PRINCIPAIS DOENÇAS DAS AVES

Download PRINCIPAIS DOENÇAS DAS AVES

Post on 17-Jul-2015

214 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

PRINCIPAIS DOENAS DAS AVES

Fonte: U.F. de Viosa Adaptao: Miquias antunis Matrial recolhido do site: http://www.acercsp.org/

Principais VIROSES:Doena de Newcastle: Altamente contagiosa, afeta aves em qualquer idade. O

vrus pode pode afetar e causar leses no sistema digestivo, respiratrio e nervoso, causando alta mortalidade.Aves com a doena de Newcastle na forma respiratria reduzem o consumo de alimentos e apresentam espirros, dificuldade em respirar, conjuntivite e, s vezes, inchao da cabea.Aves em produo de ovos reduzem bruscamente a produo. Na forma digestiva a doena pode provocar diarria com presena de sangue e mortes repentinas sem nenhum sinal e as leses se concentram no sistema digestivo caracterizando-se, principalmente, por lceras e hemorragias.Na forma nervosa, que pode ou no estar associada forma respiratria, observa-se a paralisia de pernas e asas, incoordenao, torcicolo e opsttomo.As melhores maneiras de controle consistem na VACINAO, isolamento dos casos e higiene impecvel. Observao: o vrus da Newcastle pode provocar conjuntivite no ser humano, portanto cuidado ao manusear aves suspeitas, doentes ou vacinas. Bronquite infecciosa: Doena que afeta somente galinhas e apresenta a forma respiratria em aves jovens, apresentando mortalidade elevada e sinais respiratrios semelhantes Newcastle. Na galinha adulta em produo a forma preocupante a genital, pois afeta postura tanto em qualidade como em quantidade dos ovos que se apresentam com casca mole, sem casca, perda de cor da gema e a clara mostra-se liquefeita. Tambm a vacinao a melhor estratgia para prevenir. Bouba aviria: Tambm conhecida por epitelioma contagioso, varola das aves, difteria, "caroo", "pipoca"e "bexiga", afeta todas as aves e em qualquer idade, ocorrendo com maior freqncia no vero devido proliferao de mosquitos que disseminam o vrus de local para local, picando e sugando as aves. Quando a bouba infecta a pele, aparecem os ndulos nas regies desprovidas de penas (crista, barbelas, em volta do bico e dos olhos). Quando afeta a garganta (forma diftrica), h formao de placas que podem se alastrar causando dificuldades para respirar, perda de apetite, prostao e mortalidade elevada. Tambm o melhor controle se faz com a VACINA, que pode ser aplicada logo ao nascer. Doena de Marek: uma neoplasia de origem viral que afeta aves jovens, caracterizando-se pela presena de tumores que podem ser encontrados nas vsceras das aves (Marek visceral), no sistema nervoso central e perifrico (Marek neural), na pele (Marek cutnea) e no globo ocular (Marek ocular). Os sintomas de quase todas as formas levam a ave prostao, paralisia e morte elevada. A vacina tambm pode ser dada com 1dia de nascidos os pintos.

Leucose linfide: Assemelhada doena de Marek, apresenta tumores internos de tamanhos variados e cor esbranquiada, afetando aves adultas e com baixa mortalidade. uma doena no contagiosa, de caracterstica gentica, devendo o indivduo portador ser eliminado como reprodutor. Encefalomielite aviria: Afeta e infecta aves adultas e jovens, mas somente as jovens, at 8 semanas de idade, desenvolvem a doena que caracterizada por tremores e paralisia do pescoo e cabea. Nas aves em produo h queda brusca de postura. Existe a vacina, principalmente para indivduos destinados reproduo.

PRINCIPAIS BACTERIOSES: Colibacilose: Doena comum na avicultura, causando grandes prejuzos. A bactria encontra-se nos intestinos de aves e mamferos, sendo eliminada com as fezes. Portanto higiene fundamental como sempre nos ambientes de criao.Os pintinhos podem nascer contaminados devido contaminao das cascas dos ovos ou ainda, contaminar-se no pinteiro. Os sintomas: onfalite, aerosaculite, pericardite, perihepatite e peritonite.Os sintomas tambm podem estar localizados nas articulaes, causando artrite e ou no oviduto, causando salpingite.Pela gravidade e difuso de sintomas, doena que pode causar grande mortalidade. A higiene e desinfeco peridica das instalaes a melhor maneira de prevenir esta doena. Salmonelose: Esta doena uma das mais preocupantes pois pode representar problemas para o ser humano, pois as salmonelas infectam tanto mamferos quanto aves, apesar de haver salmonelas especficas para cada caso, havendo entretanto, salmonelas consideradas no especficas. As principais so a pulorose, que afeta aves jovens, e o tifo avirio, que afeta principalmente aves adultas. As salmonelas no especficas causam o paratifo avirio. As salmonelas so altamente patognicas para mamferos e aves, causando alta mortalidade. Seus sintomas se confundem com com outras bacterioses, como a colibacilose e a diferenciao feita com o isolamento e identificao da bactria. O controle mais uma vez envolve higiene rigorosa e eliminao dos focos (aves portadoras da bactria). Micoplasmose: Altamente contagiosa, afeta aves de todas as idades apesar da baixa mortalidade. Seus sintomas podem ser: artrite e espirros.Como sempre a higiene e eliminao dos portadores o controle eficaz. Coriza infecciosa: Doena altamente contagiosa afeta aves em todas as idades, sendo a vacina a forma mais efetiva de controle.Ataca

principalmente as vias areas e seus sintomas so espirros, conjuntivite, inchao facial (sinusite). Evitar correntezas de ar e friagens pois costumam agravar os sintomas. Pausteurelose: Tambm conhecida como septicemia hemorrgica e clera aviria, infecta aves com mais de 6 semanas, provocando alta mortalidade. As carcaas de aves que morreram da doena so so o principal meio de infeco pois os roedores e outros animais levam a bactria e a disseminam entre as criaes. A bactria pode permanecer na carcaa e no solo por at 3 meses. Seus sintomas so: febre, sonolncia, congesto ou cianose de cristas e barbelas e morte repentina.O controle dessa doena baseia-se no combate aos ratos e roedores silvestres pois so considerados seus vetores alm da higiene e desinfeco peridica das instalaes. Tambm as vacinas aplicadas entre 10 / 16 semanas de idade (duas aplicaes com intervalo de de 2 - 4 semanas) podem ajudar mas os resultados no so 100% garantidos, portanto mais uma vez a preveno consiste em muita higiene e controle de entrada de novos indivduos no plantel ( quarentena). Botulismo: Causado pela toxina produzida pela bactria Clostridium botulinum, muito freqente nas criaes de fundo de quintal devido ao hbito de fornecer sobras de comida caseira para as aves. As aves que ingerem a toxina existente na matria orgnica em decomposio apresentam um quadro de paralisia flcida e morte repentina. No controle da doena deve-se evitar exatamente fornecer alimentao passvel de desenvolver essas bactrias. Estafilocose: A estafilocose aparece na forma difusa (septicemia) com mortalidade elevada, ou , na forma localizada, caracterizada por artrite e abscesso no coxim plantar, podendo afetar aves em qualquer idade. Higiene e desinfeco so as formas de controle mais eficazes. Borreliose: Doena transmitida por carrapatos comum em criaes de aves caipira.Sintomas: Palidez, anorexia, fezes esverdeadas e morte. O controle consiste em eliminar os ectoparasitas, principalmente os carrapatos. Ornitose: A mesma doena chamada de psitacose quando afeta psitacdeos (papagais,etc), clamidiose quando afeta o homeme ou outros mamferos e de ornitose quando afeta aves no psitacdeas.A doena muito grave de diagnstico e tratamento difcil. Sintomas: dificuldades respiratrias, gastroenterite e morte. Exige o mximo de cuidados no manuseio dos cadveres e carcaas pois altamente contagiosa. til nesses casos o crematrio.

Tuberculose: Causada pelo Mycobacterium avium, afetando principalmente aves adultas, principalmente as de criao caipira e de zoolgico, sendo os sunos a fonte de contaminao para as aves. Os sintomas so dificuldade respiratria, palidez e manqueira. Como os bacilos so eliminados nas fezes e nos ovos, podem constituir um grave problema de sade pblica. As aves positivas devem ser eliminadas e incineradas. Aspergilose: Doena infecciosa das aves jovens em geral, provocada por fungos (mfo) e capaz de causar grande mortalidade.A contaminao pode ocorrer durante a ecloso dos ovos, nos ninhos, nas criadeiras ou at nas granjas (cama e alimentos). Deve ser controlada evitando-se qualquer vestgio de fungos nas instalaes e principalmente na sacaria de rao ou cereais de alimentao. Procure sempre comprar rao dentro do prazo de validade indicado na sacaria e armazene sempre em lugares isentos de umidade. Em caso de suspeita de contaminao, no fornea a alimentao s aves. PRINCIPAIS PARASITOSES Coccidiose: uma doena causada por parasitas que provocam leses nos intestinos, podendo variar desde pequenas irritaes at leses mais graves, com hemorragias e necrose, alm de alta mortalidade. Sintomas: perda de peso, despigmentao e diarria com ou sem sangue. As aves se contaminam ao ingerir ovos (oocistos) maduros atravs da cama, rao ou gua contaminados. Os oocistos so introduzidos na criao por equipamentos, homem, animais e insetos. O controle consiste em higiene e desinfeco e uso de drogas coccidiostticas(normalmente j presentes em raes de boa qualidade). Entero-hepatite: A doena tambm chamada de cabea negra dos perus ou histomonase. Afeta principalmente perus jovens causando leses necrticas nos cecos e fgado, com mortalidade elevada. Apesar de ser doena dos perus importante estar alerta no caso de haver contato com essas aves e o plantel de galinhas. Verminoses e ectoparasitoses: As verminoses so provocadas por diferentes formas de vida (parasitas) que usam os seus hospedeiros para retirar deles o seu sustento, afetando o desenvolvimento e a produo e lev-los at a morte.As ectoparasitoses mais frequentes so causadas por dermanissos, ornitonissos, sarna, carrapatos, percevejos, moscas e mosquitos. A Ectoparasitose pode debilitar as aves e predisp-las a outras doenas, portanto um controle efetivo deve ser feito pulverizando-se as instalaes com inseticidas que tenham boa ao residual, evitando-se

tambm a superpopulao de aves. Um programa de vermifugao deve ser institudo periodicamente e, no caso de dvidas, encaminhar as fezes ou o parasita para identificao. DOENAS DE ORIGEM NUTRICIONAL OU METABLICA Ditese exsudativa: As aves mostram-se com edemas e hemorragia de tecido subcutneo nas regies baixas do corpo. A doena est relacionada com com deficincia de vitamina E e selnio. Pode ser controlada adicionando-se antioxidante s raes e a reposio desseselementos. Encefalomalcia nutricional: As aves afetadas mostram-se com incoordenao motora, prostrao e morte.As leses se encontram principalmente no cerebelo, que pode estar aumentado de tamanho e com hemorragia.A principal causa a deficincia de vitamina E que deve ser adicionada gua de beber e melhorar a qualidade de alimentao fornecida. Raquitismo: uma doena carencial causada por deficincia de clcio, fsforo ou vitamina D, podendo afetar o esqueleto como um todo, apresentando deformidades e consistncia de borracha.Suplementos minerais alm de boa alimentao evitam esses sintomas. O sol tambm ajuda na recuperao e preveno do raquitismo. Micotoxicoses: So doenas causadaspor ingesto de alimentos contaminados por micotoxinas. A principal fonte de micotoxina para a ave o milho e/ou a rao.As micotoxinas so produzidas por fungos, portanto qualquer aparncia de contaminao (pores azuladas ou mofadas) no milho ou rao devem ser imediatamente descartadas. As aves apresentam sintomas de palidez, pouco crescimento, diarria, hemorragia, alterao nos ovos e morte. Ascite: A ascite caracteriza-se por acmulo de lquido na cavidade abdominal, relacionada com leses hepticas, cardacas ou pulmonares.Os quadros de ascite nas criaes caipiras ou aves silvestres esto associados com processos neoplsicos (doena de Marek ou leucose linfide) ou com leses de fgado por micitoxina. MTODOS DE CONTROLE DAS DOENAS AVIRIAS Isolamento: O isolamento tem como finalidade impedir que os agentes infecciosos penetrem no ambiente das aves.Esse isolamento deve ser uma preocupao por ocasio da construo dos avirios, recomendando-se que sejam isolados de ouros criatrios e que se controle o acesso de homens e

animais. Outras instalaes que devem ser pensadas so os locais para a quarentena, onde os novos indivduos adquiridos ou de fora possam ser alojados por um perodo mximo de 10 dias para observao e at vacinao preventiva, antes de manterem contato com as aves j presentes no plantel. Higiene: A higiene tem como finalidade prevenir doenas e preservar a sade. Podemos observar que quase todas as doenas dependem de higiene para no se desenvolverem. Por tudo o que foi escrito e lido achamos que este o ponto mais importante para quem quiser ter sucesso na sua criao. A higiene no est restrita apenas aos ambientes mas a todos os utenslios, comedouros, bebedouros, poleiros etc..e deve ser feita de 15 em 15 dias ou menos com gua e creolina a 2%. Tambm a caiao d bons resultados: 20 litros de gua + 1.5kgs. de cal extinta e 100ml de creolina. Pulverizaes com formol ou Lysoform bruto tambm so teis. Vacinao: Apresentamos a tabela logo no incio deste tema por acharmos de importncia crucial na sobrevivncia de nossas aves, tendo em vista o trfego que as aves de competio e exposio realizam. Alm do que,as aves vacinadas passam para os pintos os anti-corpos para os primeiros dias de vida. Os mtodos de vacinao e suas peculiaridades esto na tabela no incio desta matria. Esperamos que todos dem a mxima importncia a tudo que foi exposto e conduzam suas atividades dentro destes critrios que s iro valorizar as criaes e credenciar os criadores.IDADE 01 dia 07-10 dias 07-10 dias 20 dias* 35 dias** 35 dias*** 70-80 dias 90-100 dias 110-114 dias ... DOENA Marek Newcastle Bronquite bouba Newcastle bronquite coriza Encefalomielite Newcastle e bronquite Coriza e pasteurelose VIA subcutnea Ocular / nasal Ocular / nasal Membrana da asa (puno) Ocular / nasal / gua Ocular / nasal / gua Intramuscular agua Agua/Intramuscular Intramuscular

* Vacinar 2 vezes ao ano com amostra suave ** Vacinar a intervalos de 90 dias *** Vacinar em regies com a doena ou com alta concentrao avcola.

Recommended

View more >