Pulverização na florada do cafeeiro - pode-se ou não fazer

Download Pulverização na florada do cafeeiro - pode-se ou não fazer

Post on 09-Mar-2016

212 views

Category:

Documents

0 download

DESCRIPTION

Pulverizao na florada do cafeeiro - pode-se ou no fazer

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Fundao Procaf Alameda do Caf, 1000 Varginha, MG CEP: 37026-400 </p><p>35 3214 1411 www.fundacaoprocafe.com.br </p><p>PULVERIZAO NA FLORADA DO CAFEEIRO - PODE-SE OU NO FAZER </p><p>J.B. Matiello e S.R de Almeida Engs Agrs Mapa e Fundao Procaf </p><p>O titulo desta matria coincide com uma pergunta muito frequente que recebemos e, </p><p>continuadamente, respondemos afirmativamente a ela. Sim, podemos pulverizar na poca da </p><p>florada, pois a pulverizao no vai atrapalhar em nada o pegamento dos frutos da florao. </p><p> Nossa afirmao se baseia no conhecimento da estrutura dos botes e flores e nos </p><p>experimentos efetuados. </p><p> A formao dos botes e flores do cafeeiro ocorre nos ns, nas axilas das folhas. Ali eles </p><p>so bem protegidos e possuem seu tecido coberto por camada cerosa, capaz de resistir a possveis </p><p>queimas por produtos, especialmente por sais aplicados. So to resistentes quanto o tecido foliar. </p><p>Portanto, a calda de pulverizao adequada, aquela que no causa problema nas folhas, </p><p>igualmente no causa distrbios sobre os botes e flores. </p><p> Outra hiptese de danos seria no ato da abertura das flores, pois a calda poderia atrapalhar </p><p>a sua fecundao. No entanto, sabe-se que os rgos, masculino e feminino, das flores esto aptos </p><p>e a fecundao do cafeeiro arbica ocorre com o boto ainda fechado, assim, sem problemas de </p><p>interferncia de fatores externos. </p><p> Alm disso, nosso lema procurar, sempre, testar aquilo que poderamos ter dvidas. Pois </p><p>, assim foi feito com a avaliao do efeito de pulverizaes no perodo de florada. Foram </p><p>testados 4 tratamentos, sendo o primeiro com a pulverizao na pr-florada, sobre os botes. O </p><p>segundo, com a pulverizao no dia da abertura da florada, o terceiro uma semana aps florao </p><p>e um quarto este sem pulverizao(testemunha). Na calda foram colocados os produtos mais </p><p>comuns empregados, sendo os sais de zinco e do cido brico, o fungicida cprico e um </p><p>inseticida. </p><p> Os resultados foram aferidos atravs da produo das plantas do ensaio, dos 4 diferentes </p><p>tratamentos, chegando-se a produtividades semelhantes, sem diferenas significativas entre eles, </p><p>mostrando que as pulverizaes na poca da florada no interferem no seu pegamento, ou seja, </p><p>no causam problemas na frutificao. </p><p> Falamos sobre o que ocorre nos cafeeiros arbica. Com relao ao robusta-conillon valem </p><p>as mesmas consideraes feitas nas aplicaes na pr e ps florada. Varia ligeiramente quanto </p><p>oportunidade de pulverizar no dia da abertura da florada, pois nesse tipo de cafeeiro, a fecundao </p><p> cruzada, ocorrendo depois da abertura das flores. A, ento, deve-se evitar essa aplicao no dia </p><p>da florada, pois alguns produtos poderiam espantar insetos polinizadores, se bem que grande parte </p><p>da fecundao ocorre pelo vento. Neste aspecto, uma pequena molhao do plen tornaria os </p><p>gros mais pesados, e com mais dificuldade no seu deslocamento pelos ventos, embora por </p><p>curtssimo perodo, pois logo secariam, sendo muito diferente de uma chuva, ou, mesmo irrigao, </p><p>estas sim muito prejudiciais ao pegamento da frutificao, quando ocorrem durante a abertura das </p><p>flores. </p><p> Fica, ento, clara a nossa resposta inicial. Podemos, quando necessrio, aplicar produtos </p><p>via pulverizao sem causar problema florao. Ainda mais, nas regies mais frias e midas, </p><p>onde ocorrem fungos que atacam botes, flores e chumbinhos, onde as aplicaes, de fungicidas </p><p>adequados, podem aumentar a produo, no diminu-la. </p></li><li><p>Fundao Procaf Alameda do Caf, 1000 Varginha, MG CEP: 37026-400 </p><p>35 3214 1411 www.fundacaoprocafe.com.br </p><p>Sobre os botes a pulverizao pode ser feita, pois eles so bem protegidos. Sobre as flores abertas, </p><p>tambm, pois elas j foram fecundaram antes de abrir. </p></li></ul>

Recommended

View more >