programa minha casa minha vida em fortaleza: primeiros ... ?· programa minha casa minha vida em...

Download Programa Minha Casa Minha Vida em Fortaleza: Primeiros ... ?· Programa Minha Casa Minha Vida em Fortaleza:…

Post on 24-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

115

Programa Minha Casa Minha Vida em Fortaleza: Primeiros Resultados

Renato Pequeno Clarissa Freitas

Introduo

Este artigo busca discutir os primeiros resultados obtidos com pesquisas referentes ao Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) na Regio Metropolitana de Fortaleza tendo como base de dados referencial as propostas contratadas junto Caixa Econmica Federal (CEF) pelos municpios cearenses desde 2009 at junho de 2011, quando atingiu-se um total de 1 milho de unidades habitacionais para todo o Brasil. Ao adotarmos a dinmica de produo de empreendimentos residenciais atravs do PMCMV como alvo desta investigao, verifica-se a presena de um quadro diversificado de agentes sociais da produo do espao. Da mesma forma, possvel reconhecer um amplo conjunto de relaes entre estes agentes, evidenciando-se processos que se caracterizam pelo fortalecimento de uns em detrimento de outros, bem como a emergncia de alguns em contraposio reduo, quase que supresso de outros. (CORREA, 1995)

A anlise da distribuio espacial do PMCMV na RMF pressupe a necessidade de associ-la a outras dinmicas scio-espaciais que caracterizam o atual processo de produo do espao e as necessidades de organizao do mesmo. Percebe-se sua forte vinculao segregao residencial (VILLAA, 1998) e especulao imobiliria (CAMPOS FO., 1992). Mais ainda, evidencia-se sua direta vinculao excluso social e territorial, seja dos grupos sociais no atendidos pelo programa, seja dos grupos que se submetem uma redistribuio espacial na metrpole, produzindo-se novas e cada vez mais distantes periferias. (MARICATO, 2011).

Este trabalho se organiza em duas partes: primeiro, elabora-se uma anlise da distribuio dos empreendimentos do PMCMV contratados para o Cear e a RMF, evidenciando-se algumas relaes entre a sua

116

Programa Minha Casa Minha Vida em Fortaleza: Primeiros Resultados

localizao, as direes do desenvolvimento urbano metropolitano e as faixas de renda (PEQUENO, 2009); em seguida, busca-se analisar a distribuio espacial do programa, dando-se nfase ao municpio de Fortaleza no sentido de compreender as causas para a baixa adeso do mesmo ao programa. Como procedimentos metodolgicos aponta-se: - a anlise da distribuio espacial das unidades por municpios, por faixa de renda e por responsvel pelos empreendimentos em termos quantitativos; - a compreenso de suas relaes com a atual estruturao da metrpole segundo suas atividades produtivas e com as formas de produo da moradia pelos diferentes agentes sociais.

1. Os primeiros resultados do Programa Minha Casa Minha Vida para a RM de Fortaleza

Com vistas a analisar os dados referentes s propostas aprovadas pela Caixa Econmica Federal para sua execuo, faz-se necessrio apresentar, ainda que de forma sinttica, as principais dinmicas que caracterizam a estruturao contempornea da metrpole. Alm disso, pretende-se abordar os dados recm divulgados pelo IBGE referentes ao crescimento demogrfico dos municpios da Regio Metropolitana de Fortaleza e presena de aglomerados subnormais nos mesmos.

O estado do Cear apresenta tradicionalmente em sua rede urbana a visvel predominncia da Capital Fortaleza como municpio que mais concentra populao (2.452.185 habitantes), destacando-se inclusive, na escala nacional, como a capital estadual mais densa do pas com 7.786,52 habitantes/km2. A populao da RMF j corresponde a 3.615.767 pessoas, equivalendo a mais de 42% da populao estadual. Em termos de populao vivendo em setores urbanos, o percentual urbano da RMF representa quase 55% da populao estadual residindo em setores urbanos, configurando a macrocefalia da metrpole frente ao Estado do Cear. Os desdobramentos desta condio podem ser percebidos nos demais 14 municpios da Regio Metropolitana de Fortaleza (RMF), dentre os quais se destacam por seu contingente demogrfico: Caucaia (325.441 hab.), Maracana (209.057 hab.) e Maranguape (113.561 hab.).1

A anlise da estruturao metropolitana indica a expanso da

1 De acordo com os dados do censo demogrfico do IBGE divulgados em 2010, apenas outros 4 municpios do Estado do Cear que no tomam parte da RM Fortaleza possuem populao superior a 100 mil habitantes: Juazeiro do Norte (249 mil hab.), Sobral (188 mil hab.), Crato (121 mil hab.) e Itapipoca (116 mil hab.).

117

Renato Pequeno | Clarissa Freitas

conurbao de modo mais adensado e intensivo nas direes oeste, sudoeste e sul, sob a forte influncia dos grandes conjuntos habitacionais e das reas industriais implantadas desde os anos 1980, ainda que remanesam trechos do litoral oeste onde predomina a segunda residncia. Nesta direo destacam-se os municpios de Caucaia e So Gonalo do Amarante ao oeste; Maracana, Maranguape, Pacatuba e Itaitinga ao Sudoeste; Horizonte e Pacajs ao Sul. Outros como Guaiba e Chorozinho ao sul, por conta da descontinuidade da mancha urbana se comportam de maneira diferenciada (PEQUENO, 2009).

Por sua vez, nas direes sudeste e leste, prevalece uma ocupao mais rarefeita, ainda que crescente, configurando-se num padro diferenciado de urbanizao associado disperso e fragmentao scio-poltica vinculada aos condomnios horizontais, loteamentos fechados e outros associados aos complexos tursticos. Nesta frente de expanso destacam-se os municpios de Eusbio, Aquiraz e os mais novos componentes da RMF: Cascavel e Pindoretama ao sudeste e ao leste de Fortaleza.

Tendo em vista a quantificao do nmero de unidades habitacionais a serem construdas em cada unidade da federao, o Programa Minha Casa Minha Vida por ocasio de seu lanamento em 2009, utilizou como principal indicador o dficit habitacional apontado pela Fundao Joo Pinheiro para o ano de 2007. No caso do Cear, diante da alta intensidade de coabitao entre as famlias com renda abaixo de 3 salrios mnimos, o Estado teve como meta 51.644 unidades habitacionais, distribudas entre as classes da seguinte maneira: 0 a 3 salrios mnimos (40% do total), 3 a 6 salrios (40%) e 6 a 10 salrios (20%).

Passados 2 anos do PMCMV, o que revelam os dados oficiais do programa?

Pouco mais de 2 anos depois, os nmeros obtidos com o programa para o estado do Cear ainda se encontravam bem aqum daquilo que havia sido projetado como mostram os dados da tabela 1 seguinte.

De um total de 51.644 unidades habitacionais (UH) previstas para o estado, as propostas recebidas pela CEF foram de 33.425 UHs, portanto em nmero inferior aos 2/3 do total possvel. Destaque para ampla representatividade das unidades para famlias com at 3 salrios mnimos, inclusive ultrapassando o total disponvel para esta faixa. Por outro lado, observa-se que do total de propostas recebidas, a faixa de 3 a 6 salrios no chegou a superar a 45% do total dos recursos ofertados, e

118

Programa Minha Casa Minha Vida em Fortaleza: Primeiros Resultados

pior ainda, para a faixa de 6 a 10 salrios, cujas propostas encaminhadas para a CEF corresponderam a apenas 16,5% do total disponibilizado.

Ressalta-se ainda que grande maioria das propostas recebidas pela Caixa constituem empreendimentos localizados nos municpios da RMF, correspondendo a mais de 81% do total recebido pela Gerncia responsvel da CEF sediada no Cear.2

Do total de empreendimentos residenciais aprovados pela CEF, veri-fica-se que os nmeros sofrem um significativo decrscimo com relao ao universo de propostas recebidas. Entre o recebimento e a contratao, apenas 51% do total de propostas encaminhadas na primeira fase do Programa MCMV para o Estado fora contratado. Tal diferena contribui para o resultado bastante aqum do esperado para o estado do Cear, com execuo total do programa de apenas 33% do numero de unidades previstas inicialmente. Pode-se, portanto explicar esse desempenho redu-zido por dois fatores principais: - a baixa adeso das empresas constru-toras que, com exceo da faixa de 0 a 3 salrio mnimos, enviaram um conjunto de propostas de empreendimentos aqum do total de unidades disponibilizadas para o estado (64%); - a avaliao das propostas recebi-das pela CEF que baixou esse percentual de 64 para 33%.

Passando a analisar o universo de empreendimentos aprovados pela Caixa Econmica Federal, considerando sua distribuio por faixas de renda, percebe-se que, de um total de 17.061 unidades habitacionais a ampla maioria se concentra nas famlias de 0 a 3 salrios (13.938 UHs), representando 81,7% do total. Na faixa de 3 a 6 salrios, o percentual de apenas 16,2%, enquanto que na faixa de 6 a 10 salrios, o percentual nfimo, 2,1%.

Quando os empreendimentos aprovados so regionalizados, subdividindo-os entre a RMF e o restante do estado, percebe-se a concentrao do programa na metrpole, visto que 89,6% do total de unidades aprovadas correspondem s propostas dos municpios da RMF.3

2 Segundo os dados fornecidos pela CEF, a origem das propostas recebidas dos municpios no metropolitanos diversificada. Dentre os municpios destacam-se: Sobral, Juazeiro do Norte, e Barbalha como municpios de maior destaque nas regies norte e sul do estado respectivamente; alguns centros regionais, como Camocim, Acara, Ic e Russas; e outros de menor porte e importncia na rede urbana do Estado, dentre os quais, Massap, Tabuleiro do Norte, Cruz, Marco, Caris e Cedro.3 Segundo os dados obtidos junto CEF em agosto de 2011, quando se totalizou o primeiro milho de unidades em propostas aprovadas para todo o Brasil, Juazeiro do Norte e Sobral correspondiam aos nicos municpios cearenses fora da RMF que tiveram propostas aprovadas, com 1.280 e 496 unidades a serem construdas respectivamente.

119

Renato Pequeno | Clarissa Freitas

Tab

ela.

1: P

ropo

stas

do

PMC

MV

rec

ebid

as e

con

trat

adas

par

a o

Cea

r

Met

a pa

ra