relat“rio especial o novo populismo da am©rica latina: .relat“rio especial o novo...

Download RELAT“RIO ESPECIAL O novo populismo da Am©rica Latina: .RELAT“RIO ESPECIAL O novo populismo da

Post on 13-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

:

RELATRIO ESPECIAL

O novo populismo da Amrica Latina:

um movimento mais vivo que nunca

Madrid, setembro 2017

Barcelona Bogot Buenos Aires Cidade do Mxico Havana Lima Lisboa Madrid Miami Nova Iorque Panam Quito Rio de Janeiro So Paulo Santiago Santo Domingo Washington, DC

2

O NOvO POPuLISMO DA AMRICA LATINA: uM MOvIMENTO MAIS vIvO QuE NuNCA

1. Introduo2. o novo populIsmo da

amrIca latIna: um movImento maIs vIvo que nunca

3. as etapas do populIsmo na amrIca latIna

4. o aparente refluxo populIsta na amrIca latIna

5. a sIstematIzao populIsta segundo alcntara

6. a sobrevIvncIa dos movImentos e lIderanas do "novo populIsmo"

7. amlo e os trs pIlares8. surgImento, evoluo e

ascenso do "populIsmo antIelItIsta" na amrIca latIna.

9. concluses

profIssIonaIs de contacto

1. Introduo

A Amrica Latina prepara-se para viver nos prximos meses um calendrio eleitoral intenso e determinante para o futuro do continente. espera do que ir suceder na Venezuela; o Chile, Honduras, Costa Rica, Paraguai, Colmbia, Mxico e Brasil celebram eleies presidenciais at finais de 2018. Neste cenrio poltico, o populismo, ao contrrio do que possa parecer, est mais vivo que nunca.

Para alm das suas deslocaes ideolgicas pendulares pela Europa ou Amrica, o populismo comea a gerar frmulas semelhantes de liderana para l de onde surge. Os novos lderes populistas unem-se pelo carisma, o autoritarismo, a incorreo poltica ou a metonmia de tomar a sua parte como o todo, partilhando a averso pelas nuances, o maniquesmo, uma rejeio visceral a uma classe poltica que consideram mera mafia do poder, ou a assombrosa capacidade de capitalizar em benefcio prprio todo o tipo de votos de castigo.

Luisa GarcaAcionista e Coo da LLorEntE & CuEnCA na Amrica Latina.

Claudio Vallejodiretor Snior da Latam desk Europa da LLorEntE & CuEnCA.

3

O nOvO pOpulismO da amrica latina: um mOvimentO mais vivO que nunca

2. o novo popuLISmo dA AmrICA LAtInA

Desde 2015, os diferentes resultados eleitorais tm contribudo para uma maior perceo de que o populismo e os movimentos populisto-demaggicos, de diferentes nuances e em alta na Europa e nos Estados Unidos (vejam-se Donald Trump, Marine Le Pen, Podemos, Syriza, etc.), esto numa fase de retrocesso na Amrica Latina. Os comcios latino-americanos que vm a ser realizados h dois anos, independentemente das especificidades prprias de cada pas, parecem mostrar e confirmar essa tendncia.

A origem da vitria de Mauricio Macri, em 2015, face ao kirchnerismo, esta ideia de retirada populista j era sustentada pelo acadmico italiano Loris Zanatta, que no dirio La Nacin afirmava:

"Agora que o ciclo econmico favorvel ficou para trs, as economias abertas da Aliana do Pacfico demonstram, em geral, serem mais robustas e dinmicas do que as economias nacionalistas e autrquicas dos pases que esto s margens do Atlntico. Assim, para entender o novo clima que, segundo alguns sinais, parece estar a instaurar-se na Amrica Latina, o melhor utilizar como parmetro a natureza dos regimes polticos. Desta forma, veremos que o amplo apoio com o qual os regimes populistas contaram at agora est a diminuir e que a procura por democracias normais, sem adjetivos est em alta1".

No entanto, como se pretende demonstrar nas prximas pginas, falar do fim do populismo na Amrica Latina , antes de mais, uma iluso e uma falsa perceo. Aqui, entendemos o populismo como uma forma de interpretar o jogo poltico segundo a qual os populistas alegam total representao de um "povo" composto apenas pelos partidrios do lder populista, enquanto que a oposio carece de legitimidade sendo equiparada antiptria2. Esta abordagem, longe de estar em

1 Loris Zannata en La Nacin, Se desinflan los populismos de la regin, 2015: http://www.lanacion.com.ar/1843963-se-desin-flan-los-populismos-de-america-latina 2 Jan-Werner Mller en What Is Popu-lism? university of Pennsylvania Press, 2016: http://www.upenn.edu/pennpress/book/15615.html

Falar do fim do populismo na

Amrica Latina , antes de mais, uma

iluso e uma falsa perceo.

http://www.lanacion.com.ar/1843963-se-desinflan-los-populismos-de-america-latinahttp://www.upenn.edu/pennpress/book/15615.htmlhttp://www.lanacion.com.ar/1843963-se-desinflan-los-populismos-de-america-latina%20%0Dhttp://www.lanacion.com.ar/1843963-se-desinflan-los-populismos-de-america-latina%20%0Dhttp://www.lanacion.com.ar/1843963-se-desinflan-los-populismos-de-america-latina%20%0Dhttp://www.upenn.edu/pennpress/book/15615.html%20http://www.upenn.edu/pennpress/book/15615.html%20

4

O nOvO pOpulismO da amrica latina: um mOvimentO mais vivO que nunca

decadncia na Amrica Latina, continua muito presente e, atualmente, sustenta-se no s por partidos, movimentos e lideranas associados ao "socialismo do sculo XXI", mas tambm por foras que se posicionam direita do espectro poltico e que possuem agora maiores possibilidades de ganhar relevncia eleitoral ou as prprias eleies.

De facto, os laos que formam o populismo latino-americano so persistentes e tm continuidade na atual conjuntura regional. De facto, existem claros indcios de que novas formas e lideranas populistas esto a surgir com o auge do desgaste sofrido por determinados governos, e devido desacelerao e ao descontentamento crescentes em relao a alguns Estados ineficientes e ineficazes, que no canalizam adequadamente as necessidades das crescentes classes mdias, as quais se sentem ignoradas.

Esses novos populismos, na sua grande maioria originados margem do "socialismo do sculo XXI", mantm-se carregados de autoritarismo, apostando no protecionismo, nas lideranas carismticas e na rejeio s instituies e ao institucionalismo. Como destaca o cientista poltico Andrs Malamud:

"O populismo promove a relao direta entre o lder e as massas. Para contornar os parlamentos e os partidos, os lderes populistas constroem Fonte: http://www.celag.org/calendario-electoral-de-america-latina-2016-2017-2018/

Figura 1. Calendrio eleitoral da Amrica Latina

http://www.lanacion.com.ar/1983269-un-mal-momento-para-salir-del-populismo%20http://www.celag.org/calendario-electoral-de-america-latina-2016-2017-2018/%20%20

5

O nOvO pOpulismO da amrica latina: um mOvimentO mais vivO que nunca

um antagonismo e posicionam-se de um lado: o do povo. O nome genrico do populismo maniquesmo. Mais do que as instituies ou as elites, o inimigo do populismo so as suas nuances3".

Definitivamente, poderemos verificar como a derrota do kirchnerismo na Argentina ou do chavismo nas legislativas, ou as dificuldades do correismo para manter o poder no Equador no pressupem qualquer tipo de fim do populismo latino-americano. Muito pelo contrrio, como j adiantou o principal investigador do Real Instituto Elcano, Carlos Malamud: "Nesta nova onda, haver novos tipos de populismo, embora sejam diferentes do que predominou desde 1998, com grande vigor at ao falecimento de Hugo Chvez em maro de 20134". Nas prximas pginas ser analisada a mudana de ciclo poltico vivenciada na regio e como, junto com as alternativas de centro-direita (em auge) e de centro-esquerda (enfraquecidas), comea a aparecer outro tipo de proposta de vertente "populista de direita", ao mesmo tempo em que sobrevivem restos do naufrgio do "socialismo do sculo XXI": o populismo de esquerda.

3. AS EtApAS do popuLISmo nA AmrICA LAtInA

Na Amrica Latina, o populismo demonstrou ter, historicamente, grande capacidade de resistncia e capacidade de transformao ao longo dos sculos XX e XXI. Susanne Gratius j descrevera como existiu um primeiro populismo, "clssico", dos anos 30 e 40 (com Juan Domingo Pern ou Getlio Vargas). Porm, o populismo ressurgiria quando muitos analistas, especialistas e acadmicos o consideravam morto, configurando-se como um populismo neoliberal nos anos 90 (com Carlos Menem, Alberto Fujimori ou Abdal Bucaram) at chegar ao "novo populismo" na dcada passada, j na forma de "socialismo do sculo XXI" e com Hugo Chvez como principal referncia. Desta forma, o populismo foi mostrando a sua capacidade de resistncia ao desaparecimento e amadurecendo em terrenos frteis, nos quais as crises polticas e institucionais, bem como as crises econmicas e sociais acabam por se converter em excelentes adubos, ideais para que germinem, cresam, desenvolvam-se e, inclusive, mudem.

3 Andrs Malamud, en La Nacin, un mal momento para salir del populismo, 2017: http://www.lanacion.com.ar/1983269-un-mal-momento-para-salir-del-populismo4 En Real Instituto Elcano por Carlos Malamud El populismo y la nueva coyuntura poltica en Amrica Latina: http://www.blog.rielcano.org/populismo-y-nueva-coyuntura-politica-en-america-latina/

o populismo foi mostrando a sua capacidade

de resistncia ao desaparecimento e amadurecendo em

terrenos frteis.

http://www.lanacion.com.ar/1983269-un-mal-momento-para-salir-del-populismohttp://www.blog.rielcano.org/populismo-y-nueva-coyuntura-politica-en-america-latina/%20http://www.blog.rielcano.org/populismo-y-nueva-coyuntura-politica-en-america-latina/%20

6

O nOvO pOpulismO da amrica latina: um mOvimentO mais vivO que nunca

Alguns dos novos exemplos populistas escala mundial (Donald Trump nos Estados Unidos, o populismo de extrema-direita de Marine Le Pen ou o populismo de esquerda do partido espanhol Podemos) no podem ser explicados sem as crises anteriores (polticas e socioeconmicas) pelas quais passaram os respetivos pases. Da mesma forma, a crise dos anos 30 e as mudanas no modelo social (urbanizao) e econmico (industrializao) esto por detrs de fenmenos como o peronismo na Argentina e o varguismo no Brasil. A cris