relatório final de estágio mestrado integrado em medicina .incapacidade de relaxamento uretral,

Download Relatório Final de Estágio Mestrado Integrado em Medicina .incapacidade de relaxamento uretral,

Post on 25-Jan-2019

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Relatrio Final de Estgio

Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

Clnica e Cirurgia de Animais de Companhia

Mariana Pacheco

Orientador: Dr. Maria Ermelinda Antunes Soares Rodrigues Munz Co-orientadores: Dr. Albert Lloret Roca & Robyn Gear

Porto 2009

ii

Relatrio Final de Estgio

Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

Clnica e Cirurgia de Animais de Companhia

Mariana Pacheco

Orientador: Dr. Maria Ermelinda Antunes Soares Rodrigues Munz Co-orientadores: Dr. Albert Lloret Roca & Robyn Gear

Porto 2009

iii

Resumo

No perodo compreendido entre Outubro de 2008 e Maro de 2009 decorreu o estgio

curricular. Este foi repartido entre duas instituies, o Hospital Clnica Veterinria da

Universidade Autnoma de Barcelona e o The Queens Veterinary School Hospital, na

Universidade de Cambridge.

O estgio permitiu assistir e cooperar em diversas reas que englobam a clnica e

cirurgia de pequenos animais, nomeadamente consultas externas, cirurgias, internamento e

urgncias veterinrias. O objectivo pretendido com estgio seria, alm de experincia,

conhecimento, autonomia e prtica clnica a nvel de diagnsticos e tratamentos, a capacidade

de deciso e estruturao de raciocinio diagnstico. Deste modo, concretizou-se no

fundamental o exigido realizao de um estgio, passando pelo aprofundamento e

aperfeioamento dos conhecimentos e de tcnicas nas mais distintas reas que constituem a

prtica veterinria, tal como a medicina interna, a neurologia, a dermatologia e a cirurgia de

tecidos moles, a oftalmologia e a ortopedia.

Este perodo fundamental no Mestrado Integrado em Medicina Veterinria ofereceu a

possibilidade de colaborar com equipas de excelentes mdicos e auxiliares, que pela sua

prtica e conhecimento transmitiram a importncia do trabalho de equipa, da abordagem

sistemtica ao paciente e da relao Mdico Veterinrio, Paciente e Cliente.

Este relatrio reflecte o seguimento de vrios casos clnicos que foram acompanhados

durante o estgio curricular. de salientar a extrema importncia e mais-valia da realizao

dos casos clnicos na capacidade de pesquisa e investigao alcanando-se assim

consolidao nos conhecimentos.

iv

Agradecimentos

Quero agradecer aos meus queridos Pais, minha Mana, minha linda Tia Domi, Tia Rosi e

Tio Antnio, minha Madrinha e Rodrigo e restante famlia pelo amor, carinho, valores, fora e

sabedoria que me dedicaram durante toda a minha vida, motivando e tornando-me na pessoa

que hoje sou.

Um especial agradecimento s minhas amigas Brbara e Marta que mais que famlia, so

irms.

Ao Joo Pedro Neves pelo carinho, apoio, motivao, compreenso e pacincia!

s minhas queridas amigas, manas e companheiras Miki, Tini, Lusa, Joninhas, Vi, Filipa,

Cludia a pelos bons, excelentes e menos bons momentos.

Sofia Fernandes, Gisele e Z Branco pela amizade em Barcelona e Maria Jos Novais,

pelo apoio e carinho em Cambridge.

Ao Dr. Albert Loret Roca pela orientao, amizade sabedoria e ajuda durante o meu estgio em

Barcelona.

Dr Robyn Gear pela orientao em Cambridge.

Ao Dr. Xavier Roura, Dr. Ignacio Durall, Dr. Jauma Martorell, Dr. Josep Pastor, Dr. Marta

Planellas, Dr. Mar, Dr. Srgio Gonzlez, Dr. Teresa Pea, Sandra, Crmen e Jordi por

mostrarem o que o verdadeiro trabalho de equipa, amizade e humildade. A todo restante

pessoal da UAB pelo apoio, compreenso e disponibilidade.

Dr. Maria Ermelinda Antunes Soares Rodrigues Munz pela disponibilidade em ser minha

corientadora.

A todos os professores do ICBAS pelo ensino e orientao intelectual e profissional.

"A compaixo para com os animais das mais nobres virtudes da natureza humana." - Charles

Darwin

v

ndice

Capa i

Contra-Capa ii

Resumo iii

Agradecimentos iv

ndice v

1- Caso Clnico n 1:

. Urologia - DTUIF com obstruo uretral por urolitase de estruvite 1

2- Caso Clnico n2:

. Pneumologia - Epistaxis secundria a infeco por Ehrlichia canis 7

3- Caso Clnico n3:

. Dermatologia - Atopia 13

4- Caso Clnico n4:

. Oftalmologia - Uvete anterior aguda por Leishmania infantum 19

5- Caso Clnico n5:

. Oncologia - Mastocitoma 25

6- Anexos

. Bibliografia 31

. Abreviaturas 32

. Caso Clnico n2 33

. Caso Clnico n3 33

. Caso Clnico n5 34

Relatrio de Final do Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

1

Caso Clnico n1: Urologia - DTUIF com obstruo uretral por urolitase de

estruvite

Caracterizao do paciente e motivo da consulta: Cosita, gato, macho castrado

(vasectomia), Europeu comum, com 2 anos e meio de idade e 7 kg de peso, apresentou-se

consulta com queixa de episdios de urina com cor vermelha nas ltimas 2 semanas, ter

vomitado quatro vezes ontem e no comer nem urinar desde ontem.

Anamnese: O Cosita estava correctamente vacinado e desparasitado externa e internamente.

Vivia em Montcada, num apartamento, sem acesso ao exterior, a ervas, lixo ou txicos e sem

outros coabitantes animais. No tinha hbito de escavar a terra nem realizava viagens. Comia

rao seca de qualidade superior e tinha livre acesso a gua. Fezes normais. Actualmente no

tomava nenhuma medicao e foi sujeito a uma nica interveno cirrgica, a castrao, h

cerca de um ano e meio atrs. Aps os donos verificarem a cor vermelha da urina, levaram o

Cosita ao veterinrio habitual, o qual no realizou qualquer exame e o tratou com corticoterapia

injectvel e amoxicilina + cido clavulnico (ambos de dose desconhecida), sem se ter

verificado melhoria. O Cosita no apresentava outros problemas quando foi realizada uma

breve anamnese dirigida aos restantes sistemas.

Exame fsico geral: O paciente apresentava-se ligeiramente deprimido, com atitude normal em

estao, decbito e movimento. O grau de desidratao era inferior a 5% e a condio corporal

foi classificada como moderadamente obesa (4/5). As mucosas oral, ocular, prepucial, perianal

e anal estavam rosadas, hmidas e brilhantes, com um TRC inferior a 2 segundos na mucosa

oral. Os gnglios linfticos apresentavam-se normais palpao. A temperatura rectal era de

37,7 C, com reflexo perineal e tnus anal adequados, no se verificando a presena de

sangue, muco ou parasitas no termmetro. Os movimentos respiratrios eram regulares,

rtmicos, de profundidade normal, costo-abdominais, de relao inspirao: expirao 1:1,3,

sem uso de prensa abdominal nem msculos acessrios e com frequncia de 20 rpm. O pulso

era regular, rtmico, bilateral, simtrico, sem ausncias, de amplitude normal e com frequncia

de 200 bpm. No se verificaram anomalias na auscultao cardio-pulmonar nem na palpao

abdominal.

Exame dirigido ao aparelho urinrio: Anamnese dirigida ao aparelho urinrio: os donos no

sabiam definir a quantidade diria de gua que o Cosita bebia, nem a quantidade diria de

urina at ontem. Desde ontem no urinava. Explorao do aparelho urinrio: ambos os rins

estavam normais palpao (localizao, tamanho, superfcie, consistncia, forma e

mobilidade), a bexiga estava distendida, com parede de consistncia normal a aumentada e o

Cosita manifestou dor palpao. O pnis no apresentava alteraes.

Diagnsticos diferenciais (hematria + anria por obstruo urinria), por ordem decrescente

de probabilidade: urlitos; neoplasia (intra e extraluminal), corpos estranhos, inflamao/edema

da uretra ou tecidos circundantes; rolhes uretrais, estrituras, hemorragia (extraluminal) e

Relatrio de Final do Mestrado Integrado em Medicina Veterinria

2

desordens funcionais (espasmo uretral, dissinergia reflexa).

Tratamento inicial: Aps exame geral do Cosita, efectuou-se a descompresso da bexiga por

cistocentese e realizaram-se os exames complementares.

Exames complementares: Hemograma: todos os parmetros normais. Bioqumica srica:

BUN 72 mg/dl (n: 20-50); creatinina 5,3 mg/dl (n: 0,8-2,4); Na+, K+ e Cl- com valores dentro dos

intervalos de referncia. RX abdominal (LL e VD): 3 urlitos radiopacos com cerca de 3-5 mm

cada, 1 na bexiga e 2 na uretra, caudal zona onde estariam localizadas as glndulas

bulbouretrais. Ecografia abdominal: clculos na bexiga. Urianlise (por cistocentese): Anlise

macroscpica: cor vermelha, transparente; densidade 1,035 (n:> 1,030); Tira reactiva - pH 8

(n:5,5-7), leuccitos +++ (n: negativo); sangue ++++(n: negativo a +); protenas +++ (n:

negativo a ++); os restantes valores encontravam-se normais; sedimento urinrio: ausncia de

bactrias e leuccitos; presena de eritrcitos; clulas epiteliais 1-2 (ocasionais); cilindros

ocasionais; visualizao de cristais de estruvite. Cultura bacteriana: negativa.

Diagnstico: DTUIF (Doena do Tracto Urinrio Inferior Felino) com obstruo urinria por

urlitos de estruvite.

Tratamento (cont.): Posteriormente procedeu-se sedao e algaliao do Cosita. Foi

aplicada lidocana topicamente e realizada anestesia com propofol (6,6 mg/kg

Recommended

View more >