Prova Bimestral de PORTUGUÊS - cdn. ?· Projeto TELÁRIS Prova Bimestral de PORTUGUÊS – 1º bimestre…

Download Prova Bimestral de PORTUGUÊS - cdn. ?· Projeto TELÁRIS Prova Bimestral de PORTUGUÊS – 1º bimestre…

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Prova Bimestral de

    1 bimestre 6 ano

    Nota/visto:

    PORTUGUS

    Nome da escola: Data:

    Nome do aluno: N: Turma:

    Projeto TELRIS

    Leia o texto e responda.

    Na tira acima observamos um modo de falar diferente do personagem no primeiro e no segundo quadrinho, ou seja, variao de registro da lngua. Nesses quadrinhos percebemos marcas da linguagem escrita ou da linguagem oral? Justifi que sua resposta com exemplos da tirinha.

    Qual variao lingustica o personagem que foi convocado para trabalhar nas eleies est usando? Explique.

    Quais tipos de linguagens so usados na tirinha: verbal, no verbal ou mista? Explique.

    1

    2

    3

  • Prova Bimestral de 1 bimestre 6 ano p. 2PORTUGUSProjeto TELRIS

    Assinale a alternativa incorreta.

    a) Potira e Itajib viviam numa tribo nos sertes de Gois.

    b) Potira era menina contemplada por Tup e tinha a formosura das flores, e Itagib, jovem, forte e valente.

    c) Era costume na tribo as mulheres se casarem cedo e os homens assim que se tornassem guerreiros.

    d) Itagib teve que partir com os outros homens para a guerra, mas logo voltou para os braos da sua amada Potira.

    Leia o texto e responda questo.

    4

    AS LGRIMAS DE POTIRA

    Lenda indgenaMuito antes de os brancos atingirem os sertes de Gois, em busca de pedras preciosas, existiam por aquelas partes do Brasil muitas tribos indgenas, vivendo em paz ou em guerra e segundo suas crenas e hbitos. Numa dessas tribos, que por muito tempo manteve a harmonia com seus vizinhos, viviam Potira, menina contemplada por Tup com a formosura das flores, e Itagib, jovem forte e valente. Era costume na tribo as mulheres se casarem cedo e os homens assim que se tornassem guerreiros. Quando Potira chegou idade do casamento, Itagib adquiriu sua condio de guerreiro. No havia como negar que se amavam e que tinham escolhido um ao outro. Embora outros jovens quisessem o amor da indiazinha, nenhum ainda possua a condio exigida para as bodas, de modo que no houve disputa, e Potira e Itagib se uniram com muita festa.Corria o tempo tranquilamente, sem que nada perturbasse a vida do apaixonado casal. Os curtos perodos de separao, quando Itagib saa com os demais para caar, tornavam os dois ainda mais unidos. Era admirvel a alegria do reencontro! Um dia, no entanto, o territrio da tribo foi invadido por vizinhos cobiosos, devido abundante caa que ali havia, e Itagib teve que partir com os outros homens para a guerra. Potira ficou contemplando as canoas que desciam rio abaixo, levando sua gente em armas, sem saber exatamente o que sentia, alm da tristeza de se separar de seu amado por um tempo no previsto. No chorou como as mulheres mais velhas, talvez porque nunca houvesse visto ou vivido o que sucede numa guerra. Mas todas as tardes ia sentar-se beira do rio, numa espera paciente e calma. Alheia aos afazeres de suas irms e algazarra constante das crianas, ficava atenta, querendo ouvir o som de um remo batendo na gua e ver uma canoa despontar na curva do rio, trazendo de volta seu amado. Somente retornava taba quando o sol se punha e depois de olhar uma ltima vez, tentando distinguir no entardecer o perfil de Itagib. Foram muitas tardes iguais, com a dor da saudade aumentando pouco a pouco. At que o canto da araponga ressoou na floresta, desta vez no para anunciar a chuva mas para prenunciar que Itagib no voltaria, pois tinha morrido na batalha. E pela primeira vez Potira chorou. Sem dizer palavra, como no haveria de fazer nunca mais, ficou beira do rio para o resto de sua vida, soluando tristemente. E as lgrimas que desciam pelo seu rosto sem cessar foram-se tornando slidas e brilhantes no ar, antes de submergir na gua e bater no cascalho do fundo. Dizem que Tup, condodo com tanto sofrimento, transformou suas lgrimas em diamantes, para perpetuar a lembrana daquele amor.

    http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me001614.pdf

  • Prova Bimestral de 1 bimestre 6 ano p. 3PORTUGUSProjeto TELRIS

    5

    6

    7

    Transcreva da tirinha uma frase verbal.

    Transcreva da tirinha duas frases nominais.

    A fala de Snoopy no ltimo quadrinho confi rma o que Charlie Brown diz no quadrinho anterior? Por que?

    Leia a tirinha e responda.

  • Prova Bimestral de 1 bimestre 6 ano p. 4PORTUGUSProjeto TELRIS

    8

    Leia a tinha e responda.

    Identifi que no texto:

    uma frase declarativa

    uma frase interrogativa

    uma frase exclamativa

    Transcreva dos quadrinhos acima uma frase em que a personagem usa menor grau de monitoramento da linguagem, uso informal da lngua prprio de quem fala.

    Observe a fala da personagem do ltimo quadrinho: ela est sendo usada de forma mais monitorada ou no? Explique:

    Leia a tirinha e responda.

    9

    10