relatório final de estágio mestrado integrado em medicina ...· por inseminação artificial ou

Download Relatório Final de Estágio Mestrado Integrado em Medicina ...· por inseminação artificial ou

Post on 18-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Relatrio Final de Estgio

Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

CONTROLO REPRODUTIVO E TRANSFERNCIA DE

EMBRIES EM EQUINOS

Ana Lusa Arajo da Costa

Orientador

Dr. Antnio Rocha

Co-Orientador

Dr. Luis Losinno

Porto, 2010

ii

Relatrio Final de Estgio

Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

CONTROLO REPRODUTIVO E TRANSFERNCIA DE

EMBRIES EM EQUINOS

Ana Lusa Arajo da Costa

Orientador

Dr. Antnio Rocha

Co-Orientador

Dr. Luis Losinno

Porto, 2010

i

Resumo

As biotecnologias reprodutivas incluem desde tcnicas amplamente difundidas como a

inseminao artificial at procedimentos ainda em estados muito precoces de

desenvolvimento, como a clonagem. A ultrasonografia, inseminao artificial e

transferncia embrionria so tcnicas com grau crescente de complexidade que iro

ser mais pormenorizadamente abordadas ao longo deste trabalho, com especial

enfoque na transferncia embrionria. Para que se obtenham resultados

significativamente positivos atravs da utilizao destas tecnologias, necessrio

possuir e aplicar conhecimentos de maneio do ciclo strico, tratamentos hormonais e

observao do comportamento reprodutivo, entre outros, de modo a poder interpretar

dados e tomar decises. Alm de tudo isto, necessrio que os animais integrados

num programa reprodutivo se encontrem livres de doena, especialmente

reprodutivas. A transferncia embrionria teve incio nos anos 70 e, ainda que tenha

enfrentado vrias restries em relao ao registo dos poldros, hoje em dia uma

prtica aceite numa ampla variedade de raas. Tem sido utilizada maioritariamente em

guas que no conseguem manter uma gestao ou em atletas, para que no

interrompam a carreira desportiva. Os factores crticos esto principalmente

relacionados com os animais envolvidos, com os operadores e com a qualidade do

embrio. As suas principais limitaes prendem-se com a dificuldade em superovular

guas e em criopreservar os embries, tendo estes dois aspectos sido alvo de vrios

estudos que tm em vista o melhoramento da tcnica. Com este trabalho pretende-se

transmitir o modo como se trabalha no Laboratrio de Reproduo Equina na rea do

maneio e clnica reprodutiva. Adicionalmente, ir ser prestada especial ateno

transferncia de embries. Para alm de uma breve nota histria e descrio da

tcnica e suas principais aplicaes e limitaes, sero apresentados dados e

resultados de estudos de investigao realizados ao longo dos ltimos anos,

principalmente no que toca superovulao e criopreservao.

ii

Agradecimentos

Ao meu orientador, o Professor Antnio Rocha, por toda a disponibilidade e por me ter

ajudado a conseguir o estgio realizado.

Ao meu co-orientador, Professor Luis Losinno, por me ter permitido um lugar no seu

Laboratrio de Reproduo Equina, pela disponibilidade, pelas oportunidades

concedidas e transmisso de conhecimentos.

Dra. Catalina Castaeira por me ter dado a oportunidade de trabalhar em campo por

vrias vezes, por todo o conhecimento transmitido, boa disposio, e por me ter

ensinado a fazer uma Caslick.

Viki, pela recepo calorosa, pelas viagens a Ranquel e por tudo o que me

transmitiu.

A toda a equipa do Laboratrio, por me terem feito sentir em casa e pela amizade que

ficou depois de quatro meses de trabalho a seu lado. Pelos jantares, pelos asados

pelo mate, pelas conversas, pelo carinho que sempre senti.

Aos animais do laboratrio, sempre pacientes, que me permitiram aprender.

Aos donos e trabalhadores das coudelarias visitadas, por me deixarem praticar nos

seus animais.

Ao corpo de trabalho em Vairo, docentes e no docentes, por me terem ajudado a

preparar para este estgio, em especial ao Tiago, pelo tempo e pacincia.

Aos meus amigos que me apoiaram desde o incio, que sempre disseram tu

consegues!

E, sempre, minha famlia que sempre me deu fora e, de certa forma, foi quem

permitiu esta viagem. Um grande obrigada!

iii

ndice

Resumo.i

Agradecimentos..ii

1. Introduo1

2. Transferncia de embries uma reviso bibliogrfica selectiva..2

3. Protocolo de trabalho no centro de estgio (Laboratrio de Reproduo

Equina).5

3.1. Palpao e ultrasonografia de guas..5

3.2. Controlo hormonal do ciclo e induo de ovulaes....7

3.3. Recolha e avaliao de smen....8

3.4. Inseminao artificial para posterior recolha de embries..8

3.5. Lavagens uterinas e vulvoplastias..9

3.6. Recolha e transferncia de embries...10

3.6.1. Maneio da dadora10

3.6.2. Maneio da receptora10

3.6.3. Recolha e transferncia do embrio.11

3.6.4. Resultados12

3.7. Casustica executada durante o perodo de estgio..14

4. Tipos de centros de transferncia embrionria na Argentina...14

5. A transferncia embrionria em nmeros15

6. Raas de equinos e transferncia embrionria..16

6.1. Raas portuguesas..16

6.2. Raas mais utilizadas na Argentina..16

7. Factores crticos...17

7.1. As principais limitantes19

7.1.1 Superovulao...20

7.1.2. Criopreservao...22

8. Concluso.24

9. Bibliografia.24

Anexos28

1

1. Introduo

A reproduo equina tem vindo a crescer exponencialmente nas ltimas duas

dcadas, tanto a nvel de interesse e quantidade de trabalho na rea como no que

toca biotecnologia (Squires et al. 2003, Allen 2005).

As biotecnologias reprodutivas incluem desde tcnicas simples e globalmente

difundidas a processos ainda pouco desenvolvidos ou sem vantagens econmicas

claras para poderem ser utilizados comercialmente. Deste modo, tcnicas como

superovulao, criopreservao de embries e ovocitos, fertilizao in vitro,

transferncia de ovocitos, transferncia intraoviductal de gmetas (GIFT) e injeco

intracitoplasmtica de smen (ICSI) ainda no se encontram difundidas a nvel

comercial, sendo, no entanto, alvo de numerosos trabalhos de investigao (Squires et

al. 2003). Adicionalmente, a sexagem do smen e os procedimentos de transferncia

nuclear, podem tambm vir a proporcionar aos donos novos mtodos de reproduo

assistida (Vanderwall & Woods 2007). Por outro lado, tcnicas como ultrasonografia

(que mais do que uma biotecnologia uma ferramenta necessria ao maneio

reprodutivo), recolha e processamento de smen, inseminao artificial e transferncia

embrionria so j prtica comum em vrios locais e iro ser objecto de

desenvolvimento no presente relatrio.

Em equinos, a transferncia embrionria iniciou-se nos anos 70, com os trabalhos

e investigaes de Origuri & Tsutsumi (1972, 1974) no Japo e de Allen e Rowson

(1975) em Cambridge, Reino Unido, e tem vindo a tornar-se num dos mtodos de

eleio no que toca reproduo de equinos que competem em modalidades

desportivas como plo, salto e dressage (Wilsher & Allen 2004).

Na Argentina a transferncia embrionria comeou a realizar-se em 1986, tendo

vindo a crescer exponencialmente (Losinno 2005). Actualmente, esto em

funcionamento cerca de 30 centros, tendo-se obtido na ltima temporada mais de

5000 gestaes a partir desta tcnica. A maioria destas transferncias (cerca de 85%)

requerida pela indstria de Plo, uma vez que a Associao Argentina de Criadores

do Cavalo de Plo no coloca nenhumas restries em relao aos poldros obtidos

por inseminao artificial ou transferncia embrionria (Losinno et al. 2002).

No presente relatrio pretende-se discutir a tcnica de transferncia embrionria e

fazer uma anlise da sua histria e avanos tecnolgicos sofridos ao longo das ltimas

trs dcadas. Adicionalmente, ir ser apresentado o protocolo de trabalho do centro de

estgio Laboratrio de Reproduo Equina da Universidade Nacional de Rio Cuarto.

2

2. Transferncia de embries uma reviso bibliogrfica selectiva

A transferncia de embries em equinos deu os seus primeiros passos no incio

dos anos 70, com os trabalhos de Oguri e Tsutsumi no Japo (1972, 1974) e de Allen

e Rowson na Irlanda (1975).

A recolha e transferncia de embries comearam por se executar recorrendo a

tcnicas cirrgicas, mas em pouco tempo surgiu a conscincia da necessidade de

encontrar um outro mtodo, j que todo o trabalho implcito resultava na

impossibilidade de utilizar universalmente ambas as tcnicas.

As primeiras tentativas de transferncia no cirrgica, atravs do crvix, no foram

bem sucedidas, tal como relataram Oguri e Tsutsumi (1972). De acordo com os

autores, a falha pareceu dever-se estimulao cervical efectuada durante a

transferncia para a gua receptora. Perante este quadro, os mesmos autores

publicaram um trabalho em 1974, no qual foi adaptado um mtodo desenhado por

Sugie (1965), at ento utilizado com sucesso em bovinos. Nesta tcnica, um

dispositivo constitudo por trs tubos de plstico era introduzido at ao frnix vaginal

anterior. Esse dispositivo continha uma agulha junto ao tubo do meio a qual era guiada

pela parede vaginal e uterina at ao lmen uterino. Deste modo, o embrio era

transferido atravs da mesma agulha, evitando assi

Recommended

View more >