QUESTÕES DE ORÇAMENTO PÚBLICO COMENTADAS

Download QUESTÕES DE ORÇAMENTO PÚBLICO COMENTADAS

Post on 02-Jul-2015

3.577 views

Category:

Documents

2 download

TRANSCRIPT

<p>QUESTES DE ORAMENTO PBLICO COMENTADAS Alipio Reis Firmo Filho www.editoraferreira.com.br 01 As operaes de crdito por antecipao da receita devem ser: a) autorizadas por Decreto. b) autorizadas somente por Lei especfica. c) realizadas somente atravs de contratos. d) autorizadas por Lei, podendo a autorizao estar contida na prpria lei oramentria e) autorizadas somente na lei oramentria. Resposta: D Comentrios: Vide artigo 165, 8, da Constituio Federal. 02 Um depsito judicial rea lizado para garantir a interposio de um recurso ser classificado: a) receita no prevista no oramento, por lapso. b) como receita extraordinria c) como receita extra-oramentria d) como receita oramentria e) como receita vinculada Resposta: C Comentrios: O Estado, em dadas situaes, arrecada recursos que, em ltima anlise, no lhe pertence. Dessa forma, detm a posse dos valores mas no sua titularidade. A titularidade pertence, portanto, a ente diverso do Poder Pblico. o caso dos valores recebidos a ttulo de depsito judicial realizado para garantir a interposio de um recurso. Nesta mesma categoria se enquadram, ainda, as caues feitas em dinheiro por um eventual licitante para a garantia de seu contrato bem como as antecipaes de receita s oramentrias (AROs), dentre outros. 03 As operaes de crdito por antecipao da receita sero classificadas como receitas: a) de Capital b) Correntes c) eventuais d) extraordinrias e) extra-oramentrias. Resposta: E. Comentrios: As operaes de crdito por antecipao de receita oramentria, por decorrerem de emprstimos de curto prazo tomados, classificam -se como receita extra-oramentria em razo de o Poder Pblico no dispor de seu domnio, mas to-somente de sua posse, conforme discorremos na questo anterior. Essa categoria de receita est disciplinada no art. 38 da Lei Complementar n 101/2000.Questo 32: So considerados estgios da despesa pblica os listados a seguir, EXCETO: A) empenhamento; B) fixao; C) pagamento; D) liquidao; E) adiantamento. Resposta do gabarito: alternativa E.</p> <p>Questo 33: As amortizaes de emprstimos contrados causam um tipo de variao patrimonial denominado: A) mutaes passivas; B) interferncias ativas; C) decrscimos patrimoniais; D) mutaes ativas; E) interferncias passivas. Resposta do gabarito: alternativa D. COMENTRIOS S QUESTES DE CONTABILIDADE PBLICA PARA O CARGO DE ANALISTA DO TESOURO ESTADUAL SEFAZ/AM PARTE IV Questo 32: So considerados estgios da despesa pblica os list ados a seguir, EXCETO: A) empenhamento; B) fixao; C) pagamento; D) liquidao; E) adiantamento. Resposta do gabarito: alternativa E. Comentrio: o Adiantamento no se constitui num estgio da realizao da despesa pblica. Constitui -se, isto sim, numa forma particularizada de sua realizao, vale dizer, numa forma alternativa de sua realizao. Tambm conhecido como Suprimento de Fundos, o Adiantamento est disciplinado nos artigos ns 65, 68 e 69 da Lei n 4.320/64. Cada esfera de governo, por sua vez, poder baixar outras normas visando regulamentao desses artigos no mbito de sua prpria Administrao. Ele a soluo criada pelo legislador, a fim de que o Poder Pblico realize determinadas despesas em circunstncias especiais, isto , fora do processo normal de aplicao da despesa, conforme disciplina o art. 68 daquele Diploma Legal. E qual o processo normal de aplicao da despesa pblica? Bem, em circunstncias normais todo e qualquer gasto do Poder Pblico deve obedecer a, pelo menos, quatro etapas: Fixao, Empenho, Liquidao e Pagamento. So tambm conhecidos como estgios de execuo da despesa. As alternativas A, B, C e D fazem referncia a eles. Por Fixao deve ser entendida a etapa em que o Poder Legislativo fixa, para todo o Poder Pblico (inclusive, para ele mesmo) os limites mximos dos gastos governamentais para um determinado ano. Esse limite o valor que consta na Lei Oramentria Anual. Por Empenho, considera-se o momento em que o Poder Pblico elege um fornecedor e com ele contrata a aquisio de um bem ou uma prestao de servio de que necessita. Na Liquidao o fornecedor entrega o bem ou servio encomendado pelo Poder Pblico e este atesta que o bem ou servio entregue est de acordo com as especificaes que ele solicitou. Por fim, no Pagamento, h o desembolso financeiro correspondente, isto , o pagamento efetivo pertinente ao bem ou servio entregue uma vez que, do contrrio, haveria enriquecimento ilcito do Poder Pblico, fato esse vedado pela legislao. Este , em sntese, o processo normal de aplicao da despesa pblica. Todavia, em determinadas situaes, no ser possvel a execuo, nessa ordem, dessas etapas, muito embora, em ltima anlise, todas elas sero cumpridas. em tais situaes que nascem as despesas realizadas por intermdio de Adiantamentos. Nestas situaes h uma inverso entre os estgios da liquidao e pagamento da despesa, isto porque, primeiramente, o Poder Pblico paga a despe sa e depois faz a sua liquidao. Assim, na realizao da despesa pblica por meio de Adiantamentos, as etapas sero: Fixao, Empenho, Pagamento e Liquidao, e no Fixao, Empenho, Liquidao e Pagamento, como ocorreria no processo comum. Uma outra diferena, alis, decorrente dessa, que o Poder Pblico no contrata diretamente com o fornecedor. Ele contrata com um funcionrio seu, no momento em que entrega o numerrio (dinheiro) em suas mos autorizando-o a aplic-lo em determinada despesa. Este funcionrio, por sua vez, que ir contratar com um fornecedor. Como esse funcionrio ter de prestar contas dos valores aplicados 1, nesse momento, isto , quando efetivar a sua prestao de contas, que ocorrer o estgio da Liquidao da</p> <p>despesa. Assinale-se, por fim, que as despesas realizadas por intermdio de Adiantamentos alcanam somente a aquisio de bens de consumo excludos, portanto, os bens permanentes. Questo 33: As amortizaes de emprstimos contrados causam um tipo de variao patrimonial denominado: A) mutaes passivas; B) interferncias ativas; C) decrscimos patrimoniais; D) mutaes ativas; E) interferncias passivas. Resposta do gabarito: alternativa D. Comentrio: em Contabilidade Pblica, as Mutaes Ativas so constitu das a partir de duas situaes: ou das desincorporaes de valores do grupo de contas do Passivo Permanente ou das incorporaes de valores no grupo de contas do Ativo Permanente. As amortizaes de emprstimos referidas na questo remetem s amortizaes da dvida de longo prazo, que se constitui num item componente do Passivo Permanente. Logo, a Mutao Ativa assinalada na alternativa decorre da primeira situao, isto , da desincorporao de valores do Passivo Permanente. Questo 34: O Balano Financeiro de um rgo pblico apresentou as seguintes contas principais e seus respectivos saldos: Contas Saldos ($) Receitas Oramentrias 30.350 Despesas Oramentrias 26.450 Retenes de Terceiros 23.000 Restos a Pagar Inscritos 8.000 Pagamento de Restos a Pagar 25.750 Sabendo que o saldo disponvel do exerccio anterior era de $ 35.850, o saldo que passa para o disponvel do exerccio seguinte de: A) $ 31.000; B) $ 34.450; C) $ 45.000; D) $ 52.200; E) $ 56.100. Resposta do gabarito: alternativa C. Comentrio: o Balano Financeiro est previsto no art. 103 da Lei n 4.320/64. Para resolver a questo basta aplicar a estrutura prevista neste dispositivo: Saldo do 1 possvel, ainda, que o funcionrio no gaste todo o dinheiro que pegou. Em razo disso ter de devolver o valor no aplicado. Para tanto, ter de registrar essa situao em sua prestao de contas. exerccio anterior ($ 35.850) + Receita Oramentria ($ 30.350) + Receita ExtraOramentria ($ 23.000 + $ 8.000) Despesa Oramentria ($ 26.450) Despesa Extra-Oramentria ($ 25.750) = Saldo para o exerccio seguinte ($ 45.000). COMENTRIOS S QUESTES DE CONTABILIDADE PBLICA PARA O CARGO DE ANALISTA DO TESOURO ESTADUAL SEFAZ/AM PARTE III Questo 29: As entidades listadas a seguir so abrangidas pelo campo de aplicao da Contabilidade Pblica, EXCETO: A) o Supremo Tribunal Federal; B) os Tribunais de Contas; C) as empresas estatais dependentes de recursos do oramento federal; D) as Cmaras Municipais; E) empresas controladas pelo Poder Executivo, que dele no dependam financeiramente. Resposta do gabarito: alternativa E. Comentrio: a incidncia das normas da Contabilidade Pblica abrange, em regra, toda a administrao direta e indireta do Poder Executivo, os Poderes Legislativo e Judicirio, os Tribunais de Contas e o Ministrio Pblico. Todavia, permanecem excludas desse universo as empresas estatais no dependentes, que compem a</p> <p>administrao indireta. Segundo a LC n 101/2000 1, empresa estatal no dependente a empresa controlada que receba do ente controlador recursos financeiros para pagamento de despesas com pessoal ou de custeio em geral ou de capital, excludos, no ltimo caso, aqueles provenientes de aumento de participao acionria. Em ltima anlise, so todas as empresas estatais que no dependem do caixa do governo para se manterem, uma vez que possuem recursos prprios. Ex: as empresas estatais do Governo Federal que comercializam energia eltrica inserem-se nesse conceito. Sobrevivem a partir dos recursos gerados na venda de energia eltrica ao mercado consumidor nacional. Estas empresas, por sua vez, podem assumir a modalidade de empresas pblicas ou sociedades de economia mista. Se, no entanto, tais empresas dependam do governo para se manterem certamente passar a incidir sobre elas as normas da Contabilidade Pblica, ainda que seja privada a sua personalidade jurdica. Questo 30: Constituem em ingresso financeiro que se incorpora definitivamente ao patrimnio pblico: A) consignaes; B) retenes de terceiros; C) receita de operaes de crdito; D) salrios no reclamados; E) recebimento de caues em dinheiro. Resposta do gabarito: alternativa C. Comentrio: muito embora o gabarito assinalasse a letra C como a alternativa correta, esta questo foi anulada aps os recursos interpostos pelos candidatos. Talvez porque as receitas de operaes de crdito, na verdade, no se incorporem definitivamente ao patrimnio pblico uma vez que, no futuro, tero que ser devolvidas ao seu real proprietrio, juntamente com o pagamento de juros e outros encargos decorrentes. Mencione-se, por oportuno, que as receitas de operaes de crdito so geradas a partir de emprstimos tomados pelo poder pblico, conforme autoriza o art. 98 da Lei n 4.320/64. Tambm a anulao poder ter decorrido do fato 1 Art. 2, III. de algumas retenes de terceiros (alternativa B) incorporarem-se definitivamente ao patrimnio pblico, conforme requer a questo, a exemplo das retenes do imposto de renda retido na fonte feitas pelos Estados e Municpios sobre os pagamentos por ele efetuados, consoante determina a Constituio Federal 2; outras, contudo, no se incorporariam, a exemplo do Imposto Sobre Servios retido na fonte por um Estado da Federao ou o ICMS retido por uma Prefeitura, na aquisio de mercadorias sujeitas sua incidncia. Nesses dois exemplos os respectivos entes teriam que entregar aos legtimos proprietrios os impostos por ele retidos. Questo 31: As receitas de royalties recebidas por Estados pela produo de petrleo ou gs natural, so classificadas como receitas: A) patrimoniais; B) de concesses e permisses; C) da indstria extrativa mineral; D) da indstria de transformao; E) de transferncias da Unio. Resposta do gabarito: alternativa E. Comentrio: o pagamento de royalties est previsto no 1 do art. 20 da Constituio Federal. Alm de serem pagos em decorrncia da produo de petrleo e de gs natural, tambm decorrem da utilizao de recursos hdricos destinados gerao de energia eltrica e recursos minerais. No caso dos royalties pagos pela produo de petrleo e gs natural os recursos so transferidos pela Secretaria do Tesouro Nacional aos Estados, DF, Municpios e rgos da administrao direta da Unio. Assim, caber Unio a responsabilidade por transferir os recursos. 2 Arts. 157, I e 158, I. COMENTRIOS S QUESTES DE CONTABILIDADE PBLICA PARA O CARGO DE ANALISTA DO TESOURO ESTADUAL SEFAZ/AM Parte II Questo 26: As despesas relativas a contratos, convnios, acordos ou ajustes de vigncia superior a 1 exerccio sero empenhados: A) em 2 (dois) exerccios financeiros;</p> <p>B) em 3 (trs) exerccios financeiros; C) em 4 (quatro) exerccios financeiros; D) total e exclusivamente no exerccio em que comear a sua execuo; E) em cada exerccio financeiro pela parte nela a ser executada. Resposta do gabarito: alternativa E. Comentrio: o Princpio da Anualidade que impe o empenhamento de fraes de despesas, em cada exerccio, cuja vigncia ultrapasse um exerccio financeiro, isto , 01 ano, a exemplo dos contratos, convnios, acordos ou ajustes. A Lei n 4.320/64 faz aluso ao princpio em seu art. 2, parte final. Por sua vez, a Lei n 8.666/93 Lei de Licitaes e Contratos reforou esse entendimento ao condicionar a realizao de licitao para a aquisio de Obras e Servios prvia existncia de dotaes oramentrias que assegurem o pagamento de obrigaes geradas apenas no exerccio financeiro corrente, conforme assinalado no art. 7, 2, III, da referida Lei. Assim, as obrigaes geradas nos exerccios subseqentes sero atendidas, cada uma, pelas dotaes oramentrias de cada exerccio. Questo 27: Compem o Ativo Compensado: A) Valores Nominais Emitidos e Valores em Poder de Terceiros; B) Valores Nominais Emitidos e Bens de Uso Comum do Povo; C) Valores em Poder de Terceiros e Bens de Uso Comum do Povo; D) Dvida Ativa e Contrapartida de Valores Nominais Emitidos; E) Dvida Flutuante e Valores em Poder de Terceiros. Resposta do gabarito: alternativa A. Comentrio: o Ativo Compensado, em se tratando da Contabilidade Pblica, constitudo a partir das informaes geradas no Sistema de Compensao. este sistema de contas que registra as Responsabilidades de cada ente pblico. Tais responsabilidades ou so Ativas ou Passivas. Em linhas gerais, classificam-se como responsabilidades ativas todas aquelas em que o ente pblico entrega a terceiros bens e valores que compem seu patrimnio sem que, contudo, estes ltimos adquiram o seu domnio. Estas responsabilidades so registradas no Ativo Compensado. Por outro lado, constituem-se em responsabilidades passivas a situao inversa, qual seja, todas as vezes em que o ente pblico junta ao seu patrimnio bens e valores pertencentes ao patrimnio de terceiros sem, contudo, adquirir-lhe o domnio. Estas responsabilidades so registradas no Passivo Compensado. Em relao alternativa assinalada, a conta Valores Nominais Emitidos registra, dentre outros, a emisso de ttulos pblicos por parte de uma entidade governamental visando ao financiamento de sua dvida pblica. Tais emisses acabam por gerar responsabilidades do ente emissor perante aqueles que adquirem seus ttulos, uma vez que o ente se compromete a pagar rendimentos em troca do uso dos valores assim tomados do particular. possvel, ainda, que referido ente possa comprometer-se a resgatar, isto , recomprar o ttulo pblico em data futura, previamente ajustada com seu credor, nascendo da as operaes compromissadas. J a conta Valores em Poder de Terceiros registra o montante de ttulos pblicos entregues a terceiros pelo ente pblico, mas com finalidade diversa da conta Valores Nominais Emitidos. Os ttu...</p>

Recommended

View more >