que eu sei e ainda continuaria a saber tudo o que sei. O ... ?· música “Daquilo que eu sei”, do…

Download que eu sei e ainda continuaria a saber tudo o que sei. O ... ?· música “Daquilo que eu sei”, do…

Post on 12-Aug-2018

214 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>1</p><p>Discurso do Prof. Severino Fonseca da Silva Neto Patrono da Colao de Grau em 15/05/2013</p><p>Queridos amigos formandos,</p><p>Como poderei sintetizar em quinze minutos todas as palavras que tenham o significado do que eu estousentindo nesse momento, escolhido como padrinho da turma? inevitvel que, aps um convvio de cerca decinco anos, eu repita uma srie de histrias e citaes que foram marcantes em minha vida pessoal eprofissional, que tive a oportunidade de contar nas aulas e encontros com vocs e os demais professores. Masno posso deixar de escolher como tema de meu discurso o episdio mais marcante da minha vida comodocente. Aconteceu em 1987, quando comecei a exercer a funo de professor no mestrado da COPPE emEngenharia Ocenica e na graduao em Engenharia Naval na UFRJ. Um grande amigo, que concluiu odoutorado comigo, disse-me ento: Severino, quer dizer que agora voc passou para o outro lado? Estapequena brincadeira me fez refletir sobre trs pontos: o verdadeiro papel de um professor, de umauniversidade e de um cidado.</p><p>Em primeiro lugar, sobre o professor, acredito que seu papel no seja o de transmitir ou dar conhecimento,mas sim o de compartilhar o conhecimento. Ao compartilhar com meus alunos, eu poderia ensinar tudo oque eu sei e ainda continuaria a saber tudo o que sei. O livro A Criana Mgica compara o crebro humanoa um fragmento hologrfico do universo, que precisa ficar exposto e interagir com o holograma terrestre paraatingir clareza, a fim de que a imagem cerebral entre em foco. O autor afirma que a inteligncia, assim comoo corpo, pode ser lesada ou protegida, estimulada ou aniquilada. As barreiras inteligncia j foram h muitotempo removidas pela natureza porque ela no programa para o fracasso. A natureza programa para o sucesso,e para isso constitui um vasto e espantoso plano em nossos genes. A natureza tambm programa os pais pararesponderem com os cuidados necessrios. O que ela no pode programar o fracasso destes na proteo dosfilhos. Nem o fracasso dos professores, que precisam dosar a conquista do respeito pela dor e pelo amor,evitando as armadilhas do autoritarismo e distanciamento por um lado e do narcisismo estril pelo outro.</p><p>Na busca da resposta a O que educar? concordo com Rousseau que, uma vez que a educao uma arte, quase impossvel que ela tenha xito. Tudo que podemos fazer nos aproximar mais ou menos do alvo, que o mesmo da natureza. Moldam-se as plantas pela cultura, e os homens pela educao. Nascemos fracos,precisamos de fora; nascemos carentes de tudo, precisamos de assistncia; nascemos estpidos, precisamosde juzo. Tudo o que no temos ao nascer e de que precisamos quando grandes nos dado pela educao.Essa educao vem-nos da natureza, ou dos homens ou das coisas. com essas disposies primitivas quedeveramos relacionar tudo, e isso seria possvel se nossas trs educaes fossem apenas diferentes. Quefazer, porm, se so opostas, se, em vez de educar o homem para si mesmo, queremos educ-lo para osoutros? Este acordo necessita, ento, de um ponto timo. Forado a combater a natureza ou as instituiessociais, preciso encontrar um ponto de equilbrio entre a formao de um homem ou a de um cidado, pelacomplexidade de se fazer os dois ao mesmo tempo.</p><p>Em segundo lugar, sobre a universidade, acredito que seu papel seja associar o diploma que confere maior emais duradoura formao e estimular o aluno a desenvolver seu potencial. Outra difcil misso comentada porLeo Buscaglia numa histria em pedagogia chamada "A Escola de Animais. Os educadores acham graanela h muito tempo, mas poucos fazem algo a respeito. Um dia, os animais se reuniram na floresta eresolveram abrir uma escola. Havia um coelho, um pssaro, um esquilo, um peixe e uma enguia, queformaram um Conselho de Educao. Para o coelho, correr deveria fazer parte do currculo. Para o pssaro,voar. Para o peixe, nadar. Para a enguia, cavar. E para o esquilo, subir em rvores perpendiculares ao cho.</p></li><li><p>2</p><p>Juntaram tudo e escreveram um guia curricular. E fizeram questo que todos os animais cursassem todas asmatrias. O coelho tinha bom desempenho na corrida, mas subir em rvores era um problema. Sempre caa decostas. Teve uma leso cerebral que no permitiu mais que corresse bem. Descobriu ento que oaproveitamento na corrida tinha cado e no conseguia subir em rvores. O pssaro era timo para voar, masquando vinha cavar o cho no conseguia. Quebrava o bico e as asas. Logo no conseguia mais voar direito eno aprendia a cavar o cho nem a subir em rvores. Mas os educadores ficaram felizes, pois todos estavamcursando todas as disciplinas, o que era chamado de educao de base. Isto corresponde realidade. Semprequeremos fazer com que todos sejam iguais e logo aprendemos que a capacidade de submeter a base dosucesso no campo educacional. E a submisso continua na universidade. Ns, educadores universitrios,somos to culpados como todas as pessoas. Deveramos fornecer as ferramentas e deixar a criao por contados alunos. Certamente acharemos alunos mais criativos que ns mesmos.</p><p>Em trs ocasies de minha vida profissional fiz parte de um grupo responsvel justamente pela utpicareforma curricular: duas vezes na Engenharia Naval da UFRJ e uma vez na Escola de Formao de Oficiaisda Marinha Mercante. Podemos entender utopia como a linha do horizonte que, ao caminhar em sua direo,ela se afasta. Mas ela que nos faz andar. Mesmo conhecendo a histria da Escola de Animais, nosso grupooptou claramente por fornecer a melhor ferramenta para a formao de nossos alunos: a Matemtica. Noapenas pela necessidade de descrever fenmenos fsicos de geometrias complexas em slidos e fluidos, comoem navios, plataformas, refinarias, siderrgicas e pontes. Mas para pensar melhor. Engenheiros precisam deformao ao mesmo tempo ampla e profunda para os desafios do futuro, que no se torne logo obsoleta e queos d a capacidade de aprender ainda mais e melhor. A matemtica tambm um importante instrumento deconvencimento, quando esto em jogo opinies conflitantes, que podemos aplicar em nossas vidas pessoais eprofissionais. Numa palestra proferida por mim em 2003 sobre a contextualizao da teoria de lgebra Linearna aplicao em navios, fui questionado sobre a utilidade da matemtica no dia a dia de oficiais de nutica ede mquinas. Minha resposta se baseou em Freud, citando os trs estgios da cura em psicanlise: Recordar,Repetir e Elaborar. Recordar ferramentas matemticas do sculo XVII. Repetir verificando sua validade elimitao em diversos problemas. Elaborar no nosso dia a dia tomando decises timas para preservarsistemas de engenharia, o meio ambiente e vidas humanas. Em relao ao diploma que vocs esto prestes aconquistar arduamente, quando acusamos que diploma no tudo, devemos lembrar que , sem dvida, umacondio Necessria, mas No Suficiente, sem confundir com No Necessria. O diploma que vocs estoconquistando atesta, da melhor forma possvel, a competncia adquirida em cerca de 5 anos, para que vocsdesempenhem suas atividades profissionais evitando erros indicados pela experincia acumulada anterior,exercitando no presente, para elaborar o sonho do futuro. Isto no ocorre espontaneamente, mas sim pelotrabalho de coordenadores, professores, funcionrios e alunos unidos pelo mesmo fim. Tentamos fazer comque a UFRJ se torne um gigante na frase de Isaac Newton: Se pude enxergar mais longe, foi por me erguersobre os ombros de gigantes.</p><p>Em terceiro lugar, sobre o cidado, prefiro no concordar com a opinio do admirvel escritor Fausto Wolff,que O mundo uma surpresa que di depois, com o tempo, s di, preferindo a comparao de WoodyAllen da vida com a comida de um hotel para idosos, considerada por duas senhoras como ruim e, ao mesmotempo, pouca. Mesmo julgando ruim, queremos mais. Estamos vivendo uma poca de cobertores curtos.Concordo com o Senador Cristvo Buarque quando cita que no importa que o cobertor seja curto, oimportante que o amor no seja curto. Presenciamos muito recentemente uma discusso sobre oestacionamento do nosso Centro de Tecnologia. Assim como admirei a postura de alunos, funcionrios eprofessores, buscando uma soluo tima, fiquei decepcionado com a postura de outros alunos, funcionrios eprofessores, que passaram a se referir mutuamente no diminutivo: funcionariozinho, professorzinho e</p></li><li><p>3</p><p>aluninho, rtulos que demonstram intransigncia e intolerncia de uma minoria preocupante. Lembrei deum show de John Lennon em 1972, em que Yoko Onno l um discurso de um famoso poltico do sculopassado, sugerindo como soluo para esse tipo de problema Lei e Ordem. O pblico ficou surpreso quandosoube que o autor era Adolf Hitler e o show termina com a msica D uma chance a Paz. Na DivinaComdia de Dante, encontra-se escrito que se deixe a esperana na porta do inferno e entre. Os abolicionistasdemoraram muitos anos para criar leis contra a forma mais abominvel do comportamento humano: aescravido. Tenho esperana nos Educacionistas. Apenas dois e meio por cento de nossa populao votounum candidato a presidente com uma plataforma revolucionria baseada na Educao. Seus concorrentesconseguiram destruir sua imagem, o que nos dias de hoje muito fcil fazer contra qualquer um. Levam-seanos para se defender de denncias covardes, mas a opinio pblica j condena, imediatamente, tantoculpados quanto inocentes. Minha esperana de equilbrio social, ciente que o cobertor sempre ser curto, aEducao, nica forma de gerar oportunidades menos desiguais.</p><p>A partir de todas essas reflexes, tento solidificar uma postura de amizade e respeito em minhas relaespessoais e profissionais. Mas como saber se estou na direo certa do alvo? Com a homenagem que vocshoje fazem, ao me chamarem para Patrono, vocs me aprovaram. Uma aprovao maior e mais importante doque eu pude dar a vocs nas disciplinas da UFRJ. E, tambm, me ensinaram muito mais. Minha formaturaocorreu h 31 anos e, ainda hoje, minha juventude reciclada pelo contato quase dirio com vocs, que mefaz ter esperanas no futuro e que traz a lembrana de bons momentos, como a criao da opo do bsico naengenharia, que permitiu que a disciplina Mecnica I, que eu ministrava somente para Navais, pudesse sercursada, a partir de 2010, por alunos de outras habilitaes, o que promoveu maior cooperao entre alunos eminha maior convivncia com as outras engenharias.</p><p>Nesse grande dia para vocs, familiares e amigos, s posso desejar que nunca esqueam seus sonhos e ospersigam com muita garra. No dem importncia a rtulos. Rtulos so fenmenos que distanciam. Eles nosseparam dos outros. Dizia o escritor e aviador francs Exupry Se voc quer construir um navio, no renaas pessoas s para tarefas e trabalhos; ensine-as a almejar a infinita imensido do mar. E o faam com muitasimplicidade, que no um fenmeno espontneo. A simplicidade precisa ser criada. E que busquem afelicidade seguindo o conselho dado a Fernando Sabino. O segredo para ser feliz se resumia em 3 palavras:Pense nos outros. E para faz-lo, todo o conhecimento apenas mais uma condio necessria, como namsica Daquilo que eu sei, do Ivan Lins e Vitor Martins. S no devemos lavar as mos, para que nossintamos cada vez mais limpos.</p><p>E, para finalizar, podem contar com esse colega e amigo quando precisarem, pois nunca estive nem estareido outro lado de vocs nem de seus futuros colegas. Depois de estudar tanta matemtica, a principal lioestava na msica "The End" do disco dos Beatles que comprei em 1970, que representa a equao matemticaprincipal de equilbrio: E no final, o amor que voc recebe igual ao amor que voc d. Que Deus mepermita estar sempre do lado de alunos, professores, funcionrios e cidados que lutem, atravs de seutrabalho e solidariedade, por um Brasil e mundo com oportunidades para todos!</p><p>Muito obrigado!</p></li></ul>