Relatório de Saúde - AES Eletropaulo

Download Relatório de Saúde - AES Eletropaulo

Post on 12-Mar-2016

215 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Relatrio de pesquisa sobre sade no trabalho desenvolvido para a AES Eletropaulo. Editorado: por Luciano Senise Software: InDesign CS4

TRANSCRIPT

<ul><li><p>2</p></li><li><p>3 Fundao COGEAtt. Srs. Membros do Jri do Prmio Fundao COGE</p><p>Hoje o mundo corporativo passa por grandes mudanas em decorrncia da crise econmico-financeira desencadeada por diversas razes. So trans-formaes que afetam diretamente a gesto dos negcios, o valor da ao no mercado e principalmente as pessoas.</p><p>O maior desafio manter alinhada a estrutura organizacional, que h tem-pos enxuta e bastante dinmica, sem afetar a fora de trabalho. O au-mento da competitividade exige das empresas um gerenciamento eficaz no controle dos riscos sade de seus colaboradores.</p><p>Com o objetivo de promover a sade e prevenir doenas em tempos de crise, a AES Eletropaulo se mobilizou para identificar as maiores neces-sidades, buscando solues criativas, de custo relativamente baixo, e que atendessem realmente as prioridades, de forma que fosse possvel medir os resultados constantemente e que periodicamente pudssemos alinhar s aes as necessidades do momento, dando movimento sem modificar o projeto em si.</p><p>O projeto Ginstica Laboral e Informativos de Sade teve incio em 2005, em duas unidades regionais da empresa. No incio de 2006, conseguimos am-pli-lo para todas as unidades regionais e corporativas da AES Eletropaulo e, desse tempo pra c, este projeto vem sendo aprimorado e otimizado, continuamente, pela Gerncia de Medicina do Trabalho.</p><p>Para iniciar, validar e manter este projeto, que conta hoje com uma equipe multidisciplinar composta por mdicos do trabalho, ergonomistas, educado-res fsicos e fisioterapeutas, foi imprescindvel a valorizao das pessoas que atuam na empresa relacionando as importantes transformaes con-quistadas a cada dia.</p><p>Sumrio</p></li><li><p>4........................................................................................................ 5</p><p>...................................................................................................... 6</p><p>.................................................................................................................. 7</p><p>....................................................................... 14</p><p>................................................................................................................ 16</p><p>...................................................................................... 18</p><p>Perfil da empresa</p><p>Objetivo do projeto</p><p>Metodologia, desenvolvimento e </p><p>abrangncia</p><p>Melhorando indicadores de sade e </p><p>consequentemente a produtividade</p><p>Benchmark</p><p>Aprimorando e otimizando</p><p>ndice</p></li><li><p>5Nome: AES Eletropaulo</p><p>Razo social: Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de So Paulo S.A.</p><p>Principal executivo: Britaldo Soares</p><p>CNPJ: 61.695.227/0001-93</p><p>Inscrio Estadual: 108.317.078.118</p><p>Endereo: Rua Loureno Marques, 158</p><p>Telefone/Fax: (11) 2195.2866 / 2195.2512</p><p>Ramo de atividade: Distribuio de Energia Eltrica</p><p>Nmero de colaboradores: 4.230</p><p>Nmero de clientes: 5 milhes</p><p>rea da empresa: 4.526 km2</p><p>Resultado financeiro 2008: Receita de R$ 129,4 milhes</p><p>Perfil da empresa</p></li><li><p>6O objetivo do projeto foi estabelecer e implementar uma cultura de contnua promoo da sade, preveno dos distrbios osteomusculares, controle dos impactos e riscos ergonmicos, minimizao do sedentarismo e motiva-o prtica de esporte e vida saudvel. Alm de integrar os colaboradores e consequentemente melhorar o clima organizacional, aumentando o senti-mento de pertencimento entre o colaborador e a empresa. </p><p>Ano de implantao do projeto: 2005</p><p> Objetivo do projeto</p></li><li><p>7A mudana do modelo de gesto da AES Eletropaulo no ano de 2003 possi-bilitou a reviso do Planejamento Estratgico da Organizao de modo a fa-zer frente s novas necessidades que o mercado apontava. Diante dessas novas diretrizes, a Medicina do Trabalho passou a ser uma Gerncia e teve determinada importncia dentro da organizao, o que possibilitou novos projetos visando sade do colaborador.</p><p>Esse processo resultou no amadurecimento das ideias diante dos indicado-res existentes relacionados aos afastamentos, distrbios osteomusculares e acidentes de trabalho.</p><p>Para possibilitar a eficincia e eficcia das aes e das Diretrizes Estratgicas, alguns pontos foram desenhados e colocados em prtica gradualmente:</p><p>1) Avaliao ergonmica</p><p>Todos os postos de trabalho da AES Eletropaulo foram avaliados quanto adequao das condies de trabalho s caractersticas psicofisiolgi-cas dos trabalhadores, conforme estabelecido na Norma Regulamentadora NR 17.</p><p>Metodologia, desenvolvimento e abrangncia</p></li><li><p>82) Informativos sobre sade ocupacional</p><p>Foi identificada a necessidade de disseminar informaes relevantes sa-de do colaborador, em que tivssemos a certeza da chegada da informa-o. Para isso criamos Informativos de Sade, que so palestras realiza-das mensalmente, pelo prprio educador fsico, no momento da Ginstica Laboral. Cada palestra tem durao mdia de 15 minutos e a cada ms desenvolvido um tema diferente, relacionado ao Programa de Controle Mdico e Sade Ocupacional (PCMSO).</p><p>Nmero de participantes nos Informativos de Sade anos 2007 e 2008</p></li><li><p>93) Gerenciamento da flexibilidade corporal</p><p>Alm do acompanhamento da adeso do projeto pelos colaboradores, a equipe multidisciplinar realiza avaliaes (por meio de testes fsicos) e pes-quisas de aceitao. Essas avaliaes visam demonstrar, por meios cien-tficos, os benefcios da atividade fsica ao corpo humano, mesmo quando realizada em curtos perodos de tempo, independente de idade, sexo ou rea de atuao.</p><p>Teste de flexibilidade da Unidade Centro</p></li><li><p>10</p><p>Praticamente as aes que permitem promover a sade sob medida, rela-cionando a atividade realizada versus os riscos, so:</p><p> Diagnosticar as necessidades de fortalecimento ou relaxamento muscular da populao trabalhadora, de acordo com as atividades laborais (adminis-trativas ou operacionais);</p><p> Elaborar programas de exerccios fsicos de alongamento e fortalecimento muscular, conforme os diagnsticos apresentados;</p><p> Conduzir a Ginstica Laboral por 12 a 15 minutos, em grupos ou duplas, nas reas definidas em contrato e em eventos corporativos;</p><p> Reproduzir a Ginstica Laboral ao menos trs vezes por semana, nas re-as previamente determinadas;</p><p> Elaborar relatrios mensais de frequncia e aproveitamento;</p><p> Atender as orientaes tcnicas e solicitaes da Gerncia de Medicina do Trabalho;</p><p> Atender as normas de Sade, Segurana e Meio Ambiente, bem como a Poltica da AES Eletropaulo.</p></li><li><p>11</p><p>As Leses por Esforo Repetitivo (LER) ou os Distrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) so os nomes dados s afeces de msculos, de tendes, de sinvias (revestimento das articulaes), de ner-vos, de fscias (envoltrio dos msculos) e de ligamentos, isoladas ou com-binadas, com ou sem degenerao de tecidos. As causas so diversas, desde posturas crticas adotadas durante a jornada de trabalho at o uso repetido ou forado de grupos musculares e da manuteno de postura inadequada.</p><p>Em um estudo desenvolvido pela Folha de S. Paulo em 2001, verificou-se que, dos 310.000 trabalhadores paulistanos diagnosticados pelos mdicos, 14% eram portadores de LER/DORT, sendo 6% dos trabalhadores da cida-de de So Paulo, ou seja, 4% da populao. Dessa forma, fica evidenciado que, se as partes envolvidas (empresas, mdicos, governo, trabalhadores, entre outros) no adotarem estratgias para a promoo da sade dentro das organizaes, poder ocorrer um aumento considervel de pessoas afastadas ou com restrio ao trabalho, o que trar diversos custos e con-tratempos para as empresas, para o governo e para o prprio indivduo.</p><p>Contribuindo na preveno e na reduo de LER/DORT, a Ginstica Laboral visa promoo da sade, preveno dos distrbios osteomusculares, controlar os impactos negativos oriundos dos riscos ergonmicos das ativi-dades, do sedentarismo e da monotonia do trabalho, bem como promover a integrao entre os colaboradores da empresa e a melhora no clima da organizao.</p><p>O resultado apresentado neste projeto envolve 100% da populao da AES Eletropaulo que pratica a Ginstica Laboral. O grfico Comparativo da evo-luo da Ginstica Laboral informa o histrico e a evoluo da participao dos colaboradores neste projeto:</p></li><li><p>12</p><p>Neste contexto, a Ginstica Laboral foi um importante fator para interven-o neste cenrio e como ao fundamental para mitigao dos dados apresentados.</p><p>A implantao do Programa de Ginstica Laboral visa:</p><p> Garantir a integridade e a sade ocupacional dos empregados, respeitando leis, regulamentos, normas, procedimentos internos e padres, alm de as-segurar o destaque do desempenho em Sade e Segurana do Trabalho, da AES Eletropaulo, entre as melhores empresas do setor eltrico brasileiro.</p><p> Gerenciar os fatores de risco apresentados nos relatrios do PCMSO dos anos anteriores ao da implantao do Programa, que indicavam um cresci-mento dos ndices de hipertensos, obesos e queixosos osteomusculares.</p><p> Gerenciar os resultados negativos das avaliaes fsicas e da Pesquisa de Clima realizada com os colaboradores.</p><p>Comparativo da evoluo da Ginstica Laboral</p></li><li><p>13</p></li><li><p>14</p><p>O sedentarismo, a falta de opes de lazer, as predisposies individuais, o ritmo de trabalho e o desconforto na realizao de determinadas atividades so alguns dos muitos fatores conhecidos pelo desencadeamento de diver-sas doenas.</p><p>Os indicadores so gerenciados por meio das estatsticas realizadas men-salmente para o Programa de Controle Mdico e Sade Ocupacional. </p><p>O diagnstico sobre as necessidades de fortalecimento ou relaxamento muscular dos colaboradores relacionadas com as atividades foi fundamen-tal para a maximizao dos benefcios da Ginstica Laboral j mencionados nos diversos grupos de trabalho.</p><p>A equipe multidisciplinar realizou visitas a campo para identificao dos gru-pos musculares mais exigidos para a realizao das atividades. Com este diagnstico, foi possvel elaborar um plano de aula de acordo com a exign-cia fsica de cada grupo.</p><p>Esta ao foi estrategicamente fundamental para a obteno dos resultados mencionados no grfico que segue:</p><p>Melhorando indicadores de sade e consequentemente a produtividade</p></li><li><p>15</p><p>Influncia da Ginstica Laboral na reduo das estatsticas</p></li><li><p>16</p><p>A Ginstica Laboral no uma atividade fsica recente. H relatos desse tipo de atividade desde 1925, na Polnia, onde chamada de Ginstica de Pausa e destinada a operrios. Nesse mesmo perodo, pesquisas foram realizadas na Bulgria, na Alemanha Oriental e na Holanda. Na Rssia, 150 mil empresas, envolvendo 5 milhes de funcionrios, praticavam e ainda praticam a Ginstica de Pausa, adaptada a cada cargo. </p><p>Apesar de ter surgido na Polnia, o seu desenvolvimento se deu em 1928 no Japo e perdura at os dias de hoje. Esta prtica foi difundida por todo o pas, aps a Segunda Guerra Mundial, e, atualmente, um tero dos traba-lhadores exercita-se diariamente, tendo obtido como resultados, em 1960, a diminuio dos acidentes de trabalho, o aumento da produtividade e a melhoria do bem-estar geral dos trabalhadores. </p><p>A transmisso do programa da Rdio Taiss, que consiste em um tipo de ginstica rtmica com exerccios especficos, acompanhados por msica prpria, foi a responsvel pela grande propagao da Ginstica Laboral no Japo. O programa acompanhado no s da orientao de exerccios, mas tambm de palestras de curta durao sobre assuntos relativos sa-de do trabalhador e produtividade.</p><p>No Brasil, mais especificamente nos estados de So Paulo, Rio de Janeiro, Paran e Mato Grosso do Sul, a Federao da Rdio Taiss coordena mais de 5 mil praticantes da Ginstica Laboral, que chegou ao pas por interm-dio de executivos nipnicos em 1969, nos estaleiros Ishikvajima. </p><p>Em 1973, houve uma experincia no pas baseada em uma proposta ela-borada pela Federao de Estabelecimentos de Ensino Superior em Novo Hamburgo (RS). Essa proposta, oriunda de uma experincia pioneira, foi pautada em exerccios fundamentados em anlise biomecnica com o objetivo de relaxamento da musculatura agnica (exigida no movimento) pela contrao das antagnicas (que se alonga durante o movimento), dada a exigncia funcional unilateral. A esse tipo de programa de exerccios f-sicos intitulou-se de Educao Fsica Compensatria e Recreao. Sua finalidade era esclarecer e nortear a criao de centros de educao fsica nas empresas.</p><p>Benchmark</p></li><li><p>17</p><p>Aps cinco anos, a mesma Federao, juntamente com o Servio Social da Indstria (SESI), aprofundou os estudos nesta rea, ainda em carter experimental, para combater a chamada doena dos digitadores. Com isso, criou-se a Ginstica Laboral Compensatria.</p><p>Em 1958, no Japo, foi relacionada a leso ocupacional com o trabalho e a atividade fsica, e dois anos depois ocorreu a consolidao e obrigatorieda-de da Ginstica Laboral Compensatria. O Brasil, 15 anos depois, vinculou a Ginstica Laboral medicina curativa, cujo foco recai sobre o indivduo doente e no no indivduo saudvel. S em 1989 o Ministrio do Trabalho declarou a implantao da prtica da atividade fsica como meio preventivo de doenas crnico-degenerativas e, a partir de 1995, a Ginstica Laboral comeou a ser compreendida como um grande instrumento para a melhoria da sade fsica dos trabalhadores e a diminuio do sedentarismo.</p><p>Na AES Eletropaulo, a prtica da Ginstica Laboral foi implementada par-cialmente pela primeira vez em maio de 1990, permanecendo assim por trs anos, em alguns setores operacionais. Mas foi a partir de fevereiro de 2005, com o processo de conscientizao dos empregados sobre os benefcios da atividade fsica e programas de ergonomia no trabalho, que o Programa de Ginstica Laboral foi implantado com sucesso em parte da empresa e foi crescendo a cada ano. Recentemente, realizamos alguns benchmarks e constatamos que algumas empresas de grande porte esto cortando de seus oramentos a prtica da Ginstica Laboral por julg-la no importante, uma vez que so apenas alguns minutos dirios. Isso um resultado da crise mundial.</p><p>Hoje, na AES Eletropaulo, so mais de 4.000 colaboradores que, diariamen-te, param por 15 minutos as suas atividades para relaxar e alongar no s o corpo, mas tambm a vida! </p></li><li><p>18</p><p>Promover sade proporciona benefcios, tanto para o trabalhador quanto para a empresa. A Ginstica Laboral, alm de prevenir LER/DORT, tem apresentado resultados mais rpidos e diretos com a melhora do relaciona-mento interpessoal e o alvio das dores corporais. Ela proporciona tambm o desenvolvimento de coordenao, ritmo e agilidade muscular.</p><p>Outro fator relevante a interao com a equipe. A atividade realizada no prprio local de trabalho promove o bem-estar e a descontrao, o que apresenta melhora significativa no Clima da Organizao, levando em conta a percepo dos colaboradores que se sentem cuidados pela empresa. Os Informativos de Sade proporcionam reflexo sobre uma vida mais saud-vel, prtica de esportes e cuidados dirios dentro da organizao.</p><p>No ms de junho de 2009, a Gerncia de Medicina do Trabalho, visando melhorar ainda mais a qualidade de vida dos seus colaboradores, lanou o projeto Intervalo no Cotidiano, que agrega valor ao projeto Ginstica Laboral, levando um profissional da sade, massagem rpida, dicas e orientaes posturais para os colaboradores que tiverem interesse. Essa oportunidade de relaxamento e minimizao do estresse foi desencadeada na prtica da Ginstica Laboral. Mais uma vez estamos falando de minutos que do energia para todo o dia.</p><p>A preocupao da organizao com o bem-estar do...</p></li></ul>