resumƒo de codjerj

Download RESUMƒO DE CODJERJ

Post on 28-Jun-2015

3.272 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CODJERJ (Resoluo n. 1)

-

RESUMO(Prof. Paulo R. Kraft)

Inicialmente importante destacar que o CODJERJ uma lei estadual e, por tal razo, s poder ser alterado mediante uma lei estadual. Entretanto, como disposto no art. 125, parg. 1, da Constituio Federal, a lei de organizao judiciria de iniciativa do Tribunal de Justia. Portanto, qualquer modificao neste Cdigo, ou seja, criao de Comarcas, elevao do nmero de desembargadores, etc., s poder ser realizada atravs de uma lei estadual que tenha sido proposta pelo Tribunal de Justia. Desta forma, o chefe do Poder Executivo Estadual (Governador do Estado) no poder remeter Assemblia Legislativa proposta de lei criando ou extinguindo uma Comarca, por exemplo. DISPOSIES PRELIMINARES (ART. 1/4) O CODJERJ regula o Funcionamento, Organizao, Diviso e Administrao da Justia. So

rgos do Poder Judicirio do Estado:Tribunal de Justia; Juzes de Direito; Tribunal do Jri; Juizados Especiais e suas Turmas Recursais; Conselhos da Justia Militar;

(T J

T

J

C)

Os juzes de direito integram a magistratura de carreira, exercendo a jurisdio de 1 grau. O Tribunal do Jri Justia de 1 instncia e julgar os crimes dolosos contra a vida. Os juizados Especiais Cveis e Criminais julgaro, respectivamente, as causas de menor complexidade e as infraes penais de menor potencial ofensivo. Os Conselhos da Justia Militar julgaro os integrantes da Polcia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, nos crimes militares definidos em lei. O Tribunal de Justia tem sede na Capital e jurisdio em todo o Estado. Tal fato resultante de o TJ ser rgo da 2 instncia, apreciando os recursos impetrados nas sentenas proferidas em todo o Estado. Instncia grau de julgamento. O julgamento feito inicialmente em uma Vara Cvel, Criminal ou de Famlia denominado Sentena. a deciso de 1 instncia. Havendo recurso, ou seja, o autor ou o ru na Ao, insatisfeito com a sentena, pode dela recorrer. Os recursos so julgados no Tribunal de Justia. Ser o 2 Julgamento, portanto, 2 instncia. O julgamento realizado na 2 instncia, ou seja, no Tribunal de Justia denominado Acrdo. Cabe ressaltar que h hipteses em que o Tribunal de Justia conhecer da Ao em primeiro lugar. Nestes casos no ser 2 instncia. Exemplo: Art. 161, IV, da Constituio do Estado (ex: crimes praticados por Juzes ou Promotores de Justia) Os Juzes e Tribunais de 1 instncia tm jurisdio nas reas definidas pelo CODJERJ. Logo a seguir estudaremos as classificaes das Comarcas e veremos que estas se dividem em Comarcas de Entrncia Especial, 2 Entrncia e 1 Entrncia. Portanto, tal denominao, Entrncia, no deve ser confundida com instncia (que grau de julgamento: 1 ou 2 instncia). DA DIVISO TERRITORIAL (art. 5/9)

1

O territrio do Estado, para efeito da administrao da Justia dividido em: (6 ) regies judicirias, Comarcas, distritos, subdistritos, circunscries e zonas judicirias. Regies Judicirias so estabelecidas para efeito de movimento de magistrados. Comarcas so as reas territoriais definidas para o exerccio da jurisdio de 1 grau. Somente as regies judicirias e as Comarcas esto relacionadas atividade jurisdicional. Todas as demais esto relacionadas com a atividade administrativa da Justia. Distritos definem o campo de atuao do Juiz de Paz. Subdistritos so divises dos distritos. Circunscries e zonas judicirias so divises administrativas do territrio do Estado para fins de servios extrajudiciais, como o Registro Civil de Pessoas Naturais e Registro de Imveis. Geralmente uma Comarca contm somente um Municpio (Ex. D. Caxias.). Entretanto poder haver Comarca com mais de um Municpio, desde que os demais sejam contguos, limtrofes. A denominao da Comarca ser a mesma de sua sede. (Ex.: na Comarca de Nova Iguau h mais um municpio alm de Nova Iguau, que Mesquita. A denominao da Comarca Nova Iguau porque a sede da Comarca fica em Nova Iguau.). A instalao da Comarca ato solene, presidido pelo Presidente do Tribunal ou representante. O art. 6 do Cdigo est, no nosso entendimento, localizado erroneamente, j que a instalao ato posterior a criao da Comarca e criao de Comarca est no art. 10, portanto, aps a instalao. Mas ... Voltamos a destacar o fato de que a criao de Comarca alterao do CODJERJ, que somente poder ocorrer atravs de lei estadual de iniciativa do Poder Judicirio. A instalao do distrito ser feita com a posse do juiz de paz perante o Juiz de Direito da Comarca competente para o Registro Civil de Pessoas Naturais. Destaca-se que juiz de paz no exerce atividade jurisdicional, conforme art. 98, II, da CF. Trata-se de uma atividade administrativa relacionada com o Poder Judicirio. Por tal razo muitos a denominam Justia Administrativa. O art. 8 diz que a situao decorrente da modificao da diviso administrativa (leia-se: criao de novo Municpio) ser regulada na alterao da organizao e diviso judiciria que se seguir, prevalecendo at l as existentes. Ex.: O caso de Mesquita, que se tornou Municpio e ainda faz parte da Comarca de Nova Iguau. Em caso de necessidade ou relevante interesse pblico poder ser transferida, provisoriamente, a sede da Comarca. Ato do Presidente mediante aprovao do TJ. CRIAO E CLASSIFICAO DE COMARCAS (arts. 10/16) Requisitos para criao de Comarca: 15.000 habitantes ou 8.000 eleitores; 200 processos por ano (s aqueles que exijam sentena que resulte coisa julgada) receita tributria superior a 3000 salrios-mnimos (inclui as cotas de participao) Tais requisitos no so absolutos, podendo sofrer reduo de quando a sede de um Municpio integrante (Prefeitura) distar mais de 100 Km da sede da

2

Comarca (Frum). Tal reduo tem por finalidade viabilizar o acesso Justia daqueles que residem em comunidades longnquas. Normalmente a Comarca recm criada de 1 entrncia. As Comarcas de 1 entrncia so as menores, geralmente com apenas uma vara, ou seja Juzo nico, sendo competente para apreciar e julgar todas as matrias. Requisitos para elevao da Comarca 2 entrncia: 70.000 habitantes ou 20.000 eleitores; 1000 feitos por ano; receita tributria maior que 15.000 salrios-mnimos. Obs.: O rgo Especial do Tribunal do Justia poder propor a elevao da Comarca 2 entrncia mesmo que um dos requisitos no for alcanado, desde que esteja prximo. So Comarcas de Entrncia Especial: Capital + 8 Capital, Petrpolis, Niteri, So Gonalo, Caxias, Nova Iguau e So Joo de Meriti, Campos e Volta Redonda. So Comarcas de 2 entrncia: Angra dos Reis, Araruama, Barra Mansa, Barra do Pira, Belford Roxo, Bom Jesus do Itabapoana, Cabo Frio, Itabora, Itagua, Itaperuna, Maca, Mag, Maric, Nilpolis, Nova Friburgo, Paraba do Sul, Queimados, Resende, Rio Bonito, Santo Antnio de Pdua, So Fidlis, So Joo da Barra, So Pedro da Aldeia, Saquarema, Terespolis, Trs Rios, Valena e Vassouras. A

criao de novas Varas, ser feita por: (Art. 16) desdobramento (mesma competncia, desde que ultrapassados mais de mil processos por Juzo. Ex. Mais uma Vara de Famlia) especializao (grande nmero de feitos da mesma matria = Vara de Menores, Falncias e Concordatas, rfos e Sucesses, etc..) descentralizao (Fruns ou Varas Regionais = maior acesso Justia)

RGOS JUDICIRIOS DA 2 INSTNCIA (arts. 17/48) O Tribunal de Justia composto de 145 desembargadores + 15 desembargadores que exercero funes de substituio e auxlio perante os rgos Julgadores do Tribunal de Justia. (160 desembargadores) Conforme disposto no art. 94 da Constituio Federal um quinto dos desembargadores ser composto por Membros do Ministrio Pblico, com mais de dez anos de carreira, e por advogados de notrio saber jurdico e de reputao ilibada com mais de dez anos de efetiva atividade profissional. o chamado quinto constitucional. So indicados ao TJ por seus rgos de representao em lista sxtupla que o Tribunal escolhe trs e remete a lista trplice ao Governador que ento escolher aquele que ir compor o TJ. A alterao do nmero de membros do Tribunal de Justia, ou seja, aumento do nmero de desembargadores, depende de proposta do rgo Especial, desde que no ano anterior os processos distribudos e julgados supere o nmero de 300 feitos por desembargador, servindo este como relator ou revisor em Cmara ou Seo Criminal. Os rgos Julgadores do Tribunal de Justia so: rgo Especial; (25 desembargadores: os 5 da ADM + os 20 mais antigos)

3

Conselho da Magistratura; (10 desembargadores: os 5 da Adm. + 5 eleitos pelo OE) Seo Criminal; Cmaras Obs.: A Seo Cvel e os Grupos de Cmaras foram extintos, ficando suas atribuies transferidas s Cmaras Cveis e ao rgo Especial. Como integrante da estrutura administrativa do Tribunal de Justia figura a EMERJ. A Corregedoria-Geral da Justia atuar como rgo de disciplina e correio dos servios judiciais e extrajudiciais de 1 instncia. Correio inspeo de servios judicirios. A disposio do Corregedor podero permanecer at 10 juzes de direito. O Presidente, os trs vice-presidentes e o Corregedor sero eleitos em votao secreta, pela maioria dos membros do Tribunal de Justia (Tribunal Pleno), sendo que s podero concorrer os membros efetivos do rgo Especial. obrigatria a aceitao do cargo, salvo quando a recusa ocorrer antes da eleio e for aceita pelos membros do OE. Voto secreto, para mandato de dois anos a contar do 1 dia til aps as frias coletivas da 2 instncia. permitida a reeleio por igual perodo. Vagando um dos cargos da Administrao do Judicirio ser realizada no prazo de 10 dias nova eleio para a escolha do sucessor para o tempo restante. No ser realizado tal procedimento quando o tempo restante for inferior a 3 meses. Neste caso ser convocado o desembargador mais antigo. O desembargador eleito para completar perodo de mandato inferior a um ano poder recusar o cargo. RGO ESPECIAL e C.M. : Exercero funes censrias e administrativas de relevncia, reservadas ao OE as de maior relevncia. (art. 17 2) O RGO ESPECIAL exerce as atribuies administrativas e jurisdicionais da competncia do Tribunal Pleno. O Tribunal Pleno, atualmente, s se rene para eleger os int