qumica ambiental - cursinho triu .cincia ambiental “estudo interdisciplinar que...

Click here to load reader

Download QUMICA AMBIENTAL - Cursinho TRIU .Cincia Ambiental “Estudo interdisciplinar que usa informa§µes

Post on 08-Sep-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • QUMICA AMBIENTALProf. Ana Flvia Suzana

  • Cincia Ambiental

    Estudo interdisciplinar que usa informaes das

    cincias fsicas e sociais para aprender como a

    Terra funciona, como interagimos com ela e como

    lidar com os problemas ambientais.

    Miller Jr.; G.T.; Cincia Ambiental, 1 Ed. So

    Paulo: CENCAGE Learning, 2011.

    Cincias

    Ambientais

    Qumica

    Geologia

    tica

    Antropologia

    Economia

    Poltica

    Fsica

    Biologia

  • Interaes entre as substncias qumicas e os diferentes

    compartimentos ambientais e como o ciclo desses

    podem ser afetados de acordo com as atividades

    antrpicas;

    Qumica Ambiental

    Solos

    gua

    Atmosfera Biota

  • GUA

    Oceanos e mares - 97%

    Geleiras inacessveis - 2%

    Rios, lagos e fontes subterrneas - 1%

    % da superfcie planeta

    gua

    Terra Cerca de 71,8% da

    superfcie terrestre;

    A distribuio da gua no planeta

    Composio da gua

    Molculas de H2O;

    Sais minerais;

    Gases Dissolvidos (O2, N2, CO2, entre outros);

    Outras substncias;

  • Ciclo da gua

  • Fontes de Poluio para as guas

  • Detergentes e a poluio

    Os detergentes no Brasil so feitos a partir da mistura de alquil-

    benzeno-sulfonatos de sdio e recebem a classificao de

    detergente biodegradvel ou no biodegradvel. A diferena

    entre eles comea na cadeia carbnica que os constitui.

    Os micro-organismos existentes na gua produzem enzimas capazes

    de quebrar as molculas de cadeias lineares presentes nos

    detergentes biodegradveis, mas elas no reconhecem as cadeias

    ramificadas presentes nos detergentes no biodegradveis, por

    esse motivo eles permanecem na gua sem sofrer decomposio.

  • Eutrofizao da gua;

    Hipxia;

    Contaminao com substncias extremamente txicas;

    Proliferao de malefcios e doenas a sade humana e

    ambiental;

    Efeitos da poluio da gua

    Excesso de nutrientes nas guas (C, N e P,

    principalmente) gera a proliferao excessiva

    de algas;

    Algas em quantidade excessiva consomem o

    O2 dissolvido na gua e impossibilitam a vida

    de outras espcies que necessitariam desse

    gs;

    cidos, metais, substncias orgnicas e diversas outras!

  • Efeitos da poluio da gua

    80% dos municpios (rea

    urbana) possuem rede de

    tratamento de esgoto;

    Doenas e malefcios causados:

    80% das doenas;

    15 milhes de crianas de zero a

    cinco anos de idade por ano;

    No Brasil

    Fonte: IBGE, 2010.

    Legislaes pouco rigorosas e

    pouqussimo cobradas;

  • Esquema de uma ETA

  • E o que deve ser feito?

    Fonte: CONAMA, Resoluo 357 de 2005. Disponvel em

    4. Incentivar e apoiar a criao de legislaes mais rigorosas e a criao de

    mais ETE e ETA, bem como implantao de tcnicas melhores de

    saneamento bsico;

    5. Colaborar na fiscalizao da poluio.

    2. Monitoramento e manuteno dos corpos hdricos!

    1. Comear a implantar programas de reduo de consumo de

    gua;

    3. Investigar a presena de contaminantes em concentraes excessivas

    nos corpos hdricos e demais compartimentos ambientais;

  • Poluio do Ar

    Refere-se ao lanamento de gases na atmosfera

    que alterem sua composio original;

    Gases% em Volume

    Composio original:

    Gases % em volume

    Nitrognio 78,1

    Oxignio 21

    Vapor dgua Varia de 0-4

    Argnio 0,93

    Dixido de Carbono Por volta de 0,3

    Nenio Abaixo dos 0,002

    Hlio 0,0005

    Metano 0,0002

  • A Atmosfera

  • Fontes de poluio do Ar1. Naturais

    2. Antrpicas

    Poluentes

    Fontes

  • DIXIDO DE CARBONO (CO2)

    FONTES

    respirao, decomposio de plantas e animais equeimadas de florestas;

    queima de combustveis fsseis, atividade humana(principalmente indstrias) e erupes vulcnicas.

    CONCENTRAO

    antes 1750 - 280 ppmv (partes por milho por volume)

    em 1992 355 ppmv

    atualmente 400 ppmv

    EFEITOS Principal gs do efeito estufa

  • METANO (CH4)

    FONTES

    Matria orgnica em decomposio;

    Queima de biomassa, queima de combustveis fsseis ermen de ruminantes.

    CONCENTRAO

    Atual 1,72 ppmv

    Antes Revoluo Industrial 0,8 ppmv

    EFEITOS Ao ser inalado, o gs pode causar asfixia e perda de

    conscincia, parada cardaca e, em caso extremo, danosno sistema nervoso central.

  • FONTES As fontes naturais incluem incndios florestais, calor gerado

    pelos relmpagos e atividade microbiana nos solos.

    Produo de nylon, cido ntrico, atividades agrcolas,queima de biomassa e queima de combustveis fsseis

    CONCENTRAO Em 1993 310 ppbv (partes por bilho por volume)

    Antes Revoluo Industrial 275 ppbv

    XIDOS DE NITROGNIO (NO, NO2)

    EFEITOS Inflamaes do sistema respiratrio

    Chuva cida

    Reduz fotossntese

  • HALOCARBONOS (CFCs, HCFCs, HFCs)

    FONTES

    Produo de aerossis, espuma, indstria de ar condicionado

    CONCENTRAO

    Em 1992 - CFC 11 280 pptv (partes por trilho por volume)

    - CFC 12 484 pptv

    - CFC 113 60 pptv

    EFEITOS Destruio da camada de oznio (CFCs e HCFCs)

    Efeito estufa

    Radiao ultravioleta (queimaduras de pele, cncer de pele)

  • MONXIDO DE CARBONO (CO)

    FONTES

    Trfego (veculos)

    Indstrias

    Vegetao

    CONCENTRAOA partir dos anos 80, a emisso de CO pelos automveis passou

    de 33 gCO/Km para 0,43 gCO/Km o que resultou numa queda

    progressiva na poluio, mesmo com o aumento da frota de

    veculos. Contudo em 2000 apresentou um pequeno crescimento.

    EFEITOS Perda de conscincia; morte.

  • EFEITOS DO CO

    Concentrao

    atmosfrica de

    CO (ppm)

    Tempo mdio para

    acumulao

    (minutos)

    Sintomas

    50 150 Dor de cabea leve

    100 120

    Dor de cabea

    moderada e

    tontura

    250 120Dor de cabea

    severa e tontura

    500 90Nuseas, vmitos,

    colapso

    1.000 60 Coma

    10.000 5 Morte

  • DIXIDO DE ENXOFRE (SO2)

    FONTES

    Combusto (petrleo e carvo mineral)

    Veculos diesel

    Erupes vulcnicas

    EFEITOS

    Sistema respiratrio

    Problemas cardiovasculares

    Chuva cida

  • Poluio do solo

    qualquer alterao provocada nas suas

    caractersticas, pela introduo de produtos qumicos

    ou resduos, de forma que ele se torne prejudicial ao

    homem e a outros organismos ou tenha os seus usos

    prejudicados.

    Fertilizantes artificiais

    Aplicao de pesticidas

    Deposio de resduos slidos

    Deposio de esgotos

  • E a chuva cida??

  • Os animais e o homem, ao respirarem, liberam gs carbnico

    (CO2) na atmosfera.

    Ento quando chove:

    CO2(g) + H2O(l) H2CO3(aq)

    deixando a chuva ligeiramente cida (pH = 5,7), j que se

    trata de um cido fraco

    A CHUVA , NATURALMENTE, UM

    POUCO CIDA!

  • 1. xidos de nitrognio: (NO e NO2)

    N2(g) + O2(g) 2NO(g)

    2NO(g) + O2(g) 2NO2(g)

    3NO2(g) + 3H2O(l) 2H3O+(aq) + 2NO3

    -(aq) +NO(g)

    Chuva cida

    Presentes na atmosfera

  • 2. xidos de enxofre: (SO2)

    SO2(g) + H2O(l) H2SO3(aq)

    2SO2(g) + O2(g) 2SO3(g)

    SO3(g) + H2O(l) H2SO4(aq)

    A gua dos rios e lagos se torna cida e, conseqentemente,

    imprpria para a vida de peixes e outras espcies.

    Consequncias:

    Chuva cida

  • corroso do ferro pelo cido sulfrico

    Fe(s) + H2SO4(aq) H2(g) + FeSO4(s)

    corroso do mrmore pelo cido sulfrico

    H2SO4(aq) + CaCO3(s) CaSO4(aq) + H2CO3(aq)

  • COMO A CAMADA DE

    OZNIO PROTEGE A TERRA?

    absorve a radiao ultravioleta

    (UVA, UVB, UVC) do Sol,

    impedindo que a maior parte

    dela atinja a superfcie terrestre

    O QUE A CAMADA DE OZNIO?

    formada por um gs levemente azulado de odor bastante forte

    situada na estratosfera (10 a 50Km da superfcie terrestre)

  • ACOMPANHE A EVOLUO DO BURACO NA

    CAMADA DE OZNIO (1980-1991)

  • SITUAO ATUAL DA CAMADA DE OZNIO

    Em setembro de 2000,

    com 29,78 milhes de

    Km2

    Em setembro de

    2012, 17,9 milhes de

    km

  • QUIMICAMENTE TEMOS:

    Equilbrio natural entre formao e destruio do oznio

    Formao do Oznio:

    Destruio do Oznio:

    EFEITOS Irritao dos olhos e vias respiratrias

    Envelhecimento precoce e corroso dos tecidos

  • CFCs (clorofluorcarbonos)

    O Protocolo de Montreal aprovou o banimento de forma gradativa

    do CFC e este fosse substitudo por outros gases de mesma

    potncia mas que no agredissem tanto o planeta. Aqui no Brasil, o

    Protocolo de Montreal s foi firmado como lei a partir de 1990 e

    tinha como meta, banir totalmente o uso e a fabricao do CFC at

    o ano de 2010.

  • ESTAMOS PERDENDO

    PROTEO

  • CONHEA AS RADIAES ULTRAVIOLETAS

    radiao U.V. ( em nm) efeitos

    UVA

    320 - 400 No so absorvidos pela

    c.O3;

    No possuem efeitos

    malficos ao ser humano;

    UVB

    280 - 320 Parcialmente absorvidos

    pela C. de oznio;

    Vermelhido na pele e

    diferentes tipos de cncer

    de pele;

    UVC < 280 totalmente absorvidos pela

    c. O3 ;

    Podem danificar a crnea e

    outros tecidos,

  • COMO SE FORMA O BURACO NA CAMADA

    DE OZNIO?

    OClClO

    OClOOCl

    23

  • OS EFEITOS DA DIMINUIO DA CAMADA DE

View more