relatÓrio de gestÃo - .alimentares regionais inerentes ao consumo de alimentos locais de baixo

Download RELATÓRIO DE GESTÃO - .alimentares regionais inerentes ao consumo de alimentos locais de baixo

Post on 20-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • MINISTRIO DA SADE

    SECRETARIA DE ATENO SADE DEPARTAMENTO DE ATENO BSICA

    RELATRIO DE GESTO - 2003 COORDENAO GERAL DA POLTICA DE

    ALIMENTAO E NUTRIO

    FEVEREIRO 2004

  • Coordenao Geral da Poltica de Alimentao e Nutrio 2

    NDICE

    APRESENTAO ..................................................................... 3-5

    PROMOO DA ALIMENTAO SAUDVEL ........................ 6-17

    MONITORAMENTO E INVESTIGAO EM ALIMENTAO E NUTRIO................................................................................. 18-40

    CONVNIOS E AUDITORI....................................................... 41-46

    INFORMTICA...................................................................... 47-56

    APOIO ADMINISTRATIVO E DOCUMENTAO..................... 57-59

  • Coordenao Geral da Poltica de Alimentao e Nutrio 3

    APRESENTAO A Coordenao Geral da Poltica de Alimentao e Nutrio (CGPAN),

    na nova estrutura delineada para o Ministrio da Sade em 2003 ficou vinculada ao

    Departamento de Ateno Bsica da Secretaria de ateno Sade. A CGPAN responsvel pela implementao das diretrizes da Poltica

    Nacional de Alimentao e Nutrio. As premissas que nortearam a elaborao da

    PNAN, homologada pelo Conselho Nacional de Sade e oficializada pelo Ministrio da

    Sade atravs da Portaria Ministerial 710 de 10 de junho de 1999, e que servem

    hoje de base conceitual para a elaborao e implantao de programas, projetos e

    atividades em alimentao e nutrio no setor sade so que a alimentao e nutrio

    adequadas so direitos humanos fundamentais consignados na Declarao Universal

    dos Direitos Humanos e no Pacto Internacional de Direitos Econmicos, Sociais e

    Culturais. Realizar este direito uma obrigao do estado com a co-responsabilidade

    de toda a sociedade brasileira.

    A anlise do perfil epidemiolgico e da situao alimentar e nutricional da

    populao brasileira, o estabelecimento dos objetivos de promoo do direito humano

    alimentao, da segurana alimentar e nutricional, da alimentao saudvel e da

    sade, reverso dos quadros carncias e de morbidade configuraram-se nas sete

    diretrizes que compe a PNAN:

    1. Estmulo s aes intersetoriais com vistas ao acesso universal aos alimentos.

    2. Garantia da segurana e da qualidade dos alimentos e da prestao de

    servios neste contexto.

    3. Monitoramento da situao alimentar e nutricional .

    4. Promoo de prticas alimentares e estilos de vida saudveis.

    5. Preveno e controle dos distrbios nutricionais e de doenas associadas

    alimentao e nutrio.

    6. Promoo do desenvolvimento de linhas de investigao.

    7. Desenvolvimento e capacitao de recursos humanos.

    No novo contexto da poltica nacional, o Governo Lula reconhece e explicita

    que a segurana alimentar e nutricional e o combate Fome so eixos prioritrios de

    atuao de seu mandato, devendo, para tanto, serem tais componentes incorporados

    aos objetivos das polticas pblicas setoriais

    de responsabilidade do setor sade a implementao de aes de reconhecido

    impacto na melhoria do estado nutricional dos indivduos. O atual modelo de ateno

    bsica sade, preconizado pelo Ministrio estratgia sade da famlia prev em

  • Coordenao Geral da Poltica de Alimentao e Nutrio 4

    seus princpios a ao integrada e otimizada dos recursos da rede de sade dos

    municpios. E nesse contexto que se espera a identificao das interfaces com a

    questo da segurana alimentar e nutricional, das diversas reas programticas do

    Ministrio, elegendo-se aquelas prioritrias, no que refere ao alcance social e ao

    impacto nos indicadores de sade e nutrio.

    Ressalta-se ainda a convergncia das propostas do Fome Zero em relao s

    diretrizes conquistadas do Sistema nico de Sade SUS, particularmente no que diz

    respeito eqidade, integralidade, intersetorialidade e participao social. A

    organizao descentralizada do SUS constitui um facilitador para implementao de

    polticas como essa, pelo seu potencial de promover a co-responsabilizao dos

    demais nveis de governo, maior eficincia no uso de recursos, ampliao da

    efetividade das aes e estmulo ao controle social. A estruturao do SUS conta,

    tambm, com uma rede capilarizada de controle social, representada pelos Conselhos

    Municipais e Estaduais de Sade que devem participar de maneira ativa e intensa na

    formulao, implementao e acompanhamento das aes de sade, visando

    segurana alimentar e nutricional em nvel local.

    Em face a tais circunstancias, a CGPAN, internamente, organizou-se de tal

    forma a cumprir as demandas que se j se delineavam quando ainda da transio

    governamental e sofreram natural incremento frente conjuntura nacional. Dentre o

    imenso e complexo elenco de aes sob sua responsabilidade, quatro componentes

    foram identificados pela equipe como fundamentais e prioritrio para o binio 2003-

    2004, entendendo-os como essenciais para contribuirmos, enquanto poltica setorial,

    para a garantia da segurana alimentar e nutricional e consolidao do Programa

    Fome Zero. So eles:

    Implantao da Vigilncia Alimentar e Nutricional

    Promoo da Alimentao Saudvel

    Reviso e fortalecimento das aes relativas s deficincias por

    Micronutrientes

    Fortalecimento da rede nacional de Alimentao e Nutrio

    CCoonnssiiddeerraannddoo eesssseess eeiixxooss pprriioorriittrriiooss ssee rreeoorrggaanniizzoouu aa eeqquuiippee ddaa CCGGPPAANN,, qquuee ccoonnttaa

    ccoomm eemm qquuaattrroo ssuubbggrruuppooss::

    11.. SSuubbccoooorrddeennaaoo ddee PPrroommoooo ddaa AAlliimmeennttaaoo SSaauuddvveell:: Incorpora as seguintes diretrizes da PNAN:

  • Coordenao Geral da Poltica de Alimentao e Nutrio 5

    - Estmulo s aes intersetoriais que propiciem o acesso universal aos

    alimentos.

    - Garantia da qualidade e segurana dos alimentos

    - Preveno e controle dos distrbios nutricionais e doenas associadas

    alimentao e nutrio

    - Promoo de prticas alimentares saudveis.

    - Capacitao e formao de recursos Humanos em alimentao e

    nutrio

    22.. SSuubbccoooorrddeennaaoo ddee MMoonniittoorraammeennttoo ee IInnvveessttiiggaaoo eemm AAlliimmeennttaaoo ee

    NNuuttrriioo

    Incorpora as seguintes diretrizes da PNAN:

    - Monitoramento da situao alimentar e nutricional do Pas.

    - Promoo de linhas de investigao (estudos e pesquisas, inclusive de

    avaliao).

    - Capacitao e formao de recursos Humanos em vigilncia alimentar

    e nutricional e em investigao e avaliao.

    33.. SSuubbccoooorrddeennaaoo ddee IInnffoorrmmttiiccaa ee IInnffoorrmmaaoo

    Desenvolvimento de toda e qualquer ao relacionada ao suporte tcnico aos

    municpios e estados (call center) , informtica e aplicativos e mdulos de

    informaes requeridos para o desenvolvimento das aes fins da CGPAN, em

    trablaho conjunto com DATASUS, entre outros.

    4. SSuubbccoooorrddeennaaoo de Acompanhamento de Oramento, Convnios e Auditorias 5. SSuubbccoooorrddeennaaoo ddoo Apoio Administrativo e Documentao

    A seguir so apresentados os relatrios de cada um destes subgrupos

    Maria de Ftima Carvalho Supervisora Tcnica

  • Coordenao Geral da Poltica de Alimentao e Nutrio 6

    SUBCOORDENAO DE PROMOO DA

    ALIMENTAO SAUDVEL

    Equipe tcnica:

    Ana Maria Cavalcante de Lima Anelise Rzzolo de Oliveira Pinheiro (coordenao)

    Cleusa Regina Fritzen Elaine Pasquim Gracy Heijblom Juliana Ubarana

    Kelva Karina Nogueira de Carvalho de Aquino Patrcia Chaves Gentil

    Roseane do Socorro Gonalves Viana APRESENTAO

  • Coordenao Geral da Poltica de Alimentao e Nutrio 7

    A CGPAN/MS responsvel pelo acompanhamento e implementao das aes referentes Poltica Nacional de Alimentao e Nutrio (PNAN). A PNAN integra a Poltica Nacional de Sade, inserindo-se, ao mesmo tempo, no contexto da Segurana Alimentar e Nutricional, compondo o conjunto das polticas de governo voltadas concretizao do direito humano universal alimentao e nutrio adequadas.

    A PNAN tem como propsito a garantia da qualidade dos alimentos colocados para consumo no Pas, a promoo de prticas alimentares saudveis e a preveno e o controle dos distrbios nutricionais, bem como o estmulo s aes intersetoriais que propiciem o acesso universal aos alimentos.

    Para o alcance do propsito desta Poltica Nacional de Alimentao e Nutrio, so definidas como diretrizes:

    O estmulo s aes intersetoriais com vistas ao acesso universal aos alimentos;

    A garantia da segurana e da qualidade dos alimentos e da prestao de servios neste contexto;

    O monitoramento da situao alimentar e nutricional; A promoo de prticas alimentares e estilos de vida saudveis; A preveno e controle dos distrbios nutricionais e de doenas

    associadas alimentao e nutrio; A promoo do desenvolvimento de linhas de investigao; O desenvolvimento e capacitao de recursos humanos.

    A promoo de prticas alimentares saudveis se inicia com o incentivo ao aleitamento materno, estando inserida no contexto da adoo de estilos de vida saudveis e um componente importante da promoo da sade. Nesse sentido, a socializao do conhecimento sobre os alimentos e o processo de alimentao, bem como acerca da preveno dos problemas nutricionais, desde a desnutrio incluindo as carncias especficas at a obesidade precisa ser enfatizado. O direito humano alimentao sempre citado em todo material educativo, pois condio indispensvel vida e construo da cidad