Relações humanas. ética e cidadania

Download Relações humanas. ética e cidadania

Post on 01-Jul-2015

1.486 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

EDUCAO PROFISSIONAL TECNICA DE NIVEL MEDIO EM MEIO AMBIENTE

MDULO I PLANEJAMENTO EM MEIO AMBIENTE. COMPETENCIA: RELAES HUMANAS, COMUNICAO, TICA E CIDADANIA . PROFESSORA: VIVIANE ALVES ZANINI.

RELAES HUMANASSabemos que as pessoas se diferem umas das outras, desta forma, no h dois seres humanos iguais no mundo. E ento sempre nos perguntamos: Por que os indivduos diferem entre si? Quais so os fatores que produzem variaes comportamentais?

Essas perguntas estimulam longas discusses. Alm de sua importncia terica, o problema da causa das diferenas individuais tem significado prtico de longo alcance em muitos campos. Entender o que impulsiona o indivduo para estabelecer seus contatos, bem como as formas de comportamento adotadas em uma ou outra situao so temas que, entre outros, vo servir de subsdio para um relacionamento rico e produtivo.

Conhecer os seus limites e necessidades, preparar-se para o relacionamento interpessoal, social e profissional, uma vez que todos os seres s conseguem sobreviver e viver, na medida em que trocam experincias, sentimentos, emoes (alegria, tristeza, raiva, carinho, etc...).

Qualquer atividade destinada a melhorar o desenvolvimento das relaes entre as pessoas precisa basear-se na compreenso dos aspectos que influenciam o total desenvolvimento. Sendo assim, observar com ateno os fatores que caracterizam uma relao harmoniosa entre as pessoas saber respeitar cada indivduo com suas caractersticas e peculiaridades.

Relao IntrapessoalA necessidade de nos conhecermos j era dita por Scrates: o homem somente se relacionar bem com o outro e com o mundo, quando desenvolver a auto percepo, no sentido de olhar para dentro de si e ser capaz de reconhecer e refletir, sobre a influncia causada nas pessoas a partir de suas atividades e comportamentos .

Desenvolvendo o autoconhecimento, o homem capaz de refletir a respeito da prpria vida, fazendo uma avaliao realista e otimista de sua capacidade como forma de desenvolver a auto-estima e autoconfiana. Quem sou eu? Qual o meu verdadeiro eu?

Vou navegar em voc procura do horizonte sem fim Serei apenas um pescador Eu, pescador de mim.

Wagner Costa Vamos analisar esse poema: o que temos de mais profundo dentro de ns? Dores, tristezas, ressentimentos, mgoas, dio, desejo de vingana, medos, inseguranas e destru-los para plantar o perdo, a compaixo, a solidariedade, a serenidade, alegria, felicidade, paz enfim o AMOR.

A auto-estima a busca do AMOR PRPRIO. se interessar pela vida como um todo, desejar evoluir com a certeza de que veio a este mundo para ser e fazer algo que realmente valha a pena. o sentimento de ser competente para lidar com os desafios bsicos do cotidiano e ser digno da felicidade. No espere o dia em que estiver bem para iniciar seus projetos, inicie-os e o sentimento aparecer .

Faa estas reflexes:

O que tenho feito por mim?

Como poderei libertar-me dos sentimentos de inferioridade e insuficincia? Liste os seus sonhos, projetos e desejos para o futuro.

A autoconfiana nos permite crer na capacidade para pensar, compreender, aprender, escolher e tomar decises; a confiana na prpria capacidade para entender os fatos da realidade que pertencem esfera de interesses e necessidades prprias. As pessoas com habilidades para autopercepo tero mais facilidade de estabelecer relacionamentos mais saudveis e duradouros.

A premissa bsica para iniciar o processo de desenvolvimento da AUTO-PERCEPO tomada de conscincia da necessidade de revisar valores, crenas e estar aberto para promover mudanas de paradigmas arraigados e ultrapassados para situao do momento. Ao chegar a este estgio, pode-se dizer que a pessoa encontra-se em processo de auto desenvolvimento. O ser humano saudvel irradia energia positiva a todos aqueles com os quais se relaciona e precisa estar atento s suas quatro dimenses: fsico, mental/cognitiva, emocional/afetiva e espiritual.

O equilbrio destas dimenses condio necessria para sade pessoal e profissional:

Dimenso fsica: ter cuidados especiais com o corpo, tais como, fazer exerccios fsicos, buscar cuidados mdicos e alimentar-se de forma saudvel, etc. Dimenso mental/cognitiva: buscar sempre novos conhecimentos, estar informado da evoluo em todas as reas. Estamos numa era onde o novo de hoje ser ultrapassado amanh.

Dimenso emocional/afetiva: meditar profundamente os comportamentos e atitudes do dia-a-dia. Ser solidrio, ter compaixo, amar, permitir ser amado, etc. Dimenso espiritual: acreditar em algo superior, praticando ou no uma religio, sentir que o universo conspira a nosso favor bastando, apenas, que faamos a nossa parte.O equilbrio dessas dimenses representa o estgio ideal para o desencadear de um bom relacionamento interpessoal .

Relao InterpessoalJoo amava Teresa, que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que no amava ningum. Joo foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento, Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para titia, Joaquim suicidou-se e Lili casou-se com J. Pinto Fernandes que no tinha entrado na histria . (Carlos Drummond de Andrade)

O poema de Carlos Drummond de Andrade reflete o conflito existente nas relaes humanas. Tudo teria sido diferente se houvesse correspondncia e reciprocidade nos afetos das pessoas, mas, afinidade e empatia no dependem da vontade e do desejo do indivduo, simplesmente acontecem, alheios a sua vontade.

Reflita: O que atrapalha a convivncia das pessoas?

E eu, como estou me relacionando com as pessoas?Depois de refletir a respeito das questes acima, procure desenvolver algumas habilidades importantes para o processo de relacionamento interpessoal como: saber ouvir, respeitar o outro, ser coerente e saber se comunicar.

A habilidade de Ouvir: Abandone toda e qualquer atividade desnecessria; no escreva; no converse com terceiros; no atenda telefone; incline-se ligeiramente para frente; no se justifique; mostre intenso interesse pela conversa;

olhe diretamente para a pessoa que fala e oua com brilho nos olhos, como se estivesse pensando puxa a coisa mais maravilhosa que j ouvi em minha vida , d esta impresso; Resultado: No existe nada que produza maior afeto para que outra pessoa simpatize com voc do que ouvir atentamente como se estivesse imitando o que voc acabou de fazer. A pessoa est, naturalmente, devolvendo a ateno que voc lhe despendeu. Neste caso, o bom relacionamento estar estabelecido.

COMUNICAOA comunicao tudo o que um profissional necessita para exercer o seu trabalho. De sua capacidade de comunicar-se com o pblico e da mensagem que ele transmitir ao cliente, depender a qualidade do seu atendimento e os frutos do seu trabalho. A comunicao o elo entre a empresa e o seu pblico, e o profissional o agente dessa relao.

Componentes que Influenciam a comunicao A comunicao se estabelece atravs da palavra, da fala e da postura. Estudos revelam que a influncia da palavra apenas 7%. Segundo pesquisas neurolingusticas o tom da voz tem um poder de influncia de 38%, enquanto que o poder da fisiologia 55%. Mas, esta realidade muitas vezes passa despercebida por ns e por todas as categorias profissionais.

A palavra importante usarmos as palavras adequadas situao, quanto ortografia e concordncia de forma que aqueles que nos ouvem possam entender exatamente aquilo que desejamos dizer. Grias e jarges devem ser evitados, pois alm de causar uma m impresso, mostra um pouco conhecimento e mau uso do vocabulrio.

Tom de voz H pessoas que ao falarem no percebem, mas costumam falar alto demais enquanto se expressam verbalmente. Se voc tem esse defeito, eduque-se. Pense antes de falar, fale pausada e corretamente. Perceba ambiente e com quem voc est falando. Cuidado, no prenda a voz como se estivesse cochichando, atinja o meio termo. D equilbrio a sua voz. Voc sabia que a voz que sai de nossa boca no igual quela que chega s pessoas que esto nos ouvindo?

Exerccio: Oua a prpria voz. Tape um dos ouvidos e sinta as vibraes da sua prpria voz. Voc ainda poder usar gravador ou gravao de vdeo. Cante, solte a voz etc.

Fisiologia a postura corporal dos interlocutores. A forma de se apresentar sempre abre portas e influencia opinies e decises. O mundo trata melhor quem se trata melhor. O marketing pessoal questiona desde pensamentos e atitudes at a apresentao e a comunicao.

Seja uma pessoa agradvel:

preciso que voc seja simptico com as pessoas, se deseja influenci-las e conseguir que colaborem com voc. Eis aqui algumas qualidades importantes para conquistar as pessoas: demonstre com alegria a sua felicidade de viver; sorria sempre, mas para isso mantenha seus dentes bem cuidados;

esteja seguro de sua postura e atitudes corporais; esteja atento e interessado nas pessoas, tenha tato e seja tolerante; tenha uma dico clara e um tom de voz agradvel ao ouvido das pessoas; revele uma atitude descontrada e despojada de qualquer tenso; tenha firmeza de gestos e naturalidade nos movimentos; use seus conhecimentos para interessar, jamais para deslumbrar;

TICAO termo tica deriva do grego ethos (carter, modo de ser de uma pessoa). tica um conjunto de valores morais e princpios que norteiam a conduta humana na sociedade. Ela serve para que haja um equilbrio e bom funcionamento social, possibilitando que ningum saia prejudicado. Neste sentido, a tica, embora no possa ser confundida com as leis, est relacionada com o sentimento de justia social.

A preocupao maior da tica com todos os seres humanos, independentemente das diferenas de cor, sexo, idade, situao econmica, escolaridade, etc., pois os considera igualmente feitos da mesma massa com inteligncia; capacidade de calcular e fazer planos; paixes; medos; carncias; sonhos; ideais e fraquezas.

Entre a moral e a tica h uma tenso permanente: