resumão jurídico - direito constitucional

Download Resumão Jurídico - DIREITO CONSTITUCIONAL

Post on 07-Jul-2015

7.302 views

Category:

Documents

200 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 5/9/2018 Resumo Jurdico - DIREITO CONSTITUCIONAL

    1/6

    , I. I I R e s u m i o J u r i d i c o [!]JOAO ANTONIO WIEGERINCK L . . ~ ~ _D IREITO CONSTITUCIONAL

    Nao e sem motivo que 0 Direito Constitucionalfigura como materia obrigatoria em diversos concur-sos publicos. Esse ramo do Direito esta presente emtodos os dernais, norteando os interesses do Estado edas pessoas que formam seu povo.Nenhuma carreirajuridica pode cortar seus vinculos com 0 ordenamen-to juridico maior, sob pena de se perderem os maiselevados anseios da especie hurnana e de se cor-romper a eficiencia da representatividade democrati-ca legalmente constituida. Muito mais do quealicerce aos profissionais da ciencia juridica, 0Direito Consti tucional e a voz da cidadania.CONSTlTUI~OES

    Classificac;ao das Constituic;oes1. Quanto ao conteudo:a) Constituicao material- Consiste no conjun-to de regras materialmente constitucionais,

    estejam ou nao codificadas em urn unico do-curnento.b) Constituicao formal- E aquela consubstan-ciada de forma escrita, por meio de urn docu-mento solene estabelecido pelo poder consti-tuinte originario,2.Quanto it forma:a) Constitulcao escrita - E aquela codificada esistematizada em urn texto unico, Portanto, eo mais alto estatuto juridico de determinadacomunidade.b) Constitulcao nao escrita - E 0 conjunto deregras nao aglutinadas em urn texto solene,mas baseado em leis esparsas, costumes, ju-risprudencias e convencoes (ex.: Constituicaoinglesa).3. Quanto ao modo de elaboracao:a) Constituicao dogmatica - Apresenta-se co-mo produto escrito e sistematizado por urnorgao constituinte, a partir de principios eideias fundamentais da teoria politica e do di-reito dominante.b) Constitulcao histnrica ou costumeira - Efruto da lenta e continua sintese da historia etradicoes de dcterminado povo.4.Quanto it origem:a) Constituieao promulgada (popular ou de-rnocratica) - Deriva do trabalho de umaAssernbleia Nacional Consti tuinte compostade representantes do povo, eleitos com a fina-lidade de sua elaboracao (ex.: CF de 1891,1934, 1946 e 1988).b) Constituieao outorgada - E estabelecida

    sem a participacao popular, por meio de im-posicao do poder da epoca (ex.: CF de 1824,1937,1967 e 1969).5.Quanto it estabilidade:a) Constltulcao imutavel- E aquela em que seveda qualquer alteracao, tornando-se reliquiahistorica.b) Constituicao rigida - E a Constituicao escri-ta que pode ser alterada por urn processo le-gislativo mais solene e dificultoso; algunsauto res apontam nossa Constituicao comosuper-rigida.c) Constituicao flexivel - Pode ser livrementemodificada segundo 0 mesmo processo esta-belecido para as leis ordinarias, ,

    d) Constituieao semi-rigid a - E urn meio-termo entre as duas anteriores, em que algu-mas regras podem ser alteradas por urn pro-cesso legislativo ordinario.6. Quanto it extensao e finalidade:a) Constituicao analitica - Examina e regula-menta todos os assuntos que entenda relevan-tes a formacao, destinacao e funcionamentodo Estado.

    b) Constltulcao sintetica - Preve somente osprincipios e as norm as gerais de regencia doEstado.Resumo - Nossa atual Constituicao e classificadada seguinte maneira: formal, escri ta, dogmatica,promulgada, rigida e analitica.Especies de poder constituintea) Poder constituinte originarlo - Estabelece aConstituicao de urn novo Estado. Atua tanto nosurgimento de uma primeira Constituicao quantana elaboracao de qualquer Constituicao posterior.b)Poder constituinte derivado - E proveniente dapropria Constituicao, pois dccorrc de uma rcgrajuridica de autenticidade constitucional. Dist in-gue-se, principalmente, por conhecer l imitacocsconstitucionais expressas e implicitas e e passi-vel de controle de constitucionalidade. Poder constituinte derivado reformador - Eresponsavel pela alteracao do texto constitu-cional, respeitada regulamentacao especialprevista na propria Constituicao e exercida pororgaos de carater representativo (no Brasil, pe-10 Congresso Nacional). Poder constituinte derivado decorrente -Consiste na possibilidade que os Estadosmembros tern, em virtu de de sua autonomiapolitico-administrat iva, de se auto-organiza-rem por meio de suas respectivas Consti-tuicoes estaduais, sempre respeitando a Cons-tituicao Federal.

    A ORGANIZA~AoD O E ST AD O B RA SIL EIR OElementos do Estado1. Terrltorlo - Bspaco fisico delimitado por fron-teiras naturais ou nao.

    2. Povo - Numero determinado ou nao de indivi-duos que habitam 0 territorio unidos por umamesma lingua, objet ivos e cultura.3. Soberania - Poder de um pais de dizer e aplicaro Direito dentro de seu territorio com efeito ergaomnes.

    Entidades federativas1. U niao - Entidade federativa autonorna, cabe-lheexercer as atribuicoes da soberania do Estadobrasileiro. Nao se confunde com Estado federal,pois este e pessoa juridica de direi to internacio-nal. A Uniao age em nome de toda a Fcdcracaoquando representa 0 pais no plano internacionalou quando intervem em urn Estado membro, noplano interno.

    2.Estados membros - Auto-organizam-se pormeio do exercicio de seu poder constituintederivado decorrente e, posteriorrnente, por meiode sua propria legislacao. 0 artigo 25 da Cons-tituicao Federal, em consonancia com 0 artigoII, caput, do Ato das Disposicoes Cons-titucionais Transitorias, permite aos Estadosmembros a auto-organizacao, por meio deConstituicoes estaduais, desde que observadosos principios estabelecidos por nossa Lei Maior.3. Municipios - Consagrados como entidades fe-derativas indispensaveis a nosso sistema federa-t ivo, integram-se na organizacao polit ico-admi-nistrativa cercados de plena autonomia. A cria-cao, incorporacao, fusao e desdobramento doMunicipio dcpcnde de lei estadual, dentro doperiodo detenninado por lei cornplementar fede-ral, assim como de consulta previa, medianteplebiscito, as populacoes interessadas, apos a di-vulgacao dos Estudos de Viabilidade Municipal,apresentados e publicados na forma da lei .

    4. Distrito Federal - A Constituicao garante aoDistrito Federal a natureza de ente federativoautonorno, vedando-Ihe a possibilidade de subdi-vidir-se em Municipios. Dessa forma, nao eEstado membro nem tampouco Municipio, tendo,em regra, todas as cornpetencias legislativas e tri-butarias reservadas aos Estados e Municipios.Os alicerces da Federac;aoA forma federativa do Estado possui dois ali-cerces imutaveis a sua estabilidade e funcionamen-to. Sao eles:a)Autonomia dos entes politicosUrn ente politico e autonorno quando possui as ,seguintes caracteristicas: ' arrecadacao - tributos proprios; administracao publica - servidores concurs a-dos (estaveis); representante do Poder Executivo eleito dire-tamente.b)Reparti.,iio de competenciasCada ente polit ico recebe da Constituicao compe-

    tencias especificas para suas atividades administrati-vas, legislativas e tributarias, designadas desta mane ira: competencia privativa da Uniao - delegavelaos Estados membros (art. 22); . cornpetencia comum entre os entes politicos(art. 23); competencia concorrente - Uniao, Estados eDistrito Federal (art . 24).

    SEPARA~Ao D OS PO DE RE SPODER LEGISLAT IVOo Poder Legislativo Federal, bicameral, e exercidopelo Congre sso Nac iona l, que se compoe da Camarados Deputados e do Senado Federal. E fundamentalque se diferenciem os Legislativos Estadual, Distrital eMunicipal, nos quais se consagra 0sistema unicameral.o bicameralismo do Legislativo Federal estaintimamente ligado a escolha pelo legislador cons-tituinte da forma federativa de Estado. No SenadoFederal, encontram-se representantes de todos osEstados membros e do Distrito Federal, cons a-grando 0 equilibrio entre as partes da Federacao.PODER EXECUT IVOo Poder Executivo constitui orgao cuja fun.,aotipica e 0 exercicio da chefia de Estado, da chefiade govcrno e da administracao geral do Estado.

    Entre suas funcfies atipicas estao 0 ato de legislareo de julgar seu contencioso administrat ivo.Da mesma forma que os congressistas, 0 chefe doExecutivo e eleito pelo povo e possui varias prerro-gativas e imunidades, as quais sao garantias para 0independente e imparcial exercicio de suas funcoes.Dica - Procurou-se, aqui, evitar ao maximo a trans-cricdo de texto constitucional, pois a materiaobjetiva deveficar no texto legal. Assim, quanta a s

    atribuiciies dopresidente da Republica, sugere-sea leitura do artigo 84 da Constituicdo Federal.PODER JUD IC IAR IOCompletando a triparticao dos poderes, em suadivisao classica, esta 0 Poder Judiciario, Sua presen-ca garante 0 verdadeiro Estado democratico de direi-

    to. Exatamente por esse motivo, just ifica-se a aplica-cao de certas garantias a seus membros julgadores,tais como vitaliciedade, inamovibilidade e irredutibi-lidade de vencimentos. Dessa maneira, pode-se con-tar com urn orgao independente e autonomo paraguardar as leis e garantir a ordem governamental .

  • 5/9/2018 Resumo Jurdico - DIREITO CONSTITUCIONAL

    2/6

    Sistema de freios e contra pesos(controle externo)Cada urn dos tres poderes exerce parcialmente urncontrole sobre as atividades do outro. Esse procedi-mento tern como objetivo estabelecer limites noexercicio das funcoes tipicas e atipicas e nas dis-tribuidas pela Constituicao.A Emenda Constitucional 45 estabeleceu 0 unicoprocedimento que ainda faltava ao Estado brasileiro: 0controle extemo do Poder Judiciario, Tal funcao sera.exercida por meio do Conselho Nacional de Justica,Sua composicao multifacetada esta prevista no artigo103-B do Texto Maior. Estrutura e finalidade seme-Ihantes apresenta 0 Conselho Nacional do MinisterioPUblico, responsavel pelo controle extemo deste orgao,conforme disposto no artigo 130-A da Consti tuicao,

    PROCESSO LEG IS LA T IVOProcesso legislativo pode ser entendido juridica-mente como urn conjunto de disposicoes coordena-das que disciplinam procedimento a ser observadopelos orgaos competentes na producao e elabora-",au das leis e atos nurmativos.Nao observadas as etapas do processo legislati