prov©rbios 30

Download Prov©rbios 30

Post on 21-Mar-2017

13 views

Category:

Spiritual

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 2

    A474 Alves, Silvio Dutra

    Provrbios 30./ Silvio Dutra Alves. Rio de Janeiro,

    2016.

    51p.; 14,8x21cm

    1. Teologia. 2. Salomo. 3. Estudo Bblico.

    I. Ttulo.

    CDD 230.223

  • 3

    Provrbios 30

    1 Palavras de Agur, filho de Jaque, o

    masata, que proferiu este homem a Itiel,

    a Itiel e a Ucal:

    2 Na verdade eu sou o mais bruto dos

    homens, nem mesmo tenho o

    conhecimento de homem.

    3 Nem aprendi a sabedoria, nem tenho o

    conhecimento do santo.

    4 Quem subiu ao cu e desceu? Quem

    encerrou os ventos nos seus punhos?

    Quem amarrou as guas numa roupa?

    Quem estabeleceu todas as

    extremidades da terra? Qual o seu

    nome? E qual o nome de seu filho, se

    que o sabes?

    5 Toda a Palavra de Deus pura; escudo

    para os que confiam nele.

    6 Nada acrescentes s suas palavras, para

    que no te repreenda e sejas achado

    mentiroso.

  • 4

    Alguns acham que Agur no o nome deste autor, mas uma palavra definidora do seu

    carter; pois esta palavra significa coletor, e

    sendo um coletor, ele no comps estes provrbios sozinho, mas recolheu os ditos

    sbios e observaes de outros, e isto se infere

    do que ele diz no verso 3.

    No devemos enterrar nosso talento, ainda que seja apenas um, mas, como temos recebido o

    dom, ento ministremos o mesmo, ainda que seja para coletar o que outros escreveram sobre

    a Palavra de Deus.

    Itiel e Ucal so mencionados como os nomes de seus alunos, a quem ele instruiu.

    Itiel significa Deus comigo. Ucal significa o Poderoso.

    H trs coisas s quais o profeta visa aqui:

    I. Humilhar-se. Antes que fizesse confisso de sua f, ele fez confisso de sua insensatez, fraqueza e deficincia da razo, o que to

    necessrio para ser guiado e regido pela f.

    Antes que ele fale a respeito do Salvador ele fala

    de si mesmo como tendo a necessidade de um Salvador, e como nada somos sem ele; temos

    que sair de ns mesmos antes de entrarmos em

    Jesus Cristo.

  • 5

    Ele fala de si mesmo como tendo necessidade de ser justificado.

    Quando reflete sobre si mesmo, ele se classifica como sendo o mais bruto dos homens. Todo

    homem se embruteceu (Jeremias 10.14). Mas

    aquele que conhece seu prprio corao sabe

    muito mais acerca do mal que habita em si mesmo do que qualquer outro.

    Agur, quando foi considerado pelos outros como sendo mais sbio do que a maioria, reconheceu-se o mais tolo. Seja qual for a

    opinio elevada que outros possam ter de ns,

    devemos ter baixos pensamentos acerca de ns

    mesmos.

    Agur fala de si mesmo como que lhe faltando uma revelao para gui-lo nos caminhos da

    verdade e da sabedoria. Ele diz que no aprendeu a sabedoria por qualquer poder

    prprio. Ele no teve o conhecimento que

    tiveram os santos, os anjos, nossos primeiros

    pais na inocncia, nem diretamente das coisas santas de Deus, tendo uma viso delas, nem

    fazendo qualquer juzo delas, seno de aprender

    de outros aquilo que Deus teve o prazer de torn-

    las conhecidas.

    O homem natural, os poderes naturais, no podem perceber as coisas do Esprito de Deus.

  • 6

    II. Falar de Jesus Cristo, e da Sua comunho com o Pai (verso 4).

    Quem subiu ao cu....

    Alguns entendem isso como se referindo a Deus e s suas obras, que so, ambos, incomparveis

    e imperscrutveis.

    Ele desafia toda a humanidade a dar conta dos cus acima, dos ventos, das guas, da terra:

    "Quem pode dizer que subiu ao terceiro cu,

    para ter uma viso das esferas acima, e depois ter descido, e ter-nos dado uma descrio deles?

    Quem pode dizer que teve o comando dos ventos, como Deus faz, ou ter dirigido as ondas

    do mar, como Deus tem feito? Quem

    estabeleceu os confins da terra, ou pode

    descrever a fora de seus fundamentos ou a extenso dos seus limites? Diga-me qual o

    nome do homem que pode comprometer-se a

    competir com Deus ou ser seu conselheiro? "

    Nos dias da escrita do provrbio Cristo no havia ainda se manifestado ao mundo, a sua revelao

    era velada, mas hoje podemos exaltar a Cristo pela revelao direta que fizera de si mesmo no

    mundo e nas Escrituras.

    Por isso J disse: Ouvimos a sua fama com os nossos ouvidos, mas no podemos descrev-lo

    (J 28.22).

  • 7

    Certamente Deus quem encerra os ventos nos seus punhos e governa as guas como uma pea

    de vesturio; mas o qual o seu nome? , Eu Sou

    o que Sou (xodo 12.14), um nome para ser adorado, e que no deve ser entendido.

    Qual o nome do Seu filho, por quem ele faz todas estas coisas? Os santos do Antigo

    Testamento esperavam que o Messias fosse o Filho do Deus Bendito, e dele se fala aqui como

    sendo uma pessoa distinta do Pai, mas seu nome

    ainda era um segredo. De fato, o nome de Jesus

    somente foi revelado pela primeira vez pelo Arcanjo Gabriel a Maria.

    O grande Redentor, nas glrias de sua providncia e graa, no pode ser igualado em

    sua perfeio.

    As glrias do reino de Sua graa so insondveis e inigualveis; porque quem subiu ao cu ou dele desceu?

    Quem alm dele est perfeitamente familiarizado com ambos os mundos, e tem uma

    correspondncia livre com ambos, e est,

    portanto, apto a resolver a correspondncia entre eles, como Mediador?

    Ele estava no cu no seio do Pai (Joo 1.); da, ele desceu para tomar nossa natureza sobre si. Com

    esta natureza, alm da divina tornou a ascender

  • 8

    (Ef 4.9), para receber as glrias prometidas ao

    seu estado exaltado.

    As glrias do reino de sua providncia tambm so insondveis e inigualveis. O mesmo que

    concilia o cu e a terra foi o Criador de ambos e governa e dispe de tudo e todos. Seu governo

    dos trs elementos inferiores: do ar, da gua e da

    terra, aqui particularizado.

    Os movimentos do ar so de sua direo. Satans finge ser o prncipe do poder do ar, mas mesmo

    l Cristo tem todo o poder; repreendendo os

    ventos e eles lhe do ouvidos.

    Os limites da gua so de sua nomeao: Ele liga as guas como em uma pea de vesturio; determinando at onde elas viro, e no mais (J

    38.9-11).

    Os fundamentos da terra so fixados por Ele. Fundou em um primeiro momento; e os define

    ainda. Se Cristo no tivesse interposto a fora do seu poder, os fundamentos da terra teriam

    afundado sob a carga da maldio sobre o solo,

    pelo pecado do homem. Quem e o que o

    Poderoso que faz tudo isso? No podemos ter o poder e a perfeio de Deus Pai, nem do seu

    Filho.

    Agur nos assegura da verdade da Palavra de Deus, e a recomenda a ns (verso 5, 6). Seus

  • 9

    alunos esperam ser instrudos por ele nas coisas

    de Deus. "Ai!" diz ele, "eu no posso

    comprometer-me a instru-los, a no ser indo

    Palavra de Deus, e para ver o que ele revelou de si mesmo e de sua mente e vontade, voc

    precisa ter como segura e suficiente cada

    palavra de Deus, porque pura; e no h a menor mistura de falsidade e corrupo nela".

    As palavras dos homens so para serem ouvidas e lidas com suspeio, mas no h o menor

    fundamento para suspeitar de qualquer

    deficincia na Palavra de Deus; pois como

    prata purificada sete vezes (Sl 12.6), sem o mnimo de escria. A tua Palavra muito pura

    (Sl 119.140).

    Deus, em sua Palavra, um escudo, uma proteo segura, para todos aqueles que se

    colocam sob sua proteo e que colocam a sua confiana nele.

    A palavra de Deus, aplicada pela f, nos amparar no meio dos maiores perigos (Sl

    46.1,2).

    Ela suficiente e, portanto, nada devemos lhe adicionar (verso 6). Nada deve ser adicionado

    Palavra porque pura e perfeita. Esta probe a promoo de qualquer coisa, no somente em

    contradio contra ela, mas em concorrncia

    com ela; ainda que seja sob o pretexto plausvel

  • 10

    de explic-la, assim, nada deve fingido que de

    igual autoridade com ela, se est adicionando s

    Suas palavras, o que no somente uma

    vergonha, como abre uma porta para todos os tipos de erros e corrupes; pois, um absurdo

    ser concedido que a palavra de qualquer

    homem ou grupo de homens deva ser recebida com a mesma f e venerao que so devidas

    Palavra de Deus.

    Devemos nos contentar com o que Deus pensou ser suficiente e apto para nos dar conhecimento

    de sua mente, e no cobiarmos ser sbios

    acima do que est escrito; porque Ele vai

    ressentir-se como uma afronta hedionda: "Ele te repreender, vai te contar como um traidor

    contra Sua coroa e dignidade, e te colocar sob o

    pesado castigo daqueles que adicionam s suas

    palavras, ou que as diminuem. (Deut 4.2; 12.32).

    Alm disso, vamos incorrer em erros interminveis: "Tu sers achado mentiroso, um

    corruptor da palavra da verdade, um criador de heresias, e culpado das piores falsificaes,

    fingindo ter uma misso divina e inspirao,

    quando tudo no passa de uma fraude. Os

    homens podem ser enganados dessa maneira, mas de Deus no se zomba. "

  • 11

    7 Duas coisas te pedi; no mas negues,

    antes que morra:

    8 Afasta de mim a vaidade e a palavra

    mentirosa; no me ds nem a pobreza

    nem a riqueza; mantm-me do po da

    minha poro de costume;

    9 Para que, porventura, estando farto no

    te