Provabrasil matriz

Download Provabrasil matriz

Post on 23-Jun-2015

9.124 views

Category:

Education

11 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Plano de Desenvolvimento da Educao 2009</li></ul><p> 2. Presidncia da RepblicaMinistrio da Educao/Secretaria de Educao BsicaDiretoria de Concepes e Orientaes Curriculares para a Educao BsicaCoordenao Geral de Ensino FundamentalInstituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Ansio Teixeira (Inep)/Diretoriade Avaliao da Educao BsicaCoordenao-Geral de Instrumentos e MedidasCoordenao-Geral do Sistema Nacional de Avaliao da Educao Bsica Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP) Centro de Informao e Biblioteca em Educao (CIBEC)Brasil. Ministrio da Educao. PDE : Plano de Desenvolvimento da Educao : Prova Brasil : ensino fun- damental : matrizes de referncia, tpicos e descritores. Braslia : MEC, SEB; Inep, 2008. 193 p. : il. 1.Avaliao da educao bsica. 2. Ensino fundamental. 3. Lngua portugue- sa. 4. Matemtica. I. Brasil. Ministrio da Educao. Secretaria de Educao Bsica. II. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Ansio Teixeira. III. Ttulo.CDU37.014.12Projeto GrficoLeonardo Monte-MrProduo de contedos/RevisoInstituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Ansio Teixeira (Inep) 3. APRESENTAO NDIcE4 PROvA BRASIL E O DIREITO AO APRENDIzADO 61O SISTEMA NACIONAL DE AvALIAO DA EDUCAO BSICA (SAEB) 122AS AvALIAES DA EDUCAO BSICA142.1. Programa Internacional de Avaliao de Alunos (PISA)142.2Exame Nacional do Ensino Mdio (ENEM) 142.3 ExameNacionalparaCertificaodeCompetnciasdeJovenseAdultos-ENCCEJA 142.4Provinha Brasil 152.5O Saeb e a Prova Brasil 153AS MATRIzES DE REFERNCIA DO SISTEMA NACIONAL DA AvALIAO DA EDUCAO BSICA SAEB173.1 AsMatrizesdeRefernciadoSAEB173.2 Competncias 173.3Habilidades 184LNGUA PORTUGUESA 194.1Aprendizagem em Lngua Portuguesa 194.2Texto 194.3 Gnerosdediscurso204.4Tipos textuais204.5Os diferentes usos da lngua204.6 AsMatrizesdeRefernciadeLnguaPortuguesa:TpicoseseusDescritores 4 srie/5 ano e 8 srie/9 ano do Ensino Fundamental214.7 Exemplosdeitens:da4srie/5anodoEnsinoFundamentalLnguaPortuguesa 244.8 Exemplosdeitens:da8srie/9anodoEnsinoFundamentalLnguaPortuguesa 564.9 ConsideraesfinaisLnguaPortuguesa1045MATEMTICA 1065.1O que se Avalia em Matemtica e por que se Avalia1065.2 AMatrizdeRefernciadeMatemtica:TemaseseusDescritores 4 srie/5 ano do Ensino Fundamental 1065.3 Exemplosdeitens:de4Srie/5anodoEnsinoFundamental-Matemtica 1095.4 MatrizdeRefernciadeMatemtica:TemaseseusDescritores 8 srie/9 ano do Ensino Fundamental 1515.5 Exemplosdeitens:de8srie/9anodoEnsinoFundamentalMatemtica5.6 Consideraesfinais-Matemtica1546REFERENCIAL BIBLIOGRFICO 196 4. APRESENTAOPrezado(a) diretor (a), prezado(a) professor(a), O Governo Federal, por meio do Ministrio da Educao (MEC), lanou em 2007 o Planode Desenvolvimento da Educao (PDE) com o objetivo de melhorar substancialmente a edu-cao oferecida s nossas crianas, jovens e adultos.O PDE sistematiza vrias aes na busca de uma educao eqitativa e de boa quali-dadeeseorganizaemtornodequatroeixos:educaobsica;educaosuperior;educaoprofissionalealfabetizao. A fim de mobilizar e impulsionara sociedade para efetivar o PDE, foi criado o Planode Metas que estabelece um conjunto de diretrizes para que a Unio, os estados, o DistritoFederal e os municpios, em regime de colaborao, conjuguem esforos para superar a ex-trema desigualdade de oportunidades existente em nosso pas. O Plano tem por objetivo criarcondies para que cada brasileiro tenha acesso a uma educao de qualidade e seja capazdeatuarcrticaereflexivamentenocontextoemqueseinsere,comocidadocnsciodeseupapel num mundo cada vez mais globalizado. No que tange educao bsica, as metas do PDE contribuem para que as escolase secretarias de educao possam viabilizar o atendimento de qualidade aos alunos. Isso,porque para conseguirmos atingir as metas traadas para a educao brasileira necessrio,emprimeirolugar,queasiniciativasdoMECpossambeneficiarascrianasnasaladeaula. Paraidentificarquaissoasredesdeensinomunicipaiseasescolasqueapresentammaiores fragilidades no desempenho escolar e que, por isso mesmo, necessitam de maioratenoeapoiofinanceiroedegesto,oPDEdispedeuminstrumentodenominadondicedeDesenvolvimentodaEducaoBsica(Ideb).OIdebpretendeserotermmetrodaquali-dade da educao bsica em todos os estados, municpios e escolas no Brasil, combinandodoisindicadores:fluxoescolar(passagemdosalunospelassriessemrepetir,avaliadopeloPrograma Educacenso) e desempenho dos estudantes (avaliado pela Prova Brasil nas reasde Lngua Portuguesa e Matemtica). O Ideb um dos eixos do PDE que permite realizar uma transparente prestao de con-tas para a sociedade de como est a educao em nossas escolas. Assim, a avaliao passaa ser a primeira ao concreta para se aderir s metas do Compromisso e receber o apoiotcnico/financeirodoMEC,paraqueaeducaobrasileiradumsaltodequalidade. Em relao avaliao da educao bsica brasileira, evidenciou-se a necessidade deseapreendereanalisartodaadiversidadeeespecificidadesdasescolasbrasileiras.Emrazodisso foi criada a avaliao denominada Prova Brasil que possibilita retratar a realidade de 5. cada escola, em cada municpio. Tal como acontece com os testes do Sistema Nacional deAvaliaodaEducaoBsica(Saeb),osdaProvaBrasilavaliamcompetnciasconstrudasehabilidadesdesenvolvidasedetectamdificuldadesdeaprendizagem.NocasodaProvaBrasil,o resultado, quase censitrio, amplia a gama de informaes que subsidiaro a adoo demedidasquesuperemasdeficinciasdetectadasemcadaescolaavaliada.Os resultados do Saeb e da Prova Brasil (2005/2007) mostraram, com mais clareza eobjetividade, o desempenho dos alunos da educao bsica, o que permite uma anlise comvistas a possveis mudanas das polticas pblicas sobre educao e de paradigmas utilizadosnas escolas brasileiras de ensino fundamental e mdio.Oobjetivomaiordestapublicaoenvolverdocentes,gestoresedemaisprofissionaisda educao nessa campanha de valorizao e conhecimento do que so Saeb e Prova Brasil,de constituio desse instrumento cognitivo de avaliao, de sua aplicao em 2009 e de suaimportncia para o alcance das metas propostas pelo Ideb.Esperamos,assim,contribuirparaqueoprofessor,osdemaisprofissionaisdareadeeducao e a sociedade, como um todo, possam conhecer os pressupostos tericos que em-basam essas avaliaes, exemplos de itens que constituem seus testes, associados a umaanlise pedaggica de itens baseada no resultado do desempenho dos alunos. Particularizando o objetivo do caderno, a anlise dos itens possibilita ao professor fa-zerumareflexosobreaprticadoensinodaleitura(LnguaPortuguesa)edaresoluodeproblemassignificativos(Matemtica)emsaladeaula,cujosresultadosrefletemaaprendiza-gem de todas as reas do conhecimento trabalhadas na escola. Os resultados do Saeb e da Prova Brasil so importantes, pois contribuem para dimen-sionar os problemas da educao bsica brasileira e orientar a formulao, a implementaoe a avaliao de polticas pblicas educacionais que conduzam formao de uma escola dequalidade. Acreditamos, pois, que voc, professor, possa fazer uso desse instrumental para umareflexo sobre sua prtica escolar e sobre o processo de construo do conhecimento dosalunos, considerando-se a aquisio de conhecimentos e o desenvolvimento das habilidadesnecessriasparaoalcancedascompetnciasexigidasnaeducaobsica.MINISTRIO DA EDUCAOSECRETARIA DE EDUCAO BSICAINSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANSIO TEIXEIRA 6. PROvA BRASIl E O DIREITO AO APRENDIzADO 1Direito ao aprendizadoOdireitoeducao,quedurantelongosanosnoBrasilsignificouodireitodematrculaemalguma escola, depois dos avanos recentes e da reflexo sobre direitos individuaisconsa-gradosnaConstituioFederalde1988,significahojeodireitoaoaprendizado.Emrelaoaoaprendizado,ficamoscomoequilbrioeabelezadapropostadeAntnioNvoa,socilogoportugus:vale a pena ser ensinado tudo o que une e tudo o que liberta.Tudo o que une, isto , tudo o que integra cada indivduo numespao de cultura e de sentidos. Tudo o que liberta, isto , tudoo que promove a aquisio de conhecimentos, o despertar doespritocientfico.[...]etudooquetornaavidamaisdecenteComo so muitas as competncias necessrias cidadania, as diferentes estruturas edu-cativastmnfasesdiferentes.Porexemplo,afamliaeareligiosoforastopoderosasquanto a escola na formao da viso de mundo e dos valores de cada criana ou jovem. As-sim sendo, a escola no pode ser responsabilizada sozinha por insucessos nessas reas, masdeve responder majoritariamente pelo eventual fracasso de seus alunos no aprendizado decompetnciascognitivas.Emboraoletramentoemmatemticaeemcinciassejahojecon-sideradobsicoemmuitospases,usaremosnestetextoapenasacompetncialeitoraparaconduzir o nosso raciocnio, que estar focado na educao escolar bsica.MedidaO Brasil conta hoje com mais de 50 milhes de alunos matriculados em escolas de educa-obsica,todos,comoargumentamosacima,comdireitoaoaprendizadodecompetnciascognitivasbsicasegerais.Diantedisso,competeaoEstadodefinirumamaneiradeverificarse esse direito est garantido para cada um dos alunos. Parte dessa necessidade foi atendidacom a introduo da Prova Brasil, um instrumento de medida das competncias leitora ematemtica aplicado em praticamente todas as crianas e jovens matriculados na quarta ena oitava sries (quinto e nono anos) em 2005 e 2007. Tal Prova ocorre de dois em dois anose ter novas edies em 2009, 2011, e assim sucessivamente.1EstetextofoiproduzidopeloMECcomacolaboraodoprofessorJosFranciscoSoares,membrodoGrupodeAvaliao e Medidas Educacionais (GAME), da Faculdade de Educao (FAE) da Universidade Federal de MinasGerais (UFMG) 7. ApertinnciadedoiselementosdefinidoresdaProvaBrasil-apadronizaoeousodame- dida-precisaserentendida.Comoodireitoaoaprendizadodecompetnciascognitivasvale paratodososalunos,ficaexcludaapossibilidadededefiniodestedireitodeformadiferente paradiferentesgruposdealunos.Comoconseqncia,oinstrumentoverificadordodireitotem de ser o mesmo. No entanto, considerando a variao natural presente nos seres humanos, se aceitaque,garantidoumnveldedomniodecadacompetncia,compatvelcomoexerccio dacidadania,alunosdiferentesapresentemdomniodiferenciadoemumadadacompetn- cia.Emoutraspalavras,algunsalunosteroacompetncialeitoraemnvelmaisavanadodo que outros, ainda que todos devam ler acima de um nvel considerado adequado. Amedidadacompetnciasnecessriapelofatodeseremmuitososalunosparaosquais o direito deve ser garantido. Se fossem apenas algumas dezenas, outros processos poderiam ser pensados. Isso deixa clara a grande diferena entre a Prova Brasil, um instrumento do Estado, e a avaliao da aprendizagem, um instrumento que o professor, no exerccio de sua autonomia, usa como uma de suas estratgias de ensino. Importante observar que em outras reas onde a ao do Estado necessria para a garan- tia de direitos, a idia do uso de aes padronizadas j est consagrada. As campanhas de vacinaosoumexemplo.Parte-sedopressupostodequetodostmdireitoaesteservioe assimfaz-seumenormeesforoparaoferec-lodeformaidnticaatodososcidados.Escala Apesar do nome de prova, a Prova Brasil , na realidade, um teste composto apenas de itens calibradosepertencentesaumaescalapreviamentedefinida.Estepontofundamentale ainda no completamente entendido. Seoaprendizadodaleituraumdireito,necessriodefiniroperacionalmenteoquesaber ler para uma criana de 11 anos ou um jovem de 14. A sociedade, diante dessa questo, apresentariaumgranderepertriodetextosdegneros,tamanhos,complexidadeetemas diferentesque,selidoseentendidos,atestariamodomniodacompetncialeitora.Istoes- sencialmenteoquefeitopelaProvaBrasilparadefiniraescalademedidadacompetncia leitora,emboraestegranderepertriodetextosnoexistafisicamente.Oimportanteen- tender que os textos que so lidos pelos alunos na Prova Brasil foram analisados previamente e, quando o aluno acerta ou erra cada item, sabemos em que nvel de leitura se encontra. Cada aluno recebe uma nota que expressa na escala de 0 a 500. H razes tcnicas para uso desses nmeros pouco intuitivos.O que um bom resultado na Prova Brasil AnotaemleituradeumalunonaProvaBrasilclassificadaem8nveis.Estegrandenmero de nveis usado simplesmente porque a escala usada para registrar a nota dos alunos de quarta srie/quinto ano a mesma utilizada para alunos de oitava srie/nono ano. Com isso, espera-se, naturalmente, que alunos da quarta srie/quinto ano tenham notas menores e es- tejam situados em nveis mais baixos. 8. No entanto, preciso estabelecer claramente acima de qual desses nveis um aluno deve es- tarquandodominaacompetncialeitoradeformaadequada.Emboramuitorelevante,esta pergunta ainda no recebeu uma resposta clara e completa. Diferentes organizaes, estados emunicpiostmescolhidodiferentespontosdecorte.Porexemplo,aopotomadapelomo- vimento intitulado Compromisso Todos pela Educao. Esta organizao no-governamental, livredequaisquerpressesecomconsultoriatcnica,definiuqueosalunosdaquartasrie/ quinto ano devam ter nota acima de 200 pontos e os de oitava srie/nono ano acima de 275. Esses parmetros foram adotados pelo Plano de Desenvolvimento da Educao (PDE) do Ministrio da Educao. Na realidade, para considerar a variao natural entre os alunos, estabeleceu que, em cada momento que se olhar a escola, pelo menos 70% de seus alunos devem estar acima desses nveis.Interpretao pedaggica Paraqueessesresultadosajudempedagogicamente,precisoidentificaredescreveritens acertados pelos alunos com nota no ponto que se quer interpretar. S com a construo e a disseminaodessetipodeinterpretaopedaggica,aProvaBrasilpoderinfluenciarmais decisivamente o ensino. Esse exatamente o objetivo desta publicao que, por isso, merece uma leitura atenta de todos os gestores e professores das escolas pblicas do Brasil. H, no entanto, outras iniciativas no mesmo sentido que o leitor interessado pode tambm consul- tar. O stio do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Ansio Teixeira (INEP), na parte referente Prova Brasil (http://provabrasil.inep.gov.br/), fornece muitas informaes teis, assim como o stio das secretarias estaduais que usam a mesma escala da Prova Brasil2 . H tambm um texto desenvolvido pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educao, Cultura e AoComunitria(CENPEC)quedistribudogratuitamentenostiohttp://www.cenpec.org. br/modules/biblioteca_digital/index.php?autor=21 Anotadoalunorefletemuitositens.Oquadroaseguirapresentaumitemtipicamenteacer- tado pelos alunos de quarta srie/quinto ano que recebem notas acima de 250 em leitura. Nas outras sees desta publicao, apresentam-se itens, com comentrios substantivos, que ilustram diferentes pontos da escala tanto de leitura como de matemtica. 2 ForamidentificadasinformaesteisnosstiosdasSecretariasEstaduaisdeEducaodosestadosdoCear, Minas Gerais, So Paulo, Rio Grande do Sul e Esprito Santo. 9. O bichovi ontem um bichoNa imundice do ptioCatando comida entre os detritos.Quando achava alguma coisa,Noexaminavanemcheirava:Engolia com voracidade.O bicho no era um co,No era um gato.No era um rato.O bicho, meu Deus, era um homem. BANDEIRA,Manuel.Poesiasreunidas.RiodeJaneiro:tica,1985. O que motivou o bicho a catar restos foi A) a prpria fome. B) a imundice do ptio. C) o cheiro da comida. D) a amizade pelo co.A escola pode fazer a diferena Os resultados da P...</p>