registo ed118

Download registo ED118

Post on 07-Mar-2016

218 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

registo ED118

TRANSCRIPT

  • 1

    Uma forte tradio cultural

    O Alentejona 1 Liga

    So Manos

    www.registo.com.pt

    SEMANRIO Director Nuno Pitti | 02 de Setembro de 2010 | ed. 118 |0.50 euros

    PUB

    Futebol

    A Biblioteca Pblica de vora acolhe amanh, sexta-feira, dia 3, pelas 21h30, a performance Dos Livros de vora: A Libra-ry of Hands, resultante do trabalho desenvolvido durante o curso de formao Making the Body All Eyes, inserida no Festival Escrita na Paisagem, que decorfre at ao final do ms

    Performance na Biblioteca Pblica de vora

    239

    3

    19 10

    18

    Odemira

    Jovens Cientistas vo a Lisboa

    vora

    Petio pelo Museu de Artesanato

    24

    vora

    Bikvora volta em Outubro

    24

    Vendas Novas

    Festas comeam amanh

    18

    Escrita na Paisagem

    Este domingo em Castelo de Vide

    Passos Coelho encerra Universidade de Vero do PSD

    Cavaco Silva em Ourique

    preciso dar uma ateno particular agricultura alentejanaCavaco Silva esteve sbado em Ourique, onde re-cebeu a chave da Vila e inaugurou o Jardim de Infncia e o Centro de Convvio. Regressado de frias, o presidente da Repblicas defendeu que o poder central tem de prestar uma ateno par-ticular agricultura.

    11-15

    Em Montemor-o-Novo at 2 Feira

    Feira da Luz empenha-se em resistir criseOitenta mil visitantes so aguardados na edio 2010 da Feira da Luz, que decorre at ao dia 6 em Montemor-o-Novo. A programao inclui iniciativas econmicas, culturais e desportivas para todos os gostos, conforme salienta Carlos Pinto de S numa extensa entrevista con-cedida ao REGISTO. O autarca montemorense reconhece que a crise imps acrescidas dificuldades realizao do certame, mas manifesta-se convicto de que a Feira da Luz manter, este ano, os elevados nveis de qualidade e popularidade atingidos nos anos anteriores.

  • 2 05 Agosto 10

    A abrir

    EfEmridE

    Uma efemride que, mais uma vez, nos relembra os dados disponibilizados pela Organizao das Naes Unidas para a Educao, Cincia e Cultura (UNESCO).De acordo com o relatrio Global de Con-trolo sobre Educao da UNESCO, esti-ma-se que haja no mundo 781 milhes de adultos analfabetos. Destes, cerca de 520 milhes so mulheres. A somar a estes dados, aproximadamente 103 mi-lhes de crianas no tm acesso escola e, consequentemente, no aprendem a ler, escrever e contar.As regies Sul e Oeste da sia so as que possuem maior taxa de adultos analfa-betos com 41,6 por cento, seguida pela frica subsariana, com 40,3 por cento, e

    Neste jornal alguns textos so escritos segundo o Novo Acordo Ortogrfico e outros no. durante algum tempo esta situao ir manter-se e as duas formas de escrita vo coexistir. Tudo faremos, no entanto, para que no mais curto espao de tempo se tenda para uma harmonizao das formas de escrever no Registo, respeitando as regras do Novo Acordo

    Tudo o que bom sabe a pou-co, j se sabe. As frias acaba-ram e os portugueses esto de volta ao trabalho, uns bronze-ados e outros no, quase todos deprimidos. Mais deprimidos que no incio do Vero, porque at a crise custa menos a su-portar quando se est de papo para o ar numa praia, mesmo que o farnel seja parco. O fato de banho iguala democratica-mente ricos e pobres, e o sol, como sabido, quando nasce para todos. Acabou-se o que era doce, e o cidado ressente-se. Os nossos colegas da televiso, sempre atentos s novidades patol-gicas, j deram nome ao mal-estar: depresso ps-frias. Pois. Deprimido e emperrado pela paragem, o pas vai retoman-do lentamente a velocidade de cruzeiro, e ns c estamos tambm de volta ao trabalho, aps trs semanas de inter-rupo. A manchete, como no podia deixar de ser, a Feira da Luz, um evento ancestral que con-

    tinua a ser referncia obrigat-ria no calendrio de feiras do pas. Para conhecer a programao e entender a amplitude da edi-o 2010, o REGISTO teve uma longa conversa com o presi-dente da Cmara Municipal de Montemor-o-Novo. Na entre-vista, Carlos Pinto de S explica que, face situao de crise que o pas vive, a organizao en-controu dificuldades acrescidas. Assim, empenhou-se sobretu-do em manter o elevado pata-mar atingido nos ltimos anos, j que surge num momento em que as pessoas vivem uma grande interrogao relativa-mente ao futuro.Do futuro tambm se falou na Universidade de Vero do PSD, que reuniu uma centena de jo-tas em Castelo de Vide. O pro-fessor Marcelo Rebelo de Sousa esteve l, e a lio que deixou pode resumir-se mais ou menos assim: O futuro ao PSD per-tence, mas vamos com calma. Com uma crise destas, ningum tem pressa de chegar ao gover-no.

    Crnica Editorial

    Cavaco Silva e a pesada herana

    Cavaco Silva, num aparente pri-meiro acto de campanha pr-elei-toral , esteve em Ourique no final de Agosto. Regressado de frias, o presidente e recandidato, embora ainda no anunciado, foi agracia-do pela edilidade socialista com a chave da Vila. Pedro do Carmo, embora eleito pelo PS, no eco-nomizou palavras de simpatia a Cavaco. A sala do Cine-Teatro Sou-sa Teles estava recheada de sociais-democratas de todas as tendncias, todos eles certos da recandidatura de Cavaco Silva de Lus Serrano a Cristina Cameirinha, de Jos Ral Santos a Joo Paulo Rama. Mas no lhes deve ter soado nada bem

    quando Pedro do Carmo disse que vem V. Exa. a Ourique testemunhar um tempo novo, de novas reali-zaes e de sucesso, perante uma herana pesada e comprometedora a que os Ouriquenses responderam com confiana e empenho na sal-vaguarda dos seus interesses. Que houve muita gente a contorcer-se nas cadeiras, l isso houve, que os 40 graus estavam l e bem viram!

    Trancas portas

    O discurso de Pedro do Carmo (presidente da Cmara de Ourique) no ficou a perder em nada relativa-mente aos que todos ns conheca-mos de Jos Ral dos Santos, quan-do foi presidente do PSD e levava a Ourique gente como Pedro Santana Lopes ou Alberto Joo Jardim. L veio baila o estereotipo de aqui ocorreu a batalha que deu forma e identidade nao. Aqui renasce agora a vontade de conquistarmos

    o Futuro. Quem pode esquecer os cartazes do tempo de Jos Ral a lembrar que D. Afonso Henriques tambm andou por ali (ter anda-do?)? Mas apesar do tom epopeico do discurso, em que o presidente Pedro mais parecia presidente da Repblica do que presidente de um pequeno concelho do interior alen-tejano, inchado e quase a rebentar, a sala no esteve particularmente atenta, com os telemveis sempre a tocarem. Houve at uma senhora que falou alto e bom som, dizendo para algum da sua confiana, que era melhor fechar a porta da rua. De facto, como as coisas esto, o melhor porem-se trancas portas no v a bruxa m(Miguel Relvas dixit) entrar por ali adentro.

    Gente do PS com. Cavaco Silva

    Em Ourique marcou presena Carlos Beato, presidente socialista de Grndola e apoiante de Cavaco

    Silva. Mas no foi o nico. Para alm de muitos militantes e di-rigentes distritais do PSD, via-se tambm que a iniciativa agradou a um vasto sector do PS que, no se reconhecendo em Manuel Alegre, j apostou decididamente numa reeleio de Cavaco Silva. E gostam que conste. Um assessor local do PS concordou com os 40 graus sobre o significado desta jornada: uma espcie de anncio de recandida-tura aqui em Ourique. E, apesar de Cavaco ter dito que ainda no o tempo certo para anunciar se can-didato, todos estavam ali seguros de que isso vai acontecer em breve. E uma das prendas que lhe foi dada foi mesmo uma pequena escultu-ra simbolizando a sua chegada Figueira da Foz e a sua candidatura presidncia do PSD. Dito por quem ofereceu a escultura ao presidente: mais uma forma simblica de lhe dizermos que queremos que ele se recandidate.

    40 graus Sombra

    pelos Estados rabes, com 37,3 por cen-to. Os pases com maior ndice de anal-fabetismo so o Burkina Faso (87,2 por cento), o Nger (85,6 por cento) e o Mali (81 por cento).

    A 8 de Setembro comemora-se o Dia Internacional da Alfabetizao

    www.egoisthedonism.wordpress.comPedro Henriques Cartoonista

    Jos Pinto de S

  • 3

    regio

    Uma centena de jotas esto desde segunda.feira em Cas-telo de Vide, para mais uma Universidade de Vero do PSD, iniciativa que volta a marcar a rentre oficial do partido.

    Com as aulas este ano a cargos de professores como o presi-dente do Tribunal de Contas ou o antigo lder do PSD Mar-celo Rebelo de Sousa, a sema-na ir terminar no domingo com o discurso do lder social democrata, Pedro Passos Coe-lho.Uma interveno que assi-nalar o regresso do partido ao terreno aps as frias de vero e, segundo o secretrio geral do PSD, Miguel Relvas, marcar a linha orientadora do partido nos prximos me-sesDefendendo que Portugal que no est condenado a ser um dos pases mais atrasados da Europa, Miguel Relvas apos-tou num discurso de esperan-a. possvel, com outro cami-nho. E, esse novo caminho, o caminho de uma nova espe-rana, acho que o caminho que tem de ser assumido, dis-se o secretrio-geral do PSD, Miguel Relvas, que acusou Jos Scrates de sofrer de sn-drome da bruxa m e de viver num pas de iluso.No arranque da Universidade

    de Vero do PSD, em Castelo de Vide, Miguel Relvas recor-reu s histrias infantis para criticar a viso que o chefe do Governo tem do pas.O secretrio-geral social-de-mocrata concluiu que Jos S-crates tem uma viso bipolar da vida, ao no reconhecer a dureza e as dificuldades que os portugueses enfrentam no dia-a-dia.Temos um primeiro-ministro que sofre da sndroma da bru-xa m. Um primeiro-ministro que todos os dias se v ao es-pelho e diz espelho meu, es-pelho meu, quem melhor do que eu, afirmou Miguel Relvas, em declaraes aos jornalistas no final da sesso de abertura da Universidade de Vero do PSD. Recuperando um ideia que j tinha transmitido no seu discurso, o secretrio geral do PSD considerou que Jos S-

    crates vive uma viso bipolar da vida. H dois pases para ele: o pas dos problemas, o pas dos ou-tros e do povo portugus e o seu pas que