proteção patrimonial e planejamento sucessó ?· holding constituição holding pessoa física...

Download Proteção Patrimonial e Planejamento Sucessó ?· Holding Constituição Holding Pessoa Física Pessoa…

Post on 18-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Proteo Patrimonial e Planejamento Sucessrio

  • Introduo

    Pessoa Fsica scio ou administrador de uma empresa operacional.

    Segregar o patrimnio pessoal, como proteo contra eventual problema da sociedade quepossa alcanar bens de seus scios ou administradores.

    Planejamento sucessrio, conjunto de instrumentos e parmetros que permitem acontinuidade do negcio, aliado a governana do patrimnio familiar adquirido.

    Estruturas jurdicas podem proporcionar, alm da proteo patrimonial, um planejamentosucessrio e tributrio.

    Principais estruturas utilizadas

    Impactos Tributrios

  • Viso Tridimensional da empresa familiar

    Famlia

    1

    Gesto

    3

    Propriedade

    2

    4 6

    5

    7

    1. Familiares no proprietrios nem gestores

    2. Scios Proprietrios no gestores e no familiares

    3. Gestores no proprietrios e no familiares

    4. Familiares proprietrios no gestores

    5. Proprietrios gestores no familiares

    6. Gestores familiares no proprietrios

    7. Familiares gestores e proprietriosPlanejamento Sucessrio: aspectos familiares, societrios e tributrios - Jos Henrique Longo, Luiz Kignel e Mrcia Setti Phebo, Ed Noeses, 2014 pg 06/07

  • Famlia Propriedade Gesto

    Governana

    Empresa Familiar

    Estrutura da Empresa Familiar

  • Governana

  • Governana Jurdica

    A operao no pode configurar fraude

    a credores ou fraude execuo, sob

    pena da desconsiderao da

    personalidade jurdica.

    Projeto nico desenvolvido e

    instrumentalizado em uma forma

    jurdica adequada, envolvendo

    03 principais reas do direito

    Famlia

    TributrioSocietrio

  • Quando a sociedade utilizada como instrumento paraa fraude, abuso de direito, ou como obstculo pararessarcimento de prejuzos causados a consumidores,meio ambiente ou ao Estado, desconsidera-sea personalidade jurdicapara atingir opatrimnio pessoalde seus scios

    Desconsiderao da Personalidade Jurdica

    De outro lado tambm no pode ser utilizada como pena de expropriao universal dos bens dos scios ou administradores

    da empresa devedora, tampouco como a soluo indiscriminada para satisfao de todos os credores, na hiptese de insolvncia do devedor. Quarta Turma do STJ relator, min. Luis Felipe Salomo

  • Possveis Estruturas

    Principais estruturas utilizadas:

    i. Holdings;

    ii. Fundos Investimento Participaes (FIP);

    iii. Trust;

    iv. Offshore;

  • Holding Constituio

    Holding

    Pessoa Fsica

    Pessoa Fsica

    As pessoas fsicas integralizam os seus bens na Holding que ser constituda.

    A partir de ento, todo o patrimnio passa a ser da Holding.

    Pessoas fsicas scias da Holding na proporo dos bens que integralizarem/capitalsocial

    Administrao = Contrato ou Estatuto Social, assim como Acordo de Quotistas ouAcionistas

    Pessoa Fsica

  • Espcies de Fundos

    Fundo Imobilirio

    Fundo Participaes

    FIC / FIM / FIA

  • IR integralizao de imveisO artigo 132 do RIR/99 assim dispe:

    Art. 132. As pessoas fsicas podero transferir a pessoas jurdicas, a ttulo de integralizao de capital, bens e direitos, pelo valor constante da respectiva declarao de bens ou pelo valor de mercado.

    1 Se a transferncia for feita pelo valor constante da declarao de bens, as pessoas fsicas devero lanar nesta declarao as aes ou quotas subscritas pelo mesmo valor dos bens ou direitos transferidos, no se aplicando o disposto no art. 464.

    2 Se a transferncia no se fizer pelo valor constante da declarao de bens, a diferena a maior ser tributvel como ganho de capital.

  • IR sobre o ganho de capital

    Considera-se ganho de capital o resultado positivo apurado entre o custo de

    aquisio e o valor de alienao de bens e direitos.

    fato gerador do Imposto sobre a Renda, quer para a pessoa fsica, quer

    para a pessoa jurdica, contudo com regras distintas

  • IR sobre o ganho de capital

    Pessoas fsicas = 15% sobre o ganho de capital

    Pessoas jurdicas no lucro real = ganho de capital computado na apurao do lucro real

    Pessoas jurdicas no lucro presumido = ganho de capital somado a base presumida

    Pessoas jurdicas no simples nacional = 15% sobre o ganho de capital

  • ITBI integralizao de imveis

    Artigo 156, II, 2, I da CF temos que o ITBI no incide na transmisso de bens para incorporao ao patrimnio de pessoa jurdica, salvo se a atividade dessa sociedade for a compra e venda desses bens, locao de bens imveis ou arrendamento mercantil.

  • ITCMD - LEI ESTADUAL PAULISTA N 10.705/2000IMVEIS

    Artigo 13 - base de clculo no ser inferior

    imvel urbano ou direito a ele relativo - IPTU

    imvel rural ser o valor total do imvel declarado no ITR.

    TTULOS DOCUMENTOS PARTICIPAES SOCIETRIAS

    Artigo 14 3

    Transmisso de quotas - base de clculo ser valor corrente de mercado, se no for objeto de negociao = valor patrimonial.

  • Rendimentos Aluguis - tributao

  • Muito obrigada!

    Juliane Sciarreta Fantinatti

    juliane.fantinatti@brasilsalomao.com.brCelular (16) 99142 6042

    Filial Goinia (62) 3954-8989

    mailto:juliane.fantinatti@brasilsalomao.com.br