processo civil

Download Processo civil

Post on 06-Jun-2015

2.732 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. 1Processo Civil PROCESSO CIVILNDICEPARTE I - NOES DE DIREITO PROCESSUAL CIVILDiferenas ....................................................................................................................................................................................031.Processo ....................................................................................................................................................................................052.Petio Inicial e Contestao .............................................................................................................................................053.Dos atos processuais..............................................................................................................................................................074.Atos do juiz - art.162.............................................................................................................................................................085. Dos prazos...............................................................................................................................................................................086. Autos suplementares.............................................................................................................................................................147. Apensamento de autos..........................................................................................................................................................148. Distribuio.............................................................................................................................................................................149. Autuao...................................................................................................................................................................................1510. Registro..................................................................................................................................................................................1511. Protocolo...............................................................................................................................................................................1512. Numerao e rubrica das folhas dos autos..................................................................................................................1513. Guarda, conservao e restaurao dos autos............................................................................................................1614. Exame em cartrio, manifestao, vista e retirada dos autos pelo advogado..................................................1615. Carga, Baixa, Concluso, Recebimento e Remessa .....................................................................................................1616. Assentada, juntada e publicao.....................................................................................................................................1617. Lavratura de autos, certides em geral e traslado........................................................................................................1618. Cumprimento de Sentena e Processo de Execuo.......................................................................................................16PARTE II - LEgislao............................................................................................................................................................20

2. 2Processo CivilInteraSatwww.interasat.com.br proibida a reproduo, salvo pequenos trechos, mencionando-se a fonte. A violaodos Direitos Autorais (Lei n 9.610/98) crime (Artigo 184 do Cdigo Penal). 3. 3Processo CivilCaractersticas:Direito conjunto de regras e princpios que visam - Inrcia O Estado somente atua no processoorganizar as relaes sociais.quando provocado, ou seja, no pode haveratuao do Poder Judicirio se este no forDiferenas: chamado a atuar (provocado).- Substitutividade: poder estatal substitui aa) Direito Material X Direito Processual vontade das partes. As vontades das partes so Direito material regras do dia a dia - aquelesubstitudas pela vontade do Estado na figuraque define a coletividade o que pode e o quedo Juiz.no pode ser praticado. Ou seja, estabelece - Definitividade: a deciso estatal imodi-quem tem a possibilidade de realizar certas ficvel (coisa julgada). A deciso proferidacondutas e quem no possui tal direito. Ex. pelo Poder Judicirio vincula todos os outrosDireito Civil estabelece quem pode casar, poderes e nenhum destes pode alterar a sua de-quem pode realizar um contrato, quem pode ciso. Nem mesmo poder ser desconsideradaadotar e ser adotado etc. pela parte insatisfeita. Direito formal (Direito Processual) regras - Una e indivisvel: a jurisdio um poderdo processo - estabelece o que pode ser feito que atribudo de forma plena ao Estado.ou no pelos envolvidos no processo judicial. No existe a diviso em jurisdio civil, pe-Ou seja, determina a prtica de atos para a re- nal, constitucional etc. Tudo considerado,alizao e o andamento do processo. A relao simplesmente, jurisdio. De acordo com osprocessual (juiz/ autor/ ru) se equipara a uma ensinamentos de Nelson Nery Jr. e Rosa Mariaconversa (dilogo) para se chegar ao final ade Andrade Nery, a jurisdio, monoplio douma concluso (sentena). As regras do pro- poder estatal, una e indivisvel. Para estes,cesso civil tm a finalidade de organizar esteos termos jurisdio civil, penal, trabalhista,dilogo, para que ao final o juiz possa decidir so utilizados com o fim meramente didtico.de uma forma mais justa. Ovdio Baptista da Silva leciona que para os atosjurisdicionais serem considerados legtimos, devemrespeitar dois pressupostos: Deve ser praticado por um rgo estatal, no caso oJuiz de Direito (jurisdio como uma funo estatal); O juiz deve ser eqidistante dos interesses das partes(imparcialidade do Juiz). Vale ressaltar que ao lado da jurisdio contenciosa,existe a jurisdio voluntria. Jos Frederico Marquesa define da seguinte forma:Elementos do direito processual (Conceitos impor-Atividade administrativa do Poder Judicirio desti-tantes)nada a tutelar direitos individuais em determinados Jurisdionegcios jurdicos, segundo previso taxativa de Aolei. Processo A doutrina majoritria entende que a jurisdiovoluntria no se confunde com a jurisdio tradicionala) Jurisdio (Poder) funo atribuda ao Estado nos seguintes pontos:de decidir quem tem o direito, aplicando a lei ao caso- No tem carter substitutivo, ou seja, a vontadeconcreto. Ele o faz por meio do Poder Judicirio.do Estado idntica a vontade dos interessa- dos;- No existe lide (conflito de interesses); 4. 4 Processo Civil- Os plos da demanda so integrados no por c) Processo (Meio de atuao da Jurisdio) partes, mas por interessados.relao jurdica existente entre autor, juiz e ru que visaapurar quem tem o direito (deciso final).Princpios: Obs. Autos do processo ( o processo em papel) a) Princpio da investidura os sujeitos legitima- a materializao fsica (em papis) da relao jurdicados a exercer a jurisdio so os Juizes de Direito,processual.legalmente investidos na funo judicante.1.3. Princpios do Direito Processual Civil:b) Princpio da aderncia ao territrio O poderjurisdicional deve ser exercido dentro dos limitesterritoriais do pas. a) Princpio do devido processo legal (Due processc) Princpio da indelegabilidade da jurisdio of law) algum somente poder ser condenadoA funo jurisdicional no pode ser delegada, sejapor alguma coisa se houver um processo prviopara rgos integrantes ou no do Poder Judicirio. que se apure os fatos alegados.d) Princpio da inevitabilidade da jurisdio Adeciso proferida pelo Poder Judicirio afeta todos b) Princpio do Juiz natural No se pode designaraqueles que participaram do processo. juiz somente para decidir determinadas questes. Ae) Princpio da inafastabilidade da jurisdio A competncia para a deciso estabelecida pela leijurisdio um poder latente, ou seja, est sempre antes da prtica do fato. Ex. No pode o Tribunala disposio daquele que pleiteia a sua interveno.designar um juiz para decidir sobre a anulao dof) Princpio do Juiz natural todos os litgioscasamento por estar envolvendo LULA e Donadevem ser solucionados por juzes cuja atribuioMarisa.deve estar previamente estabelecida pelas regrasde competncia. Assim, verificam-se 2 efeitos:- Veda-se a criao dos tribunais de exceo;c) Principio do contraditrio e ampla defesa O- Veda-se a escolha de juzes para solucionar acontraditrio (INFORMAO) a informao lide, garantindo a prestao da tutela jurisdi-concedida a parte contrria a respeito da existn- cional por juiz independente e imparcial.cia de um processo ou de um ato praticado dentrodeste. Ampla defesa (POSSIBILIDADE DE SEb) Ao (Meio de pedir algo ao Judicirio) meioDEFENDER) a garantia dada ao processado de seutilizado pelos interessados de provocar o Judicirio defender por todos os meios de provas permitidaspara que este decida quem tem o direito. As partes as-pelo Direito.sim agem por meio da petio inicial (vide).d) Principio da vedao da prova ilcita proi-bida pelo direito a utilizao de provas obtidaspor meios ilcitos (que violem o Direito). Ex. tes-- Legitimidade ad causam para exercer otemunha ameaada, escuta telefnica clandestina direito de ao o autor deve ser o suposto titular (sem a autorizao do Poder Judicirio) etc. do direito material alegado e o ru deve possuir algum vnculo de submisso a este direito ale- e) Principio da publicidade em regra o processo gado pelo autor. Ex. Filho que ingressa comdeve ser pblico. Exceo a publicidade se chama uma ao de cobrana em nome do pai. Ex.2segredo de justia, uma vez que a lei pode deter- Ao de reintegrao de posse proposta contraminar que alguns atos corram sem a possibilidade caseiro e no contra o verdadeiro invasor. do conhecimento pblico. Ex. CPC, art. 155: Osatos processuais so pblicos