reco embalagens

Download Reco Embalagens

Post on 25-Jan-2015

390 views

Category:

Business

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Criação de modelo de negócio e Marca. Linha de produtos e embalagens produzidas com plástico biodegradável - Braskem. Marca - Reco Trabalho de Gestão de Marcas desenvolvido para aula do Prof. Lincoln Seragini (Seragini Farné Guardado Design).

TRANSCRIPT

  • INTRODUOO uso do plstico em

    nossas vidas.

  • INTRODUOO uso do plstico em nossas vidas.

    A palavra "plstico" origina-se do grego e exprime a caracterstica dos materiais quanto a moldabilidade (mudana de forma fsica).

    Os plsticos so materiais orgnicos polimricos sintticos, dotados de grande maleabilidade (que apresentam a propriedade de adaptar-se em distintas formas). Facilmente transformvel mediante o emprego de calor e presso, e que serve de matria-prima para a fabricao dos mais variados objetos. Geralmente a matria-prima que constitui os plsticos o petrleo e eles podem ser divididos em dois grupos, de acordo com as suas caracte-rsticas de fuso ou derretimento: termoplsticos e termofixos.

    Hoje em dia as aplicaes do plstico na vida humana so quase incontveis. praticamente impossvel imaginar nossa rotina diria a sem o contato com o plstico, seja na forma de bens durveis como celulares e canetas, como de embalagens descartveis para os mais variados fins como alimentcias, cosmticas, farmacuticas, etc.

    Fonte: Wikipdia

  • NOSSO FOCOO mercado de embalagens

    plsticas no Brasil.

  • Papelo / Papel carto Plstico Metlico Vidro TxteisMadeira Papel

    NOSSO FOCOO mercado de embalagens plsticas no Brasil.

    A indstria de embalagens no Brasil movimentou R$36,6 bilhes no ano de 2008.

    Desse montante as embalagens plsticas, as mais utilizadas no mercado brasileiro, produziramR$13,8 bilhes, mais de 37% da produo nacional.

    37,64%

    28,00%

    5,23%

    2,66% 2,40%5,23%

    16,94%

    Fonte: IBGE

  • O mercado de embalagens plsticas no Brasil.

    ONDE MAIS SE UTILIZA EMBALAGENS PLSTICAS NO MERCADO BRASILEIRO(OPORTUNIDADES DE NEGCIO):

    ALIMENTOS

    BEBIDAS

    HIGIENE PESSOAL

    COSMTICOS

    REMDIOS

    INSTRUMENTOS HOSPITALARES

    NOSSO FOCO

  • O mercado de embalagens plsticas no Brasil.

    DENTRE AS PRINCIPAIS EMPRESAS DO RAMO DE EMBALAGENS PLSTICAS ESTO:

    DIXIE TOGA ALCAN STARPACK COPOBRS BRASPACK FORMAR

    NOSSO FOCO

    * Composio associada a outros elementos alm do plstico

    *

    TODAS UTILIZAM COMO MATRIA-PRIMA O POLMERO PROVENIENTE DO PETRLEO, QUE ALM DE EMITIR POLUENTES QUANDO PRODUZIDO, PODE LEVAR UM TEMPO INDETERMINADO PARA SER DECOMPOSTO PELA NATUREZA.

  • E O FUTURO?Como relacionar as nossas prticas de consumo com o desenvolvimento sustentvel?

  • E O FUTURO?Consumo e sustentabilidade.

    A durabilidade do plstico alm de ser um diferencial, tambm seu principal contraponto. Por esse motivo surgem inmeras cooperativas que se dedicam a recicl-lo, reaproveitando essa caracterstica com um novo propsito. Entretanto, a prtica da reciclagem do plstico, quando feita, nem sempre possibilita que todos os materiais sejam reaproveitados, levando uma grande sobra de volta natureza para ser consumida pelo tempo, que nesse caso quase sempre indeterminvel.

    No caso das famigeradas sacolas plsticas, por exemplo, informaes fornecidas pela Agncia de Proteo Ambiental dos Estados Unidos revelam que so consumidos anualmente entre 500 bilhes e um trilho de sacos plsticos em todo o mundo. Desse montante menos de 1% reciclado, j que mais caro reciclar um saco do que produzir um novo. Processar e reciclar uma tonelada de sacos custa em torno de !4.000*. A mesma quantidade de sacos vendida no mercado de matrias-primas a !320.

    Os sacos plsticos fotodegradam-se: com o passar do tempo decompe-se em petro-polmeros menores e mais txicosque finalmente contaminam os solos e as vias fluviais.

    O resultado alarmante...

    Fonte: Departamento de Meio Ambiente em So Francisco

  • Uma sacola plstica jogada no lixo levar entre 30 e 450 anos para se decompor. Um ser humano consome 22.000 sacolas plsticas durante a vida. Se fizermos a multiplicao pelos valores mximos, chegaramos em impensveis 9.900.000 de anos. D para reencarnar umas 5.000 vezes e ainda se enroscar em algumas sacolas boiando por a.

    S reze para no voltar vida como algum dos animais que vivem no Lixo do Pacfico.

    E O FUTURO?Consumo e sustentabilidade.

  • E O FUTURO?Consumo e sustentabilidade.

    Iniciamos ento uma intensa pesquisa com o intuito de curar essa ferida no Planeta Terra. Por j possumos maquinrio de ltima gerao, o primeiro passo foi descobrir um substituto nico para a matria-prima de todas as embalagens que contivessem plstico. Constatamos que seria necessria uma resina que tivesse alta densidade, fosse flexvel e que pudesse ser consumida pela Terra de forma rpida e natural.

    Tomamos cincia que a Braskem iniciaria, no final de 2009, a produo em larga escala do polietileno criado a partir do etanol da cana-de-acar (Plstico Verde) e apostamos no pioneirismo ao utilizar essa matria prima em todas as nossas embalagens, divulgando esse diferencial.

    A segunda grande conquista obtida com a pesquisa foi a percepo da necessidade conscientizao da populao. A reciclagem funciona, gera empregos e viabiliza ganhos em todos os mbitos, do natural ao comercial. E se a iniciativa privada contribusse com o processo de capacitao dos indivduos para a prtica da reciclagem, independente de classe social, a maior conquista seria coletiva, pois o lucro no seria capaz de sobrepujar a sobrevivncia da humanidade.

    Em primeiro lugar o Planeta Terra. Em segundo lugar os seres que o habitam. E em terceiro uma forma consciente de consumo. Assim surgiu nosso modelo de negcio.

  • Brasileira Braskem vai fabricar plstico verde a partir dacana de acar

    So Paulo - Polmero verde resultado de investimento de 5 milhes de dlares e j recebeu selo internacional de certificao.

    A empresa petroqumica brasileira Braskem vai produzir no Pas o primeiro plstico verde com certificao global produzido a partir do etanol de cana de acar.

    A certificao foi concedida pelo laboratrio internacional de anlise Beta Analytic, que atestou que o produto contm 100% de matria-prima renovvel.

    O incio da produo em escala industrial est previsto para o final de 2009 e companhia prev que poder atingir capacidade de produo de at 200 mil toneladas por ano. A localizao e a modelagem da unidade voltada produo em escala do plstico verde sero definidas futuramente, disse a empresa.

    O polmero feita a partir da cana de acar poder ser usado pela indstria automobilstica, de embalagens alimentcias, cosmticos e artigos de higiene pessoal.

    Fonte: IDGNow

    E O FUTURO?Consumo e sustentabilidade.

  • !!

    !

    !

    !

    !"#$%&'()(*

    +"$,-!./0$1"2-3"145#6 "

    +$#"7.$5-8,$59:"26---

    !./0$1"2-;-?/#-@4A0"76-(&-B.,#"191-

  • SE MARCA, REMARCA.Recriando nossos anseios.Criando um novo nome.

  • SE MARCA, REMARCA.Recriando nossos anseios. Criando um novo nome.

    Nossa marca tem a proposta de RECRIAR o mercado de embalagens plsticas e as prticas de consumo da populao, divulgando o compromisso ecolgico assumido pela companhia, seu grande diferencial competitivo. Nada na empresa deveria ser pensado como antes. Desse modo dez pilares de expresso corporativa foram estabelecidos e a companhia passou a ser uma RE-Companhia:

    1. REDUZIR impactos; 2. RECUSAR produtos que no se comprometam com seus consumidores; 3. REINTEGRAR natureza o que foi descartado e sociedade aqueles que foram excludos; 4. RECONDICIONAR as matrias-primas utilizadas no nosso dia a dia; 5. REUTILIZAR recipientes de qualidade; 6. RECICLAR tudo o que dispensarmos; 7. REAVALIAR nossas atitudes para preservar o futuro; 8. RENOVAR nossos hbitos de consumo; 9. REVER nossos exemplos para as geraes futuras; 10. REPOSICIONAR nossa empresa no mercado de embalagens.

  • SE MARCA, REMARCA.

    DESAFIOS DA NOVA MARCASer universalUltrapassar as barreiras de linguagem e ser lido em diversos idiomas, principalmente nos mercados onde a empresa focou seu crescimento (Amrica do Sul, EUA, Europa, frica do Sul e Angola).

    Recriar as prticas do mercadoTornar-se referncia no mercado de embalagens ao oferecer um produto til e responsvel.

    Valorizar elementos do BrasilO terceiro desafio da concepo do nome seria incorporar um elemento que valorizasse a origem brasileira da empresa, sua alma. J que seus principais acionistas, bem como a matria-prima com a qual a empresa produz suas embalagens, ou seja, o plstico verde proveniente do etanol da cana de acar, so genuinamente nacionais, esse fator tambm deveria se fazer presente no nome da companhia. Um instrumento bastante peculiar da cultura musical brasileira o reco-reco.

    O exrcito da naturezaSomos todos recrutas do Planeta Terra. E por termos firmado um compromisso com o futuro, podemos nos considerar os recos da natureza.

    Recriando nossos anseios. Criando um novo nome.

  • SMBOLO DE RESPONSABILIDADERepresentamos um novo modo de pensar.

  • SMBOLO DE RESPONSABILIDADERepresentamos um novo modo de pensar.

    A representao grfica da marca RECO composta basicamente por um smbolo primordial: a folha da cana de acar, origem de todo o conceito por trs da marca RECO. da replicao das folhas que surgem nossos produtos, as embalagens plsticas. E a forma da embalagem consiste na juno dessas folhas com um propsito: a criao de uma nova embalagem e assim por diante, adotando um processo de reaproveitamento ininterrupto e de respeito natureza.

  • SMBOLO DE RESPONSABILIDADERepresentamos um novo modo de pensar.

  • SMBOLO DE RESPONSABILIDADERepresentamos um novo modo de pensar.

    As cores utilizadas na representao grfica da marca RECO so inspiradas na natureza e misturam variaes tonais de verde e azul, cores anlogas e que transmitem o compromisso da RECO com o meio ambiente.

  • A MARCA RECOEMBALAGENS ECORRETAS

  • ARQUITETURA DE MARCASRe