Publicação Mensal

Download Publicação Mensal

Post on 24-May-2015

302 views

Category:

Spiritual

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Leigos Dehonianos P ROV N CIA BSP - DE HO NIA NO SPublica o Me nsal - Ano 01 - n. 11 01 de Abril de 2012Mensagem inicialCaros Leigos Dehonianos,(4) Padre Dehon profun- que a doao suprema favo-Apresento-lhes os nmeros damente sensvel ao pecadoreceu o nascimento do2-4 das Constituies SCJ:que enfraquece a Igreja,novo homem, porm, a Nesta Edio(2) A Congregao tem suasobretudo quando cometi-recusa ao amor favorece oorigem na experincia de f do por almas consagradas. enfraquecimento da Igreja,vivida por Padre Dehon. Conhece os males que afli-que somos todos ns. Mensagem de 2 PscoaO lado aberto e o Corao gem a sociedade; estudou- A partir da, somos exorta-transpassado do Salvadorlhes cuidadosamente asdos a rever nosso compro-constituem para Padre De- causas no plano humano emisso com o carisma deho-MISTRIO PASCAL 2hon a expresso mais evo- social. niano, tendo por base ocadora daquele amor cujaMas percebe que a causa tempo pascal que nos pro-presena atuante experi-mais profunda dessa mis- voca vida nova, ofertadamenta em sua prpria vida.ria humana est na recusa por Jesus, para que todos PARTIR DE CRISTO2(3) Nesse amor de Cristo, ao amor de Cristo.tenham vida em abundnciaque aceita a morte como Atrado por esse amor me- e qualidade.doao suprema de sua vidanosprezado, quer corres-Seja a celebrao pascal PILARES DA NOVA 3pelos homens e como obe-ponder-lhe por uma uniorevigoramento do nosso PROVNCIAdincia filial ao Pai, quentima com o Corao de nimo no seguimento dePadre Dehon v a fonte da Cristo e pela instaurao doJesus, a exemplo de Padresalvao. seu Reino, nas almas e na Dehon e, juntos, possamosOLHARO PARA DEN- 3Do Corao de Cristo, aber- sociedade. testemunhar, com nossa TRO DAQUELE QUEto na cruz, nasce o homem Temos, a partir das Consti- vida e apostolado, a vidaTRANSPASSARAMde corao novo, animadotuies SCJ, a oportunidade que no morre.pelo Esprito Santo e unido de olhar para a mesma dire-FOTOS 4aos irmos na comunidadeo que Padre Dehon: oPe. Jos Lus de Gouva, scjde amor, que a Igreja.Corao aberto, e observarDISPONIBILIDADEesperei, e no serei eternamente confundido - (cf. "Movidos homens. Assim como PadreXV Captulo Geral, DOC VII, n. 100, 106). homens, e se humilhou, tor- pelo amorDehon, a disponibilidade totalQuanto ao nosso sacrifcio, nando-se obediente at morte de Cristo, e abandono a Deus a nossa o "seguir Cristo" no seu "Ecce de cruz. Apesar de imitadores ns escolhe- maneira de estar no mundo e Venio". Enviado para "Evan-de Cristo, a nossa disponibili- mos o idealtorna nossa vida um sacrifciogelizar os pobres, curar osdade oblativa nos leva para os de vida de de amor a Deus: gera paz equebrantados do corao, pre-pobres, os presos, os cegos. Padre De-alegria, como mostrado nasgar liberdade aos cativos, a Quais so os nossos pobres,hon. Ele deixou-se conduzir vidas dos primeiros Padres da restaurao da vista aos ce- nossos prisioneiros, os nossospelo Esprito, viveu intensa- Congregao que tinham nosgos, pr em liberdade os opri- cegos, que so objeto da nos-mente a oferta do amor de lbios esta orao: "In Te Cormidos (Lc 4,18-19). O Senhor sa oferta e nossa reparao? (cf. A. BOURGEOIS, Tenendo conto delle risposteCristo em total disponibilidade Jesu speravi no confundar in "veio" como homem entre os (3-5-1968), n. 46)" - (Obs. Traduo livre ). sua obra redentora entre os aeternum" - Em Vs, Corao de Jesus,</li></ul> <p> 2. Leigos DehonianosMENSAGEM DE PSCOAMISTRIO PASCAL... PARTIR DE CRISTO...revelao da misericrdia de Tende em vs os mesmos sentimentosDeus! de Cristo Jesus (Fl 2,5-8)A Igreja proclama a verdade da Os que pertencem a Cristo assimilam osmisericrdia de Deus, revelada em valores e os critrios de Jesus. TendeCristo crucificado e ressuscitado, eem vs os mesmos sentimentos de Cris-proclama-a de vrias maneiras.to Jesus: Ele tinha a condio divina, eProcura tambm praticar a miseri- no considerou o ser igual a Deus comocrdia para com os homens por algo a que se apegar ciosamente. Masmeio dos homens, como condioesvaziou-se a si mesmo e assumiu a con- Ressurreio - Rafael Sanzio indispensvel da sua solicitude por dio de servo, tomando a semelhanaum mundo melhor e mais huma- humana. E, achado em figura de ho-Queridos Confrades e Familiares,no, hoje e amanh. mem, humilhou-se e foi obediente at aIntegrantes da MDJ e dos LD,Mas, alm disso, em nenhum mo-morte e morte de cruz (Fl 2,5-8).Benfeitore(a)s e Amigo(a)s, mento e em nenhum perodo daA comunidade crist pode experimentarhistria, especialmente numa po- a beleza da gratuidade, da vida partilha-O Senhor conhece bem a nossaca to crtica como a nossa, pode da, do amor ao bem do outro, atravsvida, de forma perfeitamente de-esquecer a orao que um gritodo dom de si mesmo, at com sacrifcio,vida, ele a cura cuidadosamente;de splica misericrdia de Deus,como Jesus fez conosco. Ningum tementende e perdoa a nossa fraque-perante as mltiplas formas do malmaior amor do que aquele que d a vidaza, mas no se conforma com a que pesam sobre a humanidade epor seus amigos. Vs sois meus amigos.safadeza. a ameaam. Tal o direito e o de-[...] Eu vos chamo amigos porque tudo over da Igreja, em Cristo Jesus: direi-que ouvi do Pai eu vos dei a conhecer.O Senhor conhece toda a nossa to e dever para com Deus e para No fostes vs que me escolhestes, masmorte, d-nos garantia de novacom os homens. fui eu que vos escolhi e vos designei pa-sorte, ele morre redentoramente;A Igreja professa e proclama que ra irdes e produzirdes fruto e para que oaniquila a sanha do feroz inimigo,a manifestao clara de tal miseri- vosso fruto permanea, a fim de quese nos faz o melhor e fiel amigo. crdia se verificou em Jesus crucifi- tudo o que pedirdes ao Pai em meu no-cado e ressuscitado, isto , no Mis-me ele vos d. Isso vos ordeno: amai-vosO Senhor conhece a plena realiza- trio pascal. este Mistrio que uns aos outros (Jo 15,13-16).o, inaugurada pela sua ressur-contm em si a mais completa re-A capacidade de fazer dom da prpriareio, ressuscita vitalmente; des- velao da misericrdia, isto , da-vida para o bem de outros nasce datroa grilhes de morte e malda-quele amor que mais forte doconfigurao, do seguimento de Jesusde, abre perspectivas de totalque a morte, mais poderoso do e, acima de tudo, da certeza de que Elefelicidade. que o pecado e que todo o mal, do est presente em nossa vida e a abraa,amor que ergue o homem das suas conduzindo-a para um destino bom.Feliz Pscoa! quedas, mesmo mais profundas, e Jesus, no Sermo da Montanha (Mt 5,1-Pela Provncia Brasil So Paulo,o liberta das maiores ameaas. 12) proclama: Felizes os pobres, por-P. Mariano, scj. Joo Paulo II, Encclica Dives in misericrdia, 15 que deles o Reino dos Cus e diz aosdiscpulos que encontraro a plena feli-Publicao da Assessoriacidade (a bem-aventurana) no somen- dos Leigos Dehonianos da Provncia BSP te no futuro, mas j agora na alegria dedoar-se aos irmos. Jesus Cristo cumpreResponsvel:a promessa: quem tiver corao puro,Pe. Jos Lus de Gouva, scjabrindo os olhos depara-se com rostosColaborao:Leigos Dehonianos humanos, mas neles reconhece a DeusE-mail: presente.leigosdehonianosbsp@gmail.comRua Carolina Santos, 143 - Mier Crucificao, de Giotto, Itlia20720-310 Rio de Janeiro - RJ(21) 2595.5212Evangelizao e Misso Proftica da Igreja Pgina 2Documento 80 CNBB pg. 57 3. Publicao Mensal - Ano 01 - n. 11 PILARES DA NOVA PROVNCIA ram os primeiros deho- sim, com o aumento do pessoal vin- nianos, os Padres Jos do da Alemanha, so assumidas as Foxius e Gabriel Lux.parquias de Jaragu do Sul, Tubaro Comearam a trabalhare Porto Franco. em Florianpolis.Em 1920, os padres passam a cuidar Entre os anos de 1904 edo Seminrio diocesano de Taubat. 1906, chegaram os pa-Em 1924, compram nesta cidade um dres Wollmeiner, Mel-terreno para comear o noviciado. ler e Thoneick.Neste mesmo ano comeou tambm Em outubro de 1904, oem Brusque com um seminrio me-Padre Jos Foxiusbispo de Curitiba confi- nor. Como este seminrio se tornou ou Congregao aspequeno, fundou-se outro em Coru- parquias de So Bento p.Padre Gabriel LuxA Provncia do Brasildo Sul e Brusque. Segui-Trinta anos depois, a 25 de Abril detem a sua origem no desejo do Pe. J. ram-se, em 1905, as parquias de 1934 tem incio a nova provncia. OThoss, Superior dos padres alemes Itaja e de Parati. A ltima era uma primeiro Superior Provincial foi o pa-em Sittard, de mandar missionrios parquia que h vinte anos estavadre J. Storms.s famlias alems emigradas para o sem sacerdote e onde havia colonosStudia dehoniana 33Brasil do Sul. alemes. Agenda dehoniana, p. 64Em meados de Junho de 1903 chega- Em 1910 j so 18 dehonianos. As-Edies Noviciado Aveiro 2000OLHARO PARA DENTRO DAQUELE QUE TRESPASSARAM quele que trespassaram,nos por amor. No Coraodesistncias. Todas as do- mas olharo para dentrode Jesus, o fundo mes-res esto reunidas neste daquele que trespassa-mo da natureza divina que Corao e transbordam. ram: Videbunt in quem ns penetramos na sua Sentiu-as todas, a todas transfixerunt (Jo 19, 38). mais maravilhosa manifes- santificou. Nas nossas do- So Joo aplica estas pala- tao. Deus amor. So res, por mais extremas vras abertura do lado deJoo leu isto no Coraoque sejam, tenhamos con- Jesus; devia pensar no in-de Jesus. fiana na simpatia e na terior de Jesus, no Cora- Tenho necessidade decompaixo deste Corao, o mesmo de Jesus quecontemplar esta feridaque quis assemelhar-se a ele pde entrever pelapara ver como eu sou a- ns no sofrimento, para chaga aberta do lado, nomado e como por minha ser mais compassivo e momento do embalsama- vez devo amar. L desejomais misericordioso (Hb 2, mento.aprender como um cora-17). Esta ferida entrega-nos e o amante deve agir, so- Comecemos ns mesmos abre-nos o Corao de frer, tudo dar, at mor-lamentar este amor que Jesus. Espiritualmente, te, por Deus e pelas almas. no amado e por compa- ns a lemos o amor que Vamos mais profunda-decer com as suas dores. Crucificao - Jacopo Bassano tudo deu, mesmo a vida. mente ainda, e vejamos Neste amor mesmo, ns tudo o que sofreu o mais a palavra do profetareconhecemos o motivo e delicado dos coraes: os Pe. Joo Leo Dehon Edies Noviciado SagradoZacarias, recordada poro fim de todas as obras desprezos, as calnias, asCorao de JesusSo Joo. O profeta nodivinas: Deus criou-nos,traies, os abandonos, as Barretos SPdisse: Olharo para a-resgatou-nos, santificou- Pgina 3 Maro/ 2009 p. 170-171 4. Leigos Dehonianos"Nosso Senhor derrama o sangue desde a Sua agonia at aogolpe da lana, que Lhe abre o corao. o testemunho doSeu amor: no h amor sem dor. o preo da Redeno.Nosso Senhor no poupou uma nica gota do Seu sangue.Entreguemo-nos inteiramente a Ele; demos-Lhe todo onosso corao, toda a nossa vida, todo o nosso tempo.Demo-nos sem reservas.No alto do Calvrio foi erguido o altar da vtima, foiconsumado o sacrifcio. Contemplemos Jesus, a Sua cruz, oSeu sangue, as Suas chagas, o Seu Corao trespassado pelalana. Os trs cravos lembram-nos os nossos votos e o golpede lana somboliza a nossa profisso de imolao, o dom donosso corao.(Diretrio Espiritual, p. 54)CRUCIFIXO - GIOTTO DI BONDONE. 1290-1300 REUNIO DA ASSESSORIA E COORDENAO GERAL COM OS ANIMADORES E COORDENADORES DOS LEIGOS DEHONIANOSEM SO PAULO (SO JUDAS) NO DIA 10/03/2012.Pgina 4</p>