principais objetivos do zoneamento .princ­pios de todo processo de zoneamento 2. dilogo o...

Download Principais objetivos do zoneamento .Princ­pios de todo processo de zoneamento 2. Dilogo O zoneamento

Post on 10-Feb-2019

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Principais objetivos do zoneamento

Controle do crescimento urbano, mantendo-o em nveis compatveis com a infraestrutura instalada e a capacidade de suporte do meio ambiente;

Proteo de reas inadequadas ocupao urbana, especialmente aquelas compostas por reas frgeis do ponto de vista ambiental, imprprias para urbanizao ou de riscos;

Minimizao dos conflitos entre usos e atividades, impedindo a justaposio de usos incompatveis entre si e considerando a vocao de cada rea;

Controle do trfego atravs da alocao de maior ou menor potencial de adensamento em determinadas partes da cidade, bem como da restrio de polos geradores de trfego em pontos problemticos na mobilidade;

Manuteno do carter do bairro.

Fonte: Urbanidades, Prof. Renato Saboya

Princpios de todo processo de zoneamento

1. Simplificao

O estabelecimento de zonas consideradas homogneas internamente, apesar de claramente no o serem.

A diviso em zonas permite reduzir uma infinidade de possveis recortes a uma quantidade com a qual possvel trabalhar.

Princpios de todo processo de zoneamento

2. Dilogo

O zoneamento deve estabelecer um dilogo entre o que a cidade e o que deveria ser, entre a histria tudo que aconteceu at aqui para aquele lugar ser como e o futuro,

considerando os mecanismos mais profundos que regem o funcionamento dos sistemas urbanos, porque so eles que definiro como

a cidade continuar sua transformao.

Princpios de todo processo de zoneamento

Quando cruzamos a necessidade de dilogo com a natureza do zoneamento, que a de propor direes para o

desenvolvimento urbano (da o termo diretrizes), muitas vezes esse dilogo esquecido, resultando em zoneamentos

que se limitam a apenas reconhecer o que existe, por um lado, ou ento que vo ao extremo oposto e se propem a definir diretrizes utpicas que ignoram a realidade tal como ela .

Atitude frente s

mudanas /

reconhecimento do

mecanismos

Considera os

mecanismos mais

profundos da realidade

Apoia-se apenas nas

aparncias

Prope mudanas em

direo a objetivos

coletivos1 2

Apenas reconhece o

que existe 3 4

Poderamos esquematizar essas possveis combinaes da seguinte maneira:

1. Ideal

Prope diretrizes negociadas coletivamente que consideram e esto adaptadas aos mecanismos

segundo os quais as cidades funcionam, bem como s condies de cada local.

Atitude frente s

mudanas /

reconhecimento do

mecanismos

Considera os

mecanismos mais

profundos da realidade

Apoia-se apenas nas

aparncias

Prope mudanas em

direo a objetivos

coletivos1 2

Apenas reconhece o

que existe 3 4

Poderamos esquematizar essas possveis combinaes da seguinte maneira:

2. Utopia

Prope diretrizes coletivas, mas que no se aderem realidade da cidade. Tendem a ser bem intencionadas mas nunca saem do papel, na melhor das hipteses.

Na pior, podem ter resultados no previstos catastrficos.

Atitude frente s

mudanas /

reconhecimento do

mecanismos

Considera os

mecanismos mais

profundos da realidade

Apoia-se apenas nas

aparncias

Prope mudanas em

direo a objetivos

coletivos1 2

Apenas reconhece o

que existe 3 4

Poderamos esquematizar essas possveis combinaes da seguinte maneira:

3. Status quo

Limita-se a reconhecer a cidade como ela e aceitar o que j existe e as tendncias para o futuro.

Sua ocorrncia muito clara quando vemos a criao de corredores de comrcio nas ruas que j possuem esse tipo de uso, independentemente da sua (in)adequao ao local, ou a liberao

do nmero de pavimentos naquelas reas que interessam ao mercado imobilirio, mesmo que isso implique em problemas

ambientais para reas sensveis do entorno.

O problema repetir a dinmica da cidade sem reconhecer que, em muitos casos, suas consequncias no so

as mais desejveis para a maioria da populao.

Atitude frente s

mudanas /

reconhecimento do

mecanismos

Considera os

mecanismos mais

profundos da realidade

Apoia-se apenas nas

aparncias

Prope mudanas em

direo a objetivos

coletivos1 2

Apenas reconhece o

que existe 3 4

Poderamos esquematizar essas possveis combinaes da seguinte maneira:

4. Cenrio

Quando o zoneamento apoia-se apenas nas aparncias e se furta a estabelecer diretrizes para o futuro, acaba

caindo na gerao de cenrios com pouca ou nenhuma aderncia s reais necessidades das cidades.

Compreenso das zonas por caractersticas:

PreservaoQualificao

Transformao

SITUAO ATUAL

PERMETRO URBANO PERMETRO RURAL

ZONAS DE TRANSFORMAO

ZONAS DE QUALIFICAO ZONAS DE TRANSIO ZONAS DE PRESERVAO

Zona Industrial e de Desenv.

Regional Urbano

Zona de Desenv. dos Corredores

Urbanos

Zona de Reabilitao

Central

Zona de Qualificao dos Bairros

Zona de Expanso e

Estruturao Urbana

Zona de Desenv.

Periurbano 2

Zona de Desenvolvimento Periurbano1

Zona de Proteo e

Recup. Ambiental das Bacias dos Rios Jundia-Mirim e

Capivari e Ribeiro

Cachoeira/ Caxambu

Zona de Produo Agrcola e

Desenv. do Turismo Rural e Cultural

Zona de Proteo da

Serra dos Cristais

Territrio de Gesto da

Serra do Japi

SITUAO PROPOSTA

PERMETRO URBANO PERMETRO RURAL

ZONAS DE TRANSFORMAO

ZONAS DE QUALIFICAO ZONAS DE PRESERVAO

Zona Industrial e de Desenv.

Regional Urbano

Zona de Desenv. dos Corredores

Urbanos

Zona de Reabilitao

Central

Zona de Qualificao dos Bairros 1

Zona de Qualificao dos Bairros 2

Zona de Estruturao

Urbana

Zona de Desenv.

Periurbano 2

Zona de Desenv.

Periurbano1 Ambiental

Zona de Desenv.

Periurbano1 Manancial

Zona de Proteo e

Recup. Ambiental das Bacias dos Rios Jundia-Mirim e

Capivari e Ribeiro

Cachoeira/Caxambu

Zona de Produo Agrcola e

Desenvolvimento do Turismo Rural e Cultural

Zona de Proteo da

Serra dos Cristais

Territrio de Gesto da

Serra do Japi

Preservao:Zonas Rurais

Periurbano 1-M (manancial)Periurbano 1-A (ambiental)

Qualificao:Reabilitao central ZRC

Qualificao de Bairros - ZQB 1 Qualificao de Bairros - ZQB 2Periurbano 2 ZDP-2 ou ZQB 2

Estruturao Urbana ZEU (sem expanso)

Transformao:Corredores Urbanos - ZDCU

Industrial e Desenvolvimento Regional - ZIDRU

ZDP A

?

Terreno

500m2

ZQB-1

?

Terreno

500m2

ZDP-1 para ZDP -1 Ambiental ou outro (carter de transio), avaliando situao consolidada e projetos j aprovados.

ZDP -1 Ambiental

ZDP-1 Manancial

Critrio para a mudana: ZDP-2 ou ZDP-3 (carter de transio), avaliando situao consolidada e projetos j aprovados.

Critrio para a mudana: ZDP-2 (carter de transio), mas com situao consolidada e projetos j aprovados.

ZDP-1 Manancial

ZDP-1 ManancialJundia-Mirim

ZDP-1 ManancialEstiva

rea de captao

Proposta de reviso do zoneamento

Desenvolvimento do Periurbano 1:

Periurbano Manancial: limite das bacias hidrogrficas de proteo de mananciais (art. 305), lote mnimo 1.000 m, usos muito restritos - Decreto Estadual da APA.

Periurbano Ambiental: fora da bacia, com qualidade ambiental, sem ocupao, lote de 1.000 m, usos menos restritos.

ZDP 1 Manancial

X

ZDCU Cidade

Administrativa

Locais para aprofundar nos limites das zonas

De Rural para ZDP-1

- Criao de rea de amortecimento

para a Serra dos

Cristais com ZDP-1

Limite do manancial na Rodovia Vereador Geraldo Dias

Anlise do tamanho dos terrenos para identificar padres

Av. Jundia

Prxima reunio: 14 de maio de 2018

OBRIGADO!