Programa VI Congresso Nacional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras

Download Programa VI Congresso Nacional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras

Post on 24-Jul-2016

216 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Esto abertas as inscries para o VI Congresso Nacional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras que se realiza em Almada, de 11 a 13 de novembro. Consulte o programa completo.

TRANSCRIPT

<ul><li><p> 1</p><p>C</p><p>M</p><p>Y</p><p>CM</p><p>MY</p><p>CY</p><p>CMY</p><p>K</p><p>capa_programa.pdf 1 29/10/15 11:42</p><p>PROGRAMA | NOTAS BIOGRFICAS | RESUMOS DAS COMUNICAES</p></li><li><p>NDICE</p><p>COMISSO DE HONRA / COMISSO CIENTFICA</p><p>BOAS-VINDAS</p><p>PROGRAMA DIA 11 DE NOVEMBRO</p><p>PROGRAMA DIA 12 DE NOVEMBRO</p><p>PROGRAMA DIA 13 DE NOVEMBRO</p><p>POSTERS</p><p>AGRADECIMENTOS</p><p>PG. 3</p><p>PG. 4</p><p>PG. 5 </p><p>PG. 8</p><p>PG. 34</p><p>PG. 62</p><p>PG. 77</p><p> 2</p></li><li><p>Comisso de HonraAssociao Internacional das Cidades EducadorasJoaquim Judas, Presidente da Cmara Municipal de AlmadaJos Manuel Maia, Presidente da Assembleia Municipal de AlmadaRicardo Lou, Presidente da Unio das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e CacilhasTeresa Coelho, Presidente da Unio das Freguesias da Caparica e TrafariaMargarida Carvalho, Presidente da Unio das Freguesias da Charneca de Caparica e SobredaJos Ricardo Martins, Presidente da Junta de Freguesia da Costa da CaparicaLus Palma, Presidente da Unio das Freguesias do Laranjeiro e FeijAssociao Nacional de Municpios PortuguesesAssociao de Municpios da Regio de Setbalrea Metropolitana de LisboaAntnio Mateus, Diretor em representao dos Agrupamentos de Escolas Bsicas e SecundriasFernando Santana, Diretor da Faculdade de Cincias e Tecnologia da Universidade Nova de LisboaNuno Portas, Europan PortugalLurdes Albano, Presidente da Associao de Professores do Concelho de AlmadaGina Oliveira, Presidente da Unio Concelhia das Associaes de Pais de AlmadaMaria Franco, Diretora Artstica e Coordenadora da Companhia de Dana de AlmadaRodrigo Francisco, Diretor do Teatro Municipal Joaquim Benite e da Companhia de Teatro de Almada</p><p>Comisso CientficaAdelaide Silva, Diretora do Centro de Associao de Escolas do Concelho de AlmadaLurdes Rabaa, Tcnica e dirigente da Cmara Municipal de Lisboa, atualmente aposentada.Fundadora do Gabinete das Cidades Educadoras de LisboaPaula Lebre, Professora da Faculdade de Motricidade HumanaJos Soares Neves, Professor do Instituto Superior das Cincias do Trabalhoe da Empresa - Instituto Universitrio de Lisboa ISCTE Joo Cabral, Coordenador da Comisso Executiva do Colgio da Especialidadede Urbanismo da Ordem dos ArquitetosJoana Dias Pereira, Diretora Municipal de Desenvolvimento Social Integrado da Cmara Municipal de AlmadaAntnio Verssimo Paulo, Diretor Municipal de Obras, Planeamento, Administraodo Territrio e Desenvolvimento Econmico da Cmara Municipal de Almada</p><p>COMISSO DE HONRA E COMISSO CIENTFICA</p><p> 3</p></li><li><p>BEM-VINDOS/AS</p><p>O Municpio de Almada organiza, entre 11 e 13 de novembro de 2015, o VI Congresso Nacional da Rede Territorial das Cidades Educadoras.</p><p>A temtica deste Congresso est de acordo com as convices, valores e trabalho quotidiano do Municpio: construir cidades mais participadas e adaptadas, no respeito e na valorizao da diversidade e na incluso social, como princpios que conduzem construo de uma cidade onde haja lugar para todos e onde cada um tenha lugar, afinal desgnio central plasmado na Carta das Cidades Educadoras.</p><p>A construo e o desenvolvimento da estrutura urbana e humana das cidades e a sua transformao integradora e inclusiva de saberes e vivncias diferenciadas sero aprofundadas atravs dos subtemas deste Congresso: Currculo Educativo da Cidade, Adaptao Crtica da Cidade e Participao Ativa da Cidade.</p><p>O desafio lanado a diversas personalidades reconhecidas nacional e internacionalmente pelos seus empenhos e desempenhos na construo da Cidade Educadora acrescentar valor ao conhecimento, debate e reflexo.</p><p>As visitas temticas refletem o projeto de desenvolvimento traado por Almada para o seu territrio, exercido pelo poder local democrtico, no mandato que lhe atribudo pelos almadenses.</p><p>Joaquim Estvo Miguel JudasO PRESIDENTE DA CMARA MUNICIPAL DE ALMADA</p><p> 4</p></li><li><p>_ 13h00 - 14h00Receo e CredenciaoEntrega de Documentao</p><p>_14h00Companhia de Dana de Almada</p><p>_Sesso de Abertura Domingos Torgal, Presidente da Academiade Instruo e Recreio Familiar Almadense Lurdes Rabaa, Comisso CientficaMarina Canals Ramoneda, AssociaoInternacional das Cidades EducadorasAntnio Matos, Vereador da Educao, Cultura,Desporto e Juventude da Cmara Municipal de Almada Joaquim Judas, Presidenteda Cmara Municipal de Almada</p><p>_15h00-16h00Conferncia PlenriaProf. Joan Manuel Del PozoApresentao: Antnio Matos, Vereadorda Educao, Cultura, Desporto e Juventudeda Cmara Municipal de Almada</p><p>Joan Manuel del Pozo doutorado em Filosofia pela Universidade de Barcelona e professor de Filosofia na Universidade de Girona, onde ensina Filosofia Antiga e tica Aplicada a diversas formas de ao social. tradutor de diversos tratados filosficos de Ccero e fez tambm a traduo direta do latim original da obra clssica do pensamento filosfico-poltico Utopia de Thomas More. autor de um ensaio educativo recente: Educacionari, um convite a pensar e sentir a educao atravs de sessenta conceitos, e de muitas outras publicaes. assessor e colaborador habitual da </p><p>Associao Internacional das Cidades Educadoras, mantendo uma intensa atividade como conferencista em diversos pases abordando temas como a educao, filosofia, tica e poltica.Como poltico, foi deputado ao Congresso Espanhol e ao Parlamento Catalo, vice-presidente da Cmara Municipal de Girona e ministro da Educao e das Universidades do Governo Autnomo da Catalunha.Atualmente Provedor da Universidade de Girona e diretor do Observatrio de tica Aplicada de Ao Social, Psicoeducao e Assistncia Socio-sanitria.</p><p>CIDADE EDUCADORA, ADAPTADA/ADAPTVEL, INCLUSIVA, PARTICIPADA: DEMOCRTICAA introduo prope como marco de reflexo a cidade educadora enquanto comprometida com a democracia plena; ou seja, como a que parte da necessidade da democracia participativa para alcanar no seu ponto de chegada uma democracia rica em diversidade e equidade. E no seu foco, a incluso e a adaptabilidade.O corpo da exposio centra-se em trs ideias principais: participao, incluso e adaptabilidade. A participao apresenta-se como a forma geral e plena de vida democrtica na cidade, no como uma participao elitista ou profissionalizada ou meramente administrativa e ritual, mas como uma interveno responsvel na vida da cidade com a presena de todos os cidados de forma aberta e com contedo significativo para as suas vidas. Se essa a participao desejvel, necessariamente tem de cumprir com a condio de incluso, ou seja, com uma cidadania coesa, equilibrada, plural e diversa, onde nenhum cidado se sinta margem ou abaixo do seu todo, ou seja, excludo. Para evitar esse sentimento de marginalizao ou excluso, necessrio planificar e construir espaos e estruturas fsicas, por um lado, e condies culturais e sociais, por outro, que permitam </p><p>PROGRAMADIA 11 DE NOVEMBRO Quarta-Feira - Tarde - Academia Almadense</p><p> 5</p></li><li><p>a adaptao de todas as pessoas a uma normalidade de convivncia plena desde as suas mais diversas condies, diferenas e limitaes de qualquer tipo. A adaptabilidade de toda a cidade a todas as formas de vida , desta forma, uma condio para a incluso e esta, por sua vez, uma condio para a participao.Assim, termina o crculo que nos permite propor como concluso a democracia como ponto de chegada no qual a cidadania disfruta da sua prpria diversidade e plena equidade, graas participao, incluso e adaptabilidade da vida cvica.</p><p>_16h00-16h30Pausa para caf</p><p>_16h30-17h30 Experincias Convidadas</p><p>Apresentao e moderao: Giovanni Allegretti Licenciado em Arquitetura (1996) e doutorado em Planeamento Urbano, Territorial e Ambiental (2000) pela Universidade de Florena, Itlia, investigador snior do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra. No CES, diretor Executivo do Doutoramento em Democracia do sculo XXI, cocoordenador do Observatrio PEOPLEs sobre Participao, Inovao e Poderes Locais e membro do Diretivo do Grupo de Trabalho sobre Democracia, Cidadania e Direito no CES. As suas reas principais de pesquisa incluem a participao dos cidados na gesto das transformaes territoriais e nos Oramentos Participativos municipais (Europa, Amrica Latina e frica), temas sobre os quais tem inmeras publicaes. membro do Standing Group on Democratic Innovations no European Consortium of Political Reserach (ECPR). Teve a coordenao cientfica de vrios projetos Europeus sobre participao cidad, como PARLOCAL, INCLUIR e PARTECIPANDO, sendo atualmente o coordenador </p><p>internacional do projeto EMPATIA sobre plataformas eletrnicas para a participao multicanal. Foi eleito pelo Parlamento da Toscnia como copresidente da Autoridade Independente para a Promoo da Participao da Regio Toscana (Itlia), para o mandato 2014-2019.</p><p>Lous LDTA Lous Destino de TurismoAcessvel / Territrio InclusivoLuis Antunes, Presidente da Cmara Municipal da Lous</p><p>A Cmara Municipal da Lous, com o envolvimento de um grupo relevante de agentes locais da rea do turismo e da reabilitao, promoveu um projeto pioneiro de turismo acessvel a nvel nacional, designado por LDTA Lous Destino de Turismo Acessvel, com propostas distintas ao nvel do alojamento ou outros servios tursticos. Para alm do cidado com deficincia, neste conceito esto tambm abrangidos doentes crnicos ou temporrios, os acidentados, as crianas, as grvidas e os idosos, o que pressupe uma oferta transversal de infraestruturas, equipamentos e servios que permite, a todos, o gozo de viagens, estadias e lazer sem barreiras.A capacidade promotora da CML, a reunio de competncias tcnicas raras em Portugal e o interesse e visibilidade que o projeto sempre suscitou a nvel local, nacional e at internacional, levaram ao grande reconhecimento pblico do mrito da iniciativa, demonstrados pela aprovao de vrias candidaturas a instrumentos de apoio financeiro, pela obteno de distines nacionais e internacionais, pela ampla exposio meditica e por variadas referncias elogiosas ao trabalho pioneiro desenvolvido na Lous, tanto no pas como no estrangeiro.Especialmente na rea da educao, tem sido feito um trabalho em parceria com o Agrupamento de Escolas e IPSS, no sentido de melhorar e facilitar a incluso de alunos com incapacidade. Para alm das diversas intervenes fsicas, a Autarquia apoia o funcionamento das Unidades de Apoio Multideficincia, o transporte de alunos com incapacidade, o acompanhamento tcnico, entre outros.</p><p> 6</p></li><li><p>Pontevedra A Cidade Integradora</p><p>Maria do Carme Fouces Daz, Conselheira parao Bem-estar e Educao do Municpio de PontevedraLicenciada em Farmcia pela Universidade de Santiago de Compostela. Professora Titular de Formao Profissional, ramo Sanitrio. Professora Titular de Educao Secundria (Biologia e Geologia). Tcnica Superior em Preveno de Riscos Laborais nas trs especialidades: Segurana, Higiene e Ergonomia. Responsvel sindical de Formao Profissional na Executiva da CIG Ensino, at 2007. Conselheira do Bem-Estar Social e Igualdade (mandato 2011-2015); Conselheira do Bem-Estar Social Municipal, Igualdade, Educao e Universidade (mandato 2015-2019).</p><p>A transformao da cidade de Pontevedra ocorreu em 1999 quando se comearam a eliminar barreiras nos espaos pblicos exteriores em vias municipais, a pedonalizar algumas artrias ou criando itinerrios pedonais. Tambm se desenvolveram programas especficos de eliminao de barreiras, com texturas de pavimento diferentes, e aes de acalmia de trnsito, redefinindo o papel do automvel na cidade. Tambm se atuou e atua em edifcios pblicos, em transportes (com servio de txi acessvel) e em espaos privados novos. A reforma integral do espao pblico da cidade foi crescendo como uma mancha de leo, como um processo de renovao de todas as infraestruturas que est a permitir ter ruas acessveis para todos e todas.Outra vertente do projeto da acessibilidade universal dirigida especificamente s crianas e corresponde iniciativa municipal - O Caminho Escolar - que incentiva as crianas a irem sozinhas para a escola. Comeou a funcionar experimentalmente no Colgio Alvarez Limeses, e agora existe em todo o ncleo central da cidade. Trata-se de trabalhar junto da populao infantil para que esta perceba que Pontevedra um espao amvel, parte de seu mundo perceptivo. Com o trfego a motor pacificado, a cidade um cenrio ideal para que os mais pequenos possam deslocar-se a p com timas condies de segurana. Para aumentar a confiana de pais e mes, a Cmara Municipal assegurou uma rede de colaboradores que se localiza nos principais cruzamentos de ruas para ajudar as crianas a atravessar esses espaos em que possa existir um pouco mais de intensidade de trfego.</p><p>_17h30-18h30Apresentao da atividade desenvolvidapelos Grupos de Trabalho Projeto Educativo Locale Cidades InclusivasApresentao e moderao: Hlder Antnio Guerreiro, Vice-Presidente da Cmara Municipal de Odemira</p><p>A Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras encontra-se organizada em grupos de trabalho (GT) temticos que tm por objetivo partilhar experincias e definir em conjunto as melhores abordagens (terico-prticas) para os temas aglutinadores e que mobilizam vrios municpios portugueses.</p><p>Apresentao: Nuno Camelo, voraGT Projeto Educativo Local: Contributos para a Construo de um Projeto Educativo Local de uma Cidade Educadora. Apresentao de um referencial terico-prtico para a construo de um Projeto Educativo Local assente na Carta de Princpios das Cidades Educadoras.</p><p>Apresentao: Marianela Rebelo, AlmadaGT Cidades Inclusivas: Uma cidade inclusiva a que promove o crescimento com equidade. um lugar onde todos esto habilitados e capacitados para participar plenamente nas oportunidades sociais, econmicas, polticas, digitais e identidade de gnero, que as cidades tm para oferecer. O planeamento participativo da tomada de decises o centro da cidade inclusiva. Tendo por referencial este enquadramento ser apresentado o levantamento e anlise das boas prticas desenvolvidas pelos municpios portugueses e que culminar com a edio de um documento orientador.</p><p>_ 18h30-19h30 Reunio da Rede Territorial Portuguesadas Cidades Educadoras_20h30Jantar de Boas Vindas, Convento dos Capuchos, Caparica Atuao do Quarteto Almada</p><p> 7</p></li><li><p>_ 09h30 10h30ConfernciaSubtema 1: Currculo Educativo da Cidade</p><p>Todos os habitantes de uma cidade tero o direito de desfrutar, em condies de liberdade e igualdade, os meios e oportunidades de formao, entretenimento e desenvolvimento pessoal que ela lhes oferece. Carta das Cidades Educadoras</p><p>Uma cidade educadora aquela que promove os valores da cidadania e da liberdade, que proporciona aprendizagens atravs de um dilogo permanente com a sua histria e com o seu presente. , tambm, uma cidade que potencia e gera conhecimento, que constri o futuro assente nos valores da solidariedade, da coeso e incluso social. uma cidade que educa e se apresenta como aprendente.</p><p>Promover a ligao da escola aos agentes locais na concretizao de projetos comuns, potencia os mltiplos recursos da cidade, contribuindo de forma decisiva para a formao de uma cidadania responsvel no respeito pela diferena. Assim, atravs da mobilizao articulada dos meios disponveis, pode ser aberto um caminho que contribua para atenuar as barreiras criadas pela excluso e pelas desigualdades socias e para o crescimento social e humano dos seus habitantes.</p><p>A diversificao da oferta educativa, cultural, artstica e ldica da cidade deve dar resposta s suas diferentes vivnc...</p></li></ul>