prova azul-enem-2009-2dia reda§ao

Download Prova azul-enem-2009-2dia reda§ao

Post on 01-Jul-2015

246 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. EXAME NACIONAL DO ENSINO MDIO 2009 Caderno 2 dia AZUL Prova de Redao e de Linguagens, Cdigos e suas Tecnologias Prova de Matemtica e suas Tecnologias LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUES SEGUINTES Ministrio da Educao 1 Este CADERNO DE QUESTES contm a Proposta de Redao e 90 questes numeradas de 91 a 180, dispostas da seguinte maneira: a. as questes de nmero 91 a 135 so relativas rea de Linguagens, Cdigos e suas Tecnologias b. as questes de nmero 136 a 180 so relativas rea de Matemtica e suas Tecnologias. 2 Marque no CARTO-RESPOSTA, no espao apropriado, a opo correspondente cor desta capa: 5-Amarelo; 6-Cinza; 7-Azul ou 8-Rosa. ATENO: se voc assinalar mais de uma opo de cor ou deixar todos os campos em branco, sua prova no ser corrigida. 3 Verifique no CARTO-RESPOSTA e na FOLHA DE REDAO, que se encontra no verso do CARTO- RESPOSTA, se os seus dados esto registrados corretamente. Caso haja alguma divergncia, comunique-a imediatamente ao aplicador. 4 Aps a conferncia, escreva e assine seu nome nos espaos prprios do CARTO-RESPOSTA e da FOLHA DE REDAO com caneta esferogrfica de tinta azul ou preta. 5 No dobre, no amasse, nem rasure o CARTO- RESPOSTA. Ele no poder ser substitudo. 6 Para cada uma das questes objetivas, so apresentadas 5 opes, identificadas com as letras A, B, C, D e E. Apenas uma responde corretamente questo. Voc deve, portanto, assinalar apenas uma opo em cada questo. A marcao em mais de uma opo anula a questo, mesmo que uma das respostas esteja correta. 7 No CARTO-RESPOSTA, marque, para cada questo, a letra correspondente opo escolhida para a resposta, preenchendo todo o espao compreendido no crculo, com caneta esferogrfica de tinta azul ou preta. 8 O tempo disponvel para estas provas de cinco horas e trinta minutos. O participante com necessidades educacionais especiais que, por esse motivo, precise de maior tempo para a realizao das provas dispor de uma hora a mais para realiz-las, desde que tenha comunicado previamente a sua necessidade ao INEP. 9 Reserve os 30 minutos finais para marcar seu CARTO- RESPOSTA. Os rascunhos e as marcaes assinaladas no CADERNO DE QUESTES no sero considerados na avaliao. 10 Quando terminar as provas, entregue ao aplicador este CADERNO DE QUESTES e o CARTO-RESPOSTA / FOLHA DE REDAO. 11 Voc somente poder deixar o local de prova aps decorridas duas horas do incio da sua aplicao. Caso permanea na sala por, no mnimo, quatro horas aps o incio da prova, voc poder levar este CADERNO DE QUESTES. 12 Voc ser excludo do exame caso: a. utilize, durante a realizao da prova, mquinas e(ou) relgios de calcular, bem como rdios, gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espcie; b. se ausente da sala em que se realiza a prova levando consigo o CADERNO DE QUESTES e(ou) o CARTO- RESPOSTA antes do prazo estabelecido; c. aja com incorreo ou descortesia para com qualquer participante do processo de aplicao das provas; d. se comunique com outro participante, verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma; e. apresente dado(s) falso(s) na sua identificao pessoal. ;

2. LC 2 dia CADERNO 7 AZUL PGINA 2 ENEM 2009 LINGUAGENS, CDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Questes de 91 a 135 Questo 91 Os melhores crticos da cultura brasileira trataram- na sempre no plural, isto , enfatizando a coexistncia no Brasil de diversas culturas. Arthur Ramos distingue as culturas no europeias (indgenas, negras) das europeias (portuguesa, italiana, alem etc.), e Darcy Ribeiro fala de diversos Brasis: crioulo, caboclo, sertanejo, caipira e de Brasis sulinos, a cada um deles correspondendo uma cultura especfica. MORAIS, F. O Brasil na viso do artista: o pas e sua cultura. So Paulo: Sudameris, 2003. Considerando a hiptese de Darcy Ribeiro de que h vrios Brasis, a opo em que a obra mostrada representa a arte brasileira de origem negro-africana : A Rubem Valentim. Disponvel em:http://www.ocaixote.com.br. Acesso: em 9 jul. 2009. B Athos Bulco. Disponvel em: http://www.irbr.mre.gov.br. Acesso: em 9 jul. 2009. C Rubens Gerchman. Disponvel em: http://www.itaucultural.org.br. Acesso em: 6 jul. 2009. D Victor Vassarely. Disponvel em: http://www.masterworksfineart.com. Acesso em: 5 jul. 2009. E Gougon. Disponvel em: http://www.ocaixote.com.br. Acesso em: 5 set. 2009. Questo 92 Gerente Boa tarde. Em que eu posso ajud-lo? Cliente Estou interessado em financiamento para compra de veculo. Gerente Ns dispomos de vrias modalidades de crdito. O senhor nosso cliente? Cliente Sou Jlio Csar Fontoura, tambm sou funcionrio do banco. Gerente Julinho, voc, cara? Aqui a Helena! C t em Braslia? Pensei que voc inda tivesse na agncia de Uberlndia! Passa aqui pra gente conversar com calma. BORTONI-RICARDO, S. M. Educao em lngua materna. So Paulo: Parbola, 2004 (adaptado). Na representao escrita da conversa telefnica entre a gerente do banco e o cliente, observa-se que a maneira de falar da gerente foi alterada de repente devido A adequao de sua fala conversa com um amigo, caracterizada pela informalidade. B iniciativa do cliente em se apresentar como funcionrio do banco. C ao fato de ambos terem nascido em Uberlndia (Minas Gerais). D intimidade forada pelo cliente ao fornecer seu nome completo. E ao seu interesse profissional em financiar o veculo de Jlio. Questo 93 Analise as seguintes avaliaes de possveis resultados de um teste na Internet. Veja. 8 jul. 2009. p.102 (adaptado). Depreende-se, a partir desse conjunto de informaes, que o teste que deu origem a esses resultados, alm de estabelecer um perfil para o usurio de sites de relacionamento, apresenta preocupao com hbitos e prope mudanas de comportamento direcionadas A ao adolescente que acessa sites de entretenimento. B ao profissional interessado em aperfeioamento tecnolgico. C pessoa que usa os sites de relacionamento para complementar seu crculo de amizades. D ao usurio que reserva mais tempo aos sites de relacionamento do que ao convvio pessoal com os amigos. E ao leitor que se interessa em aprender sobre o funcionamento de diversos tipos de sites de relacionamento. 3. LC 2 dia CADERNO 7 AZUL PGINA 3 ENEM 2009 Questo 94 A msica pode ser definida como a combinao de sons ao longo do tempo. Cada produto final oriundo da infinidade de combinaes possveis ser diferente, dependendo da escolha das notas, de suas duraes, dos instrumentos utilizados, do estilo de msica, da nacionalidade do compositor e do perodo em que as obras foram compostas. figura 1 figura 2 figura 3 figura 4 Figura 1 - http://images.quebarato.com.br/photos/big/2/D/15A12D_2.jpg. Figura 2 - http://ourinhos.prefeituramunicipal.net/dados/fotos/2009/07/07/normal. Figura 3 - http://www.edmontonculturalcapital.com/gallery/edjazzfestival/JazzQuartet.jpg. Figura 4 - http://www.filmica.com/jacintaescudos/archivos/Led-Zeppelin.jpg. Das figuras que apresentam grupos musicais em ao, pode-se concluir que o(os) grupo(s) mostrado(s) na(s) figura(s) A 1 executa um gnero caracterstico da msica brasileira, conhecido como chorinho. B 2 executa um gnero caracterstico da msica clssica, cujo compositor mais conhecido Tom Jobim. C 3 executa um gnero caracterstico da msica europeia, que tem como representantes Beethoven e Mozart. D 4 executa um tipo de msica caracterizada pelos instrumentos acsticos, cuja intensidade e nvel de rudo permanecem na faixa dos 30 aos 40 decibis. E 1 a 4 apresentam um produto final bastante semelhante, uma vez que as possibilidades de combinaes sonoras ao longo do tempo so limitadas. Questo 95 No programa do bal Parade, apresentado em 18 de maio de 1917, foi empregada publicamente, pela primeira vez, a palavra sur-realisme. Pablo Picasso desenhou o cenrio e a indumentria, cujo efeito foi to surpreendente que se sobreps coreografia. A msica de Erik Satie era uma mistura de jazz, msica popular e sons reais tais como tiros de pistola, combinados com as imagens do bal de Charlie Chaplin, caubis e viles, mgica chinesa e Ragtime. Os tempos no eram propcios para receber a nova mensagem cnica demasiado provocativa devido ao repicar da mquina de escrever, aos zumbidos de sirene e dnamo e aos rumores de aeroplano previstos por Cocteau para a partitura de Satie. J a ao coreogrfica confirmava a tendncia marcadamente teatral da gestualidade cnica, dada pela justaposio, colagem de aes isoladas seguindo um estmulo musical. SILVA, S. M. O surrealismo e a dana. GUINSBURG, J.; LEIRNER (Org.). O surrealismo. So Paulo: Perspectiva, 2008 (adaptado). As manifestaes corporais na histria das artes da cena muitas vezes demonstram as condies cotidianas de um determinado grupo social, como se pode observar na descrio acima do bal Parade, o qual reflete A a falta de diversidade cultural na sua proposta esttica. B a alienao dos artistas em relao s tenses da Segunda Guerra Mundial. C uma disputa cnica entre as linguagens das artes visuais, do figurino e da msica. D as inovaes tecnolgicas nas partes cnicas, musicais, coreogrficas e de figurino. E uma narrativa com encadeamentos claramente lgicos e lineares. 4. LC 2 dia CADERNO 7 AZUL PGINA 4 ENEM 2009 Texto para as questes 96 e 97 BRASIL. Ministrio da Sade, 2009 (adaptado). Questo 96 Os principais recursos utilizados para envolvimento e adeso do leitor campanha institucional incluem A o emprego de enumerao de itens e apresentao de ttulos expressivos. B o uso de oraes subordinadas condicionais e temporais. C o emprego de pronomes como voc e sua e o uso do imperativo. D a construo de figuras metafricas e o uso de repetio. E o fornecimento de nmero de telefone gratuito para contato. Questo 97 O texto tem o objetivo de solucionar um problema social, A descrevendo a situao do pas em relao gripe suna. B alertando a populao para o risco de morte pela Influenza A. C informando a populao sobre a iminncia de uma pandemia de Influenza A. D orientando a populao sobre os sintomas da gripe suna e procedimentos para evitar a contaminao. E convocando toda a populao para se submeter a exames de deteco da gripe suna. Questo 98 1 4 7 10 13