Prof. Silvestri – todos os direitos reservados SISTEMAS DISTRIBUIDOS Aula 4 Eduardo Silvestri silvestri@eduardosilvestri.com.br www.eduardosilvestri.com.br.

Download Prof. Silvestri – todos os direitos reservados SISTEMAS DISTRIBUIDOS Aula 4 Eduardo Silvestri silvestri@eduardosilvestri.com.br www.eduardosilvestri.com.br.

Post on 22-Apr-2015

105 views

Category:

Documents

2 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados SISTEMAS DISTRIBUIDOS Aula 4 Eduardo Silvestri silvestri@eduardosilvestri.com.br www.eduardosilvestri.com.br
  • Slide 2
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados POO Introduo. A Orientao a Objetos veio conquistando seu espao aos poucos, primeiramente com a implementao, onde a linguagem C++ fora lanada, (uma extenso orientada a objetos da linguagem C), em seguida vieram as tcnicas orientadas a objetos para a elaborao de interfaces, o design, e por ltimo, surgiu a necessidade da orientao a objetos na anlise dos sistemas.
  • Slide 3
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados OO Introduo. Mas o que significa a expresso "orientado a objetos"? Essa expresso abriga o raciocnio de que um software orientado a objetos, um software organizado como uma coleo de objetos nos quais esto armazenados tanto a estrutura quanto o comportamento dos dados.
  • Slide 4
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Caractersticas da OO O objetivo da Orientao a Objetos representar em software, objetos que se pressupe existir no mundo real, utilizando para isso uma caracterstica no conseguida nos modelos tradicionais: a incorporao de aes e dados, por meio de um objeto. Alm disso, a orientao a objetos est baseada na elaborao de partes independentes, que unidas formam um todo, se uma dessas "partes" for danificada, ela poder facilmente ser reparada, sem causar dano para o "todo". Essas partes so objetos, e o todo o sistema.
  • Slide 5
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Caractersticas da OO Os objetos podem ser reutilizados para compor outros sistemas, e podem ter seus cdigos recombinados, o que permite a criao de novos objetos, ambos facilitam e diminuem o trabalho na hora do desenvolvimento. Para que esses objetivos, sejam alcanados, necessrio a aplicao uniforme dos princpios que compem esta metodologia, administrando assim sua complexidade.
  • Slide 6
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados O que so Objetos Objetos so entidades que encapsulam informaes de estado ou dados e tm um conjunto de operaes associadas que manipulam estes dados. Um objeto pode ser real ou abstrato, possui um estado, o qual pode ser alterado ou obtido por um outro objeto da mesma classe, atravs do envio de mensagens, o que implica na execuo de uma operao. E pode ser composto de outros objetos.
  • Slide 7
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados O que so Objetos Cada objeto tem uma identidade, uma identificao nica o que os distingue entre si, quando so de uma mesma categoria, a distino entre objetos idnticos, feita pela sua prpria existncia.
  • Slide 8
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Dvidas ?
  • Slide 9
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados O que Orientao a Objetos ? Quais as vantagens da utilizao da OO ? O que um Objeto ? De exemplo de 5 objetos ? O que o objeto encapsula ? PERGUNTAS
  • Slide 10
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Atributos Um objeto caracterizado pelos atributos que tem. Um atributo representa um valor de dado guardado por um objeto. Os atributos podem ser fixos, quando assumem um nico valor, ou variveis, quando podem mudar de valor. Estes ltimos so responsveis pela mudana de estado de um objeto, ento da mesma maneira que caracterizam objetos, os atributos representam o estado dos mesmos, de acordo com o valor que estiverem assumindo em um determinado tempo. A mudana de estado de um objeto acontece pela provocao de um estmulo externo, chamado de evento.
  • Slide 11
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Operaes e Mtodos Uma operao uma funo atribuda a objetos, um servio que um objeto promove. Um mtodo uma implementao de uma operao para uma classe. Se uma funo atribuda a diversas classes, ela acompanhar a caracterstica da classe em que estiver presente, tomar uma forma diferente para cada classe, cada forma dessas, ser uma maneira, um mtodo diferente de se executar uma mesma funo. Esse processo de uma mesma operao ser aplicada a diferentes classes, e em cada uma delas tomar uma forma diferente, denominado de polimorfismo.
  • Slide 12
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Classificao Refere-se ao agrupamento de objetos com caractersticas descritivas (atributos) semelhantes, e com caractersticas funcionais (operaes) semelhantes. Um objeto pertencente a uma classe, dito como instncia da classe, ou seja ele se enquadra nas caractersticas comportamentais ou descritivas definidas pela categoria a que pertence. Pode-se dizer que a instanciao o processo contrario da classificao, se para classificar separamos objetos com caractersticas semelhantes originando assim uma classe, instanciao, a partir de uma classe j existente, criado um objeto com as caractersticas determinadas por esta classe existente.
  • Slide 13
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Classificao O termo classe, apresenta-se como um identificador de um grupo de objetos, e o termo objeto usado para identificar uma instncia de uma classe.
  • Slide 14
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Abstrao De uma maneira geral, permite limitar um assunto a aspectos relevantes, de acordo com a perspectiva de um observador. Para uma viso voltada a orientao a objetos, trata-se de um mecanismo atravs do qual observa-se o domnio de um problema e foca-se nos objetos, aes e prioridades, que so relevantes para uma aplicao especfica, ignorando todos os outros pontos que no so relevantes.
  • Slide 15
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Dvidas ?
  • Slide 16
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados O que so atributos ? O que so mtodos ? O que Polimorfismo ? O que processo de Classificao ? O que abstrao em OO ? PERGUNTAS
  • Slide 17
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Encapsulamento Encapsular uma forma de abstrair, ocultar detalhes de uma estrutura complexa, de forma a facilitar a anlise de um problema. O encapsulamento promove a interdependncia entre mdulos, e esconde do usurio a estruturao complexa, por trs da interface grfica de um software.
  • Slide 18
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Hierarquizao Tomando uma classe como base, hierarquizar, derivar esta classe em classes menores (herana simples), onde estas ltimas herdaram caractersticas (atributos e mtodos) da "classe me", e lhe permitido "adicionar novas operaes, estender a representao de dados ou redefinir a implementao de operaes j existentes."
  • Slide 19
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Hierarquizao Como classes derivadas herdam caractersticas da sua classe me, todas tero funcionalidades comuns, porm se especializaram com a obteno de uma funcionalidade adicional. Uma classe pode tambm ser originada baseada em duas ou mais classes mes, herdando caractersticas de todas elas, quando assim, chama- se de herana composta (multipla).
  • Slide 20
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Generalizao/ Especializao Generalizao refere-se a um processo que permite abstrair a partir de um conjunto de classes, uma classe mais geral contendo todas as caractersticas comuns. Ao contrario de generalizar, especializar o processo pelo qual especializa uma classe em um nmero de subclasses, de maneira que explicita as diferenas entre as novas subclasses.
  • Slide 21
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Generalizao/ Especializao No momento da especializao de uma classe em subclasses, o emprego do processo de hierarquizao automtico. Percebe-se a necessidade de especializar uma classe, quando a mesma pode ser de vrios tipos, onde cada tipo tem uma caracterstica prpria e especfica, que no pode ser atribuda aos outros tipos, dessa maneira, a classe me abriga apenas as caractersticas comuns a todos, e as classes filhas abrigam suas caractersticas especificas.
  • Slide 22
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Dvidas ?
  • Slide 23
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados 1.O que encapsulamento ? 2.O que herana ? 3.Quais os tipos de herana ? 4.O que uma classe me ? 5.O que uma classe Filha ? 6.O que Generalizao de uma classe ? 7.O que Especializao de uma classe ? 8.De 2 exemplos de Herana Simples. 9.De 2 exemplos de Herana Multipla. PERGUNTAS
  • Slide 24
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Relacionamento e Mensagens Como j mencionado antes, a orientao a objetos baseia-se na elaborao de partes para formar um todo, cada parte funciona separadamente, e o que as fazem funcionar como um todo, so relacionamentos, ou seja, o relacionamento o que une as partes permitindo que funcionem em conjunto. Entretanto, o que faz uma parte se relacionar com a outra, a troca de mensagens entre elas.
  • Slide 25
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Relacionamento e Mensagens Um objeto se comunica com outro atravs do envio de mensagens. Quando um objeto recebe uma mensagem, ele verifica se o servio solicitado disponvel na classe em que pertence, se for ele ter uma reao de resposta, caso contrrio, ele verificar nas suas classes me se alguma delas executa o servio solicitado pela mensagem.
  • Slide 26
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados O que so Objetos Distribudos Objetos Distribudos so armazenadores de cdigos que executam uma determinada tarefa. Sua principal caracterstica refere-se a sua localizao, eles podem ser abrigados todos em uma nica mquina, ou distribudos em mquinas distintas de uma rede de computadores (LAN, WAN, e Internet). Em conjunto, esses objetos so capazes de executar funes para um sistema (sistema distribudo).
  • Slide 27
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados O que so Objetos Distribudos Objeto distribudo uma evoluo do objeto convencional. Entretanto possuem uma interface especfica onde os compiladores geram um cdigo a mais para serem acessados por outros objetos, de maneira que o programa/objeto que o solicite desconhea o local onde o objeto chamado est abrigado, o sistema operacional que estiver sendo utilizado e a linguagem qual fora criado.
  • Slide 28
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados Dvidas ?
  • Slide 29
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados O que uma mensagem em OO ? Para que serve uma mensagem ? Qual o processo executado por um objeto quando recebe uma mensagem ? O que um Objeto Distribudo ? PERGUNTAS
  • Slide 30
  • Prof. Silvestri todos os direitos reservados MAPA CONCEITUAL

Recommended

View more >