relatأ“rio de gerenciamento de riscos 5. estrutura de gerenciamento de riscos as polأ­ticas de...

Download RELATأ“RIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS 5. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS As Polأ­ticas de Gerenciamento

Post on 10-Jun-2020

1 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

    PILAR 3 – DISCIPLINA DE MERCADO

    1º TRIMESTRE - 2013

    Elaborado por:

    Rafaela Alves Parreira

    Aprovado por:

    Nelson Aguiar

    Aprovado por:

    Laerte Herrero

    Visto:

    Visto:

    Visto:

    / /2013 / /2013 / /2013

  • 2

    ÍNDICE

    1. INTRODUÇÃO....................................................................................................... 3

    2. INSTITUCIONAL................................................................................................... 3

    3. GERENCIAMENTO DE RISCOS................................................................................ 4

    4. TIPOS DE RISCOS FINANCEIROS............................................................................ 4

    5. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS.......................................................... 5

    5.1. RESPONSABILIDADES.................................................................................... 6

    6. RISCO DE CRÉDITO.............................................................................................. 7

    6.1. GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO......................................................... 8

    6.2. CLASSIFICAÇÃO DE RISCO (RATING)............................................................... 8

    6.3. MITIGAÇÃO DO RISCO DE CRÉDITO............................................................... 9

    6.4. EXPOSIÇÃO AO RISCO DE CRÉDITO................................................................. 10

    6.5. EXPOSIÇÃO POR FATOR DE RISCO................................................................... 10

    6.6. EXPOSIÇÃO POR PAÍSES E REGIÕES................................................................. 10

    6.7. EXPOSIÇÃO POR SETOR ECONÔMICO............................................................... 11

    6.8. EXPOSIÇÃO POR FAIXA DE ATRASO.................................................................. 11

    6.9. CONCENTRAÇÃO DOS DEZ MAIORES DEVEDORES.............................................. 11

    6.10. OPERAÇÕES BAIXADAS PARA PREJUÍZO.......................................................... 12

    6.11. MONTANTE DE PROVISÕES PARA PERDAS....................................................... 12

    6.12. PARCELA DO PEPR POR FATOR DE PONDERAÇÃO.............................................. 12

    6.13. DOCUMENTO REGULATÓRIO.......................................................................... 13

    7. RISCO OPERACIONAL............................................................................................ 13

    7.1. PLANO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS......................................................... 14

    7.2. DOCUMENTO REGULATÓRIO............................................................................ 14

    8. RISCO DE MERCADO............................................................................................. 14

    8.1. VALIDAÇÃO DO MODELO – BACKTESTING......................................................... 16

    8.2. DOCUMENTO REGULATÓRIO............................................................................ 16

    8.3. DERIVATIVOS............................................................................................... 16

    9. RISCO DE LIQUIDEZ.............................................................................................. 16

    9.1. DOCUMENTO REGULATÓRIO............................................................................ 17

    10. GESTÃO DE CAPITAL........................................................................................... 17

    10.1. APURAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (PR)........................................... 18

    10.2. APURAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO (PRE)........................... 19

    10.3. DOCUMENTO REGULATÓRIO.......................................................................... 19

    11. ÍNDICE DE BASILÉIA........................................................................................... 19

  • 3

    1. INTRODUÇÃO

    No decorrer dos anos o Comitê de Basiléia vem criando instrumentos para assegurar a

    estabilidade e solidez no setor bancário internacional.

    O advento do Novo Acordo de Basiléia, conhecido como Basiléia II, fez com que as

    Instituições Financeiras implementassem mecanismos para a adequação de suas

    estruturas de Gerenciamento de Riscos, para um controle mais rigoroso de seus riscos.

    Além das exigências determinadas pelos Órgãos Reguladores, o Basiléia II permite que as

    Instituições utilizem modelos próprios para mensuração e controle dos riscos inerentes as

    suas atividades.

    O Novo Acordo de Basiléia (Basiléia II) está fundamentado em três Pilares:

    Pilar I – Requerimento Mínimo de Capital: As Instituições devem ter capital mínimo

    para fazer frente aos riscos assumidos (Riscos: Crédito, Mercado e Operacional);

    Pilar II – Supervisão Bancária: A Supervisão avalia como as Instituições estão

    adequando seu capital em relação aos riscos assumidos;

    Pilar III – Disciplina de Mercado: As Instituições passam a informar suas estruturas de

    gerenciamento de riscos aos agentes de mercado.

    Em continuidade ao processo de implementação das recomendações do Basiléia II e as

    exigências do BACEN, o Banco Yamaha Motor do Brasil S.A. publica este relatório (Pilar 3 –

    Disciplina de Mercado) com intuito de apresentar maior transparência na Gestão de Riscos

    aos seus clientes, concessionários, colaboradores, acionistas e agentes de mercado.

    2. INSTITUCIONAL

    O Banco Yamaha Motor do Brasil S.A., foi criado em Outubro de 2008, com o objetivo de

    oferecer produtos e serviços sob medida para os clientes da Rede de Concessionárias

    Yamaha. Estamos ligados diretamente à Yamaha Motor do Brasil Ltda., que pertence ao

    Grupo Yamaha Motor Company, atuando em mais de 104 países.

  • 4

    A missão do Banco Yamaha Motor do Brasil S.A. é oferecer serviços financeiros

    competitivos e rentáveis, fortalecendo os negócios do Grupo Yamaha e satisfazendo as

    expectativas de nossos clientes, concessionários, colaboradores e acionistas.

    3. GERENCIAMENTO DE RISCOS

    O Gerenciamento de Riscos do Banco Yamaha Motor do Brasil S.A. tem por objetivo

    identificar, mensurar, controlar e mitigar os riscos associados à Instituição.

    Para o Gerenciamento de Riscos da Instituição são utilizadas as práticas mais aceitas pelo

    mercado, além de atender todos os requerimentos dos Órgãos Reguladores.

    4. TIPOS DE RISCOS FINANCEIROS

    Em virtude da complexidade dos produtos e serviços oferecidos aos seus clientes, o Banco

    Yamaha Motor do Brasil S.A. está exposto a diversos Riscos Financeiros. Dentre os

    principais riscos inerentes a atividade da Instituição, destacamos:

    • RISCO DE CRÉDITO: É a possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não

    cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas respectivas obrigações financeiras

    nos termos pactuados, à desvalorização de contrato de crédito decorrente da

    deterioração na classificação de risco do tomador, à redução de ganhos ou

    remunerações, às vantagens concedidas na renegociação e aos custos de recuperação.

    • RISCO DE MERCADO: É a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes da

    flutuação nos valores de mercado de posições detidas por uma instituição financeira.

    • RISCO DE LIQUIDEZ: É a possibilidade de a instituição não ser capaz de honrar

    eficientemente suas obrigações esperadas e inesperadas, correntes e futuras, inclusive

    as decorrentes de vinculação de garantias, sem afetar suas operações diárias e sem

    incorrer em perdas significativas, bem como de não conseguir negociar a preço de

    mercado uma posição, devido ao seu tamanho elevado em relação ao volume

    normalmente transacionado ou em razão de alguma descontinuidade no mercado.

    • RISCO OPERACIONAL: É a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha,

    deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas ou de eventos

  • 5

    externos, incluindo o risco legal associado à inadequação ou deficiência em contratos

    firmados pela instituição, bem como a sanções em razão de descumprimento de

    dispositivos legais e a indenizações por danos a terceiros decorrentes das atividades

    desenvolvidas pela instituição.

    • RISCO DE COMPLIANCE: É o risco de sanções legais ou regulatórias, de perda

    financeira e de imagem que a Instituição possa sofrer como resultado da falha no

    cumprimento da aplicação de leis, regulamentos, código de conduta e das boas práticas

    bancárias.

    5. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

    As Políticas de Gerenciamento de Riscos do Banco Yamaha Motor do Brasil S.A. visam

    obter o melhor dimensionamento e controle dos riscos inerentes ao nosso negócio de

    modo consolidado, bem como a apuração do capital necessário para suportar nossas

    atividades, buscando

Recommended

View more >