Principais Doenças do Trigo

Download Principais Doenças do Trigo

Post on 23-Feb-2016

69 views

Category:

Documents

0 download

DESCRIPTION

Principais Doenas do Trigo. Doena do sistema radicular do trigo: - Podrido comum Agente causal: Bipolaris sorokiniana Controle: uso de sementes sadias, pois Bipolaris transmitido por sementes, rotao de culturas, visando a reduo do inculo na palha. Mal-do-p - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

Principais Doenas do TrigoPrincipais Doenas do Trigo Doena do sistema radicular do trigo:- Podrido comumAgente causal: Bipolaris sorokinianaControle: uso de sementes sadias, pois Bipolaris transmitido por sementes, rotao de culturas, visando a reduo do inculo na palha.Mal-do-pAgente causal: Gaeumannomyces graminis var. tritici. - No passado, o mal-do-p chegou a ser fator limitante na produo do trigo, especialmente no Rio Grande do Sul. Doenas da parte area Ferrugem da FolhaAgente causal: Puccinia hordeiSintomas: pstulas de colorao amarelo-escuro a marrom ao longo das folhas de cultivar suscetvel. Pode ocorrer desde planta jovem at a fase adulta. Condies climticas: temperaturas entre 15 oC e 20oC e elevada umidade relativa. Em temperaturas em torno de 20oC apenas trs horas de molhamento foliar so necessrias para que ocorra infeco.Controle uso de fungicidas (grupo dos triazis). uso de cultivares resistentes. Giberela do trigo Agente causal: Gibberella zeae (Schwabe), que a forma perfeita de Fusarium graminearum (Schwabe). Principal inculo desse fungo so os ascsporos, que so produzidos em peritcios sobre os restos culturais que permanecem entre uma estao de cultivo e outra. Disseminao: Esses esporos so transportados pelo vento a longas distncias e depositados sobre anteras causando infeco. Ataca as espigas, causando despigmentao das espiguetas afetadas. Dependendo das condies climticas e da cultivar, pode ser observado um miclio branco a rosado sobre as espiguetas . Os gros a produzidos so chochos, enrugados e de colorao branco a rosada.- Pode comprometer toda a produo quando a florao. - Ocorre em pocas com temperaturas superiores 20 oC e a durao do molhamento das espigas superior a 72h.- A manuteno de restos culturais na superfcie do solo facilita a produo e a disseminao de ascsporos do fungo.Controle Doena de difcil controle, Rotao de culturas como medida de controle pouco eficaz. O uso de cultivares resistentes tambm pouco eficiente. Fungicidas indicados atingem um controle mediano mas desde que sejam aplicados no momento certo e no haja um excesso de chuvas no momento da florao. Escape, por meio de escalonamento de semeadura e uso de cultivares com ciclos reprodutivos diferentes. Brusone do trigoAgente causal: Magnaporthe grisea, anamorfo Pyricularia grisea.SintomasFolhas: manchas elpticas ou arredondadas, caracteristicamente de borda marrom escuro com centro acinzentado. Espigas: verifica-se uma descolorao acima do ponto de infeco, que pode ser visto por um escurecimento no rquis. - Neste ponto do rquis e na base da espigueta, dependendo das condies de microclima, pode-se observar tambm um crescimento micelial, de colorao cinza.Condies climticas: perodos de molhamento superiores a 10 horas com temperaturas acima de 25 oC.Controle: Escape, realizando semeadura mais tardiamente alm de utilizao de cultivares tolerantes doena. No h disponvel at o momento, cultivares com nvel satisfatrio de resistncia.Controle qumico: aplicao de fungicidas na parte area das plantas, antes do espigamento. OdioSintomas: presena de miclio branco acinzentado nas folhas, bainhas, colmos e espigas. Devido colonizao do patgeno a fotossntese e a respirao da planta ficam comprometidas. Temperaturas entre 15 a 22oC e pouca umidade relativa.Controle Uso de cultivares resistentesFungicida:- Via tratamento de sementes: triadimenol, que protege as plantas por um perodo em torno de 45 a 60 dias aps a emergncia) Aplicao foliar: recomenda-se o uso de fungicidas quando a incidncia foliar estiver entre 20 a 25% a partir do estdio de alongamento. Manchas FoliaresMancha amarelaAgente causal: Drechslera tritici-repentis (fase imperfeita), a mancha forma perfeita, Pyrenophora tritici-repentis .Condies climticas: temperatura entre 18o e 28oC e um perodo de molhamento foliar superior a 30 horas. um fungo necrotrfico, portanto com capacidade de sobreviver em restos culturais, formando estruturas de reproduo sexuada, que so os pseudotcios. No sistema de plantio direto, os pseudotcios liberam ascosporos que so responsveis pela infeco primria. Durante o desenvolvimento da cultura, sob condies favorveis e sem adoo do controle qumico, conidiforos e condios so formados sobre as leses e iniciam o ciclo secundrio da doena.Sintoma: mancha amarela. leses so elpticas ou em forma de diamante, geralmente com uma borda amarela e o centro marrom escuro. Dependendo da cultivar, pode-se obervar maior ou menor clorose e necrose, devido a ao de toxinas especficas do patgeno: PtrToxA: que causa necrose PtrToxB ou PtrToxC: que causam clorose e dependendo do manejo dado cultura os sintomas podem ser visualizados logo no incio do ciclo da cultura, ainda no afilhamento.Controle Rotao de culturas (dois anos seguidos sem trigo, a fim se obter reduo satisfatria do patgeno na palha do trigo). No Brasil, recomenda-se a aplicao de fungicidas, para o complexo de manchas foliares, quando a incidncia foliar atingir 70%.Mancha da glumaAgente causal: Stagonospora nodorum. Fungo necrotrfico, pois sobrevive em tecido morto do hospedeiro.Temperatura ideal: entre 20 a 25oC, com perodo de molhamento foliar entre 48 e 72 horas.Manifesta-se em outros rgos da planta como folhas, colmos e espiga, formando o sintoma tpico nas glumas.Sintomas: Manchas irregulares de colorao marrom claro, com halo violceo. Tais sintomas evoluem para castanho com centro claro e pontuaes de cor marrom, que so os picndios do patgeno. As glumas apresentam manchas irregulares de cor marrom.Mancha marromAgente causal: Bipolaris sorokiniana a mais importante em regies mais quentes e de alta umidade relativa dos trpicos e subtrpicos. Dependendo do ataque da doena, perdas totais podem ocorrer.Disseminao: semente (longas distncias).- Capacidade de sobreviver em restos de cultura, tornado estes uma fonte de inculo primrio, quando a doena j est instalada na rea.Temperatura: entre 20 e 28oC, com pelo menos 15 horas de molhamento foliar.Sintoma: mancha marrom iniciam com pequenas manchas ovais, de colorao marrom-escuro a negra, em folhas, bainhas e colmos. Com o progresso da doena as leses se tornam elpticas e sobre estas h abundante esporulao do fungo de colorao castanho escuro, o que d uma aparncia negra s leses. Pontuaes pretas nas sementes e necrose em plntulas podem ocorrer.Controle Tratamento de sementes recomendado.OBS: Lotes que apresentem infeco abaixo de 40%, pois os fungicidas recomendados no tm a capacidade de eliminar o patgeno em casos intensos de infeco)- Acima desse nvel, no vivel e o lote deve ser descartado.

Recommended

View more >