resultados do 4t 2013/14

Download Resultados do 4T 2013/14

Post on 29-May-2015

161 views

Category:

Business

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. Tereos Internacional Resultados do Ano 2013/14 So Paulo 11 de junho de 2014

2. Principais iniciativas e destaques em 2013/14 2 Evoluo do desempenho operacional Brasil: Incio dos benefcios do programa plurianual de investimento e ganho de eficincia (Guarani 2016): Agricultura: Aumento de 8% nos volumes para 19,7 milhes de toneladas (consolidao integral), impulsionado pelo maior rendimento agrcola (92 t/ha ou 10% acima da mdia da regio Centro-Sul) Cogerao: Aumento de 38% nas vendas de energia para 711 GWh, devido ao aumento de cogerao, particularmente nas unidades So Jos e Mandu Cereais Europa: Evoluo do programa de reduo de custo e ganho de eficincia Performance 2015 Avano significativo na diversificao geogrfica e no portflio de produtos Cereais Europa: Lillebonne operando a taxas normalizadas de utilizao da capacidade, com mix de produtos mais favorvel (protena/adoantes) Cereais Brasil: As vendas de adoantes de milho seguem crescendo na unidade Palmital, acompanhadas da evoluo da carteira de clientes Cereais sia: Avano na construo da unidade Dongguan e no plano de melhoria e diversificao da unidade Tieling, na China. Presena estabelecida na Indonsia com a aquisio de 50% da unidade Redwood em 28 de maio de 2014 Fortalecimento da posio financeira Aporte de capital da PBio na Guarani em outubro de 2013: R$ 225 milhes (participao da Tereos Internacional de 60,4%) Refinanciamento: Guarani: melhora do perfil da dvida com o refinanciamento de aproximadamente US$ 300 milhes nos ltimos 12 meses, sendo US$ 190 milhes em notas de crdito exportao realizado em outubro de 2013 (vencimento em 5 anos a juros mais baixos) Processo de desalavancagem progredindo a medida que o programa plurianual de investimento concludo: Reduo do endividamento, medido atravs do indicador dvida lquida/EBITDA, para 3,7x em maro de 2014 vs. 4,2x em maro de 2013 3. Acar: Desde a mnima de janeiro, os preos do acar bruto aumentaram 21% para 17,8 US$ centavos/lb em 31 de maro, principalmente devido forte seca que afetou canaviais no Centro- Sul do Brasil. Desde ento, os preos oscilam entre 18,0-18,5 USD centavos/lb A desvalorizao do Real frente ao Dlar durante o trimestre (-5%) melhorou a remunerao dos produtores brasileiros Amido As tenses na Ucrnia elevaram os preos do cereal Matif em fev/mar Demanda para amido e adoantes ligeiramente melhor no ltimo trimestre, mas concorrncia na Europa continua forte Alta volatilidade dos preos dos cereais manteve margens sob presso durante o perodo Etanol: No Brasil, os preos do etanol anidro e hidratado aumentaram 10% e 8% no trimestre devido a estoque mais apertados no perodo de entressafra na regio Centro-Sul. Preocupaes com a safra 2014/15 tambm contriburam para sustentar os preos Na Europa, os preos FOB Rotterdam recuperaram 9% durante maro de 460/m3 para 502/m3, impulsionados pelo aumento dos preos do etanol nos EUA, altos custos de matrias-primas e forte demanda3 Fonte: Bloomberg Destaques do Mercado em 4T 2013/14 14 15 16 17 18 19 20 21 380 410 440 470 500 530 560 590 abr-13 jul-13 out-13 jan-14 LIFFE#5 NY#11 US$/MT USD Cts/lb 150 170 190 210 230 250 270 abr-13 jul-13 out-13 jan-14 Milho MATIF Trigo MATIF /MT 400 450 500 550 600 650 700 700 900 1100 1300 1500 1700 1900 abr-13 jul-13 out-13 jan-14 Brasil ESALQ Europa Rotterdam R$/m /m 4. 752 678 779 1.056 848 2.701 2.511 3.156 3.396 4.211 239 540 826 941 1.063 1.319 1.957 2.115 2.008 2.217 2009/10 2010/11 2011/12 2012/13(1) 2013/14(1) lcool & Etanol Europa Amido & Adoantes frica/Oceano ndico Brasil 7.402 Evoluo da Receita Lquida 5.688 5.011 6.876 R$ milhes Nota: (1) Os valores esto de acordo com IFRS 11 (contribuio JV) e nova segmentao do Grupo 4 +10% +13% +24% -20% Crescimento Ano a Ano8.339 5. 81 51 94 28 75 395 292 302 205 193 13 93 158 190 184 281 428 424 373 518 -14 -19 -9 -9 2009/10 2010/11 2011/12 2012/13(1) 2013/14(1) lcool & Etanol Europa Amido & Adoantes frica/Oceano ndico Brasil Outros 959 850 786 Evoluo do EBITDA Ajustado 771 R$ milhes 5 +39% -3% -6% +173% Crescimento Ano a Ano Nota: (1) Os valores esto de acordo com IFRS 11 (contribuio JV) e nova segmentao do Grupo 962 6. 0 01.056 848 3.396 4.211 941 1.063 2.008 2.217 2012/13 2013/14 Brasil frica/Oceano ndico Amido & Adoantes lcool & Etanol Europa Holding Receita Lquida Melhores volumes e efeito cambial positivo suportando o crescimento na receita 6 Receita Lquida (R$ milhes) Crescimento da receita em razo de: Maiores volumes de vendas para todos os segmentos, exceto para lcool & Etanol Europa, com crescimento particularmente forte nos volumes de etanol no Brasil (+18%). Vendas de trading de etanol para o Grupo Tereos no so mais consolidadas neste segmento desde outubro de 2013 Melhores preos de etanol no Brasil e efeito positivo de mix com aumento nos volumes de protena em Amido e Adoantes Impacto cambial positivo devido desvalorizao do Real vs. Euro Mas parcialmente impactados pela: Evoluo negativa nos preos do acar em base anual, assim como para Amidos & Adoantes e etanol na Europa (acompanhando o declnio nos preos dos cereais e a fraca demanda na UE) 7 402 8 339 7402 8339 +874 +227 (131) (32) 2012/13 Moeda Volume Preo & Mix Outros 2013/14 7. Evoluo da Receita Lquida por Produto 7 Maro 2013 12 meses Maro 2014 12 meses Portflio bem diversificado com relativa estabilidade na participao de cada produto Acar e Adoantes permanecem as principais fontes de receita da Tereos Internacional lcool e Etanol permanece como a segunda principal atividade sustentada pelo aumento dos volumes e preos no Brasil A receita de co-produtos teve uma contribuio maior em 2013/14, principalmente devido ao efeito de mix positivo com a diversificao da produo em Lillebonne e desenvolvimento das vendas de protena Aumento nas vendas de energia no Brasil devido a maior cogerao Acar 24% Amido e Adoantes 31% Co-produtos 12% lcool e Etanol 20% Energia 2% Outros 11% Acar 22% Amido e Adoantes 32% Co-produtos 16% lcool e Etanol 18% Energia 2% Outros 10% 8. EBITDA Ajustado Cana-de-acar no Brasil e lcool & Etanol Europa contribuindo para melhora na rentabilidade 8 EBITDA Ajustado maior em base anual devido a: Diluio de custos no segmento de cana-de-acar no Brasil devido a maiores volumes de moagem e benefcios dos planos de eficincia Contribuio positiva de lcool e Etanol Europa na normalizao da produo e menores custos de insumos, devido principalmente ao crescimento dos volumes de protena e melhor desempenho operacional, compensados pela queda nos preos do etanol Efeito positivo de cmbio em desempenho estvel no Oceano ndico Porm, parcialmente compensado por: Condies de mercado difceis na Europa, permitindo apenas um repasse parcial aos clientes Menor produo em Moambique EBITDA Ajustado (R$ milhes) Margem 11,5%Margem 10,6% 786 962 -9 -9 28 75 205 193 190 184 373 518 2012/13 2013/14 Brasil frica/Oceano ndico Amido & Adoantes lcool & Etanol Europa 786 962 +146 (5) (12) +48 (0) 2012/13 Brasil frica/OI A&A A&E Europa Holding 2013/14 9. 9 +9,2% YoY +18,1% YoY Cana-de-Acar Brasil Produo e Vendas Moagem Recorde de Cana-de-Acar de 19,7 milhes de toneladas EnergySales (000 MWh) +38,3% YoY Moagem Moagem maior em 2013/14: 19,7 milhes de toneladas ou +8% em base anual (consolidao integral) e 18,3 milhes de toneladas ou +11% em base anual (sem Vertente, na consolidao da equivalncia patrimonial) Rendimentos agrcolas melhores do que esperados em 92 t/ha vs. 84 t/ha em 2012/13 Melhoria na produo Produo total aumentou 10% para 2,5 Mt (expressa em ATR) Mix: 63% acar, 37% etanol vs. 64% / 36% no ano anterior Acar: 1,5 Mt +9% em base anual Etanol: 535 mil m +13% em base anual Progresso na cogerao Vendas de energia (incluindo trading) aumentaram 38% para 711 GWh, devido ao aumento da capacidade, principalmente nas unidades So Jos e Mandu +10,6% YoY Processamento de Cana-de-Acar (MM t) Vendas de Acar (000 t) Vendas de Etanol (000 m) Vendas de Energia (000 MWh) 4,9 16.5 0 18.3 4T 12/13 12M 12/13 4T 13/14 12M 13/14 363 1.357 374 1.482 4T 12/13 12M 12/13 4T 13/14 12M 13/14 143 477 208 563 4T 12/13 12M 12/13 4T 13/14 12M 13/14 43 514 16 711 4T 12/13 12M 12/13 4T 13/14 12M 13/14 10. 2008 2217 (59) +121 +73 +97 (23) 2012/13 Preo & Mix Volume Preo & Mix Volume Outros 2013/14 Cana-de-Acar Brasil Financeiro Impacto positivo de volume e preo do etanol juntamente com maiores receitas de cogerao * inclui Cogerao, Produtos Agrcolas, Hedging e Revenda de Etanol 10 (1) Tereos Internacional aloca despesas com tratos como custo. Se tratos culturais fossem alocados como investimento, o EBITDA Ajustado para o ano fiscal 2013/14 seria R$623 milhes. Receita Lquida (R$ milhes) Acar Etanol Acar: 58% da receita lquida total Volumes aumentaram 9% para 1.482 milhes de toneladas Preos diminuram 5% em base anual para R$873 /ton Etanol: 32% da receita lquida total Volume vendido maior em 18% para 563.000 m3 Preos 12% maiores em base anual para R$1.251 /m3 Cogerao: R$101 milhes vs. R$80 milhes EBITDA Ajustado: R$518 milhes, +39% Custos unitrios mais baixos, juntamente com melhores preos do etanol e os primeiros benefcios do programa Guarani 2016 Margem EBITDA Ajustado acima em quase 5bps Margem EBITDA Ajustado1 para o ano fiscal 2013/14 incluindo tratos culturais como depreciao: 28,1% Nmeros Chave Em R$ milhes 2013/14 2012/13 Variao Receita Lquida 2 217 2 008 +10% Lucro Bruto 429 304 +41% Margem Bruta 19,4% 15,1% EBIT 132 35 +275% Margem EBIT 5,9% 1,7% EBITDA Ajustado 518 373 +39% Margem EBITDA Ajustado 23,4% 18,5% 11. Acar Oceano ndico 44% Acar frica 8% Trading e outros 48% Abertura da Receita por Produto em 2013/14 -14,7% YoY Cana-de-Acar Oceano ndico/frica Produo e Financeiro Operaes no Oceano ndico continuam a apresentar desempenho estvel 11 -1,4% YoY Moagem de Cana-de-Acar Oceano ndico: ligeira reduo (-7% na moagem de cana- de-acar para 1,72 milho de toneladas) frica: condies climti

Recommended

View more >