requalifica§£o urbana

Download Requalifica§£o Urbana

If you can't read please download the document

Post on 19-Mar-2016

31 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Requalificação Urbana. Trecho da Av. Maria de Paula Santana. Equipe: Alexandre Garcia 58368 Carolina Souza 58355 Guilherme Dantas 58372 Rodney Gomes 60196. Localização. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Requalificao Urbana

Trecho da Av. Maria de Paula SantanaRequalificao UrbanaEquipe:Alexandre Garcia 58368Carolina Souza 58355Guilherme Dantas 58372Rodney Gomes 60196LocalizaoO municpio de Viosa, situado na Zona da Mata Mineira, possui relevo predominantemente acidentado. O crescimento urbano, ou ainda, a formao da paisagem urbana de Viosa, ocorreu em quatro momentos principais (MELLO, 2002): a origem do municpio (final do sc. XVIII), sua primeira expanso entre os anos de 1813 e 1900, o crescimento do ncleo urbano entre os anos de 1900 at 1960 e de 1960 at os dias atuais.A rea em estudo (ampliada na imagem ao lado) foi ocupada nesta ltima fase - de 1960 at os dias atuais, devido abertura da Av. Marechal Castelo Branco, que se tornou a via de ligao da cidade com demais localidades e se tornou mais um vetor de expanso urbana.

Fig 1. Foto area da cidade de Viosa-MGFig 2. Foto area da rea de intervenoDescrio da rea de IntervenoO trecho em estudo apresenta grandes diferenas de declividade, como em todo o municpio. A lateral leste do sentido Viosa- Ponte Nova caracteriza-se, em grande parte, por uma encosta com certa densidade de construes; a oeste, por terrenos mais baixos. A posio da avenida em relao ao terreno causa sensaes como insegurana pela proximidade dos barrancos com possibilidade de deslizamento, monotonia por falta de elementos que despertem a ateno dos passantes e continuidade por ser uma pista retilnea.A regio estudada possui baixa infra-estrutura, tanto em relao escassa disponibilidade de servios e comrcio, quanto pela falta de acessos e conexes com outros bairros, alm de ainda apresentar caractersticas de rodovia, o que dificulta o uso desta pela populao. O trnsito de veculos acontece em alta velocidade, no existem faixas para travessia de pedestres nem arborizao junto s vias, o mobilirio urbano deficiente e, apesar de adensada, a rea quase no possui equipamentos pblicos, principalmente para recreao. Os servios tambm so deficientes, pois a populao necessita grande deslocamento para utilizar bancos, casas lotricas, farmcias, supermercados e escolas at 2 grau.Os principais potenciais do trecho estudado a existncia de equipamentos de educao de porte relevante (Univiosa, ESUV, Centev); o intenso comrcio de produtos agrcolas e autopeas e sua caracterstica de ser uma das entradas da cidade, conectando-a a alguns municpios vizinhos e de ser a ligao de bairros e equipamentos ao centro da cidade.

Objetivos/ Idia central do projetoA idia central do projeto tornar a regio em torno da avenida Maria de Paula Santana uma centralidade em Viosa. Essa centralidade pontual, composta por unidades concentradoras, como Univiosa, a ESUV, o CENTEV e o Silvestre - um antigo bairro da cidade j vinculado sua malha urbana. Para unir essas unidades entre si e ao todo, foi necessrio priorizar o planejamento do trnsito. Assim, o projeto parte da organizao dos fluxos deste e de priorizar o pedestre e o ciclista em suas trajetrias. Aliada ao disciplinar do trnsito, est a inteno de quebrar as sensaes de monotonia no trecho e proporcionar novas sensaes ao observador.

Fig 3. Trecho humanizado sem escalaDiretrizesPara alm deste projeto, dever ser realizada uma ligao deste trecho em estudo com uma futura ciclovia a ser implantada onde hoje se encontra a linha frrea em desuso, atravs do bairro Silvestre;Incentivar a ocupao das reas vazias atravs da valorizao dos ambientes. Essa valorizao obtida atravs de investimentos em infra-estrutura ciclo viria, espaos de lazer e mobilirio urbano;Quando possvel, inserir jardins nos passeios e canteiros.

Fig 4. Conteno da encosta por meio de solo grampeado

Detalhe Trecho 1Detalhe Trecho 2

Detalhe Trecho 3

IntervenesPartimos do passeio existente na lateral leste e lanamos as dimenses das vias no sentido oeste, para evitar cortes naquela lateral.Para o trecho em estudo chegou-se concluso de que seriam necessrios: trs vias para veculos (duas para fluxo e uma para estacionamento), dois passeios (um de cada lado das vias para veculos) e uma ciclovia. Em alguns trechos foi possvel ampliar estes valores sem fazer novos cortes ou aterros, e assim no aumetar a declividade das encostas existentes entre a via principal e as ruas adjacentes.Para atender s dimenses mnimas dessas vias, alguns terrenos foram desapropriados e incorporados ao projeto na lateral oeste ao trecho. Esses terrenos eram, em sua grande maioria, sem edificaes, e quando edificados eram ilegais, por no respeitarem os afastamentos mnimos, antes em relao a uma rodovia.

Fig 5. Perspectiva da Av. Maria de Paula SantanaIntervenesNa lateral leste, entre as entradas dos bairros Liberdade e Silvestre (parte alta), foi criada uma praa. Este equipamento foi estabelecido com os objetivos de oferecer, aos moradores, trabalhadores e transeuntes assduos e espordicos da regio, um local para descanso, encontro e lazer, e para criar uma identidade e sensao de pertencimento pelos moradores. A criao dessa praa tambm serviu como elemento alternativo de ligao do bairro Liberdade segunda seo do bairro Silvestre.Prxima a esta praa foi criada uma rotatria de acesso ao bairro Silvestre e de retorno aos usurios da via, que organizar os fluxos neste trecho.Para atender s demandas, o mobilirio urbano foi disposto entre distncias definidas em acordo com as distncias aconselhadas e as que julgamos necessrias aps estudo da rea.No trecho entre o trevo de entrada para o Silvestre de Baixo e a ponte sobre o rio So Bartolomeu, foi proposta uma via com acostamento em ambos os sentidos, canteiro central e uma ciclovia na calada oeste, pois neste espao as edificaes possuem um afastamento considervel da via e no foi necessrio desapropriar ou cortar o terreno adjacente calada leste para amplia-la.

Mobilirio Urbano

Maquete

Fig 8. Perspectiva da praa projetada

Vdeo

Recommended

View more >