Produtos Alternativos para o Controle de Pragas e Doenças na ?· CULTURAS DOENÇAS PRAGAS/ SULFATO…

Download Produtos Alternativos para o Controle de Pragas e Doenças na ?· CULTURAS DOENÇAS PRAGAS/ SULFATO…

Post on 17-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

2 edio

REVISADA2016

APRESENTAOPassados os cincos anos, do lanamento da primeira edio deste material,

possvel notar como cresceu o interesse, tanto dos agricultores familiares, quanto da sociedade em geral, pela agricultura orgnica. Cada vez mais as pessoas esto se preocupando com a sade, e buscando consumir alimentos saudveis, livres de agrotxicos e produtos qumicos.

Com sua linguagem de fcil compreenso e informaes praticas de mto-dos alternativos de preveno e de controle de pragas e doenas, a primeira edio desta cartilha foi considerada um sucesso, tendo suas tiragens esgota-das rapidamente. Para que mais pessoas tenham acesso s informaes, dis-pomos deste material na internet no nosso site www.cohidro.se.gov.br. Agora, no s entre os agricultores irrigantes dos nossos permetros, o trabalho de nossa equipe tcnica ganhou o mundo! Atualmente, quase mil downloads con-tabilizados.

Devemos o mrito no s aos dedicados profissionais da Cohidro a viabili-zao desta Cartilha de Produtos Alternativos, mas tambm aos parceiros que acreditaram nessa idia, no valor que tem esse material e que contriburam na 1 edio, a exemplo do Ministrio Pblico do Trabalho em Sergipe e o Sebrae-SE. Agradeo imensamente por esse apoio, mais ainda para aqueles que conti-nuam contribuindo no desenvolvimento e fortalecimento da agricultura orgni-ca, que produz alimentos utilizando-se prticas culturais adequadas, sem uso de agrotxicos, adubos qumicos, sementes transgnicas, antibiticos e outros produtos prejudiciais sade humana e ao meio ambiente. Valeu!

Sinto-me com as mos na terra, ajudando o replantar desta semente, que vem produzindo muitos frutos. Dedico esse nosso empenho ao homem do cam-po, que por escolher melhor as formas de trabalhar, est aderindo a um siste-ma de produo ecolgico e sustentvel, baseado na preservao e no respei-to terra, ao meio ambiente e ao homem.

Aproveitem bem dessa cartilha, para nos encher de orgulho, produzindo mais e melhor.

Jos Carlos Felizola Soares FilhoDiretor-presidente da Cohidro

Jackson Barreto de LimaGovernador do Estado de Sergipe

Belivaldo Chagas SilvaVice-Governador do Estado de Sergipe

Esmeraldo Leal dos SantosSecretrio de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrrio e da Pesca de Sergipe

Jos Carlos Felizola Soares FilhoDiretor-Presidente da Cohidro

Jorge Kleber Soares LimaDiretor Administrativo e Financeiro da Cohidro

Paulo Henrique Machado SobralDiretor de Infraestrutura Hdrica e Mecanizao Agrcola da Cohidro

Joo Quintiliano da Fonseca NetoDiretor de Irrigao e Desenvolvimento Agrcola da Cohidro

Fernando Augusto da CunhaAssessor de Comunicao da Cohidro

Elaborao:Snia Maria de Souza Loureiro

Gerente de Desenvolvimento Agropecurio da Cohidro

Colaborao: Ana Lcia Lima FernandesAnglica Maria Santos Silva

Ariel Carmo da SilvaGleice Ane Queiroz

Maria Lcia Ferraz de AlmeidaMaria Terezinha de Albuquerque

Mary Dayse SantosSandro Luiz Prata Ramos

Projeto Grfico e Editorao:

Reviso Grfica da 2 Edio:

asc mCOHIDROASSESSORIA DE COMUNICAO DA COHIDRO

Produtores,

A ao humana pode colocar em risco o futuro da

Terra!

Todos ns - empresa e cidado - temos a respon-

sabilidade de agir para manter vivo nosso planeta,

garantindo s geraes futuras a possibilidade de

viver num ambiente adequado.

As prticas de agricultura utilizadas por muitos

produtores rurais comprometem a fertilidade do

solo, provocam reduo da gua disponvel e trazem

prejuzos biodiversidade.

Quando uma praga ataca uma planta ou uma

plantao como um todo, isto indica que houve erro

nos mtodos de cultivo como: solo desestruturado,

sem vida, esgotado, adubao errada, cultivares ina-

dequadas para o clima e muitos outros fatores, espe-

cialmente intoxicao com pesticidas, pois os agro-

txicos alteram a bioqumica das plantas e aumen-

tam a suscetibilidade delas ao ataque de pragas e

doenas.

A utilizao de agrotxicos nem sempre a

forma mais indicada para controlar pragas e

doenas. Portanto, urgente a introduo de modos

de produo sustentveis para que o solo possa

continuar produzindo ao longo dos sculos.

Esta cartilha apresenta mtodos alternativos de

controle, possveis de serem utilizados em agricultu-

ra orgnica, tais como: receitas caseiras de produtos

naturais (bioinseticidas caseiros), compostagem

orgnica, cobertura morta, adubao verde e uso de

preparados biodinmicos.

Os produtores interessados em introduzir tais

mtodos em suas propriedades contaro com a

Assistncia Tcnica da COHIDRO para a correta uti-

lizao das receitas da cartilha, cuja seleo consi-

derou tanto as culturas praticadas nos Permetros

Irrigados de Sergipe, como o fcil acesso aos ingre-

dientes e o seu baixo custo.

ACOHIDRO espera que este material informati-

vo possa contribuir para a reduo, ou at mesmo a

eliminao do uso de agrotxicos nos permetros irri-

gados, assegurando a sustentabilidade da atividade

agrcola.

Snia Maria de Souza LoureiroGerente de Desenvolvimento Agropecurio

SUMRIO

P 071 - 1...................................................................................................................ALHO .................................................

072 - 2...................................................................................................................ALHO .................................................

083 - 3...................................................................................................................ALHO .................................................

084 - ...................................................................................................................ANGICO ................................................

095 - ...........................................................................................................CALDA BORDALEZA ..................................

106 - .................................................................................................................CAMOMILA ............................................

107 - ................................................................................................................CAVALINHA ............................................

118 - ..................................................................................................CEBOLA OU CEBOLINHA VERDE ......................

129 - ................................................................................................................CITRONELA ............................................

1310 - - - ..........................................................................................................CRAVO DE DEFUNTO ..................................

11 - .................................................................................................................1 GOIABEIRA ............................................

11 - 1...................................................................................................................2 LEITE .................................................

11 - 2...................................................................................................................3 LEITE .................................................

114 - 3...................................................................................................................LEITE .................................................

2 - 4...................................................................................................................4 LEITE .................................................

16 - .....................................................................................................................LOSNA ...............................................

17 - ..............................................................................................................CINZA E LEITE .........................................

18 - ..................................................................................................................MANDIOCA ...........................................

19 - 1.....................................................................................................................NIM ..................................................

220 - 2.....................................................................................................................NIM ..................................................

22 - ...................................................................................................................1 PIMENTA ..............................................

22 - ....................................................................................................................2 SLVIA ................................................

22 - ...........................................................................................................3 PIMENTA DO REINO ...................................

q 2r24 - ........................................................................................................PRIMAVERA MARAVILHA .............................

st 225 - ......................................................................................................SAMAMBAIA DAS TAPERAS ..........................

226 - .................................................................................................................TOMATEIRO ...........................................

23 - .....................................................................................................................7 TIMB ................................................

28 - ....................................................................................................................URTIGA ...............................................

29 - ..............................................................ALGUMAS PRTICAS CULTURAIS UTILIZADAS NA AGRICULTURA

29.1 - ).................................................................................................COBERTURA MORTA DE SOLOS ...................

29.2 - .......................................................................................COMPOSTAGEM DE RESDUOS ORGNICOS .........

29.3 - ..........................................................................................................ADUBAO VERDE ..................................

329.4 - ...................................................................................COQUETEL DE PLANTAS PARA ADUBAO VERDE

3 e 3 23 - ..............................................................................................................0 URINA DE VACA .............................

33 - ...........................................................................................................1 BIOFERTILIZANTE ......................................

33 - ...............................................................................................................2 POLICULTURA .........................................

33 - -3 PREPARADOS BIODINMICOS 3 .1 - 500.......................................................3 PREPARADO BIODINMICO

3 .2 - 501...............................................................................................3 PREPARADO BIODINMICO ........................

3 .3 - .......................................................................................3 PREPARADO BIODINMICO DE COMPOSTO ..........

34 - ........................................................................................................ESPALHANTE ADESIVO ................................

Tripes, Pulges, Moscas Doms!cas,

Lagarta do Cartucho do Milho, Mosquito

da Dengue, Mldio, Brusone, Podrido do

Colmo e da Espiga, Mancha de Alternria,

Podrido Negra, Ferrugem, Moscas do chi-

fre e Mosquitos.

100 g de alho;

0,5 (meio) litro de gua;

10 g de sabo de coco;

02 colheres (de caf ) de leo mineral.

DE PREPARO

Os dentes de alho devem ser finamente

modos e deixados em repouso por 24

horas em 2 colheres de leo mineral.

Em um recipiente, dissolver 10 gramas de

sabo de coco em meio litro de gua.

Misturar ento todos os ingredientes e

em seguida filtrar ou coar.

Dissolver essa mistura em 10 litros de

gua e aplicar.

1 - 1 (Allium Sativum)ALHO

NDICAO

Tripes, Pulges, Moscas Doms!cas,

Lagarta do Cartucho do Milho, Mosquito da

Dengue, Mldio, Brusone, Podrido do

Colmo e da Espiga, Mancha de Alternria,

Podrido Negra, Ferrugem, Moscas do

Chifre e Mosquitos.

NGREDIENTES

02 cabeas de alho finamente picadas;

50 g de sabo de coco;

04 litros de gua quente;

04 colheres pequenas de pimenta ver-

melha picada.

ODO DE PREPARO

Dissolver o sabo (50 gramas) em 4 litros

de gua quente. Juntar 2 cabeas de alho

picadas e 4 colheres de pimenta vermelha

tambm picada.

Coar em um pano fino e aplicar.

2 - 2 (Allium Sativum)ALHODivulgao Divulgao

Alho 7Edio n - Ano: 2012 6

Vermfugo, Repelente para Moscas dosChifres e Carrapatos

01 kg de Alho;05 kg de Sal mineral.

DE PREPARO

Moer os dentes de alho se houver neces-sidade, juntar com o milho para facilitar amistura com o sal mineral.

Fornecer em perodos de maior infes-tao.

3 - 3 (Allium Sativum)ALHO 4 - (Piptadenia spp.)ANGICO

NDICAO

Formigas Cortadeiras (Savas).

01 kg de Folhas de Angico;10 litros de gua.

NDE ENCONTRAR

Mata, Viveiro de Plantas Na!vas

ODO DE PREPARO

Deixar as folhas de Angico de molho em10 litros de gua por oito dias.

Aplicar na proporo de 1 litro desta solu-o por cada metro quadrado deformigueiro.

Divulgao Divulgao

Alho e Angico Edio n - Ano: 2012 68

Edio n - Ano: 2012 6

5 - CALDA BORDALESA

INDICAO:

INGREDIENTES:

100 g de Sulfato de Cobre;100 g de Cal Virgemgua.

MODO DE PREPARO:

Colocar as 100 gramas de sulfato de cobredentro de um saquinho de pano e mergu-lhar o saquinho em um vasilhame de pls!-co ou de cimento contendo 5 litros de guamorna para dissolver o produto( na vspe-ra da u!lizao da calda).

No dia seguinte, em outro vasilhame,misturar 100 gramas de Cal virgem em 10litros de gua.

Em seguida, misturar o contedo dos doisbaldes (cal + sulfato de cobre), mexendosempre.

OBSERVAES:

1 - Para medir a acidez: Pegar uma facade ao (no inox) e mergulhar a parte dalmina durante trs minutos nessa mistura.

Se no escurecer, a calda estar pronta parau!lizao. Caso contrrio, adicionar maiscal virgem.

2 - Quando pronta, a calda tem validadepara trs dias devendo, para isso, colocaruma colher de acar antes de pulverizarnas plantas.

3 - Aplicar no incio da doena, podendoser misturada com extrato de fumo.

4 - No vero, em plantas novas ou emplena florao, deve ser usada a metade daquan!dade de sulfato de cobre e de cal vir-gem para o mesmo volume de gua.

5 - Nunca pulverize a calda com sol quen-te, nem em temperatura muito baixa, poisperde a sua eficcia.

CULTURAS DOENAS PRAGAS/SULFATO DE

COBRECAL VIRGEM

ABOBRINHA Mldio e Mancha foliar

300 a 500 g 300 a 500 gALFACE

Doena: Mldio.Pragas:Pulgo,Vaquinha e Besouros.

BATATARequeima e PintaPreta

BETERRABA CercsporaCEBOLA eCEBOLINHA

Doenas: Mldio eManchas foliares,Pragas: Minadores eTripes.

500 a 1000 g 500 a 1000 g

Mldio e Esclerotnia

250 a 500 g 250 a 500 gCHICRIACOUVE eREPOLHO

Doenas: Mldio eAlternaria.Pragas: Lagartarosca, Vaquinha,Pulgo, Curuquer,Traa.

CUCURBITCEAS(melo,melancia,abbora,pepino e maxixe)

Mldio eAntracnose 150 a 300 g 150 a 300 g

PEPINOMldio e outrasManchas Foliares

250 a 500 g 250 a 500 g

SOLANCEAS(tomate, pimento,berinjela, jil,pimenta, batatinha)

Pinta preta ePodrides

400 a 800 g 400 a 800 g

TOMATERequeima, Pintapreta e Septoriose 500 a 1000 g 500 a 1000 g

Divulgao

CULTURAS DOENAS PRAGAS/ SULFATO DECOBRE CAL VIRGEM

Calda Bordalesa 9

Edio n - Ano: 2012 610

INDICAO:

Mldio e outras doenas fngicas.

INGREDIENTES:

300 g de cavalinha verde ou 100 g de

cavalinha seca;

10 litros de gua.

MODO DE PREPARO:

Ferver a cavalinha em 10 litros de gua

durante 20 minutos.

Depois de ferver durante os 20 minutos,

diluir esta soluo em 90 litros de gua.

Aplicar sobre a horta de preferncia pela

manh. Alternar com calda de ur!ga (uma

aplicao de calda de cavalinha e a prxima

aplicao de calda de ur!ga).

7 - (CAVALINHA Equisetum arvense L.)6 - (CAMOMILA Matricaria Camomilla)

INDICAO:

Doenas Fngicas.

INGREDIENTES:

50 g de flores de camomila;

01 litro de gua.

MODO DE PREPARO:

Misturar 50 g de flores de camomila em 1litro de gua e deixar de molho durante trsdias, mexendo essa mistura quatro vezes aodia.

Coar e aplicar essa mistura trs vezes comintervalos de cinco dias.

DivulgaoDivulgao

Camomila e Cavalinha

Edio n - Ano: 2012 6 11

INDICAO:

Pulges, Lagartas e Vaquinhas;

Combate tambm doenas causadas por fun-gos como: Alternria, Fusariose, entre outras.

INGREDIENTES:

01 kg de cebola ou cebolinha verde;

10 litros de gua.

MODO DE PREPARO:

Cortar a cebola ou cebolinha e misturar em

10 litros de gua, deixando cur! r por um pero-

do de dez dias (para a cebola) ou por um pero-

do de sete dias (para a cebolinha).

Misturar 1 litro desta mistura em 3 litros de

gua e pulverizar as plantas doentes.

OBS: Este produto funciona como fungicida

e como repelente para algumas pragas.

8 - (CEBOLA OU CEBOLINHA VERDE Allium Cepa e Allium Fistulosum)Divulgao

Cebola ou Cebolinha Verde

Edio n - Ano: 2012 612

9 - CITRONELADivulgao

INDICAO:

Repelente para o mosquito da dengueeoutros mosquitos, moscas doms"cas, lim-peza de casa, etc.

A citronela uma planta que espantainsetos naturalmente, mas para tanto elaprecisa estar plantada em um local quebata sol direto e de preferncia fique emuma corrente de ar para que seu cheirocaracters"co possa se espalhar e espantaros mosquitos:

RECEITA 1: Para qualquer ambiente

Picar 1 mao de Citronela em um reci-piente e deixar ao lado do local que vocvai ficar (ex.: sala da televiso)

RECEITA 2: Para o quarto

Colocar folhas de Citronela entre o col-

cho e o estrado para que, aos poucos, elav soltando seu cheiro caracters"co eespante os insetos.

RECEITA 3: Repelente corporal.

Encher um pote de vidro com folhas decitronela;

Cobrir as folhas com leo de amndoasde boa qualidade, deixar macerando(extrair naturalmente) em um lugar ensola-rado por vinte dias, depois passar esterepelente natural no corpo quandonecessrio.

RECEITA 4: Para limpeza da casa.

Colocar dentro de uma garrafa de 1 litrode lcool com folhas de Citronela. Deixarmacerar por vinte dias e depois usar estelcool para a limpeza da casa, diluindo ouno em gua.

Citronela

Edio n - Ano: 2012 6 13

10 - - - (Tagetes Minuta e Tagetes Erecta)CRAVO DE DEFUNTO

INDICAO:

Pulges, caros e algumas Lagartas.

INGREDIENTES:

01 kg de folhas e talos de cravo-de-defunto;

10 litros de gua.

MODO DE PREPARO:

Misturar 1 kg de folhas e talos de cravo-de-defunto em 10 litros de gua. Levar aofogo e deixar ferver durante meia hora, ouse preferir, deixar as folhas e talos de molhonos 10 litros de gua durante dois dias.Coar e pulverizar o preparado sobre asplantas.

Divulgao

Cravo-de-Defunto

Edio n - Ano: 2012 614

INDICAO:

Diarria em bezerros.

INGREDIENTES:

100 g de folhas e/ou cascas

de goiabeira;

2,5 (dois litros e meio) de gua.

MODO DE PREPARO:

Ferver as folhas ou cascas de goiabeira

em gua, coar e fornecer ao animal fazen-

do-o engolir. Aplicar enquanto durar o qua-

dro de diarria. Tem efeito an! bi! co e

hidrata o animal.

1 - (1 GOIABEIRA Psdium guajava)

INDICAO:

Vrus do mosaico da cana, tomate, fumo

(aplicar no incio da infestao).

INGREDIENTES:

01 litro de leite de vaca;

09 litros de gua.

MODO DE PREPARO:

Misturar 01 litro de leite em 09 litros de

gua. Pulverizar sobre as culturas a cada 10

dias.

MODO DE AO:Acidez e microorganismos antagnicos.

1 - 12 LEITEDivulgaoDivulgao

Goiabeira e Leite

Edio n - Ano: 2012 6 15

1 - 23 LEITE 14 - 3LEITE

INDICAO:

Atra!vo para lesmas. Quando a infesta-o de pragas a!ngirem 5% do dano emviveiro ou 10% quando as plantas j es!ve-rem nos canteiros.

INGREDIENTES:

Estopa, saco de estopa ou deaninhagem04 litros de gua;01 litro de leite.

MODO DE PREPARO:

Distribuir no cho, ao redor das plantas,sacos de estopa ou saco de aninhagemmolhado com 4 litros de gua e 1 litro deleite. Pela manh vire a estopa e mate aslesmas que forem encontradas embaixo.

MODO DE AO:

Atra!vo de alta eficcia.

INDICAO:

Moscas-das-frutas.

INGREDIENTES:

02 litros de leite;98 litros de gua.

MODO DE PREPARO:

Diluir os dois componentes e pulverizarsobre as plantas com frutos em intervalosde trs dias e aps cada chuva.

DivulgaoDivulgao

Leite

Edio n - Ano: 2012 616

1 - 45 LEITE 16 - (LOSNA Artemsia absinthium)

INDICAO:

Lagartas e lesmas.

INGREDIENTES:

30 g de folhas secas de losna;01 litro de gua.

MODO DE PREPARO:

Misturar as 30 gramas de folhas secas delosna em 1 litro de gua, ferver essa mistu-ra durante dez minutos. Para sua u!lizaoacrescentar 10 litros de gua e pulverizarsobre as plantas atacadas.

OBS: Nas dosagens indicadas no apre-senta toxidade.

INDICAO:

Controle de odio do pepino e da abo-brinha.

INGREDIENTES:

10 a 20 litros de leite de vaca (cru);80 a 90 litros de gua.

MODO DE PREPARO:

Diluir o leite cru na gua, obtendo 100litros da mistura. Pulverizar semanalmentedesde o incio do cul!vo.

MODO DE AO:

Presena de sais minerais, es"mulo deresistncia e antagonismo.

OBS: No h toxidade.

Divulgao Divulgao

Leite e Losna

Edio n - Ano: 2012 6 17

Divulgao

INDICAO:

Fungos do pimento, pepino, tomate,

batata.

OBS: Sem contra-indicao para hortal-

ias.

MODO DE PREPARO:

Misturar todos os ingredientes acima cita-

dos, filtrar em um pano fino e pulverizar

sobre as culturas.

Aplicar quando surgir a doena.

OBS: Quando o tomate es!ver atacado

por fungos, aplicar a mistura a cada dez

dias.

MODO DE AO:

Acidez e microorganismos antagnicos.

17 - ECINZA LEITE

INGREDIENTES:

1,5 kg (um quilo e meio) de cinza

de madeira;

1,5 kg (um quilo e meio) de esterco fresco

de bovino;

1,5 kg (um quilo e meio) de acar;

2,5 litros (dois litros e meio) de leite;

100 litros de gua.

Cinza e Leite

Edio n - Ano: 2012 618

INDICAO:

Fungos do solo, nemati-

des, formigas, pragas de solo,

caros, pulges e lagartas.

INGREDIENTES:

Manipueira (suco de aspecto leitoso

extrado da mandioca/aipim ralado).

MODO DE PREPARO:

Extrair por compresso da mandioca ou

aipim ralado o suco de aspecto leitoso e

aplicar da seguinte forma:

Para tratamento de canteiros: Regar o

canteiro usando 4 litros de manipuei-

ra para cada metro quadrado de can-

teiro, quinze dias antes do plan!o.

Para controlar formiga: U!lizar 2 litros

de manipueira no formigueiro para cada

olheiro e repe!r a cada cinco dias at a eli-

minao do formigueiro.

Para controle de caros pulges e

lagartas: Usar uma parte de manipueira

misturada em uma parte de gua, acres-

centar 1% de acar ou farinha de trigo e

pulverizar a cada quatorze dias.

CUIDADO! Esse produto no pode seringerido nem armazenado, pois contm

cido ciandrico.

18 - (Manihotis utilssima)MANDIOCA

Mandioca Manipueira (Lquido extrado da mandioca)

Divulgao

Mandioca

Edio n - Ano: 2012 6 19

INDICAO:

Mosca branca, pulges, baratas, diabr!-ca undecimpunctata, traa do amendoim,lagarta das mas do algodoeiro, moscaminadora, meloidogyne arenaria, traa dascrucferas, pragas de hortalias, traas,lagartas, pulges, lagarta do cartucho,lagartas das hortalias, gafanhoto, bichominador dos citros, mancha de alternria,tombamento, fusarium e sclero!um rolfsii.

INGREDIENTES:

05 kg de sementes secas e modasde nim;05 litros de gua;

10 g de sabo picado.

MODO DE PREPARO:

Colocar os 05 quilos de sementes de Nimmodas em um saco de pano, amarrar ecolocar em 05 litros de gua. Depois de 12horas espremer e dissolver 10 gramas desabo neste extrato. Misturar bem e acres-centar gua para obter 500 litros depreparado. Aplicar sobre as plantas infesta-das, imediatamente aps preparar.

OBS: Atualmente, mais de 418 espcies

de pragas e insetos que ocorrem em vrios

pases so afetados pelos extratos de Nim.

19 - 1 (Azadirachta indica)NIM

Nimindiano - P. Piau

Divulgao

Nim

Edio n - Ano: 2012 620

INDICAO:

Nematides, Lagartas e larvas de insetos

(Lepdpteros, Colepteros, Hempteros,

Dpteros e Orthopteros).

PRECAUES:Txico aos peixes, no hperodo de carncia. Baixa toxidade aos

mamferos.

INGREDIENTES:

02 kg de frutas de Nim inteiras ou folhas

verdes;

15 litros de gua.

MODO DE PREPARO:

Bater no liquidificador as frutas ou folhas

de Nim colocando gua. Deixar descansan-

do por uma noite com um pouco mais de

gua. Antes de aplicar, filtrar e misturar

com gua para obter 15 litros do prepara-

do. Pode ser armazenado em frasco e local

escuro por trs dias.

MODO DE AO:

Fungicida, inse"cida, nema"cida, inibidor

de crescimento e de ingesto de lagartas e

larvas de insetos.

2 - 20 NIMDivulgao

Nim

Edio n - Ano: 2012 6 21

INDICAO:

Controle de vaquinhas.

INGREDIENTES:

500 g de pimenta vermelha

04 litros de gua

05 colheres de sopa de sabo de coco

em p (ralado)

MODO DE PREPARO:

Bater bem as pimentas com 2 litros de

gua em um liquidificador. Coar esse prepa-

rado e misturar com 5 colheres de sopa de

sabo de coco picado ou em p.

Acrescentar os 2 litros de gua restante,

misturar bem e pulverizar sobre as plantas

atacadas por vaquinhas.

2 - (Capsicum spp.)1 PIMENTA

INDICAO:

Curuquer-da-couve

INGREDIENTES:

02 colheres (de sopa) de Folhas secas

e trituradas de Slvia

01 litro de gua

MODO DE PREPARO:

Derramar 1 litro de gua fervente sobre 2

colheres (de sopa) de folhas secas tritura-

das de Slvia. Tampar o recipiente e deixar

em infuso durante dez minutos. Agitar

bem, filtrar e pulverizar imediatamente

sobre as plantas.

22 - (Slvia officinales)SLVIADivulgaoDivulgao

Pimenta e Slvia

Edio n - Ano: 2012 622

INDICAO:

Pulges, caros e cochonilhas.

INGREDIENTES:

100 g de pimenta do reino;

60 g de sabo de coco picado;

01 litro de lcool;

01 litro de gua.

MODO DE PREPARO:

Colocar 100 gramas de pimenta do reino

em 1 litro de lcool e deixar em repouso

durante sete dias. Em 1 litro de gua quen-

te, dissolver 60 gramas de sabo de coco.

Em seguida, junte o sabo derre"do em

gua com a mistura de lcool e pimen-

ta que estava em repouso.

U"lizar um copo cheio dessa mistura para

cada 10 litros de gua, pulverizando a cada

trs dias.

2 - - - (Piper nigrum)3 PIMENTA DO REINODivulgao

Pimenta-do-Reino

23Edio n - Ano: 2012 6

24 - / (Bougainvillea spectabilis)PRIMAVERA MARAVILHA

INDICAO:

Vrus do Vira Cabea do tomateiro:Aplicar em tomateiros 10 a 15 dias aps a germina-o (quando as plantas es"verem com 2 pares de folhas) e repe"r a cada 48 / 72 horas at

quando iniciar a fru"ficao.

Vrus do fumo:pulverizar a cada 4 dias, nos perodos de maior incidncia de virose.Vrus do feijoeiro:Aplicar sobre as plantas de feijo a cada 4 dias.

OBS: Os extratos inibem as leses sobre as folhas e os sintomas sistmicos desenvol-vidos posteriormente.

INGREDIENTES:

01 litro de folhas de primavera ou maravilha (rosa ou roxa)

01 litro de gua

MODO DE PREPARO:

Juntar 1 litro de folhas maduras e lavadas de primavera ou maravilha (rosa ou roxa) com

a gua e bater no liquidificador. Coar com pano fino e misturar bem com 20 litros de gua.

Pulverizar imediatamente em horas frescas do dia.

OBS: No pode ser armazenado.

Divulgao

Primavera - Maravilha

Edio n - Ano: 2012 624

INDICAO:

caros, cochonilhas e pulges.

INGREDIENTES:

500 g de folhas frescas ou 100 g defolhas secas de Samambaia.01 litro de gua.

MODO DE PREPARO:

Colocar as 500 gramas de folhas verdesou as 100 gramas de folhas secas desamambaia das taperas em 1 litro de gua edeixar de molho durante um dia.

Ferver essa mistura durante meia hora.Em seguida, dissolver essa mistura em 10

litros de gua e pulverizar sobre as plantasafetadas.

OBS: Se preferir no ferver a mistura,

s deixar de molho durante 8 dias, coar e

pulverizar puro sobre as plantas atacadas

sem dissolver em gua.

25 - SAMAMBAIA DAS TAPERAS 26 - TOMATEIRO

INDICAO:

Pulges.

INGREDIENTES:

0,5 (meio) kg de folhas e talos detomateiro01 litro de lcool

MODO DE PREPARO:

Picar as folhas e talos do tomateiro e mistu-rar com o lcool deixando em repouso poralguns dias. Coar com pano fino, pressionandopara um mximo aproveitamento. Dissolverum copo desse extrato em um balde com 10litros de gua e pulverizar sobre as plantas.

(Lycopersicon esculentum)(Pterdium aquilinum)Divulgao Divulgao

Samambaia e Tomateiro

25Edio n - Ano: 2012 6

27 - (Derris elliptica )TIMB

INDICAO:

Lagartas da couve, da rcula e do repolho e percevejos.

INGREDIENTES:

60 g de raiz de Timb (cip).

11 litros de gua fria

100 g de sabo

MODO DE PREPARO:

Dissolver o sabo em 1 litro de gua fria.

Acrescentar 1 colher de ch de soda cus!ca . Levar ao fogo mexendo bem com uma

colher de pau para que o sabo se dissolva completamente.

Re!rar do fogo e deixar esfriar at ficar morno.

Juntar a essa mistura 60 gramas de p de raiz de !mb e 10 litros de gua, misturando

bem.

Aplicar em seguida sobre as plantas atacadas.

OBS: No aplicar junto com a Calda Bordalesa. Esses dois produtos so incompa!veis.

Divulgao

Timb

Edio n - Ano: 2012 626

28 - (Urtica urens)URTIGA

INDICAO:

Fungos de plantas.

INGREDIENTES:

100 g de Ur" ga fresca

10 litros de gua

MODO DEPREPARO:

Moer 100 g de ur" -

ga verde e deixar secar

sombra durante 7 dias.

Depois de seco, colocar de

molho em 10 litros de gua por

um perodo de 8 horas, mexen-

do essa mistura 2 vezes

durante esse perodo de

8 horas.

Coar bem.

Em seguida, dissolver a mistura

em 10 litros de gua e aplicar

sobre as plantas atacadas.

Repe!r a cada cinco dias.

Divulgao

Urtiga

27Edio n - Ano: 2012 6

29 - ALGUMAS PRTICAS CULTURAIS UTILIZADAS EM AGRICULTURA

29.1- COBERTURA MORTA DE SOLOS

uma pr!ca cultural na qual se aplicaao solo o material orgnico, sem queele seja incorporado a esse solo. Este

material, colocado na super# cie do solo,tem a funo de:

Reduzir as perdas de gua por evapo-rao;Aumentar o aproveitamento e a reserva

de gua do solo;Evitar a eroso do solo;Melhorar as qualidades # sicas, qumicas

e biolgicas do solo, criando condies !-mas para o desenvolvimento radicular epara a fauna e flora do solo.

Toda cobertura morta j foi verde, cres-ceu no local ou foi trazida de outro local.

MATERIAIS MAIS FREQUENTES,UTILIZADOS COMO

COBERTURA MORTA:

Sobras de podas de rvores e arbustos,Restos de cultura, palhadas ou at

capimelefante picado, plantados para essa fina-

lidade.

OBS: Tomar cuidado para no u!lizar

material rico em sementes de ervas inva-

soras (ervas daninhas).

Divulgao

Cobertura Morta de Solos

Edio n - Ano: 2012 628

29.2 - COMPOSTAGEM DE RESDUOS ORGNICOS

uma pr!ca milenar que visa a fer!li-dade orgnica duradoura dos solos,permi!ndo a produo sustentada de

diversos cul!vos. Nela, aproveita-se tudoque resduo orgnico na propriedadepara fabricar o humus na pilha de compos-to.

Toda cobertura morta j foi verde, cres-ceu no local ou foi trazida de outro local.

FUNO DA COMPOSTAGEM

Excelente estruturador do solo, favore-cendo um rpido enraizamento das plantascul!vadas;

Aumento da capacidade de infiltraode gua reduzindo a eroso;

Grande a!vador da vida do solo que,aumentando o teor de matria orgnica,aumenta tambm a capacidade de reten-o de gua no solo;

Aumenta a sade e a resistncia dasplantas que so enfraquecidas pelo uso dosadubos minerais.

MATRIA PRIMA USADA-NA COMPOSTAGEM

A princpio, todos os restos vegetais eanimais podem ser aproveitados. Todomaterial orgnico fonte de energia e denutrientes para os organismos decomposi-tores que esto no solo.

MONTAGEM DA PILHADE COMPOSTO

A mistura ideal contm restos de vege-tais e estercos, adicionando-se urina devaca e algum p de rocha;

Aps duas ou trs semanas, a pilha deveser revirada repe!ndo essa operao acada duas semanas;

Cobrir a pilha para evitar o sol e achuva;

Quando todo material es!ver decom-posto, ou seja, apresentar uma cor escura,aplicar ao solo.

Compostagem

29Edio n - Ano: 2012 6

29.3 - ADUBAO VERDE

Consiste na pr! ca de se incorporar aosolo massa vegetal no decomposta (fo-lhas e razes) de plantas cul! vadas na

propriedade, com a finalidade de preservar ourestaurar a produ! vidade das terrasagricultveis.

A Adubao verde restaura e intensifica umgrande nmero de processo de vida, deixandoo solo mais fr! l e mais saudvel para a cultu-ra seguinte.

Sua ao requer repe! o peridica a fimde manter alta a fer! lidade do solo.

AES DO ADUBO VERDE NO SOLO

Proteger os solos do impacto das chuvas,formando uma cobertura verde de grande efi-cincia;

Aumentar a capacidade de armazena-mento de gua no solo;

Proteger os solos da incidncia direta deraios solares diminuindo a evaporao;

Promover o rompimento das camadascompactadas, tornando o solo poroso (fofo);

Controlar os nematides fitoparasitos.Aumentar o teor de matria orgnica do

solo, a capacidade de troca ca! nica efe! vado solo ( ), alm da correo do atravsCTC PHda incorporao dos adubos verdes;

Fixar o nitrognio atmosfrico atravs douso de leguminosas;

Aumentar o fsforo disponvel atravs da

ao combinada das bactrias do solo com asrazes das leguminosas;

Extrair os nutrientes das camadas maisprofundas do solo e disponibiliz-los para ou-tras culturas na forma orgnica;

Inibir a germinao e o crescimento deervas invasoras, a exemplo da ! ririca;

Melhorar o desenvolvimento dos cul! vos,aumentando a estabilidade nas produes aolongo dos anos.

SEMENTES USADASNA ADUBAO VERDE

Baquiarias, Crotalrias, Feijo Guandu,Feijo de Porco, Girassol Variedades, LabeLabe, Milheto, Mucunas, Nabo Forrageiro,Soja perene , Tremoo Branco, etc.

A Adubao Verde pode ser realizadacom diversas espcies vegetais, porm, apreferncia pelas leguminosas est consa-grada por inmeras vantagens dentre asquais destaca-se a sua capacidade de fixarnitrognio direto da atmosfera por sim-biose. Os adubos verdes apresentam diver-sas u! lidades para a propriedade agrcola,alm de serem recuperadores de solo.Muitos adubos verdes formam excelentesforragens para os animais (ex: lab-lab, fei-jo de corda, guandu, etc.). H tambmespcies arbreas como a leucena que tembom potencial forrageiro, alm de produzirlenha e carvo.

Divulgao

Adubao

Ocoquetel dever permanecer na reatotal ou nas entrelinhas at o estgio deflorao.

Em caso de falta de chuvas dever ser irriga-do. Quando as plantas es"verem com floraointensa ou iniciando a formao de vagens,deve-se fazer a roagem das plantas rente aosolo, deixando-as sobre o solo at comearema secar - poca que devero ser incorporadassuperficialmente. A seguir, faz os canteiros,camalhes ou covas para plan"o da cultura deinteresse.

ADUBAO PREPARO DO SOLOE

Aplicar 2000 kg de gesso agrcola + 1000 kgde -4 e 10 ton/ha de esterco de galinhaMBcur"dos. Gradear o solo incorporando essesadubos e, em seguida, realizar o plan"o docoquetel.

Espcie Quantidade/h Quantidade/100m

Feijo Guandu 42kg 20g

Mamona 20kg 200g

Milho comum 20kg 240g

Mucuna Preta 56kg 560g

Crotalria Juncea 21kg 210g

Crotalria Spectabilis 11kg 110g

Feijo de Porco 70kg 700g

Girassol 10kg 100g

29.4 - COQUETEL DE PLANTAS PARA ADUBAO VERDE

1. Plantio - Utilizar a seguinte mistura:

Calcular a rea em metro quadrado paraplan"o do coquetel e fazer a proporo decada espcie para cons"tuir a mistura, toman-do por base as indicaes de Plan"o 1;

Misturar todas as sementes de maneira bemhomognea e jogar lano;

Gradear levemente com grade de trao ani-mal para incorporar pelo menos 90% dassementes. Em reas pequenas, pode incorpo-rar as sementes usando o ancinho, de manei-ra que incorpore as sementes sem concentr-las em um s ponto para no comprometer auniformidade do adubo verde em toda a rea;

Mantenha o solo mido para favorecer agerminao e o desenvolvimento vegeta"vodas plantas.

Divulgao

Coquetel de Plantas Edio n - Ano: 2012 630

31Edio n - Ano: 2012 6

Porque diminui a necessidade de agrotxicos eadubos qumicos;

Reduz os custos de produo;Nutre corretamente a planta, aumentando o

nmero de brotaes de folhas, flores e a produo;No causa risco sade do produtor e do consu-

midor;Est pronta para uso, bastando acrescentar gua;Pode ser u"lizada em quase todas as culturas e o

efeito rpido, alm de ser facilmente ob"da.

QUAL EFEITO DA URINA ODE VACA NAS PLANTAS?

As plantas ficam saudveis e mais resistentes pragas e doenas.

a possibilidade do produtor u"lizar regularmen-te uma adubao completa. De acordo com os estu-dos desenvolvidos, at o momento as principaissubstncias encontradas na urina de vaca so:nitro-gnio, fsforo, potssio, clcio, magnsio, enxofre,

ferro, mangans, boro, cobre, zinco, sdio, cloro,

cobalto, molibdnio, alumnio (abaixo de 0,1 ppm),

fenis (aumentam a resistncia das plantas) e cido

indolac!co (hormnio natural de crescimento).

COMO COLHER URINAADA VACA?

Na hora da re"rada do leite a vaca geralmenteurina. Este o momento em que a urina deve serrecolhida com balde comum.

ONDE URINA DE VACAAPODE SER GUARDADA?

Recomenda-se guardar em recipientes pls"coscom tampa, onde deve permanecer por trs diasantes de usar.

Em recipientes fechados, a urina poder perma-necer por at um ano sem perder a ao.

COMO USAR URINAADE VACA?

Misturada com gua na proporo correta paracada cultura.

Quan"dades maiores que as indicadas pelos tes-tes de campo podero causar danos s plantas.

Aplicao da mistura poder ser feita no solo ouem pulverizaes sobre as plantas.

A aplicao no solo feita principalmente emfruteiras.

Em pulverizao, a urina aplicada da mesmamaneira que o produtor u"liza para aplicar produtosqumicos. Os intervalos de aplicao devero ser res-peitados para cada cultura, de acordo com os testesde campo. Como a urina de vaca possui alto poder depenetrao na planta, no necessrio usar espa-lhante adesivo.

PORQUE PRODUTOR DEVE USAR URINA DE VACAO ?

3 -0 URINA DE VACA

Divulgao

Urina

Edio n - Ano: 2012 632

QUAL QUANTIDADEADE URINA DE VACADEVE USAR?

As principais indica-es dos testes decampo realizados

pela - emPESAGRO RIOparceria com produtoresrurais so:

HORTALIAS:

Quiabo, jil eberinjela

O melhor resultado foiob! do com a mistura de 1 litro de urina em 100litros de gua, pulverizada nas plantas de 15 em 15dias.

Tomate, pimento, pepino, feijo-de-vagem, alface e couve.

Bons resultados foram ob! dos com a mistura demeio litro de urina de vaca em 100 litros de gua,pulverizada uma vez por semana.

FRUTEIRAS:

Maracuj, coco, acerola, limo, laranja,tangerina, banana, pinha, manga, jabu! caba,goiaba.

Os estudos ainda se encontram em andamento,porm, para a realizao de testes em pequenasreas, podem ser seguidas as orientaes que seseguem.

Abacaxi

Nos primeiros quatro meses, pulverizar a misturade 1 litro de urina em 100 litros de gua. A seguir,devem ser feitas pulverizaes mensais da misturade 2,5 litros de urina em 100 litros de gua. A apli-cao do produto deve ser suspensa dois mesesantes da induo da florao, retornando a par! r do

APLICAO NO SOLO(recomendao para testes)

Misturar 5 litros de urinade vaca em 100 litros de guae aplicar no solo, junto aplanta, meio litro da misturapor planta, no caso de plan-tas pequenas; 1 litro porplanta para plantas mdias e2 litros por planta para plan-tas grandes. A aplicao deveser repe! da a cada trsmeses. No caso do maracuja quan! dade da mistura demeio litro por planta.

APLICAO EM PULVERIZAO(recomendao para testes)

Misturar 1 litro de urina de vaca em 100 litros degua e aplicar em intervalos mensais, molhandotoda a planta.

PLANTAS ORNAMENTAIS

Diluir 5 ml de urina de vaca em 1 litro de gua eaplicar 50 a 100 cc da mistura no solo, de acordocom tamanho da planta, de 30 em 30 dias.

OBS: Como as pesquisas sobre a u! lizao deURINA DE VACA em lavouras ainda se encontramem andamento, a - solicita aos pro-PESAGRO RIOdutores que ao u! lizar o produto informem regu-larmente sobre os resultados ob! dos aopesquisador.

CULTURAS QUANTIDADE MODO DEAPLICAO

Quiabo,Jil,Beringela 1litrode urinapara 100 l. degua

Pulverizar nasplantas de 15em 15 dias

Tomate, Pimento,Pepino, Feijovagem, Alface eCouve

Meio litro deurina em 100

l. de gua

Pulverizarsobre asplantas 1 vezpor semana

Divulgao

Urina

avermelhamento.

33Edio n - Ano: 2012 6

3 -1 BIOFERTILIZANTE

Como o nome j diz, um fer!lizante vivo,

cheio de microorganismos que pode ser

usado tanto no solo quanto nas culturas, atra-

vs de pulverizaes foliares. O importante que

se u!lize material existente em abundncia e a

baixo custo na propriedade. Como base, usa-se

esterco fresco de gado ou rmen bovino (prote-

na), soro de leite ou leite (parte proteica), garapa

de cana, melao ou acar (parte energ!ca),

aguaps, ervas daninhas do campo e roada de

pastos, restos de frutas e verduras (parte nutrien-

te).

FUNES BIOFERTILIZANTES

Alimentar a planta (Uma planta bem nutrida

tem mais resistncia e, consequentemente, ter

condies de se defender de algum ataque de inse-

tos, fungos, bactrias, etc.)

Proteger a planta agindo como defensivo, pois

ele destri ou paraliza a ao dos insetos, fungos e

bactrias.

Existem vrias misturas para se fazer biofer!-

lizantes. Fazendo, cada produtor vai descobrir a

mistura e a concentrao que, para ele, d mais

resultado (exemplo de biofer!lizante):

INGREDIENTES

50 litros de esterco fresco ou 50 Kg de Rmen

bovino

100 litros de gua

05 litros de melao ou 5 kg de acar

05 litros de soro de leite

03 a 05 Kg de P de Rocha (ex. 4)MB

03 kg de cinzas

03 litros de manipueira

Restos de frutas, verduras e pastos picadas

MODO DE FAZER

Colocar todos os ingredientes em recipiente

pls!co (caixa d`gua ou tambor) e deixar fermen-

tar. Mexer trs vezes ao dia e usar aps 30 dias.

Para aplicar como adubo, dissolver uma quan!-

dade do biofer!lizante em duas partes de gua e

regar os ps das plantas. Para pulverizar nas folhas,

dissolver 0,5 a 01 litro de biofer!lizante em 20

litros de gua.

Divulgao

Biofertilizante

Edio n - Ano: 2012 634

Divulgao

3 -2 POLICULTURA

Estamos acostumados a passar nas estradas e ver imensas reas de produo de gros, rvores para madeiraou pasto. Essa a famosa monocultura, onde apenas uma espcie de planta cul!vada, u!lizando-se adubosqumicos e tornando-as mais susce"veis ao ataque de pragas.

Raciocine um pouco - Nada no mundo sozinho completamente, pois todos os seres so dependentes de ou-tros para viver e essa a complexidade que torna a natureza perfeita. No seria mais fcil, portanto, imitar essaperfeio para nos dar bem?

Tente ento em seus cul!vos misturar espcies diferentes de hortalias em um mesmo canteiro ou fazendo bor-das ao redor das hortas. Experimente introduzir espcies ornamentais com bonitas flores, assim voc chama inse-tos polinizadores e mesmo algumas espcies arom!cas que so repelentes naturais de insetos e microorganismosmalficos.

Exemplos: capim-citronela, cravo-de-defunto, manjerico, capim santo, ca!nga de mulata, alecrim, hortel e etc.Sua horta, alm de ficar mais bonita, funcionar com um verdadeiro ecossistema.

Hortalias e suas famlias

Compostas ou Asterceas: alface, chicria, alcachofra e almeiro.

Brssicas: couve, couve-flor, repolho, brcolis e rcula.

Solanceas: tomate, pimento, berinjela, jil, batata (esta famlia no gosta que se molhe

suas folhas, por isso no irrigue por asperso).

Crucferas: rabanete.

Umbelferas ou Apiceas: salsa, cenoura, coentro e aipo.

Cucurbitceas: abbora, chuchu, pepino, melo e melancia.

Aliceas: alho, cebolinha e cebola.

Labiadas: organo, hortel, alecrim e manjerico.

Policultura

35Edio n - Ano: 2012 6 Biodinmicos

33 - PREPARADOS BIODINMICOS

Este preparado direciona-se ao solo e s razes, proporcionando maior a!vidade bio-lgica e vitalidade, favorecendo o desenvolvimento vegeta!vo da planta e as rela-es de simbiose da rizosfera.

Melhorar a vida bacteriana do solo, aumentar a resistncia das plantas s doenas e aoataque de pragas, aumentar a qualidade nutri!va dos alimentos e sua conservao ps-colheita e a reteno de umidade no solo.

ara uma rea de 1 hectare):

300 g de Preparado 50060 litros de guaRecipiente de madeira (!na de madeira)

DE PREPARO APLICAO :

Diluir o preparado na gua e dinamizar por 1 hora (dinamizar = mexer at formar umredemoinho)

Pulverizar no solo antes da semeadura, de preferncia tarde.

OBS IBD: Esse produto pode ser adquirido no (Ins!tuto Biodinmico).

Chifre com EstercoEsterco de Curral

33.1 - 500 (Esterco em Chifre)PREPARADO BIODINMICODivulgao

3 .2- 501(Slica em Chifre)3 PREPARADO BIODINMICO

Este preparado essencial para a estruturao

interna das plantas e seu desenvolvimento,

assim como para sua qualidade nutri!va e

resistncia s doenas.

Melhorar a capacidade fotossint!ca das plantas e aumentar o sabor e o perfume dosfrutos.

ara uma rea de 1 hectare):

05 g do Preparado 501

60 litros de gua

Recipiente de madeira (!na de madeira)

DE PREPARO APLICAO :

Num recipiente de madeira, contendo 60 litros de gua, diluir o preparado 501 e dina-

mizar por uma hora.

Este preparado aplicado nas folhas das plantas no perodo da manh.

Nunca aplicar em plantas recm transplantadas.

OBS: Dinamizar significa mexer o volume mais fundo possvel at formar um redemoinho e

inverter rapidamente, do fundo para a super" cie, durante uma hora.

Divulgao

Biodinmicos Edio n - Ano: 2012 636

37

Divulgao

3 .3 -3 PREPARADO BIODINMICO DE COMPOSTO

Os seis preparados elaborados a par!rdas plantas medicinais Mil Folhas(502), Camomila (503), Ur!ga (504),

Casca de Carvalho (505), Dente de Leo (506)e Valeriana (507), so aplicados em pequenasdoses (homeop!cas) e servem como suple-mento ao composto, esterco, chorume e bio-fer!lizante, conduzindo e organizando os pro-cessos de fermentao e decomposio. atravs da adubao que os preparados decomposto tm efeito no solo e nas plantas.

Outra forma de uso dos preparados decomposto atravs do Fladen. Este prepara-

do elaborado com esterco fresco consisten-te bem formado, misturado a p de basalto ecascas de ovos trituradas. Aplicam-se os pre-parados 502 ao 507, direciona-se a "compos-tagem laminar" trazendo as foras dos prepa-rados para compostagem no local da apli-cao.

OBS: Estes preparados biodinmicos esto

venda na Associao Biodinmica em

Botucatu ( ), ao preo bastante acessvelSP

para os agricultores familiares.

MIL FOLHAS DENTE DE LEO CAMOMILA

VALERIANA CASCA DE CARVALHO URTIGA

Edio n - Ano: 2012 6 Biodinmicos

34 - ESPALHANTE ADESIVO

:TINA

Ingredientes:

50 g de gela!na sem sabor100 litros de gua

de Preparo: Aquecer 1 litro de gua e dissolver totalmente a gela!na.Dissolver essa mistura em 100 litros de gua.

- : DE COCO OU AUCAR

500 g de sabo de coco ou 1 quilo de acar, 100 litros de gua.

de Preparo: Dissolver o sabo de coco picado em 5 litros de gua quente e, emseguida, dissolver essa mistura em 95 litros de gua.

OBS: Se for u!lizado o acar no lugar do sabo, esse acar pode ser de qualquer!po, pois ele ser dissolvido diretamente nos 100 litros de gua, sem haver necessida-de de esquentar como no caso do sabo.

Divulgao

Edio n - Ano: 2012 6Espalhante38

COLETNEA DE FOTOS

- Prticas Alternativas de Controle de Pragas e Doenas na Agricultura- Coletnea de Receitas;

Autor: Hlcio de Abreu Jnior............................................................................................................................

- Manual de Horticultura OrgnicaAutor: Jacimar Luiz de Souza e Patrcia Resende

............................................................................................................................

-Apostila:Fundamentos da Agricultura Biodinmica - Mdulos: De I a IV

Instituto Elo de Economia Associativa, Instituto Social Micael, UniversidadeFederal de Sergipe e Ncleo de Ps-Graduao e Estudos em Recursos

Naturais.............................................................................................................................

- www.agronomianet.com.br/receitasdavovo.Fonte: Revista Natureza

............................................................................................................................

- Urina de Vaca - Alternativa eficiente e barataAutor: Ricardo Srgio Sarmento Gadelha, Regina Clia Alves Celestino

( PESAGRO/RJ)

PRODUTOS ALTERNATIVOSPARA O CONTROLE DE PRAGAS E DOENAS NA AGRICULTURA

FONTES DE CONSULTA