relatório... · pdf file ... planta e perfis situação final - escala...

Click here to load reader

Post on 18-Jan-2019

224 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

EIA Relatrio Tcnico

ANEXOS

EIA Relatrio Tcnico

Planta de Localizao Escala 1:25 000

ANEXO 1

EIA Relatrio Tcnico

Extractos das Cartas de Ordenamento e de Condicionantes (PDM de Viana do

Castelo) Escala 1:10 000

ANEXO 2

EIA Relatrio Tcnico

Extractos da Planta de Recursos Geolgicos e da Planta de Condicionantes

Zonamento Acstico Escala 1:10 000

ANEXO 3

EIA Relatrio Tcnico

Plano de Lavra - Planta Situao Inicial - escala 1:2.500

ANEXO 4

EIA Relatrio Tcnico

Plano de Lavra - Planta e Perfis Situao final - escala 1:2.500

ANEXO 5

EIA Relatrio Tcnico

PARP - Planta e Perfis de Recuperao Paisagstica - escala 1:2.500

ANEXO 6

EIA Relatrio Tcnico

Anexos da Geologia e Geomorfologia

ANEXO 7

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL

Descritor de GEOLOGIA E GEOMORFOLOGIA

PPPEEEDDDRRREEEIIIRRRAAA DDDEEE SSSEEERRRRRREEELLLEEEIIISSS

DOMINGOS, ARANTES & SOUSA, SA.

VVVIIIAAANNNAAA DDDOOO CCCAAASSSTTTEEELLLOOO

MEMRIA DESCRITIVA PEAS DESENHADAS

Vila Nova de Gaia, ABRIL 2009

Apartado 1301 4401 501 Vila Nova de Gaia telf: 351.222 343 999 e-mail: congeo.consultores@gmail.com

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL Descritor Geologia e Geomorfologia Pedreira de Serreleis Viana do Castelo

1 / 23

NDICE

1. CARACTERIZAO DA SITUAO DE REFERNCIA

1.1. INTRODUO

1.2. GEOMORFOLOGIA

1.3. GEOLOGIA 1.3.1. Litologias 1.3.2. Tectnica e fracturao 1.3.3. Sismicidade

1.3.4. Dados de Campo

2. IDENTIFICAO E CARACTERIZAO DE IMPACTES

2.1. CONSIDERAES GERAIS

2.2. FASE DE PREPARAO (P)

2.3. FASE DE EXPLORAO (E)

2.4. FASE DE RECUPERAO (R)

3. MEDIDAS DE MITIGAO

4. PLANO DE MONITORIZAO

5. LACUNAS TCNICAS OU DE CONHECIMENTO

6. SNTESE E CONCLUSES

BIBLIOGRAFIA ANEXOS ANEXO I PEAS DESENHADAS ANEXO II DOCUMENTOS FOTOGRFICOS

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL Descritor Geologia e Geomorfologia Pedreira de Serreleis Viana do Castelo

2 / 23

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL PEDREIRA DE

SERRELEIS VIANA DO CASTELO DESCRITOR DE GEOLOGIA E GEOMORFOLOGIA

1. CARACTERIZAO DA SITUAO DE REFERNCIA

1.1. INTRODUO A rea seleccionada para este projecto, ampliao da rea de explorao

de uma pedreira para a extraco de blocos de granito, designada por Pedreira

de Serreleis com o n 6429, propriedade da empresa Domingos Arantes &

Sousa, SA., localiza-se na Freguesia de Cardielos e Nogueira pertencente ao

Concelho de Viana do Castelo. As povoaes mais prximas so Cardielos,

Marces e Samonde, sendo que nenhuma das povoaes dista a menos de

1km de distncia.

A rea a estudar, situa-se junto zona mais elevada, toda ela integrada

num macio de natureza grantica, responsvel pelos principais relevos

ocorrentes na rea.

A regio encontra-se representada na Carta Militar de Portugal, na escala

1/25 000, na Folha n 40 Viana do Castelo (ver Anexo I Desenho 1

CARTA TOPOGRFICA).

Os trabalhos de campo, necessrios para a realizao deste trabalho,

decorreram durante o ms de Abril de 2009. O reconhecimento no campo

contribuiu, essencialmente, para a identificao e caracterizao da fcies

grantica que aflora na rea em questo e que ser o alvo principal da

explorao. Em simultneo com estes trabalhos, foi tambm avaliado, no local

e de forma expedita, o estado de fracturao, assim como, o estado de

alterao apresentado pelo macio rochoso.

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL Descritor Geologia e Geomorfologia Pedreira de Serreleis Viana do Castelo

3 / 23

A metodologia utilizada, para a prossecuo dos objectivos atrs

referidos, inclui a observao in situ das famlias de fracturas mais evidentes no

macio grantico em estudo.

1.2. GEOMORFOLOGIA As formas de relevo, que ocorrem na regio, encontram-se fortemente

condicionadas pelo substracto rochoso que , como j referido, de natureza

grantica e que emerge de xistos formando desse modo relevos destacados de

encostas ngremes intercaladas com vales pronunciados. As litologias

granticas, que formam elevaes mais resistentes eroso, encontram-se no

alinhamento da Serra de Perre.

A rea seleccionada para a ampliao da pedreira de Serreleis

caracteriza-se por apresentar um relevo moderado a declivoso (ver Anexo I

Desenho 1 CARTA TOPOGRFICA e Anexo II DOCUMENTOS

FOTOGRFICOS). As cotas mais elevadas so atingidas numa zona situada a

sudoeste da rea, onde se atinge os 200 metros de altitude, prximo do vrtice

geodsico S. Silvestre. As zonas de talvegue, que ocorrem um pouco por toda

a rea de forma circundante, registam, como evidente, cotas com valores

mais baixos do que os referidos, formando vales por vezes pronunciados.

A rede de drenagem, que abrange o macio grantico em anlise, resume-

se existncia de um nmero reduzido de pequenas linhas de gua,

seguramente temporrias, que se dirigem Ribeira de Nogueira e que

acompanham as direces que correspondero a estruturas de maior fraqueza

do substrato rochoso.

1.3. GEOLOGIA A rea referente ao local em estudo insere-se nos terrenos da Zona

Centro Ibrica (ZCI), que corresponde a uma das unidades mais importantes

do Macio Hesprico (ver Anexo I Desenho 2 CARTA TECTONO-

ESTRATIGRFICA). A regio encontra-se cartografada escala 1/50 000 na

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL Descritor Geologia e Geomorfologia Pedreira de Serreleis Viana do Castelo

4 / 23

Folha 5-A de Viana do Castelo (ver Anexo I Desenho 3 CARTA

GEOLGICA).

1.3.1. Litologias Na rea abrangida pelo projecto de ampliao da pedreira de Serreleis

afloram rochas granticas pertencendo Mancha da Serra de Perre (ver

Quadro I e Anexo I Desenho 3 CARTA GEOLGICA). Esta rocha

corresponde a um granito de gro grosseiro ou mdio a grosseiro, em que na

sua regio meridional podero ser observados encraves xistentos de

dimenses considerveis. Todavia, na rea abrangida por este estudo,

observa-se unicamente o substrato grantico

Quadro I Caractersticas principais da rocha aflorante na rea da pedreira de Serreleis.

Granito da mancha da Serra de Perre

Textura Gro grosseiro ou mdio a grosseiro.

Cor Leucocrata esbranquiado. Mineralogia Moscovtico com biotite, abundncia de feldspatos e

quartzo, presena de apatite Estruturas No foi observada qualquer tipo de estrutura.

Grau de Alterao

Rocha s a pouco alterada embora por vezes a ortose se apresente microclinizada

Fracturao So observadas trs famlias de diclases, relativamente espaadas.

Observaes No se observa a presena de files e, o sistema de fracturas apresenta-se fechado e sem qualquer preenchimento.

A anlise macroscpica deste granito evidencia a presena de moscovite

em maior quantidade, enquanto as palhetas de biotite so escassas. Esta

litologia encontra-se classificada como sendo um granito alcalino, moscovtico

com biotite e que foi tectonizado (ver Anexo I Desenho 3 CARTA

GEOLGICA).

A superfcie de alterao, quando presente, apresenta uma fina camada

de material orgnico de cor escura (sempre inferior a um metro), passando

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL Descritor Geologia e Geomorfologia Pedreira de Serreleis Viana do Castelo

5 / 23

rapidamente a material grantico pouco alterado. Os terrenos granticos onde

aflora a litologia atrs descrita evidenciam a ocorrncia de bolas com diferentes

dimetros (2 a 10 metros) e uma disposio por vezes catica.

1.3.2. Tectnica e fracturao Com base nos elementos fornecidos pelas cartas de enquadramento (ver

Anexo I Desenho 4 CARTA NEOTECTNICA), o local em estudo situa-se

para oeste de uma grande estrutura regional com orientao NNO-SSE que

poder apresentar movimentao activa. Para sul pode-se ainda identificar a

presena de uma falha provvel com movimentao desconhecida sendo que a

sua orientao nesta zona ser aproximadamente E-O.

De acordo com a geologia do local (ver Anexo I Desenho 3 CARTA

GEOLGICA) verifica-se que a compartimentao apresentada pelo macio

grantico tem correspondncia com as fracturas que ocorrem escala regional.

A fracturao escala do macio foi confirmada atravs das atitudes das

diaclases que foram medidas no terreno. Na presente situao, as orientaes

regionais NO-SE e NNE-SSO so predominantes constituindo, assim, os

acidentes estruturais com maior significado. So ainda observadas

descontinuidades com direco prxima de E-O.

1.3.3. Sismicidade Atravs da anlise de cartas de previso ssmica publicadas pelo

RSAEEP (ver Anexo I Desenhos 5A, 5B, 5C, 5D e 5E CARTAS

SSMICAS), procedeu-se ao enquadramento da rea, conforme se apresenta

no Quadro II.

ESTUDO DE IMPACTE AMBIENTAL Descritor Geologia e Geomorfologia Pedreira de Serreleis Viana do Castelo

6 / 23

Quadro II Enquadramento da rea da pedreira de Serreleis nas Cartas Ssmicas.

Enquadramento nas Cartas Ssmicas

Zonas ssmicas propostas pelo RSAEEP D

Intensidade ssmica mxima 1901-1971