- Derivao Sufixal ou Sufixao: resulta de acrscimo de sufixo palavra primitiva, que pode sofrer alterao de significado ou mudana de classe gramatical: alfabetizao. No exemplo, o sufixo -o transforma em substantivo o verbo alfabetizar. Este, por sua vez, j derivado do substantivo alfabeto pelo acrscimo do sufixo -izar.

A derivao sufixal pode ser:Nominal, formando substantivos e adjetivos: papel papelaria; riso risonho.Verbal, formando verbos: atual - atualizar.Adverbial, formando advrbios de modo: feliz felizmente.

- Derivao Parassinttica ou Parassntese: Ocorre quando a palavra derivada resulta do acrscimo simultneo de prefixo e sufixo palavra primitiva. Por meio da parassntese formam-se nomes (substantivos e adjetivos) e verbos. Considere o adjetivo "triste". Do radical "trist-" formamos o verbo entristecer atravs da juno simultnea do prefixo "en-" e do sufixo "-ecer". A presena de apenas um desses afixos no suficiente para formar uma nova palavra, pois em nossa lngua no existem as palavras "entriste", nem "tristecer". Exemplos:emudecermudo palavra iniciale prefixomud radicalecer sufixo

desalmadoalma palavra inicialdes prefixoalm radicalado sufixo

No devemos confundir derivao parassinttica, em que o acrscimo de sufixo e de prefixo obrigatoriamente simultneo, com casos como os das palavras desvalorizao e desigualdade. Nessas palavras, os afixos so acoplados em sequncia: desvalorizao provm de desvalorizar, que provm de valorizar, que por sua vez provm de valor. impossvel fazer o mesmo com palavras formadas por parassntese: no se pode dizer que expropriar provm de "propriar" ou de "exprprio", pois tais palavras no existem. Logo, expropriar provm diretamente de prprio, pelo acrscimo concomitante de prefixo e sufixo.

- Derivao Regressiva: ocorre derivao regressiva quando uma palavra formada no por acrscimo, mas por reduo: comprar (verbo), compra (substantivo); beijar (verbo), beijo (substantivo