prevenÇÃo de doenÇas profissionais doenÇas ocupacionais. enf. jefferson henrique p. da silva...

Download PREVENÇÃO DE DOENÇAS PROFISSIONAIS DOENÇAS OCUPACIONAIS. ENF. JEFFERSON HENRIQUE P. DA SILVA ARARIPINA – PE, 12 DE MAIO DE 2015

Post on 07-Apr-2016

233 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PREVENO DE DOENAS PROFISSIONAIS

PREVENO DE DOENAS PROFISSIONAISDOENAS OCUPACIONAIS.ENF. JEFFERSON HENRIQUE P. DA SILVAARARIPINA PE, 12 DE MAIO DE 2015.DOENAS OCUPACIONAISDoena profissional a entidade mrbida produzida ou desencadeada pelo exerccio de trabalho peculiar determinada atividade.

ADoena de trabalho aquela adquirida ou desencadeada em funo de condies especiais em que o trabalho realizado e com ele se relaciona diretamente.De acordo com a Lei n 8.213/91, conforme redao dada peloDecreto n 3.048, de 6 de maio de 1999.DOENAS PROFISSIONAIS MAIS FREQUENTES

Entre as doenas profissionais mais frequentemente registradas no Brasil incluem-se:

as leses por esforos repetitivos (as LER/DORT);a surdez profissional (PAIR);as doenas pulmonares ocupacionais;as doenas de pele (dermatoses ocupacionais);as intoxicaes pelo benzeno, por metais pesados ou por agrotxicos;cncer ocupacional.

PNEUMOCONIOSE POR ASBESTOA asbestose considerada uma pneumoconiose, ou seja, uma doena dosistema respiratriorelacionada ao trabalho.

Decorre da aspirao de poeira com asbesto e caracteriza-se por fibrose pulmonar crnica e irreversvel. A inalao de fibras de asbesto pode causar uma variedade de enfermidades.

PNEUMOCONIOSE POR ASBESTOFATORES DE RISCO

OASBESTO, conhecido comercialmente como amianto, uma fibra mineral natural sedosa e resistente, que est presente em abundncia na natureza sob duas formas:

Serpentinas (amianto branco);Anfiblios (amiantos marrom, azul e outros).

O asbesto utilizado principalmente na fabricao de produtos:

Cimento-amianto (telhas, caixas dgua, placas, tubulaes), materiais de frico (pastilhas de freio, embreagens);Materiais de vedao (gaxetas);Tintas, pisos, materiais plsticos;Produtos txteis como mantas, lonas e tecidos resistentes ao fogo (refratrios).

PNEUMOCONIOSE POR ASBESTOSINTOMAS

O aparecimento da doena est relacionado:

Ao tamanho e concentrao das fibras de asbesto presentes no ambiente de trabalho;Ao tempo de exposio;Ao tipo de atividade e intensidade do esforo fsico desenvolvido pelo trabalhador na sua funo laborativa.

Normalmente, o perodo de latncia da asbestose maior do que 10 anos, entretanto, em presena de elevados nveis de poeira, os trabalhadores podero desenvolver a doena num prazo inferior a 5 anos de exposio.

A queixa principal a falta de ar (dispneia) aos grandes esforos e canseira, acompanhada por dor no peito e tosse (seca ou com expectorao), impedindo o trabalhador de exercer tarefas que exijam maior esforo fsico.PNEUMOCONIOSE POR ASBESTODIAGNSTICO

O diagnstico firmado com base na histria ocupacional e nas alteraes radiolgicas.

O Rx de trax revela pequenas opacidades irregulares

TRATAMENTOS

O tratamento de suporte dos sintomas compreende as terapias respiratrias para remover as secrees dos pulmes.

Podem ser utilizados medicamentos em aerossol para fluidificar as secrees, sendo que pode ser necessrio o fornecimento de oxignio por meio de mscara ou de cnula nasal.PNEUMOCONIOSE POR ASBESTO

ASMA OCUPACIONAL uma doena do pulmo, caracterizada por crises de falta de ar (dispneia), sibilos e tosse, causada por diferentes agentes existentes nos locais de trabalho.

Ocorre uma obstruo reversvel das vias areas causada pela exposio a inalantes gasosos ou particulados.

Os sintomas, em geral, decorrem de estreitamento excessivo das vias areas produzido por espasmos da sua prpria musculatura.

Estima-se que a asma ocupacional represente at 20 por cento de todos os casos de asma nos pases industrializados.

FATORES DE RISCO

At o presente tm sido descritos mais de 250 agentes que causam asma ocupacional, destacando-se:

As poeiras de madeiras;Poeiras de gros;Pelos de animais;Fungos;Certas substncias qumicas, especialmente os gases irritantes (cloro ou amnia) e os isocianatos.

Os isocianatos so largamente usados na indstria e so responsveis pela forma mais comum da doena. So usados em fundio de metais, composio de substncias plsticas e em tintas e vernizes.

ASMA OCUPACIONAL

SINTOMAS

Os sintomas pioram a medida que a semana de trabalho progride e melhoram durante o fim de semana ou nas frias.

Falta de ar (dispneia)Sibilos (sibilncia)Tosse crnicaAperto no peito (desconforto)ASMA OCUPACIONAL

EXAMES UTILIZADOS NO DIAGNSTICO

Histria clnica e ocupacionalEspirometriaRadiografia de traxMedidas de pico de fluxo expiratrioTestes de provocao brnquicaTestes alrgicos especficos (cutneos e sorolgicos)

ASMA OCUPACIONAL

TRATAMENTO

O diagnstico precoce e a remoo da exposio so fatores importantes para se conseguir a recuperao completa do paciente.

No tratamento da asma ocupacional, os objetivos principais so eliminar a exposio ao agente causal e melhorar os sintomas respiratrios com o uso de medicamentos broncodilatadores, incluindo os inaladores e os nebulizadores manuais.ASMA OCUPACIONAL

PREVENO

O objetivo principal na asma ocupacional a preveno. Higiene ambiental tal como melhor ventilao ou processos de isolamento podem contribuir para melhoria ambiental. Uma vez que se determine a causa, o essencial evitar futuras exposies do trabalhador ao agente causal (alergeno).

O uso de equipamentos de proteo individual importante e tem seu emprego em alguns casos.

Medidas de proteo coletiva, exemplos:

Substituio de matrias primas patognicas por outras menos txicas;Enclausuramento total ou parcial do processo;Exausto localizada ou geral;Ventilao local ou geral;Umidificao do ambiente com lavagem constante do piso.

ASMA OCUPACIONALPREVENO

Protetores respiratrios (respiradores)

Os protetores respiratrios podem ser classificados em dois tipos bsicos:

Aparelhos purificadores (mscara a filtro):estrutura facial dotada de um ou mais filtros especficos para poeiras ou substncias qumicas;

Aparelhos de isolamento:usados em ambientes pobres em oxignio (teor menor que 18% de volume) ou em ambientes contaminados a altas concentraes. Podem ser autnomos (cilindros de ar ou oxignio) ou de aduo de ar (bomba manual ou motorizada).

ASMA OCUPACIONALSILICOSEA silicose uma doena respiratria causada pela inalao de poeira de slica que produz inflamao seguida de cicatrizao do tecido do pulmo. uma das mais antigas doenas provocadas pelo trabalho, sendo que atualmente, no Brasil, a principal doena pulmonar de origem ocupacional (pneumoconiose)FATORES DE RISCO

A silicose decorre da exposio slica livre (quartzo);

Na minerao subterrnea de ouro, nas indstrias extrativas de minerais, no beneficiamento de minerais (corte de pedras, britagem, moagem, lapidao);Nas indstrias de transformao (cermicas, marmorarias, abrasivos, fundies);Na fabricao do vidro e de sabes;Na construo civil;Em algumas atividades como protticos, jateadores de areia, trabalhos com rebolos ou esmeril de pedra, escavao de tneis, cavadores de poos;Artistas plsticos.

SILICOSE

DIAGNSTICO

O diagnstico da silicose, apesar do avano tecnolgico, ainda depende basicamente da histria ocupacional e da interpretao da radiografia simples de trax.Sendo constatada a ocorrncia ou agravamento de silicose ou sendo verificadas alteraes que revelem qualquer tipo de disfuno do aparelho respiratrio em trabalhadores expostos poeira de slica, mesmo sem sintomatologia, a empresa deve comunicar essa ocorrncia Previdncia Social atravs da emisso da Comunicao de Acidente de Trabalho - CAT.SILICOSE

SINTOMAS

Falta de ar (dispnia) aos esforos;Tosse crnica com expectorao;Sintomas associados como febre e perda de peso.

Formas clnicas

Silicose crnica: a forma mais comum, uma doena de longo perodo de latncia at o aparecimento das alteraes radiolgicas (em mdia aps 10 anos do incio da exposio), e no causa sintomas clnicos, a no ser em fases mais avanadasSilicose subaguda:ocorre, em geral, entre os cavadores de poos e mineiros de ouro de subsolo, e apresenta alteraes radiolgicas mais precoces (aps 5 anos de exposio), sendo que os sintomas respiratrios costumam ser precoces e limitantes.Silicose aguda: uma forma rara e est associada exposies macias slica livre como no jateamento de areia ou na moagem de pedra, resultando um quadro clnico grave e limitante.

SILICOSETRATAMENTO

No existe um tratamento especfico para a silicose, mas muito importante afastar o trabalhador da fonte de exposio slica para evitar o seu agravamento. O tratamento de apoio compreende medicamentos supressores da tosse, broncodilatadores e oxignio. No caso de infeces respiratrias associadas, pode ser necessrio a utilizao de antibiticos.

SILICOSEPREVENO

No controle das doenas ocupacionais, provocadas pela inalao de ar contaminado com poeiras, o objetivo principal deve ser minimizar at eliminar a contaminao do local de trabalho, atravs da adoo de medidas de proteo coletiva.

Quando as medidas de proteo coletiva no so viveis, ou enquanto esto sendo implantadas ou avaliadas, devem ser usadas medidas de proteo individual: os protetores respiratrios (respiradores).

Medidas de proteo coletivaumidificao do ambiente com lavagem constante do piso;exausto localizada;ventilao local ou geral;enclausuramento total ou parcial do processo produtor de poeiras;mudanas de lay out da empresa;substituio de matrias primas patognicas por outras menos txicas e,alteraes do processo produtivo, entre outras.

SILICOSEPREVENO

Protetores respiratrios (respiradores)

As orientaes e recomendaes sobre seleo e uso de respiradores esto contidas na Instruo Normativa N 1, de 11/04/94. Os protetores respiratrios podem ser classificados em dois tipos bsicos:

aparelhos purificadores (mscara a filtro):estrutura facial dotada de um ou mais filtro