proteção e combate a incêndio

Click here to load reader

Post on 30-Oct-2015

27 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA

    CENTRO DE CINCIAS E TECNOLOGIA

    DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

    INSTALAES PREDIAIS

    PROJETO DE PROTEO E COMBATE A

    INCNDIO

    ADRIEL CARLOS BATISTA DOS SANTOS

    TALO HARRY CUNHA CHITLAL

    RICARDO DE MELO ROCHA

    Boa Vista RR

    2010

  • ADRIEL CARLOS BATISTA DOS SANTOS

    TALO HARRY CUNHA CHITLAL

    RICARDO DE MELO ROCHA

    PROJETO DE PROTEO E COMBATE A

    INCNDIO

    Projeto de proteo e combate a

    incndio apresentado Professora Dra

    Oflia de Lira Carneiro Silva, da

    disciplina de Instalaes Prediais.

    Boa Vista RR

    2010

  • i

    NDICE

    LISTA DE FIGURAS ................................................................................................................ ii

    1. INTRODUO .................................................................................................................. 1

    2. JUSTIFICATIVA ................................................................................................................ 2

    3. REFERENCIAL TERICO ............................................................................................... 3

    4. MEMORIAL DESCRITIVO E DE CLCULO ............................................................... 12

    5. CADERNO DE ESPECIFICAES TCNICAS ........................................................... 22

    6. CONCLUSO .................................................................................................................. 25

    7. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .............................................................................. 26

    ANEXOS .................................................................................................................................. 29

  • ii

    LISTA DE FIGURAS

    Figura 1 - Organograma da brigada de incndio ................................................................ 14

    Figura 2 - Sinalizao da sada de emergncia ................................................................... 15

    Figura 3 - Sinalizao da escada de emergncia ................................................................. 15

    Figura 4 - Sinalizao do comando manual do alarme de incndio ................................... 15

    Figura 5 - Sinalizao dos extintores de incndio .............................................................. 16

    Figura 6 - Sinalizao do abrigo de mangueira de incndio ............................................... 16

    Figura 7 - Sinalizao do hidrante de incndio................................................................... 16

    Figura 8 - Sinalizao da vlvula de controle do sistema de chuveiros automticos ......... 16

  • 1

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA UFRR

    DISCIPLINA: INSTALAES PREDIAIS

    PROJETO: PROTEO E COMBATE A INCNDIO

    CALCULISTAS: ADRIEL CARLOS, TALO HARRY, RICARDO ROCHA

    A

    A

    A

    A

    A

    1. INTRODUO

    Inicialmente, antes de projetarmos um sistema de proteo e combate a incndios, faz-

    se necessrio entendermos o que um incndio.

    Um Incndio uma ocorrncia de fogo no controlado, que pode ser extremamente

    perigosa para os seres vivos e as estruturas. A exposio a um incndio pode produzir a

    morte, geralmente pela inalao dos gases, ou pelo desmaio causado por eles, ou

    posteriormente pelas queimaduras graves (Wikipdia).

    J a proteo contra incndios deve ser entendida como o conjunto de medidas para a

    deteco e controle do crescimento do incndio e sua conseqente conteno ou extino.

    Os objetivos da preveno so:

    a. A garantia da segurana vida das pessoas que se encontrarem no interior de um

    edifcio, quando da ocorrncia de um incndio;

    b. A preveno da conflagrao e propagao do incndio, envolvendo todo o edifcio;

    c. A proteo do contedo e a estrutura do edifcio; e

    d. Minimizar os danos materiais de um incndio.

  • 2

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA UFRR

    DISCIPLINA: INSTALAES PREDIAIS

    PROJETO: PROTEO E COMBATE A INCNDIO

    CALCULISTAS: ADRIEL CARLOS, TALO HARRY, RICARDO ROCHA

    A

    A

    A

    A

    A

    2. JUSTIFICATIVA

    O projeto de proteo e combate a incndio em uma edificao de suma importncia,

    haja vista que atravs deste, que em um possvel incndio ser evitado e, alm, em

    ocorrendo o incndio, o mesmo poder ser combatido de forma ideal, obviamente, se o

    dimensionamento foi realizado seguindo todas as normas do Corpo de Bombeiros Militar

    do estado de Roraima.

  • 3

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA UFRR

    DISCIPLINA: INSTALAES PREDIAIS

    PROJETO: PROTEO E COMBATE A INCNDIO

    CALCULISTAS: ADRIEL CARLOS, TALO HARRY, RICARDO ROCHA

    A

    A

    A

    A

    A

    3. REFERENCIAL TERICO

    3.1. Terminologia

    1. Abafamento: Mtodo de extino de incndio destinado a impedir o contato do ar

    atmosfrico com o combustvel e a liberao de gases ou vapores inflamveis.

    2. Abandono de edificao: Retirada organizada e segura da populao usuria de uma

    edificao conduzida via pblica ou espao aberto, ficando em local seguro.

    3. Abertura desprotegida: Porta, janela ou qualquer outra abertura no dotada de

    vedao com o exigido ndice de proteo ao fogo, ou qualquer parte da parede

    externa da edificao com ndice de resistncia ao fogo menor que o exigido para a

    face exposta da edificao.

    4. Abrigo: Compartimento, embutido ou aparente, dotado de porta, destinado a

    armazenar mangueiras, esguichos, carretis e outros equipamentos de combate a

    incndio, capaz de proteger contra intempries e danos diversos.

    5. Acesso: Caminho a ser percorrido pelos usurios do pavimento ou do setor,

    constituindo a rota de sada horizontal, para alcanar a escada ou rampa, rea de

    refgio ou descarga para sada do recinto do evento. Os acessos podem ser

    constitudos por corredores, passagens, vestbulos, balces, varandas e terraos.

    6. Acesso de bombeiros: rea da edificao que proporcione facilidade de acesso, em

    caso de emergncia para o bombeiro.

    7. Acesso para viaturas e emergncia: Vias trafegveis com prioridade para a

    aproximao e operao dos veculos e equipamentos de emergncia juntos s

    edificaes e instalaes industriais.

  • 4

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA UFRR

    DISCIPLINA: INSTALAES PREDIAIS

    PROJETO: PROTEO E COMBATE A INCNDIO

    CALCULISTAS: ADRIEL CARLOS, TALO HARRY, RICARDO ROCHA

    A

    A

    A

    A

    A

    8. Agente extintor: Produto utilizado para extinguir o fogo.

    9. Alvio de emergncia: Aquele capaz de aliviar a presso interna quando submetido

    ao calor irradiado que resulta de incndio ao seu redor.

    10. Alarme de incndio: Aviso de um incndio, sonoro e/ou luminoso, originado por

    uma pessoa ou por um mecanismo automtico, destinado a alertar as pessoas sobre a

    existncia de um incndio em determinada rea da edificao.

    11. Altura ascendente: Medida em metros entre o ponto que caracteriza a sada ao nvel

    da descarga, sob a projeo do parmetro externo da parede da edificao, ao ponto

    mais baixo do nvel do piso do pavimento mais baixo da edificao (subsolo).

    12. Altura da edificao: Medida em metros entre o ponto que caracteriza a sada ao

    nvel de descarga, sob a projeo do paramento externo da parede da edificao, ao

    piso do ltimo pavimento, excluindo-se ticos, casas de mquinas, barrilete,

    reservatrios de gua e assemelhados. Nos casos onde os subsolos tenham ocupao

    distinta de estacionamento de veculos, vestirios e instalaes sanitrias ou

    respectivas dependncias sem aproveitamento para quaisquer atividades ou

    permanncia humana, a mensurao da altura ser a partir do piso mais baixo do

    subsolo ocupado (ver art. 20 da Lei Complementar n 82 de 17 de dezembro de

    2004).

    13. Anlise preliminar de risco: Estudo prvio sobre a existncia de riscos, elaborado

    durante a concepo e o desenvolvimento de um projeto ou sistema.

    14. rea protegida: rea dotada de equipamento de proteo e combate a incndio.

  • 5

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA UFRR

    DISCIPLINA: INSTALAES PREDIAIS

    PROJETO: PROTEO E COMBATE A INCNDIO

    CALCULISTAS: ADRIEL CARLOS, TALO HARRY, RICARDO ROCHA

    A

    A

    A

    A

    A

    15. Barreiras de proteo: Dispositivos que evitam a passagem de gases, chamas ou calor

    de um local ou instalao para outro contguo.

    16. Botoeira de alarme: Dispositivo destinado a dar um alarme em um sistema de

    segurana contra incndio, pela interferncia do elemento humano.

    17. Brigada de incndio: Grupo organizado de pessoas, voluntrias ou no, treinadas e

    capacitadas para atuar na preveno, abandono da edificao, combate a um

    princpio de incndio e prestar os primeiros socorros, dentro de uma rea

    preestabelecida.

    18. Carga de incndio: Soma das energias calorficas possveis de serem liberadas pela

    combusto completa de todos os materiais combustveis contidos em um espao,

    inclusive o revestimento das paredes, divisrias, pisos e tetos.

    19. Carga de incndio especfica: Valor da carga de incndio dividido pela rea de piso

    do espao considerado, expresso em Megajoule (MJ) por metro quadrado (m2).

    20. Chama: Zona de combusto na fase gasosa, com emisso de luz.

    21. Chuveiro automtico: Dispositivo hidrulico para extino ou controle de incndios

    que funciona automaticamente quando seu elemento termo-sensvel aquecido sua

    temperatura de operao ou