reflexões sobre a navegação na internet e o sigilo

Click here to load reader

Post on 31-Dec-2016

250 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • VOLUM E I NM ERO 1 JANEIRO-JUNHO D E 2010

    P REFEITURA DA C ID AD E DO RIO D E JANEIRO PROCURAD ORIA -GERAL DO M UNIC PIO

    Carioca REVISTA

    Direitode RCD

    ISSN

    217

    8-34

    70

  • RCD Rio de Janeiro v.1 n.1 p. 1 a 168 2010

    PROCURADORIA-GERAL DO MUNICPIO DO RIO DE JANEIRO

    volume I N. I JANEIROJUNHO DE 2010

    ISSN 2178-3470

  • PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIROPROCURA DORIA-GERA L DO MUNICPIO

    PrefeitoEDUARDO PAES

    Procurador-Geral do MunicpioFERNANDO DOS SANTOS DIONISIO

    Subprocuradora-Geral do MunicpioKA TIA PATRCIA GONALVES SILVA

    Centro de Estudos da PGM

    Procuradora-DiretoraANDREA VELOSO CORREIA

    Coordenao Editorial: Centro de Estudos da PGMConselho Editorial: Ana Paula Buonomo Machado Antonio Carlos de S Arlindo Daibert Neto Maria Luiza Alkimim Curvello de Araujo Paulo Roberto Soares Mendona Rafael Carvalho Rezende Oliveira Rodrigo Brando Viveiros Pessanha Rodrigo Ramos Lourega de Menezes

    Diretora da Diretoria de Documentao do Centro de Estudos da PGMANGELA MARIA ALBUQUERQUE DE ARA UJO

    Normatizao do textoCelia Maria Escobar Araujo

    RevisoVtor Cook

    Planejamento grfi co, capa e composioMiguel Fernandes PG/CA

    Revista Carioca de Direito - RCD v. 1- , n. 1- , jan-jun/2010- . Rio de Janeiro: PGM, 2010.

    Semestral ISSN 2178-3470

    1. Direito Peridico I. Procuradoria-Geral do Municpio

    CDU 340.05 CDD 34(05)

    Ficha catalogrfi ca Biblioteca PGM

  • 7 Apresentao

    Doutrina11 Aspectos tericos da Ao Anulatria Tributria

    (Rodrigo Ramos Lourega de Menezes)23 A responsabilidade civil nos espetculos desportivos

    (Martinho Neves Miranda)37 Cotas nas universidades pblicas brasileiras

    a busca da igualdade atravs de medidas compensatrias (Fabiani Li Rizzato de Almeida)

    53 Notas acerca das emendas constitucionais em matria tributria e financeira (Gustavo da Gama Vital de Oliveira)

    73 IPTU. Confl ito de competncia com o ITR. Critrio de localizao x critrio da destinao econmica (Andrea Veloso Correia)

    79 Previdncia, Municpio e Federao: o espao de autonomia municipal em matria previdenciria (Arcia Fernandes Correia)

    87 O princpio da proteo da confiana legtima no Direito Administrativo Brasileiro (Rafael Carvalho Rezende Oliveira)

    103 Reflexes sobre a navegao na Internet e o sigilo do e-mail funcional do servidor pblico (Frederick B. Burrowes)

    109 Funo administrativa e oramento: o espao negligenciado de efetividade dos direitos fundamentais (Vanice Lrio do Valle)

    123 A proteo dos direitos e garantias individuais em face de Emendas Constitucionais luz da jurisprudncia do STF(Rodrigo Brando)

    Pareceres/Promoes151 Parecer PG/PADM/002- 2009/RFP, de 12/05/2009 -

    Gratificao por desempenho de produtividade no sistema municipal de sade (Ricardo Perin)

    155 Promoo PG/PADM/15/2009 - Contratao de servios comuns de engenharia via prego (Ana Tereza Palimieri)

    Municpio em Juzo159 Apelao Cvel n. 2008.001.05011- Acrdo

    Apelante: MRJ, Apelado: P. Marchetti Engenharia e Construes Ltda. assunto: desapropriao indireta

    167 Relao dos Procuradores do Municpio do Rio de Janeiro

    S u m r i o

  • A p r e s e n t a o

    A Revista Carioca de Direito traduz a importncia da Procura-doria-Geral do Municpio do Rio de Janeiro no cenrio jurdico carioca e nacional; com sua contnua preocupao com a elabo-rao de um pensamento crtico e construtivo em relao ao exerccio da advocacia pblica.

    A Procuradoria se destaca pela excelncia de seu quadro, sempre atuan-te na defesa do interesse pblico; agindo no s como rgo de controle de legalidade, mas tambm como pea fundamental na implementao de polticas de governo e na defesa incessante dos interesses da Cidade.

    Parabenizo a Procuradoria-Geral do Municpio pelo projeto, desejando vida longa nova revista.

    Eduardo PaesPrefeito da Cidade do Rio de Janeiro

    com enorme satisfao que a Procuradoria-Geral do Muni-cpio apresenta a sua nova Revista jurdica, em comemorao aos seus 25 anos de funcionamento e atuao na defesa da Ci-dade Maravilhosa.

    Esta revista tem por escopo a divulgao da produo intelectual de seus Procuradores, sem prejuzo da importante participao de colaboradores e de juristas nacionais e internacionais, visando a uma troca frutfera de co-nhecimentos e experincias, com uma viso multidisciplinar.

    Os artigos publicados na Revista demonstram a qualidade do quadro de Procuradores composto por diversos Doutores, Mestres e Especialistas, alm daqueles que se dedicam ao magistrio e envolvem as mais diversas reas de interesse do Direito Pblico e Privado.

    Da mesma forma, a Revista conta com outras duas sees (de promoes e pareceres e de trabalhos forenses desenvolvidos pela PGM), representati-vas da atuao da Procuradoria na esfera administrativa e judicial.

    Por fi m, imprescindvel destacar e agradecer a participao efetiva dos Procuradores, ativos e inativos, bem como daqueles que compem o Con-selho Editorial, que viabilizaram a primeira edio desta nova Revista, e da Diretora do nosso Centro de Estudos, que no mediu esforos para que esta Revista se tornasse realidade.

    Uma excelente leitura a todos.

    Fernando dos Santos DionisioProcurador-Geral do Municpio do Rio de Janeiro

  • D o u t r i n aAspectos tericos da Ao Anulatria TributriaRodrigo Ramos Lourega de Menezes

    A responsabilidade civil nos espetculos desportivosMartinho Neves Miranda

    Cotas nas universidades pblicas brasileiras a busca da igualdade atravs das medidas compensatriasFabiani Li Rizzato de Almeida

    Notas acerca das emendas constitucionaisem matria tributria e fi nanceiraGustavo da Gama Vital de Oliveira

    IPTU. Confl ito de competncia com o ITR. Critrio da localizao x critrio da destinao econmicaAndrea Veloso Correia

    Previdncia, Municpio e Federao: o espao de autonomia municipal em matria previdenciriaArcia Fernandes Correia

    O Princpio da proteo da confi ana legtima no Direito Administrativo brasileiroRafael Carvalho Resende Oliveira

    Refl exes sobre a navegao na Internet e o sigilo do e-mail funcional do servidor pblicoFrederick B. Burrowes

    Funo administrativa e oramento: o espao negligenciado de efetividade dos direitos fundamentaisVanice Lrio do Valle

    A proteo dos direitos e garantias individuais em face de Emendas Constitucionais luz da jurisprudncia do STFRodrigo Brando

  • D o u t r i n a

    Aspectos tericos da Ao Anulatria TributriaRodrigo Ramos Lourega de Menezes1

    Resumo: este artigo, inicialmente, tentar situar a ao anulatria tribut-ria dentro da Teoria Geral do Processo. Em seguida, analisar a referida ao tributria luz do direito processual tributrio, criticando o nomem iuris ao anulatria de dbito fi scal e propondo uma defi nio para a ao anulatria tributria. Em sua ltima parte, apresentar as caractersticas da ao anulat-ria tributria, especialmente no que se refere ao objeto, ao cabimento, ao pro-blema da legitimidade e ao interesse de agir, fi nalizando com o estudo da tutela antecipada e das medidas cautelares no bojo da mencionada ao.

    Sumrio: Introduo; 1. Posio da ao anulatria tributria dentro da Te-oria Geral do Processo; 2. Posio da ao anulatria tributria dentro do direito processual tributrio; 2.1. Crtica ao nome (nomen iuris) ao anulatria de d-bito fi scal; 2.2. Defi nio de ao anulatria tributria no direito processual tributrio e crticas; 3. Caractersticas da ao anulatria tributria; 3.1. Objeto e cabimento; 3.2. Legitimidade; 3.3. Interesse de agir; 3.4. Tutela antecipada e medidas cautelares; 4. Concluso; 5. Bibliografi a.

    Palavras-Chave: Ao Anulatria Processo Tributrio Teoria.

    INTRODUO

    Este artigo tem como objetivo investigar aspectos tericos relativos ao anulatria tributria2, tambm chamada de ao anulatria fi scal ou ao anulatria de dbito fi scal, apresentando e criticando algumas das posies doutrinrias e jurisprudenciais sobre o referido instrumento processual.

    1 Procurador do Municpio do Rio de Janeiro; Mestre em Direito Pblico pela Univer-sidade Gama Filho; Doutorando em Direito na Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Professor do programa de ps-graduao em direito tributrio e do curso de especializao em processo tributrio da Universidade Cndido Mendes; Professor da ps-graduao em direito tributrio do Instituto Brasileiro de Estudos Tribut-rios (IBET); Professor do curso de especializao em direito previdencirio do Insti-tuto de Pesquisa e Estudos Tributrios (IPEJ).

    2 Ser demonstrado, no decorrer deste artigo, que a expresso ao anulatria tribut-ria (ou ao anulatria fi scal) mais tcnica que ao anulatria de dbito fi scal, sendo preferida pelo autor deste texto e por autores como James Marins, em seu livro Direito Processual Tributrio Brasileiro (Administrativo e Judicial). So Paulo: Dialtica, 2002. p. 400-401 e Mauro Lus Rocha Lopes, em sua obra Processo Judicial Tributrio. Execuo Fiscal e Aes Tributrias. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007. p. 281.

  • O presente estudo, inicialmente, situar a ao anu-latria tributria na Teoria Geral do Processo. Em se-guida, haver um estreitamento da anlise para se con-textualizar a ao anulatria tributria especifi camente dentro da doutrina do processo tributrio.

    Depois de fi rmadas as premissas tericas, sero apre-sentadas algumas caractersticas prprias das aes anulatrias tributrias.

    1. Posio da ao anulatria tributriadentro DA TEORIA GERAL DO PROCESSO

    Entre as diversas classificaes possveis para as aes3, atualmente, a doutrina costuma admitir como a mais importante a que leva em conta a espcie de tu-tela jurisdicional pleiteada pelo demandante, razo pela qual se fala em aes de conhecimento (ou cognitivas), de execuo e cautelares.

    Em regra, na ao de conhecimento o autor pleiteia que o